Em 1º de maio, encerra-se o XXIII Sínodo Luterano

Em 1º de maio, encerra-se o XXIII Sínodo Luterano

foto CELI

Catânia (NEV/CS11), 30 de abril de 2023 – A 4ª sessão do XXIII Sínodo da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) termina amanhã, segunda-feira, 1º de maio. Um rico programa, acompanhado pelo versículo retirado do Evangelho de Mateus: “Vós sois o sal da terra”.

Vários relatos foram discutidos nos dois primeiros dias de trabalho. O trabalho do Consistório, após relato do Reitor, pároco Carsten Gerdesrecebeu a aprovação do Sínodo.

Hoje prevê a aprovação de várias moções, entre elas as de diaconia e compromisso social, rede de mulheres, meio ambiente através de ecocomunidades, que promovem temas e práticas para a sustentabilidade. Entre eles, os corredores para insetos polinizadores, em colaboração com a Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Além disso, no que diz respeito ao compromisso eclesial, o CELI continua a manter elevada a sua atenção e o seu papel de apoio nos territórios e através de várias colaborações inter-religiosas, tanto a nível nacional como internacional.

Durante o Sínodo, foi apresentada a nova campanha Otto per mille do CELI, que retoma o versículo de Mateus 5 com a hashtag #siamosale e que começará oficialmente no dia 5 de maio.

Para mais informações, é possível acompanhar as atualizações do Sínodo Luterano no site do CELI em Esta página.

Em particular, destacamos as intervenções de Michael Chalupkabispo da Igreja Evangélica na Áustria; Olaf Wassmuth, representante da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD); Vestir Antonino De Mariadelegado regional para o ecumenismo e o diálogo da CEI, que também trouxe as saudações fraternas do Bispo de Palermo, Mons. Conrado Lorefice; mons. Cesare Di Pietro, Bispo Delegado Regional para o Ecumenismo e Diálogo e Bispo Auxiliar de Messina. Um foco no 50º aniversário do Acordo de Leuenberg foi tratado diretamente pelo Secretário Geral da Comunhão das Igrejas Protestantes na Europa (CCPE-GEKE), Mário Fisher. Entre as inúmeras saudações e mensagens, também a do presidente da FCEI, pároco Daniele Garrone.


Fundado em outubro de 1949, o CELI é um caso único no âmbito das congregações luteranas fora da Alemanha. Independente da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD), o CELI reúne 15 comunidades na Itália. Comunidades que surgiram nos séculos passados: desde a mais antiga, Veneza, nascida em 1650, até Turim em 2006. A Comunidade Siciliana, que reúne as realidades de Messina, Taormina, Catania, Siracusa, Vittoria e Palermo, foi estabelecida como uma realidade autônoma desde 1996. A Igreja Luterana está entre os membros fundadores da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI).


FORMA. A Igreja Evangélica Luterana na Itália

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Em tempos sombrios, ouse ter esperança

Em tempos sombrios, ouse ter esperança

Roma (NEV), 18 de julho de 2022 - De 24 a 30 de julho, será realizada em Assis a 58ª Sessão de Formação Ecumênica da Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE), que representará o segundo momento de pesquisa ecumênica lançada em 2021 com a sessão sobre Você vai contar ao seu filho (Ex. 13,8). “O tema da comunicação da fé no diálogo intergeracional será explorado este ano com particular atenção ao difícil momento de mudança em curso – lê-se na apresentação do evento -: que palavras de esperança podemos transmitir? O contexto será o do diálogo entre gerações, favorecendo a escuta mútua, e o diálogo intercultural, cada vez mais significativo numa sociedade viva e em movimento como a nossa. Em tempos sombrios, ouse ter esperança. As Palavras de Fé na Sucessão das Gerações é, sem dúvida, um título desafiador, pois está repleto de promessas que esperamos poder cumprir. A reflexão, o encontro, a oração e o convívio que sempre caracterizaram as sessões da SAE voltarão a envolver este ano cristãos de várias confissões, mas também judeus e muçulmanos, num diálogo a muitas vozes, atento e respeitoso”. Serão organizadas atividades específicas para meninos e meninas e na tarde livre será possível visitar Assis e seus arredores. Aqui o pdf com a brochura BrochureSAE2022 com a indicação de todos os momentos de estudo e escuta, os de oração e os de reflexão, os títulos dos workshops e os nomes dos oradores. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=9JTW5ljA-R0[/embed] A SAE, associação leiga e interconfessional, dá continuidade à atividade de diálogo e formação ecumênica promovida pela Maria Vingiani em Veneza a partir de 1947, depois desenvolvida em Roma de forma privada a partir de 1959 (no anúncio do Concílio Ecumênico Vaticano II) e de forma pública a partir de 1964. Em 1966 foi formalmente constituída como associação sob a presidência da fundadora Maria Vingiani. Desde 1964 organiza uma sessão anual de verão de formação ecumênica, da qual são publicados os Atos. Geralmente é acompanhado por uma conferência anual de primavera mais curta. Ele foi um dos promotores da época para o judaísmo (1989) e do documento para casamentos inter-religiosos entre católicos e valdenses-metodistas (1998). Em 1996, com a eleição de Elena Milazzo Covini novo Presidente Nacional, a sede mudou-se de Roma para Milão. A fundadora Maria Vingiani é nomeada presidente emérita. De 2004 a 2012, por dois mandatos consecutivos, foi presidente nacional Mário NhoqueEntão Marianita Montresor (de 2012 a 2016) e Pedro Stefani (de outubro de 2016 até o final de 2021). Em setembro de 2021, foi eleita Erica Sfreddao primeiro presidente evangélico da associação, que tomou posse oficialmente em janeiro de 2022. Para mais informações, acesse a seção de documentação e consulte o documento Memória histórica de Maria Vingiani. ...

Ler artigo
Valdenses: Reforma, Responsabilidade, Participação – Nev

Valdenses: Reforma, Responsabilidade, Participação – Nev

Torre Pellice (TO), (NEV/Confronti.net), 24 de agosto de 2020 – A mesa redonda acontecerá esta noite, às 21h, por ocasião da noite pública organizada pela Mesa Valdense, na Torre Pellice e ao vivo no Facebook em a página da Igreja Valdense. Endereço de saudação esperado via mensagem de vídeo de David SassoliPresidente do Parlamento Europeu, e as intervenções dos convidados da mesa redonda: Vittorio Cogliati Dezza (Fórum de Desigualdade na Diversidade, Legambiente), Elly Schlein (Vice-presidente da Região Emilia Romagna, via link de vídeo), Valdo Spini (Presidente da Fundação Circolo Fratelli Rosselli, ex-Ministro do Meio Ambiente); a noite será moderada por Cláudio Paravati E Ilaria Valenzi (Centro Studi e Rivista Confronti) e enriquecido pela música do maestro Alessandro Sgobbioantes das conclusões confiadas ao moderador do Tavola Valdese, o diácono Alessandra Trotta. Segue abaixo o resumo da fala de Valdo Spini, que será divulgado com antecedência: “Apenas no dia 20 de agosto, oDia de ultrapassagem, o dia em que a natureza esgotou seus recursos de comida, água e espaço disponíveis para a humanidade no ano atual. O que significa que a partir de agora, até 31 de dezembro, consumiremos os recursos do futuro. O confinamento para o Covid-19 atrasou esse prazo em 3 semanas em relação ao ano passado, porque tínhamos que poluir menos. É claro que não devemos esperar contar com tais eventos, mas isso constitui uma indicação do novo modelo de desenvolvimento que respeita o meio ambiente que devemos perseguir. Neste contexto, é sem dúvida um elemento positivo que a União Europeia esteja a preparar-se para enfrentar as consequências do pós-Covid com um Fundo de Recuperação que tem entre os seus parâmetros fundamentais o Green Deal, ou seja, a política ambiental. Acho que seria muito apreciado por fundadores como Altiero Spinelli e Mario Alberto Rollier, falecido há quarenta anos, se a União Europeia desta vez entrasse em campo e criasse instrumentos financeiros comuns para a recuperação pós-Covid e que uma parte deles foram financiados com títulos da dívida europeia. A Europa é, portanto, o ponto de referência necessário e indispensável para a Itália. Vamos receber mais de 190 mil milhões de euros de Fundo de Recuperação, dos quais cerca de 80 não reembolsáveis. Além disso, seria desejável que também usássemos a ESM para fortalecer o sistema público de saúde e a saúde preventiva na área. Estes fundos europeus são uma oportunidade única para a Itália. O nosso país encontra-se numa encruzilhada: ou prossegue uma verdadeira reforma da Itália, ou recai nas velhas feridas e males que travaram o seu desenvolvimento económico e social e, em última análise, civil. Precisamente de um lugar como Torre Pellice nos apetece lançar um apelo a esta verdadeira Reforma Italiana baseada no trabalho, nos negócios, no ambiente, na formação, na educação e na coesão social. Seria preciso uma mistura de ética de trabalho protestante evocada por Max Weber, ecologia integral bem descrita por Louvado seja você do Papa Francisco; De estado de bem-estar à la Lord Beveridge, e o espírito de inovação de um Bill Gates. No entanto, tudo isto tem um pressuposto: que a sociedade civil demonstre a sua capacidade para voltar a impulsionar e motivar a participação política e, em particular, dos jovens. O pressuposto é uma política feita de valores e princípios, e capaz de suscitar não profissões, mas vocações reais – por outro lado, o famoso termo Beruf pode ser traduzido de duas formas: profissão ou vocação –. Cabe à política consolidar e perdurar aquele espírito de solidariedade e coesão que nos permitiu enfrentar a fase mais dura da confinamento. Apelamos às consciências do nosso país para que mantenham este espírito, quer na necessária fase de prevenção e prudência que deve evitar uma recaída da pandemia, quer no espírito que deve animar a reconstrução económica e social. Estamos conscientes de que as consequências da covid 19 serão sentidas em particular pelos mais fracos e marginalizados (mas não só!), e não podemos permitir diferenças insustentáveis ​​de desigualdade no nosso país. Nesse sentido, colocamos no centro desta reflexão a justiça social e ambiental na recuperação econômica e produtiva de nosso país”. ...

Ler artigo
Reino Unido.  1450 assinaturas contra as políticas de migração de Downing Street

Reino Unido. 1450 assinaturas contra as políticas de migração de Downing Street

A Delegação em Downing Street Roma (NEV), 7 de abril de 2023 – Mais de 1.450 líderes cristãos britânicos assinaram um carta que define a lei de imigração ilegal do governo de rishis Sunak como "incompatível com a crença cristã de que todo ser humano foi criado à imagem de Deus". A carta, entregue no passado dia 4 de abril ao número 10 de Downing Street, expressa a perplexidade dos signatários de uma lei que, em vez de “honrar a dignidade humana”, pretende “deter, punir e rejeitar milhares de pessoas em busca de segurança”. causando "danos imensuráveis ​​a pessoas já vulneráveis". Segundo as estatísticas oficiais, duas em cada três pessoas que atravessam o Canal da Mancha em barcos improvisados ​​têm o seu pedido de asilo aceite, sinal de que são mais do que refugiados legítimos. Com o novo projeto de lei, no entanto, será efetivamente impossível para essas pessoas apresentarem um pedido de asilo simplesmente porque chegaram à Grã-Bretanha por meios ilegais, porque serão automaticamente detidas e expulsas. “Nesta Semana Santa – declarou o pároco Steve Tinningresponsável pelos assuntos públicos daUnião Batista da Grã-Bretanha – mais de 1450 líderes cristãos dizem que a lei de imigração ilegal de forma alguma representa os valores cristãos de compaixão, hospitalidade e misericórdia. Ameaça a detenção de crianças inocentes, não oferece nenhuma obrigação de fornecer rotas seguras para aqueles que fogem da guerra e da perseguição, criminaliza e pune vítimas inocentes”. “Diante do projeto de lei do governo do Reino Unido, é essencial lembrar que a grandeza de nossa nação não está em nos afastarmos dos necessitados, mas em abraçar nossa humanidade compartilhada e nos comprometer a cuidar de todos”, disse a pastora Tessa Henry Robinsonnovo moderador do Igreja Reformada Unida. A carta foi entregue ao primeiro-ministro por uma delegação composta por Steve Tinningzione, além de Tinning e Henry Robinson, pelo pároco David Hardmanresponsável pelos assuntos públicos da Igreja Metodista Britânicade Ricardo Reddiediretor do Departamento de Justiça e Inclusão de Igrejas Juntas na Grã-Bretanha e Irlandae pelo pastor Ben Aldousresponsável pela missão e evangelização de Igrejas Juntas na Inglaterra. A cerimônia das novas "Comunidades Santuário" de Brighton e Hove; à direita, ao fundo, o pastor Boghal As posições de expoentes cristãos contra as políticas migratórias do governo são cada vez mais frequentes. Como aconteceu no último dia 12 de março, durante a cerimônia de reconhecimento de “santuário comunitário” às igrejas metodistas do circuito de Brighton e Hove por seu compromisso com a hospitalidade solidária e inclusiva. No sermão, o pastor Inderjit Boghalfundador de movimento da cidade santuárioEle disse: “Esse reconhecimento ocorre porque nosso governo está tornando cada vez mais difícil para aqueles que procuram refúgio entrar no Reino Unido. Pedir asilo não é crime, mas criminalizar as pessoas por tentarem chegar a um lugar seguro é definitivamente um crime contra a humanidade”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.