Proteger a criação construindo a paz.  Dia do Diálogo Cristão-Islâmico

Proteger a criação construindo a paz. Dia do Diálogo Cristão-Islâmico

Roma (NEV), 19 de junho de 2023 – A convocação para o XXII Dia Ecumênico do Diálogo Cristão-Islâmico, tradicionalmente celebrado em 27 de outubro, tem como título “Guardar a Criação Construindo a Paz”.

Os promotores convidam “todas as mulheres e os homens de boa vontade a organizar iniciativas no dia 27 de outubro para celebrar o XXII Dia Ecumênico do diálogo cristão-islâmico”, diz o comunicado divulgado hoje. Já em 2022 a comissão promotora havia sublinhado a necessidade do desarmamento para alcançar a paz. Este ano, à luz das Escrituras
sagradas religiões islâmica e cristã, a encíclica Laudato si’ e a Declaração de Abu
Dhabi, o Comitê “propõe uma reflexão sobre a guarda humana da criação. Mudanças
correntes ecológicas – aumento das temperaturas e dos mares, desertificação, eventos
condições climáticas extremas – mostram o impacto negativo das ações humanas – guerras,
poluição, exploração extrema de recursos – no planeta”. E convida «a um desarmamento dos corações, a uma conversão ecológica que renove a nossa vocação a ser guardiões da obra de Deus. As religiões, assim como a política, a escola e os meios de comunicação de massa são responsáveis ​​pela educação para a paz e o cuidado». Opomo-nos à bênção dos exércitos em nome de Deus, à transferência de fundos da saúde e da educação para o setor militar. Por fim, nos opomos à linguagem da guerra que vê o outro como inimigo. Pedimos uma reconversão da indústria de armas”.

Também este ano o Dia é comemorado em memória de John Sarubbientre
promotores desta iniciativa e fundador do periódico online ildialogo.org.

Nascido após o atentado terrorista de 11 de setembro de 2001, na esteira da preocupação com um “choque de civilizações” no conceito desenvolvido pelo cientista político Samuel Huntingtono Dia do Diálogo Cristão-Muçulmano reuniu homens e mulheres desde o seu início
religião cristã e islâmica. “O diálogo é o único futuro possível da humanidade e do cosmos” repetem os organizadores.
Na celebração do primeiro dia, na última sexta-feira do Ramadã em 2002, ne
outros vinte se seguiram – a partir de 2008 celebrados na data fixa de 27 de outubro para
recordar o encontro inter-religioso de Assis em 1986 – e a iniciativa ano após ano
envolveu grupos, comunidades e associações que praticam localmente o “diálogo da vida”.

Leia o Apelo para o XXII Dia do Diálogo 2023

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Protestantismo.  “Nós estamos todos juntos nisso?”

Protestantismo. “Nós estamos todos juntos nisso?”

Roma (NEV), 26 de junho de 2020 - "Estamos todos no mesmo barco?" pergunta o próximo episódio da coluna Protestantismo que será transmitido no domingo, 28 de junho, pouco depois das oito da manhã na Rai2. “Temos certeza de que a Covid funciona apenas como um grande nivelador entre os humanos? Ou talvez seja também uma luz de emergência, um espião, que está sinalizando com mais força as desigualdades de nosso tempo?”. Uma série de serviços desde o mundo do trabalho, cultura e entretenimento, até a condição feminina e a deficiência estão no centro da transmissão e vão estimular o debate no estúdio conduzido por Catia Barão, em que irão participar Patrícia Luongo do Fórum Desigualdades Diversidade e Valentina Castaldo do Exército de Salvação. Assista à prévia aqui. ...

Ler artigo
Que tipo de pecado.  O mito de Eva

Que tipo de pecado. O mito de Eva

Roma (NEV), 10 de maio de 2021 - A Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) de Milão propõe, em colaboração com o Centro Cultural Protestante, um seminário sobre um tema "ecumenicamente urgente". É um ciclo de quatro encontros “para ir às raízes dos estereótipos de gênero nas três religiões abraâmicas. Judaísmo. Cristandade. Islamismo". Assim lemos na apresentação da iniciativa. As datas são: 12, 17 e 27 de maio; 10 de junho. Esta iniciativa intitula-se: “Que tipo de pecado. O mito de Eva nas religiões abraâmicas. Das feridas às perspectivas de gênero”. Partindo, por exemplo, de “outras” leituras de Bereshit/Gênesis 2 e 3, a intenção é “desconstruir o arquétipo da mulher subordinada ao homem e responsável pela perda da cidadania celeste, com todo o imaginário religioso que daí resultou. Uma interrogação do Corão e da tradição islâmica, sobre os vestígios do mito do Génesis e da marca androcêntrica”. As organizadoras, portanto, escrevem: “Reconhecer as feridas de gênero nos textos fundadores de nossas fés e nas interpretações que permaneceram inequívocas por séculos, talvez não as cure. Mas tornam-se frestas para vislumbrar novas perspectivas, uma diversidade reconciliada que faz jus ao desenho original de um ser humano criado à imagem e semelhança apenas como masculino e feminino juntos. É uma pena esquecer isso." O primeiro convidado do itinerário é Elena Lea Bartolini De Angeli, professor de judaísmo e hermenêutica judaica. Então, Christine Simonelli, presidente da Coordenação dos Teólogos Italianos (CTI). Ele vai intervir mais tarde Daniela DiCarlo, teólogo e pastor titular da igreja valdense em Milão. No fim, Rosanna Maryam SirignanoPhD em Estudos Islâmicos. As quatro reuniões foram apresentadas pelos presidentes de quatro associações envolvidas na promoção da justiça de gênero. Inicialmente Paula Cavallari, presidente do Observatório Inter-religioso sobre a violência contra as mulheres (OIVD). Então Lúcia Vantini, vice-presidente do CTI. Seguirá Gabriela Lio, presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI). Para a última reunião em vez Paula Lazzarinipresidente Mulheres pela Igreja. Os quatro encontros serão realizados no Zoom. Para obter informações e obter o link, envie um pedido de participação para SAE Milano: [email protected] A transmissão ao vivo e as gravações também estarão disponíveis no canal SAE Milano no YouTube. Baixe o cartaz aqui: Que tipo de pecado. Plano Quarta-feira, 12 de maio de 2021, 18h.Elena Lea Bartolini De Angeli, professora de judaísmo e hermenêutica judaica: "Será chamada de mulher."Apresentado por: Paola Cavallari, presidente do OIVD. Segunda-feira, 17 de maio de 2021, 18h.Cristina Simonelli, presidente do CTI: Exilados filhos de Eva.Apresentado por: Lucia Vantini, vice-presidente do CTI. Quinta-feira, 27 de maio de 2021, 18h.Daniela Di Carlo, teóloga e pastora titular da igreja valdense em Milão: Uma mulher livre para escolher.Apresentado por: Gabriela Lio, presidente da FDEI. Quinta-feira, 10 de junho de 2021, 18h.Rosanna Maryam Sirignano, PhD em Estudos Islâmicos: Eva no Sublime Alcorão.Apresentado por: Paola Lazzarini, presidente da Women for the Church. O ciclo de encontros dá continuidade idealmente ao tema do ano passado, que teve como tema principal “Mulheres nas igrejas e comunidades de fé”. ...

Ler artigo
Corredores universitários.  Em Palermo, de Asmara, o primeiro graduado é Henok

Corredores universitários. Em Palermo, de Asmara, o primeiro graduado é Henok

Henok Michael com sua mãe (foto Centro Diaconal – Instituto Valdense e Caritas de Palermo) Roma (NEV), 8 de agosto de 2023 – Chama-se o primeiro graduado nos corredores universitários do projeto UNICORE 3.0 Henok Michael. 28 anos, nascido em Asmara na Eritreia, Henok Michael estudou engenharia química no Mai-Nefhi College, Eritrea Institute of technology, graduando-se em 2017 com honras. Hoje celebra o mestrado em Engenharia de Gestão, em Palermo. Em ilMediterraneo24.it uma entrevista por Stephen Edward Puvanendrarajah recolhe "as suas emoções, ambições e o vínculo que construiu com a cidade graças ao trabalho em rede sinérgico dos parceiros do projeto (Universidade de Palermo, Cáritas Diocesana de Palermo, Centro Diaconal "La Noce" - Instituto Valdese, Centro Astalli Palermo) ". A Agência NEV alcançou Ana Ponentediretor do Centro Diaconal “La Noce”, que divulgou esta declaração: “A experiência dos corredores universitários é uma experiência importante para o Centro Diaconal, porque tem como foco o direito de estudar, o direito de realizar seus sonhos. Quando o Centro Diaconal foi contatado para fazer parte desse Protocolo, ainda não conhecíamos bem o projeto. Aderimos logo após uma discussão que tivemos com os vários representantes institucionais, compreendendo de imediato o valor profundo que é colocar a pessoa no centro de tudo. Gostaria de sublinhar a importância do trabalho dos operadores que acompanham concretamente estes jovens todos os dias. Em particular, refiro-me à nossa pessoa de contato nos Corredores da Universidade, Dr. Safa'Nejique é o operador delegado do Centro, que também tem experiência na área de Corredores Humanitários dentro do nosso centro. É importante reconhecer o valor desta colaboração, do encontro, da discussão de pensamentos, dificuldades e necessidades concretas. Por exemplo, na concretude do quotidiano, trata-se de acompanhar os filhos nas questões sanitárias, burocráticas, mas também psicológicas e emocionais. Ainda assim, quero sublinhar a motivação destes jovens. Em especial, gostaria de dizer que esta primeira experiência da graduação de Henok em gerenciamento de engenharia realmente nos comoveu profundamente. Isso nos deixou muito orgulhosos. Henok, assim como os demais alunos que participam deste protocolo e participaram com muito carinho deste primeiro evento realizado em Palermo, são jovens muito ocupados, que estudam muito, que querem muito alcançar seu objetivo de se formar. Ao mesmo tempo, não descuidam do conhecimento do contexto da cidade em que vivem e também estão aprendendo a língua italiana por meio de cursos assiduos. Tudo isso não faz mais do que confirmar que a possibilidade de oferecer vias legais de acesso a homens e mulheres é a mais acertada. Hoje é Henok, mais tarde outros jovens poderão se formar. Sim, deveriam e poderiam ter se formado em sua cidade, em seu país, com seus amigos – como também disseram Henok e sua família -. No entanto, eles puderam fazê-lo aqui, graças ao empenho de todas essas realidades. Este projeto resulta da construção de um diálogo, de um confronto, de um percurso de valores, mas também de um método entre diferentes entidades que operam na cidade. Este é o valor agregado fundamental que faz a diferença na minha opinião. O Centro Diaconal La Noce, a Caritas, a Universidade, o Centro Astalli – que já colaboram e compartilham um pensamento comum de compromisso político-social e baseado em valores – basicamente continuam também pelos Corredores Universitários qual é o caminho para respeitar o direito de todos e todas. Foi realmente um momento inesquecível para mim. Esse foi um dos melhores momentos que vivi em muitos anos de trabalho. Foi ainda mais quando conheci a mãe de Henok e pude ver seu olhar. Fiquei muito entusiasmado, mesmo nos aspectos de convívio, em festejar e passar a noite juntos". ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.