Rosarno Film Festival, a segunda edição está chegando

Rosarno Film Festival, a segunda edição está chegando

Roma (NEV), 12 de julho de 2023 – O festival de cinema de Rosarno retorna ao Piana di Gioia Tauro. E quer ser, explicam os promotores, “um olhar sobre a sociedade em que vivemos a partir da terra. De quem a trabalha para se alimentar e de quem a defende, de quem a viola e saqueia por fome de lucro”. No ano passado, prosseguem, “propusemos a um júri de trabalhadores rurais lançar um novo olhar, aquele de quem nesta sociedade pode no máximo ser filmado como testemunha mas nunca se tornar protagonista da sua própria vida. Queremos continuar a manter este olhar também este ano, organizando um festival que terá como elemento central a resistência das populações que lutam pela defesa da terra, das suas comunidades e dos direitos sociais”.

Esta segunda edição do festival de cinema sobre as temáticas do trabalho e dos direitos será “um festival “ecossocial” no qual procuraremos fazer um elo entre as práticas de solidariedade, entreajuda, defesa dos direitos e meio ambiente, mostrando e tecendo entre seus vários pontos de vista”.

Também este ano, como na primeira edição realizada em 2022, o Festival de Cinema de Rosarno será organizado como “uma resenha de curtas que, após a seleção, serão exibidos em momento público e avaliados por um júri ‘sem fronteiras’ , da qual também participarão os operários da Piana di Gioia Tauro”.

A competição é reservada para curtas-metragens “que tratem do tema da resistência ecossocial, lutas ambientais, mobilizações, testemunhos, terras envenenadas ou resgatadas”.

Primeiros membros:

Ass Coopisa Cooperação em saúde (Reggio Calabria), Ass. Culturale Terra dei Morgeti (San Giorgio Morgeto), Ass. Santa Barbara (San Ferdinando). Equo Sud (Reggio Calabria), The Blanket of Memory Piana di Gioia Tauro, Faro Fabbrica dei Saperi (Rosarno), Valarioti Foundation (Rosarno), Coop Sankara (Gioiosa Ionica), ResQ People Saving People, Comune Info, Confronti, Volere la Luna , Imprensa Internacional.

Para participar: [email protected]

Especificações técnicas para os participantes:

Os filmes devem ser enviados em formato Mpg4 com tamanho máximo de 2 GB. Aconselha-se o envio de filmes em formato 1920×1080, com wetransfer.

Duração máxima 20′.

A seleção das obras fica sob o inquestionável julgamento da direção artística. Ao final da pré-seleção, os autores serão informados do resultado por telefone ou e-mail.

Os trabalhos devem ser enviados para o endereço de e-mail [email protected] até 1 de setembro de 2023.

Prêmios:

Dada a particularidade, originalidade e experimentação da revista, que leva em consideração o trabalho árduo e mal remunerado dos trabalhadores, os prêmios – Primeiro, Segundo e Menção – não serão pagos em dinheiro, mas em produtos agrícolas e alimentícios da Piana di Gioia Touro.


Para saber mais:

na primeira edição da revista, atendida por Sara Manisera Para protestantismo

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

A lição de Martin Luther King

A lição de Martin Luther King

Roma (NEV), 21 de março de 2022 – Há o Martin Luther King que todos conhecem, líder do movimento pelos direitos civis nos EUA, pastor batista, ganhador do Prêmio Nobel da Paz, e há histórias, anedotas, muito menos reconstruções populares, exploradas no livro de Paulo Nasoprofessor de ciência política, ex-coordenador do Mediterranean Hope, "criador" dos corredores humanitários da FCEI, entre outros. Aquele livro tornou-se um espetáculo feito de leituras, vozes e música. A primeira apresentação aconteceu em Roma no sábado, 19 de março, na Faculdade Valdense de Teologia, perto da Piazza Cavour. Diante de uma sala lotada, com, na primeira fila, o ex-vice-ministro e atual representante da UE para as relações com o Sahel, Emanuela C. Del Re e a editora Jose Laterzaas palavras de Paolo Naso alternavam-se com coros e música, graças ao maestro Alberto Annarilli e às vozes de Elisa Biason e o coro Vozes da graça – Amlas. Descobrindo as luzes, mas também as sombras da jornada política e humana de King, assim como de outros protagonistas do movimento pelos direitos civis, começando por Rosa Parques “muitas vezes contada como uma dona de casa que estava cansada demais naquele dia para não se levantar e dar seu lugar no ônibus para os brancos enquanto era militante”, figura política de destaque naquele movimento. Um movimento que ainda tem muito a dizer e a ensinar e que tem um papel atual, partindo de Black Lives Matter até, quem sabe, poder dar respostas às vozes que hoje se mobilizam na galáxia pacifista, contra as guerras, contra racismo . "Numa história envolvente e apaixonante - lê-se na apresentação do evento -, Paolo Naso reconstrói a história de Martin Luther King a partir de seu assassinato em Memphis em 4 de abril de 1968 com letras e músicas que levam o espectador a compartilhar as emoções daqueles anos. A história centra-se no King mais "radical", menos conhecido e celebrado e, por isso mesmo, incompatível com o ícone tranquilizador e inofensivo que o inseriu no establishment político e uma historiografia apologética que acabou por congelar King à imagem de o enésimo e solitário herói americano. Pelo contrário, a história adota a tese de Ella Baker – um dos primeiros colaboradores de King – segundo o qual “não foi Martin quem criou o movimento, mas o movimento criou King”. E por isso a sua ação deve situar-se no quadro de um movimento mais amplo e articulado. As dez canções propostas não são uma simples ajuda musical, mas constituem um fio condutor da história que leva o espectador a partilhar a música e as emoções daqueles anos. Os ritmos e letras dos negros espirituais executados, por exemplo, integram-se perfeitamente com a pregação, retórica e ação de King e do Movimento dos Direitos Civis. Por outro lado, nos anos das marchas de protesto e sit-ins, outros gêneros musicais "profanos" também se destacaram, recuperando canções de luta do início dos anos 1900, como a conhecida e famosa We Shall Supere. Mas foram também os anos das canções de protesto contra a guerra, assinadas por autores que marcaram época: Bob Dylan, Joan Baez, Peter, Paul e Mary... Finalmente, as fotos projetadas no fundo constituem uma terceira trilha da história e ilustram a coragem, a criatividade, a esperança, mas também a injustiça e a violência daqueles anos”. O evento sobre Martin Luther King será realizado em breve em Domodossola e Milão. Aqui estão mais fotos do show na Faculdade Valdense: ...

Ler artigo
Faculdade Valdense de Teologia.  Inauguração a. Académica de Fé e Política

Faculdade Valdense de Teologia. Inauguração a. Académica de Fé e Política

Roma (NEV), 15 de setembro de 2022 – O ano acadêmico 2022/23 da Faculdade Valdense de Teologia será inaugurado no sábado, 8 de outubro, com a Prolusão do Professor Valdo Spini (Florença) com o título “Fé e política. O compromisso do cristão evangélico”. O Culto de Abertura será no domingo, 9 de outubro, com a pregação do pároco Michael Jonas. Seguiu-se a semana introdutória da Faculdade sobre o tema da teologia intercultural. A Faculdade Valdense de Teologia em Roma em uma imagem vintage – Foto tirada de facoltavaldese.org A inauguração do ano letivo está marcada para o dia 8 de outubro, às 17h30, na Aula Magna da Faculdade de Teologia Valdense, na via Pietro Cossa, 40 (Roma). Será possível acompanhar a transmissão ao vivo do Prolusion na seguinte página: O culto de abertura no domingo será a partir das 10h na Igreja Luterana da Via Sicilia, 70 (ainda em Roma). Quanto à Semana Inicial da Faculdade, que tradicionalmente inaugura um novo ano de cursos, o encontro é de 10 a 14 de outubro na Sala A, ou online, para todos os que estudam na Faculdade, em qualquer nível. A Semana Introdutória da Faculdade Valdense de Teologia Por vários anos, lemos no site da Faculdade Valdense, "as igrejas metodista, batista e valdense tornaram-se cada vez mais internacionais: irmãs e irmãos, vindos dos quatro cantos do mundo, trouxeram uma nova força vital e, com ela, diferentes espiritualidades que enriquecem a nossa abordagem teológica tradicional, pedindo-lhe que desenvolva uma nova reflexão sobre nós mesmos e sobre a nossa pregação: como podemos desenvolver um discurso teológico no contexto multicultural revigorado pela globalização?”. Sobre o tema da teologia intercultural, a Faculdade adquiriu experiência através das duas edições do Mestrado "Teologia e diaconia numa perspectiva intercultural". Entre as atividades propostas pela Faculdade, está também uma viagem de estudos a Castel Volturno, “para conhecer a realidade deste recanto esquecido da Itália da imigração, caldeirão de intensas experiências humanas e laboratório intercultural”. Para maiores informações: PÔSTER INTRODUTÓRIO SEMANA 2022 .pdf PROGRAMA DA SEMANA INTRODUTÓRIA FVT 2022 .pdf ...

Ler artigo
Igrejas reformadas suíças.  Um Sínodo extraordinário em setembro

Igrejas reformadas suíças. Um Sínodo extraordinário em setembro

Foto ESRB-Flickr Roma (NEV), 17 de junho de 2020 – O primeiro Sínodo da Igreja Evangélica Reformada na Suíça (ESRB) foi encerrado no Kursaal em Berna. Participaram 26 igrejas-membro, representadas por 81 pessoas, das quais 75 com direito a voto. Entre as decisões mais salientes do Sínodo, a de planejar um Sínodo extraordinário em setembro e a fusão dos dois organismos protestantes suíços de ajuda humanitária "Pão para todos" e "Ajuda das Igrejas Evangélicas Suíças" (ACES - Hilfswerk Evangelischer Kirchen Schweiz - HEKS) . A fusão oficial entrará em vigor a partir de 1º de janeiro de 2022, sujeita à aprovação dos estatutos da nova fundação pelo Conselho Federal de Supervisão de Fundações. Foto ESRB-Flickr Os trabalhos foram condicionados pela recente demissão do presidente Gottfried Locher e o vereador Sabine Brandlin. O Sínodo criou uma comissão temporária de inquérito, encarregada de conduzir uma investigação interna e externa sobre um suposto assédio do ex-presidente contra um ex-funcionário da Igreja. Para completar as discussões deixadas em aberto sobre estratégias futuras, foram agendadas mais três sessões: além do Sínodo extraordinário em setembro, que ainda está sendo definido, o Sínodo se reunirá novamente de 1 a 3 de novembro de 2020 em Berna e depois em junho e em novembro de 2021, em Sion e Berna, respectivamente. O primeiro Sínodo da CERS, antiga Federação das Igrejas Evangélicas Suíças (FCES), foi realizado em um único dia e em modo distanciado após a emergência do coronavírus e foi aberto com um discurso do presidente do Sínodo, pároco Pierre de Salisque falou de um "Sínodo de crise em tempos de crise". Para mais informações: leia o relatório final no site do ESRB (em alemão ou francês) leia o artigo sobre Voce evangelica Sínodo de crise em tempos de crise ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.