“A experiência produz esperança”.  Apoiar redes de mulheres e comunidades

“A experiência produz esperança”. Apoiar redes de mulheres e comunidades

Foto por notas de thanun / Unsplash

Roma (NEV), 20 de março de 2023 – A Federação de Mulheres Evangélicas Valdenses e Metodistas (FFEVM) inicia, no dia 23 de março, em Florença, quatro dias de encontros para mulheres evangélicas e protestantes, mas não só. Na ordem do dia, entre outras coisas, a eleição do novo Conselho do BCE (agendada para 24 de março). Seguiu-se o Congresso da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) de 25 a 26 de março. Também estão agendadas duas mesas redondas públicas (detalhes no final da página).

Gabriella Rustici
Nós conversamos sobre isso com Gabriella RusticiPresidente da FFEVM:

“Há muitas mulheres nas igrejas, mas elas não sentem a necessidade de estar juntas como antes, para fortalecer seu ser dentro da igreja. Muitos deles podem pensar que não têm tempo, mas com nosso congresso queremos reverter essa preocupação. Na verdade, a federação de mulheres valdenses e metodistas apóia todas as mulheres nas igrejas”, explica o presidente Rustici. Como? “Oferecendo ferramentas essenciais de formação, desde notícias teológicas, lidas e vivenciadas, à exegese bíblica, à formação específica sobre tarefas e papéis. Com nossas atividades temos contribuído para repensar o cuidado, entendido não como um ‘acessório feminino’, mas como uma forma de interpretar e viver em pólisportanto, como um ato político”.

A FFEVM propôs recentemente várias reuniões de norte a sul. Entre elas, a conferência “Ambiente, trabalho e território” no Christian Service, na Sicília. E então “Ore, conte, pregue. Teologia feminista no devir das comunidades”, em Ecumene (Velletri, província de Roma). O encontro sobre as associações de mulheres nas igrejas, em Torre Pellice (na província de Turim).

Escutando os territórios

“Como crentes, mulheres valdenses e metodistas, nos interessamos pela teologia na formação de comunidades circulares. Estamos interessados ​​em rezar juntos, contar histórias e ouvir. Isso ajuda a fortalecer as atividades da comunidade e também dos pastores. Perguntamo-nos, por exemplo, se o pastorado feminino deveria ser totalmente igual ao masculino. O debate está aberto”, continua Gabriella Rustici.

Outro nó fundamental diz respeito a como responder e ajudar as comunidades em suas diversas necessidades organizacionais: “Uma igreja pequena pode ter dificuldade em organizar uma reunião ou uma atividade. A Federação pode apoiar comunidades individuais. Nossa indicação mais forte neste momento é fazer alianças entre as igrejas. O circuito [insieme di chiese territoriali, ndr] é um elemento importante de nossas igrejas e deve ser valorizado. Desde a possibilidade de organizar sermões conjuntos até catequese. Aliás, já há catequese no circuito”.

Apoiar redes de mulheres e comunidades

Em suma, a Federação de Mulheres Evangélicas Valdenses e Metodistas pretende “Apoiar as redes. Os grupos estão bem, os sindicatos de mulheres estão bem, mas é preciso criar redes territoriais, em sintonia com o que poderíamos chamar de um movimento de repensar os módulos organizacionais. Há algum tempo ouvimos falar disso e talvez seja a hora de fazê-lo. Não se pode viver comunidade a comunidade”.

O Presidente Rustici nos convida então a redescobrir o “contato vivo com as igrejas, no sentido de estarmos juntos fisicamente”. Trabalhar durante a pandemia, “em condições absolutamente diferentes das vividas no século passado – continua Rustici – não nos impediu de organizar múltiplas atividades. No entanto, certas questões exigem uma discussão aberta e a presença do nosso corpo. Pensemos, por exemplo, nas questões relativas à superação da violência contra a mulher”. Em virtude desse novo desejo de estar juntos, o tema do encontro da FFEVM é justamente o versículo “A experiência produz esperança” (Romanos 5, 4).

“Toda a igreja precisa florescer e se abrir”

“Toda a igreja precisa florescer e se abrir. Se a igreja em crise quer se renovar, também é bom se reunir nas garagens, nas praças, nas estações. Não faz sentido chorar porque somos poucos. Uma nova história de evangelização se abre para nós – prossegue o presidente -. A pandemia nos mudou, para melhor ou para pior. Agora, com humildade, coragem e esperança, podemos seguir em frente. Relembrando as uniões de mulheres, para mim que sou apaixonada pelos antigos bordados de nossas mulheres, penso em quantas antes de nós fizemos, lavamos, passamos e engomamos guardanapos. Eram as empresas de costura do início do século XX. Hoje estamos nos anos 2000 e podemos trazer esse ardor para o nosso tempo”.

Semear de graça, sem necessariamente esperar para ver os frutos

E à nossa pergunta sobre a presença dos jovens, Gabriella Rustici conclui: “Acho que temos que ir além da questão geracional. Sim, nossos meninos e meninas, até filhos e filhas de pessoas da igreja, confirmam e desaparecem. Devemos ter a linguagem dos jovens? Educá-los? Não é correndo atrás da juventude que se resolve. Em vez disso, devemos ser como alguém que semeia uma semente. Somos uma comunidade de fé onde a esperança pode ser encontrada desde o berço até a velhice. Somos uma minoria, é verdade, mas isso é relevante? O cristianismo hoje dá esperança? Tem o frescor que você precisa? A esperança protestante, a esperança evangélica, é a certeza das coisas que se esperam. Em cada semente que plantamos. Enquanto isso vamos semear, essa é a nossa vocação no mundo, desde a ética protestante do trabalho até todos os outros grandes temas contemporâneos. Ser ‘semeador’, como diz a histórica revista protestante de evangelização. Podemos não colher, mas acho que não devemos ter tanto orgulho de nós mesmos a ponto de querermos ver os frutos. Quem ensina sabe disso. Ensina-se, como um dom gratuito que não se sabe que rumos vai tomar e onde vai brotar”.

Os congressos FFEVM e FDEI acontecerão em Florença de 23 a 26 de março. “A escolha de uma fórmula ‘combinada’ – lê Riforma.it – é motivada pela necessidade de conter custos, mas também para facilitar a participação em ambos os congressos”.

Aqui o programa completo: Congresso de Cartazes.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Mulheres e a Bíblia.  Curso de Teologia no Zoom

Mulheres e a Bíblia. Curso de Teologia no Zoom

Foto do pôster da FDEI - detalhe. Imagem de Silvia Gastaldi - aquarela Esther Roma (NEV), 10 de fevereiro de 2021 - A Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) está organizando um curso de teologia bíblica intitulado "Violência e poder: mulheres e a Bíblia". O curso será ministrado pelo biblista corinne lanoir e o teólogo Letizia Tomassone. Os encontros decorrerão no Zoom de 14 de março a 9 de maio de 2021. Para se inscrever basta enviar um email para: [email protected] até 10 de março de 2021. As pessoas inscritas no curso receberão referências bíblicas e bibliografia aprofundada para cada encontro, bem como o link para se conectar à plataforma zoom. Os não inscritos ainda podem acompanhar o curso em vídeo-aula diferida na página do Facebook da igreja valdense em Florença, neste link. Segue abaixo o calendário de reuniões. Baixe o cartaz do curso de Teologia Bíblica em pdf 1ª REUNIÃO Como lemos a Bíblia. Até as matriarcas sofrem violência de gênero 14 de março das 17:00 às 19:00 zoom 2ª REUNIÃO Histórias de violência e patriarcado 28 de março das 17:00 às 19:00 zoom 3ª REUNIÃO O silêncio das mulheres 18 de abril das 17:00 às 19:00 zoom 4ª REUNIÃO Violência econômica e de poder 9 de maio das 17:00 às 19:00 zoom A Federação de Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) é um movimento de mulheres pertencentes às igrejas batista, metodista, valdense e outras organizações de mulheres na área evangélica (luteranas, adventistas, Exército de Salvação e Igreja Reformada do Ticino). Organiza e participa em iniciativas conjuntas com organizações de mulheres protestantes a nível internacional e mantém relações com organizações de mulheres católicas e seculares a nível nacional e local. ...

Ler artigo
Bruxelas/UE.  3 milhões de euros para proteger locais de culto

Bruxelas/UE. 3 milhões de euros para proteger locais de culto

Foto CEC Roma (NEV/KEK), 6 de maio de 2021 – A Conferência das Igrejas Europeias (KEK), juntamente com o Centro de Segurança e Crise (SACC) do Congresso Judaico Europeu (EJC), Faith Matters e União Budista Europeia, recebeu uma subvenção de 3 milhões de euros da Comissão Europeia para a protecção dos locais de culto na Europa. Essa parceria inter-religiosa, que representa comunidades cristãs, muçulmanas e judaicas em toda a Europa, é chamada de “Comunidades mais seguras e fortes na Europa” (SASCE). É a primeira vez que quatro organizações religiosas europeias trabalharão juntas em um projeto conjunto financiado pela Comissão Européia para melhorar a segurança. “Estamos muito satisfeitos por fazer parte desta importante iniciativa – disse o Secretário-Geral da CEC Jørgen Skov Sørensen -. Juntamente com outros parceiros religiosos, esperamos contribuir com nossa experiência e conhecimento na área de proteção de locais sagrados e locais de culto na Europa." “É um trabalho importante, tendo em vista os ataques a locais religiosos nas últimas décadas. A questão é muito preocupante para nossas igrejas-membro”, acrescentou. O projeto O projeto SASCE visa aumentar a segurança dentro e fora dos locais de culto, bem como entre as comunidades. As quatro organizações desenvolverão ferramentas para fortalecer a conscientização sobre segurança e o gerenciamento de crises. Uma rede coordenará cursos de treinamento e briefings para comunidades religiosas. Campanhas de comunicação também serão ativadas. Finalmente, o projeto pretende promover a confiança e a cooperação entre a sociedade civil e as autoridades nacionais. O Grupo Focal de Direitos Humanos da CEC desempenhará um papel fundamental na implementação do projeto. À frente do grupo, o Secretário Executivo do CEC, Elizabeth Kitanovic. Uma publicação sobre a proteção de locais sagrados e locais de culto será lançada em breve. Esta publicação servirá de base temática para a próxima Escola de Verão CEC 2021 sobre “Direitos Humanos e Liberdade de Religião ou Crença e Segurança”. O projeto é financiado pelo Fundo de Segurança Interna da Comissão Europeia “ISF-P” e terminará em 2023. Saiba mais sobre as atividades de direitos humanos da CEC Para maiores informações: Naveen QayyumChefe de comunicação KEK [email protected] – Facebook: www.facebook.com/ceceurope – Twitter: @ceceurope ...

Ler artigo
Corredores humanitários, recém-chegados da Líbia

Corredores humanitários, recém-chegados da Líbia

Roma (NEV), 30 de junho de 2022 – 95 pessoas chegaram ao aeroporto de Roma Fiumicino da Líbia à noite, graças a um corredor humanitário, em implementação de um protocolo assinado em abril de 2021 pelos Ministérios do Interior e Relações Exteriores e Cooperação Internacional, ACNUR, Comunidade de Sant'Egidio, Federação das Igrejas Evangélicas na Itália e Tavola Valdese. Aqui o comunicado de imprensa conjunto.Amanhã, sexta-feira, 1º de julho, às 11h30, haverá um momento de acolhida aos refugiados da Líbia e uma coletiva de imprensa "Salvar, acolher, integrar", na sala de conferências da Comunidade de Sant'Egidio, via della Paglia 13b (em Trastevere).Os palestrantes irão:marco impagliazzopresidente da Comunidade de Sant'Egidio,Daniele Garronepresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália,Charlotte Samiporta-voz do ACNUR na Itália. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.