Chegou o novo “Linfa”

Chegou o novo “Linfa”

Chegou o novo “Linfa”

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Mensagem das igrejas ao G20 sobre ética e economia

Mensagem das igrejas ao G20 sobre ética e economia

Mara Luz, Christian Aid; Carlos Rauda, ​​ACT; Humberto Shikiya, CREAS; Thomas Kang, foto do CEC Leonardo Godoy/Christian Aid retirada do site do CEC Roma (NEV), 24 de maio de 2018 – Nos dias 17 e 18 de maio, em São Paulo, Brasil, foi realizado o terceiro "Diálogo sobre ética e economia" entre representantes de várias confissões religiosas, teólogos, economistas e especialistas em desenvolvimento e ecumênicos. O objetivo do encontro é a elaboração de um documento para os líderes do G20 que se reunirão na Argentina no final deste ano. O economista Thomas Kang, membro do Comitê Central do Conselho Mundial de Igrejas (CEC), que moderou uma das sessões, disse: "Igrejas e organizações religiosas podem contribuir para o diálogo sobre essas questões, pois se é verdade que a expertise técnica de os economistas, também é verdade que não basta discutir quais políticas melhoram a vida das pessoas. O conhecimento da realidade local e a reflexão teológica podem desempenhar um papel importante no debate público sobre o desenvolvimento, levando em consideração outras dimensões além da renda e da riqueza”. O terceiro Diálogo sobre Ética e Economia segue-se a dois encontros anteriores, convocados pelo escritório latino-americano da Christian Aid juntamente com o Centro Ecumênico Regional de Aconselhamento e Serviço (CREAS), Caritas, Globethics, Universidade de Buenos Aires – Programa Internacional de Democracia, Sociedade e novas economias e outras organizações ecumênicas comprometidas com as questões de direitos, justiça e solidariedade. Entre os temas abordados, as desigualdades estruturais e a justiça de gênero, oextrativismo e desenvolvimento humano inclusivo, sistemas de proteção social, automação e proteção do trabalho, finanças internacionais. ...

Ler artigo
Há 58 anos, o discurso “Eu tenho um sonho” de Martin Luther King

Há 58 anos, o discurso “Eu tenho um sonho” de Martin Luther King

foto: Histórias Invisíveis, unsplash Roma (NEV), 28 de agosto de 2021 – 58 anos se passaram desde o dia em que Martin Luther King ele fez seu discurso mais famoso, "Eu tenho um sonho", em Washington, no final da marcha pelo trabalho e pela liberdade. Neste mesmo dia, serão realizadas manifestações em várias cidades dos Estados Unidos para pedir a proteção do direito ao voto. A “Marcha pelo Direito ao Voto” será liderada por líderes dos direitos civis, incluindo Martin Luther King III e o reverendo Al Sharpton. Um dos objetivos é pressionar o Congresso a aprovar uma lei consagrando o amplo acesso ao voto na lei federal. Enquanto isso, novamente por ocasião do aniversário do discurso do Rei Batista, a comunidade do videogame online Fortnite, da empresa Epic Games, criou um novo jogo. A nova experiência virtual, intitulada "March Through Time", mostra o discurso "I Have A Dream" do líder dos direitos civis e permite que os participantes visitem o National Mall e o Lincoln Memorial, onde King fez seu famoso discurso, segurando cartazes e aplausos. 28 de agosto de 2021, o 58º aniversário da marcha sobre o famoso discurso “Eu tenho um sonho” de Washington e MLK. Acabei de sair da prisão para vir; James Farmer não deixaria uma prisão de Los Angeles para vir; e outros líderes dos direitos civis na prisão não puderam comparecer. Em 1963 os AAs não tinham direito a voto. pic.twitter.com/kIHOeAeQL9 — Reverendo Jesse Jackson Sr (@RevJJackson) 28 de agosto de 2021 Neste vídeo, o caçula dos filhos de King, Berenice A. Kingtraça o significado das palavras ditas pelo pai: [embed]https://www.youtube.com/watch?v=G1Q872LfS_c[/embed] Para saber mais: ...

Ler artigo
Viagens e Fronteiras – Nevada

Viagens e Fronteiras – Nevada

Roma (NEV), 8 de dezembro de 2022 – Viagens e fronteiras serão discutidas no próximo episódio de "Protestantismo", a transmissão da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália transmitida pela Rai Tre no domingo, 11 de dezembro. “Milhões de pessoas em todo o mundo se mudam para escapar de guerras, mudanças climáticas, pobreza ou simplesmente para buscar um futuro melhor. Mas o direito de viajar é o mesmo para todos neste planeta? Ou as fronteiras muitas vezes se tornam paredes intransponíveis para os nascidos em algumas áreas do mundo? E as fronteiras dividem apenas nações diferentes ou também existem fronteiras dentro de um mesmo país?”, lê-se na apresentação do episódio. O maestro da transmissão será como sempre Cláudio Paravati. No estúdio a contribuição do escritor Djarah Kan e de Paulo Naso. Os autores dos serviços são Bárbara batalhacom entrevista de dois jovens afegãos e relato do mais recente corredor humanitário para a população afegã, do Paquistão, e Sara Maniseracom uma reportagem sobre o festival de cinema de Rosarno, um dos projetos realizados graças ao albergue solidário "Dambe so" da Mediterranean Hope, o programa de migrantes e refugiados da FCEI, e uma ficha informativa sobre o direito de viajar e o "peso específico" dos diferentes passaportes. O episódio será transmitido no domingo, 11 de dezembro, às 7h, as reprises serão transmitidas na noite de terça-feira, 13 de dezembro, às 13h10, na noite de quarta-feira, 14 de dezembro, às 13h10, finalmente na noite de segunda-feira, 19 de dezembro, às 13h45, novamente no Rai 3. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.