Jerry Pillay é o novo secretário do Conselho Mundial de Igrejas

Jerry Pillay é o novo secretário do Conselho Mundial de Igrejas

Roma (NEV/Reforma), 3 de janeiro de 2023 – No dia 1º de janeiro, o pároco Jerry Pillay assumiu o cargo de secretário-geral do CMI, Conselho Mundial de Igrejas, órgão mundial que reúne mais de 350 igrejas protestantes, evangélicas, anglicanas e ortodoxas em todos os continentes.

acontece com o pai Ioan Saucaque havia assumido um longo interino desde abril de 2020 após a renúncia do bispo luterano Olav Fykse Tveit, chamado para liderar a Igreja da Noruega. Pillay, eleito em 17 de junho de 2022 pelo comitê central do CMI, torna-se assim o nono secretário-geral na história do corpo ecumênico desde que a irmandade de igrejas foi fundada em 1948.

Pillay, um sul-africano, foi anteriormente reitor da Faculdade de Teologia e Religião da Universidade de Pretória e é membro da Uniting Presbyterian Church in Southern Africa.

O pastor Pillay serviu como presidente da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (CMCR/WCRC) de 2010 a 2017. Ele é o segundo africano a ocupar o cargo de secretário do CMI, depois do pastor metodista Samuel Kobia (Quênia), que foi de 2004 a 2009.

Seu primeiro compromisso formal com o CEC foi na 9ª Assembleia do órgão em 2006, onde atuou como delegado de sua denominação.

Pillay, como secretário geral, traz seu desejo de que as igrejas se unam: “Se formos fiéis ao espírito, então devemos trabalhar juntos – disse -. Isso porque o amor de Deus nos impulsiona a reconciliar o mundo”.

Com a unidade da igreja como uma de suas principais prioridades, ela também acredita que as igrejas devem oferecer orientação e direção a um mundo em sofrimento. “Vamos lidar com questões de justiça, com opressão, com violência sistêmica e assim por diante. Não nos reunimos apenas para orar e louvar ao Senhor – aspectos que são muito importantes para nós – mas também nos reunimos para transformar o mundo”, concluiu.

Leia sobre a reforma

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

XXXIV Dia do Diálogo Judaico-Cristão: “Conforte meu povo”

XXXIV Dia do Diálogo Judaico-Cristão: “Conforte meu povo”

Detalhe do cartaz do encontro para o XXXIV Dia do Diálogo Judaico-Cristão em Parma Roma (NEV), 11 de janeiro de 2023 – No dia 17 de janeiro de 2023 será celebrado o XXXIV Dia do Diálogo Judaico-Cristão. Por volta desta data, várias nomeações em toda a Itália envolvem as comunidades católica, protestante e judaica. Entre eles, destacamos três: o episódio especial de quinta-feira, 12 de janeiro, na Teleradiopace e na Teleliguria Sud, com a participação do pároco Ilenya Goss. A mesa redonda de domingo, 15 de janeiro, em Roma, organizada pela Christian Jewish Alliance e pela Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) com, entre outros, o pároco Eric Noffke. O encontro com Felipe Alma da Faculdade Teológica Adventista de Florença, terça-feira, 17 de janeiro, em Parma, organizada pelo Conselho das Igrejas Cristãs de Parma juntamente com a Comunidade Judaica de Parma. O tema desta edição é "Conforte, console o meu povo” (Isaías 40:1-11). O Dia do Diálogo Judaico-Cristão, entre outras coisas, acontece justamente na véspera da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC), que representa um importante momento ecumênico e inter-religioso. Pedimos ao Pastor Goss um comentário sobre esta jornada, agora em sua 34ª edição. “Fazer um balanço do diálogo judaico-cristão neste dia significa falar para um público mais amplo do que o especializado: muitos aspectos do diálogo inter-religioso adquirido hoje entre os 'insiders' não são tão comuns. Estou pensando na continuidade entre o mundo judaico e os Evangelhos, bem reconhecida hoje entre os estudiosos, mas também na história de sombras e conflitos que caracterizou a relação entre judeus e cristãos ao longo dos séculos”, diz Goss. Tudo passa pela superação do clima geral de preconceito que caracterizou o passado. "Precisamos de uma releitura de nossas tradições animada pelo desejo de conhecimento mútuo - continua o pároco - partindo do estudo da Escritura a duas vozes, até um compromisso ético e social comum, com respeito às diferenças e identidades, mas também em um espírito sinceramente cooperativo. Sobre a história do diálogo judaico-cristão, em 2015, Ilenya Goss falou com o ensaio "A raiz e a seiva da oliveira" ("A caminho de um novo ecumenismo", anais da 52ª Sessão de Formação Ecumênica, SAE, ISE "San Bernardino” Veneza). Começa com uma citação de Karl Barth: "Em última análise, há apenas um grande problema ecumênico: o de nosso relacionamento com o povo judeu". Foto Achim Ruhnau – Unsplash Em seu ensaio, Goss reconstitui algumas viradas históricas fundamentais, desde o trabalho realizado no âmbito protestante desde o pós-guerra, até o realizado no âmbito católico com o Concílio Vaticano II. A intenção era deixar de lado a “teologia da substituição” de Israel que, em sua exegese, havia tentado entender o “povo eleito” como “a Igreja”. O alinhamento sobre isso vem depois de uma série de documentos, desde o de 1948 em Darmstadt até o do Sínodo de Berlim de 1950, onde está escrito: "Cremos que a promessa de Deus ao povo de Israel que ele elegeu ainda é válida, mesmo depois da crucificação de Jesus Cristo”. Na Itália, o Sínodo Valdense também se manifestou sobre o assunto em 1982. A esse respeito, Goss aponta: "A imagem de dois grandes galhos em um único tronco parece-me eficaz para descrever o judaísmo rabínico e o cristianismo". Uma metáfora botânica que, conclui a pastora, “embora reelaborada, devemos ao apóstolo Paulo que, na carta aos Romanos, fala de enxertos, oliveiras e oliveiras bravas para descrever as relações entre os cristãos do judaísmo e do paganismo. Após a queda do Templo em 70 dC, o judaísmo encontrará seu caminho e, da mesma forma, o cristianismo encontrará sua identidade distinta”. Para saber mais Leia o ensaio de Ilenya Goss “A raiz e a seiva da oliveira” (do volume “A caminho de um novo ecumenismo”, atas da 52ª Sessão de formação ecumênica, SAE, ISE “San Bernardino” Veneza). Cortesia do autor e editora. Há um mês terminaram as conversações judaico-cristãs nacionais, das quais o pároco também participou Daniele Garronepresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) e o mesmo Ilenya Goss. EVENTOS do Diálogo Cristão Judaico (seleção) Uma análise aprofundada promovida pelas dioceses da Ligúria será transmitida na quinta-feira, 12 de janeiro, no Telepace. Artigo do SIR A partir das 21h00, transmissão televisiva em directo pela Maurício Garreffa e don Gabriel Maria Corinieles vão intervir José Momiglianorabino chefe da comunidade judaica de Gênova, e outros. No domingo, 15 de janeiro, em Roma, por ocasião do XXXIV Dia do Diálogo Judaico-Cristão, a Aliança Judaico-Cristã e a Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) da capital organizam a mesa redonda sobre o tema "Conforte, console Meu povo, Isaías 40:1-11“. eles intervêm Ariel Di Porto, Eric Noffke e Lilia Sebastião. Saudações de Guido Coen E Pinheiro Pulcinelli. eles moderam Roberta Ascarelli E Stephen Ercoli. Às 16h30, presencialmente, na casa de hóspedes do mosteiro das monjas camaldulenses, via Clivio dei Publicii 2. O encontro será transmitido em directo no canal YouTube da SAE. Terça-feira, 17 de janeiro, em Parma, reunido com Felipe Alma (Faculdade Teológica Adventista de Florença). Eles organizam o Conselho das Igrejas Cristãs de Parma, a Comunidade Judaica de Parma. Membros: Grupo Sae de Parma, Associação de Viajantes. Às 20h30, nas Missões Estrangeiras, viale S. Martino 8 Parma. Baixe o Cartaz Diálogo Parma. ...

Ler artigo
Prêmio Interfedi ao filme “Sonhos moram nas árvores” de Marco Della Fonte

Prêmio Interfedi ao filme “Sonhos moram nas árvores” de Marco Della Fonte

Detalhe do cartaz do filme "Sonhos moram nas árvores" de Marco Della Fonte Roma (NEV), 5 de dezembro de 2022 – O júri da Interfedi concedeu ao filme o “Prêmio pelo respeito às minorias e pelo secularismo” “Sonhos habitam árvores”. estréia do diretor Marcos Della Fonteconvidado do 40º Festival de Cinema de Turim (25 de novembro – 3 de dezembro de 2022), o longa-metragem recebe assim o reconhecimento da nona edição deste júri especial. O Júri Interfedi é de fato promovido, desde 2013, pela Igreja Valdense e pela Comunidade Judaica de Turim, com o patrocínio do Comitê Interfedi da Cidade de Torino. Este é o raciocínio: júri 2022 O Júri Interfedi 2022 é composto por Walter Nuzzo (representando o Comitê Inter-religioso). Nino Pennacchia (Igreja Valdense). Daniel Segre (comunidade judaica). Prêmio Interreligioso “O reconhecimento, estabelecido em 2013 por iniciativa da Igreja Valdense e da Comunidade Judaica de Turim, com a participação do Comitê Inter-religioso da Cidade de Turim, visa premiar e chamar a atenção para filmes que contribuam para dar voz a todos tipos de minorias, para promover o respeito pelas mesmas, o reconhecimento dos direitos, a integração, a superação da discriminação e que afirmem os valores da laicidade, a cultura da tolerância, o respeito pela autonomia, a liberdade e a responsabilidade individual" lê-se no comunicado de imprensa do Prémio. Este Prémio pretende reafirmar “os valores que constituem os fundamentos de toda a sociedade verdadeiramente democrática e pluralista”, denunciando toda a intolerância e racismo, propaganda anti-semita e discriminação contra as comunidades de fé, em primeiro lugar a islâmica. De fato, afirma "acolhida, partilha, solidariedade, respeito mútuo, dignidade humana, aceitação das diversidades étnicas, culturais e religiosas como fundamentos de uma sociedade justa e inclusiva, multiétnica, multiconfessional, multicultural, na qual os direitos e as liberdades do indivíduo sejam preservadas". O Comitê Inter-religioso da cidade de Turim reúne representantes do cristianismo (católicos, protestantes e ortodoxos), judaísmo, hinduísmo, islamismo, budismo e mundo mórmon. ...

Ler artigo
…e o calendário do Advento da Federação da Juventude Evangélica

…e o calendário do Advento da Federação da Juventude Evangélica

Roma (NEV), 1º de dezembro de 2020 - Calendário do Advento para jovens evangélicos. O FGEI publica a partir de hoje, obviamente, 1 de dezembro, no seu site e nas suas redes sociais. Depois da Igreja Valdense de Turim, outro calendário protestante para a aproximação do Natal. "Hoje Dezembro começa – lemos no boletim divulgado pelos jovens evangélicos -, estamos nos preparando para o Natal, que certamente será diferente dos anos anteriores. E então pensamos: por que não tornar este período do Advento um pouco mais especial? Tentaremos juntos tornar este Natal mágico mantendo-nos unidos e unidos, mesmo que distantes! hoje poderemos abrir juntos uma caixinha do nosso calendário virtual do advento todos os dias. Nós o intrigamos? Vamos abrir a primeira caixa juntos!" Aqui o calendário, com a caixinha do primeiro dia do mês (que contém um vídeo para deixar algo bem natalino...mas não queremos "estragar" o conteúdo). No mesmo número da newsletter do FGEI, há um encontro marcado (online) para o próximo sábado dia 5 de dezembro, pelas 17h30, sobre questões de privacidade, no âmbito do projeto Geração Multimédia, criado pelo FGEI com o apoio da Otto per Mil da Igreja Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense. Pelas 17h30 a introdução e apresentações, a atividade temática terá início às 18h e prolongar-se-á até às 20h. “A atividade – explicam os promotores – não é um webinar, nem uma conferência, vamos tentar propor algo mais semelhante a um FGEI campo, ainda que em edição COVID-19”. As inscrições são bem-vindas escrevendo para [email protected]. Segue abaixo o flyer do encontro. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.