O Grande Catecismo de Lutero.  Ferrario no Festival de Literatura Histórica

O Grande Catecismo de Lutero. Ferrario no Festival de Literatura Histórica

Roma (NEV), 6 de abril de 2023 – Fulvio Ferrariopastor valdense (professor de teologia sistemática na Faculdade de Teologia Valdense de Roma), será o convidado da primeira edição do Festival de Literatura Histórica de Legnano, intitulado “A história nas entrelinhas”. Por ocasião da reimpressão do Grande Catecismo de Lutero para a editora ClaudianaFerrario ilustrará a história de Lutero, a Reforma e suas implicações no mundo contemporâneo.

“Dê-me um martelo. Lutero e a Reforma” é o título da sessão dedicada ao reformador. A nomeação é em Legnano (MI) para Sábado, 15 de abril, às 19h.

Não há nenhum livro meu em que eu me reconheça verdadeiramente, exceto talvez aquele sobre eu sirvo a vontade e a Catecismo.

Martinho Lutero

“A reforma do século XVI é, fundamentalmente, um poderoso esforço de alfabetização bíblica – lê-se na apresentação ao Catecismo Maior -. EU’Enquirídio ou Pequeno Catecismo e a catecismo alemão ou Grande Catecismo, ambos de 1529, são concebidos nesta perspectiva. EU’Enquirídioatravés de um rigoroso compromisso de síntese e de uma acurada arquitetura interna, apresenta em poucas páginas o que um cristão e uma cristã devem saber: Mandamentos, Credo, Pai Nosso, significado do batismo, confissão dos pecados e Ceia do Senhor”.

Poucos textos como este “contribuíram para moldar a fé evangélica – continua o texto -. Já no século XVI foi traduzido para muitas línguas, inclusive o italiano.

Em 1555 olímpia morato (ou morata), nobre italiana de sentimentos evangélicos, pediu Pier Paolo Vergério traduzir o livro para o italiano, para que seja de grande utilidade «para os nossos italianos, especialmente para os jovens». Vergerio não pôde conceder o pedido, nem outros depois dele. O que apresentamos é a primeira (e por enquanto única) tradução para a nossa língua”.

O apresentado por Claudiana é a segunda edição atualizada com a adição do texto original em alemão.

FORMA. Martinho Lutero (1483-1546)

Para saber mais:

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

#PapalVisit.  O CMI se veste de preto toda quinta-feira para dizer não à violência contra a mulher

#PapalVisit. O CMI se veste de preto toda quinta-feira para dizer não à violência contra a mulher

Genebra (NEV), 20 de junho de 2018 - Amanhã, quinta-feira, 21 de junho, para comemorar o 70º aniversário do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), Genebra é esperada Papa Francisco. Mas amanhã, para o movimento ecumênico mundial, haverá também a marcação semanal das “quintas-feiras negras”. quintas-feiras em preto é a Campanha de Conscientização, nascida dentro do WCC há vários anos, que se opõe ao estupro e à violência. Todas as quintas-feiras, aqueles que reconhecem a violência contra as mulheres como um flagelo de nossas sociedades – igrejas incluídas – são instados a usar preto. “A violência contra a mulher está generalizada, podemos falar em pandemia – disse a anglicana à NEV News Agency Agnes Abuom, moderador do Comitê Central do CMI, originário do Quênia -. É por isso que, com a nossa campanha, convidamos todos os homens e mulheres de boa vontade, independentemente da sua fé, a juntarem-se a ela vestindo algo preto”. “É uma questão que diz respeito a todos nós. Acontece em todo o lado, nas nossas sociedades, nas nossas famílias, nas igrejas, nas comunidades e nos espaços públicos”, acrescentou Abuom, confirmando que amanhã não seria exceção. Pelo contrário. Os 150 delegados de igrejas de todo o mundo que estão reunidos em Genebra nestes dias para os trabalhos do Comitê Central, o órgão de decisão entre as duas Assembléias Gerais do CMI, foram convidados não apenas a vestir preto, mas também a vestir o selo da campanha. As decisões do Comitê Central do CMI Durante uma coletiva de imprensa realizada hoje no Centro Ecumênico de Genebra, foram apresentadas algumas decisões do Comitê Central, em primeiro lugar a localização da próxima Assembleia Geral do CMI: a escolha recaiu sobre Karlsruhe (Alemanha), na fronteira com a França . O convite partiu da Igreja Evangélica da Alemanha (EKD). Satisfação foi expressa pelo bispo Petra Bosse-Huber, EKD responsável pelo ecumenismo e relações internacionais: “Faz cinquenta anos que uma Assembleia do CMI foi realizada no continente europeu. A escolha da Europa em um momento em que a falta de políticas de refugiados minam o valor da solidariedade e do acolhimento é um sinal significativo”. O pastor Olav Fykse Tveit, secretário-geral do CMI, listou as prioridades de trabalho resultantes do Comitê Central. Isso inclui o processo de paz entre as duas Coreias, um tema caro ao CMI há muitos anos. Nos últimos dias em Genebra, as delegações das igrejas da Coreia do Norte e da Coreia do Sul tiveram intensos intercâmbios. De acordo com alguns observadores amanhã Papa Francisco ele pode querer cumprimentá-los expressamente. Entre outras prioridades, o combate ao racismo com homenagem ao Martin Luther King; fluxos migratórios; a questão do estatuto de Jerusalém com uma clara condenação da mudança da embaixada dos Estados Unidos para a cidade que é expressão das três religiões monoteístas, decisão que tem causado mortes e violência. Finalmente, o Comité Central quis recordar que este ano não só se comemora o 70º aniversário do CMI, mas também da Declaração Universal dos Direitos do Homem, considerada mais necessária do que nunca, com um forte apelo lançado às igrejas: "Dar prioridade mais uma vez ao apoio dos direitos humanos”. #QuintasDePreto: Leia mais sobre isso aqui. Para mais informações sobre a visita do Papa amanhã, clique aqui. Para informações sobre o CMI e sua relação com o Vaticano, clique aqui. ...

Ler artigo
Chuva

Chuva

foto de Geetanjal Khanna, unsplash Roma (NEV), 22 de março de 2023 – No Dia Mundial da Água, a Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) nos convida a refletir sobre este elemento vital. “A Comissão sempre se manifestou muito sobre a água e continuará a fazê-lo, mas hoje propõe a partilha de um poema como contribuição própria – declara a coordenadora Maria Elena Lacquaniti -. A água refere-se a muitos temas, o mar, a água que sai da torneira, um poço, ribeiras de rios, mas o tema que neste momento parece concretizá-los a todos e que nos faz muita falta é a chuva”. “CHUVA de Federico García Lorcana tradução de Cláudio Rendina, contém sabores, emoções, memórias e vida. Esperamos receber seu apoio de boas-vindas”, escreve a GLAM em uma nota emitida por ocasião do Dia. CHUVA A chuva tem um vago segredo de ternura,uma vaga sonolência resignada e amável,a música humilde desperta com elaque torna vibrante o espírito adormecido da paisagem. É um beijo azul que a Terra acolhe,o mito primitivo que se concretiza novamente.O agora frio contato do velho céu e terracom um clima ameno de noites intermináveis. É o alvorecer da fruta. Aquele que nos dá florese nos unge com o espírito santo dos mares.Aquele que espalha a vida em sementese na alma tristeza de algo vago. A terrível saudade de uma vida perdida,a fatal sensação de ter nascido tarde,ou a ilusão inquieta de um amanhã impossívelcom a preocupação iminente da cor da carne. O amor desperta em seu ritmo cinza,nosso céu interior tem um triunfo de sangue,mas nosso otimismo se transforma em tristezavendo as gotas mortas no vidro. São as gotas: olhos de infinito que olhamo branco infinito que era sua mãe. Cada gota de chuva treme no vidro sujodeixar feridas de diamante divinas.São poetas da água que viram e meditamo que a massa dos rios não sabe. Ó chuva silenciosa, sem tempestades nem ventos,chuva calma e serena de retumbante e doce luz,chuva boa e pacífica, você é o verdadeiroque desce amorosa e tristemente sobre as coisas! Oh chuva franciscana que trazes com as gotasalmas de fontes claras e mananciais humildes!Quando você desce os campos lentamenteabra as rosas do meu peito com seus sons. A canção primitiva que sussurra ao silêncioe a história sonora que você conta às frondesmeu coração deserto comenta chorandoem uma pauta preta profunda sem uma chave. Minha alma está triste com a chuva serena,resignado com tristeza de coisas irrealizáveis,e meu coração me impede de admiraruma estrela que se ilumina no horizonte. Oh chuva silenciosa que as árvores amame você é pela pura doçura das emoções;conceder à alma as mesmas brumas e ressonânciasque você coloca no espírito da paisagem adormecida! Federico García Lorca Granada, janeiro de 1919 (Tradução de Cláudio Rendina) de "Poems (Libro de poemas)", Newton Compton, Roma, 1970 ∗∗∗ Chuva A chuva guarda um vago segredo de ternura,algo de sonolência resignada y lovable,uma música humilde dorme com elaque faz vibrar a alma dormida da paisagem. É um besar azul que a Terra recebe,o mito primitivo que vuelve a realizarse.El contato ya frio de cielo y tierra viejoscon una mansedumbre de atardecer constante. É o alvorecer da fruta. La que nos trae las florese somos ungidos com o espírito santo dos mares.La que derrama vida subre las somenterase na alma tristeza do que não se sabe.A terrível saudade de uma vida perdida,a fatal sensação de ter nascido tarde,ou a ilusão inquieta de uma manhã impossívelcom a inquietação em busca da cor da carne. O amor se perde no gris de seu ritmo,nosso céu interior tem um triunfo de sangue,mas nosso otimismo se convence na tristezacontemplar as gotas mortas nos cristais. E são as bochechas: olhos de infinito que olhamal infinity blanco que les sirvió de madre. Cada face da chuva tiembla no cristal turbioy le dejan divinas heridas de diamante.São poetas da água que viram e que meditamlo que la muchedumbre de los ríos não sabe. Oh chuva silenciosa, sem tormentos nos ventos,a chuva mansa e serena de esquila e a doce luz,Chove bem e tranquilo que tu és o verde,la que amorosa y triste sobre las coisas caes! ¡Oh a chuva franciscana que te levanta os olhosalmas de fontes claras y humildes manantiales!Cuando sobre los campos desce lentamentelas rosas de mi pecho con tus sonidos abres. El canto primitivo que dices al silencioy la historia sonora que conta al ramajelos comentários llorando meu coração desertoem um pentágrama negro e profundo sem clave. Minha alma tem tristeza da chuva serena,tristeza cheia de uma coisa irrealizável,tengo en el horizonte un lucero encendidoe meu coração me impede de correr para contemplá-los. Oh a chuva silenciosa que as árvores amamy eres sobre el piano dulzura emocionante;das almas las mismas nieblas y ressonânciasque pones en el alma dormida del paisaje! Federico García Lorca Granada, janeiro de 1919 de “Libro de poemas”, Maroto, Madrid, 1921 ...

Ler artigo
batistas europeus.  Juntos, de Portugal à Rússia

batistas europeus. Juntos, de Portugal à Rússia

EBF Photos, Council 2022 - Riga (Letônia) Roma (NEV), 29 de setembro de 2022 – O Conselho da Federação Batista Europeia (EBF) concluiu em 24 de setembro em Riga (Letônia). O corpo reúne cerca de 800.000 membros de 59 sindicatos de 52 países da Europa, Ásia Central e Oriente Médio. Da Itália, John Archdeacon, presidente da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI). E o pastor evangelista Ivano De Gasperis, secretário do Departamento de Evangelismo. Cerca de 140 delegados estiveram presentes. A EBF reúne a família Baptista de Portugal à Rússia, passando pelo Báltico, pelo Médio Oriente, até à Eurásia. A partir da esquerda: Ivano De Gasperis, Elijah Brown e Giovanni Arcidiacono Falou-se de guerra e paz, missões, compromisso humanitário, fé, amor, amizade, colaboração, partilha. O pastor De Gasperis relata: “Diversas abordagens se encontraram em Riga. Existe o anglo-saxão, direto e sintético. Depois, há a marca do Oriente Médio das igrejas libanesas. E novamente, nossa modalidade, sistemática e historicista. Cada um destacou suas próprias qualidades. A presença dos jovens é muito grande”. A contribuição da presença italiana foi expressa, entre outras coisas, em questões de solidariedade. Além disso, continua o pastor De Gasperis, “foi lançado um grito de alarme a respeito dos nacionalismos”. Outro elemento importante é o da "necessidade de colaboração entre as Igrejas. Somos uma União pequena e marginal e precisamos de trabalhar em rede com grandes e pequenas comunidades europeias”. “A Europa – continua De Gasperis – não é uma ilha, mas uma parte importante de uma família global”. A delegação italiana também destacou a importância de projetos como o Medical Hope, o projeto de saúde financiado principalmente pelas igrejas batistas italianas. É realizado dentro do programa de refugiados e migrantes da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI), Mediterranean Hope (MH). “O trabalho a ser feito na migração é enorme – diz De Gasperis -. O tema é crucial, deve ser reiterado. Este é o horizonte internacional que enfrentamos e que nos vê envolvidos como batistas na linha de frente, junto com as Federações”. Dois novos presidentes Em um de seus relatórios "sociais", o pastor De Gasperis também destacou as novas nomeações. Dois novos líderes foram eleitos para presidir duas Comissões diferentes. Einike Pilli (Estônia) e Juliet Kilpin (Grã Bretanha). Comissão de Teologia e Educação Einike Pilli foi eleita presidente da Comissão de Teologia e Educação. Ela é diretora deSeminário Teológico da Igreja Livre da Estônia, diaconisa, pregadora e vice-presidente do Conselho de Administração da Igreja Batista Tartu Salem. Além disso, é membro da Comissão de Nomeação da EBF, sócio ativo do CEBTS e do IBTS. Ela é uma das criadoras do 'Transform', o programa de treinamento EBF para jovens líderes de geração. comissão de migração Em vez disso, Juliet Kilpin foi eleita para a Comissão de Migração. Juliet é uma ministra batista na União Batista da Grã-Bretanha (BUGB) e membro do grupo de trabalho EBF Migration desde a sua formação em 2016. Ela está profundamente envolvida com o movimento de assistência a refugiados no Reino Unido e no norte da França. Kilpin está envolvido em trabalhos relacionados ao serviço de migrantes em toda a Europa. “Estamos muito satisfeitos por ter Juliet e Einike como novos presidentes de suas respectivas comissões da EBF e estamos entusiasmados por trabalhar junto com eles”, comenta De Gasperis. 230 novas igrejas Entre as novidades, a fundação de 230 novas igrejas. De Gasperis escreve: “Através da parceria missionária, 230 foram fundadas nos últimos 20 anos na Europa, Ásia Central e Oriente Médio. Mais de 80% dessas igrejas ainda servem a congregação hoje e 16% das igrejas plantadas se multiplicaram iniciando 38 novas igrejas. Saiba mais em: ebf.org/mp Ucrânia Um espaço significativo foi finalmente dedicado à Ucrânia. Igor Bandura, vice-presidente da União Ucraniana de Associações de Cristãos Evangélicos-Baptistas, compartilhou algumas notícias sobre a situação. Bandura expressou, entre outras coisas, grande gratidão pelo apoio da família EBF e da Baptist World Alliance (ABM-BWA). Além disso, agradeceu às comunidades europeias pela forma como acolheram os refugiados da Ucrânia. “Como podemos imaginar, o desafio ainda é enorme. Sete meses se passaram desde o início da guerra na Ucrânia. Muitos perderam suas casas, famílias e vidas. Quase 200 igrejas não podem continuar os cultos de domingo e 46 prédios de igrejas foram destruídos. 250 pastores tiveram que deixar suas igrejas por vários motivos relacionados à guerra”, destaca o pastor De Gasperis. O Conselho aprovou uma nova resolução antiguerra, nos moldes da já formulada pela ABM-BWA. A EBF é uma das seis regiões da Aliança Batista Mundial. Para saber mais, baixe o Livro de Atos (tradução automática). Conselho EBF 2022 LIVRO digital FINAL-2. Leia também o artigo: O significado da AME hoje. Próxima nomeação para batistas europeus e mundiais, no próximo ano na Noruega. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.