Especial Karlsruhe// Concílio Ecumênico, apelo à unidade

Especial Karlsruhe// Concílio Ecumênico, apelo à unidade

31 de agosto de 2022, Karlsruhe, Alemanha: Um show de luzes no Castelo de Karlsruhe completou uma noite de entretenimento e confraternização para os participantes da assembléia e residentes de Karlsruhe na Marketplatz na primeira noite da 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas, realizada em Karlsruhe, Alemanha de 31 de agosto a 8 de setembro de 2022. Foto: Simon Chambers/WCC

Karlsruhe (NEV), 8 de setembro de 2022 – XI Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas, a “gotha” do ecumenismo a nível mundial, o maior encontro de cristãos e cristãs – e não só – de todos os continentes.

‘Reconciliação’ a ​​palavra-chave. E o trabalho e as muitas iniciativas à margem da cúpula oficial foram realizadas sob a bandeira da inclusão. De fato, grande espaço foi reservado aos povos indígenas, representantes de todo o mundo, mas também muitas vozes da sociedade civil, ativistas e realidades comprometidas com os direitos das pessoas e do meio ambiente.

Esta manhã o último plenário com as declarações do “comitê de assuntos públicos“, a comissão que trata essencialmente de questões de maior relevância política – como guerras e meio ambiente – e importância social.

O documento “Guerra na Ucrânia, Paz e Justiça na região europeia” foi objecto de debate, no âmbito de uma Assembleia em que estiveram presentes representantes das igrejas russa e ucraniana. O texto, que retoma essencialmente as posições expressas pelo último Comité Central do CMI, foi inicialmente contestado por ambas as partes, o que no entanto não impediu a sua aprovação. “o objetivo do documento não é ser exaustivo ou agradar a uma ou outra parte, mas permitir a continuação do diálogo, garantir que o CMI continue a ser um espaço de diálogo no caminho da reconciliação”, explicou o ‘Arcebispo Angelos da Igreja Ortodoxa Copta e moderador da Comissão de Assuntos Públicos do CMI.

O mesmo documento sobre “Guerra na Ucrânia, paz e justiça na região europeia” também diz respeito, como antecipado, à migração e inclui uma referência precisa à experiência de corredores humanitários e projetos de busca e salvamento no Mediterrâneo.

Torsten Moritz, secretário-geral da Comissão das igrejas para migrantes na Europa (CCME), confirma: “As migrações tiveram um papel importante nesta 11ª Assembleia, desde os Brunnens às conversas ecumênicas até a discussão também no plenário e, como resultado, no texto da declaração final, há uma página sobre migração, racismo e xenofobia. É um excelente resultado e um bom sinal, útil no sentido de que reconhece verdadeiramente o compromisso das Igrejas, particularmente na Europa nos últimos nove anos, de Busan até hoje, e o que foi alcançado no que diz respeito à proteção dos migrantes . Ainda há muito a fazer, também em termos de advocacia. Neste contexto, pela primeira vez num organismo ecuménico deste nível há uma referência precisa a passagens seguras e corredores humanitários: é o reconhecimento do trabalho que as igrejas que integram o CCME e o CEC sobre questões migratórias têm feito fizeram e continuam a fazer”.

O clima foi o outro grande protagonista dos trabalhos da Assembleia Geral: em breve todos os materiais do evento serão publicados no site www.oikumene.org, incluindo a declaração pública sobre meio ambiente e cuidado com a criação.

Sobre outro documento particularmente discutido, o da situação no Oriente Médio e a paz na Palestina e em Israel, foi encontrada uma síntese ao final do trabalho que deu conta substancialmente das diferentes posições expressas pelas delegações (em particular, a respeito ao uso do termo “apartheid”).

Finalmente, o CMI opinou, com três breves notas, sobre tantos conflitos ou situações que suscitam preocupação: Nagorno Karabakh, Coréia e Papua.

Aqui a coletiva de imprensa final do evento realizado na Alemanha:


Para saber mais:


Aqui estão todos os artigos NEV de e sobre Karlsruhe, em ordem cronológica, publicados até agora:

08/09/2022 Especial Karlsruhe// Dorothee Mack, “um coração para o ecumenismo”

07/09/2022 Conselho Mundial de Igrejas: apelo para fortalecer e ampliar os corredores humanitários

07/09/2022 Concílio Ecumênico: as palavras para dizer a unidade das igrejas

07/09/2022 Mulheres vítimas do tráfico, uma discussão sobre o tema da prostituição

09/06/2022 Ativistas LGBTQIA+ no Conselho Ecumênico: respeito, direitos e liberdades

06/09/2022 Conselho Ecumênico: uma Assembleia sem barreiras

09/06/2022 Conselho Ecumênico: eleito novo Comitê Central

06/09/2022 Concílio Ecumênico: afirmar a plenitude da vida

05/09/2022 Especial Karlsruhe// Religiões pela paz, Azza Karam: “A fé e o amor são universais”

09/05/2022 Chile, decepção após não à Constituição. Bispo luterano Bruch: “Reconstruindo a esperança”

03/09/2022 Sem guerra, da Sardenha à Assembleia da CEC em Karlsruhe

02/09/2022 De guerras e paz, ocupações e direitos. O mundo em Karlsruhe

01/09/2922 Pílulas de Karlsruhe, o “Fórum Social Mundial das Igrejas” na cidade dos direitos

01/09/2022 Especial Karlsruhe// Dia de cuidar da criação

31/08/2022 Especial Karlsruhe// O primeiro dia: “Uma oportunidade a não perder para ver as crises de outros pontos de vista”

31/08/2022 Especial Karlsruhe// Saudações do presidente alemão

29/08/2022 Também Esperança do Mediterrâneo em Karlsruhe

24/08/2022 O que vai acontecer em Karlsruhe

19/08/2022 Rumo a Karlsruhe. Em nome da justiça climática

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

A Agenda de Paz 2023 – Nevada

A Agenda de Paz 2023 – Nevada

Roma (NEV), 11 outubro de 2022 – A Agenda de Paz 2023 da Confronti é dedicada a um mundo livre de armas.“Na verdade, pensamos que, especialmente após a eclosão do conflito entre a Rússia e a Ucrânia, é importante chamar a atenção para o quão profundamente enraizada ainda está a ideia de resolver disputas por meio de conflitos armados. Uma prática que gera morte, alimenta a desigualdade e enfatiza a tensão, a divisão e o ódio, representando a antítese da paz.Na elaboração da Agenda de Paz 2023, reformulamos alguns artigos e dados que são fruto da atividade editorial e de planejamento da Cooperativa Com Nuovi Tempi, da qual são expressão o Mensal Confronti e o Centro Studi Confronti. Pela Agenda da Paz 2023, o centro de estudos e revista Confronti agradece ao centro LIBREXPRESSÃO (Fundação Giuseppe Di Vagno), centro euro-mediterrânico para a promoção da liberdade de expressão e sátira política, pela concessão das ilustrações. A Agenda da Paz 2023 chega em anexo à edição de outubro da revista para todos* os que já assinaram Comparar. Em alternativa, é possível adquirir a Agenda de Paz 2023 diretamente na loja online, ao custo de 7 euros, neste link. Confronti saiu em maio de 1989 seguindo o legado de “Com-Nuovi tempi”, uma das primeiras publicações ecumênicas em que católicos, protestantes, crentes “não religiosos” e pessoas que pesquisam questões de fé colaboraram por quinze anos. Hoje o Confronti é frequentado por cristãos de várias denominações, judeus, muçulmanos, budistas, hindus e leigos interessados ​​no mundo das religiões, da política e da sociedade. ...

Ler artigo
EffectBible.  A parábola de Jó, um justo sendo testado

EffectBible. A parábola de Jó, um justo sendo testado

Uma imagem do filme "As Maçãs de Adão", retirada de www.teodorafilm.com Roma (NEV), 28 de abril de 2022 – A revista EffettoBibbia foi aberta em 26 de abril deste ano com o título “A parábola de Jó, um homem justo posto à prova”. Oito dias de filmes, debates, leituras e música. O pastor Pedro Ciaccio, especialista em cinema e membro do Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), abriu o EffettoBibbia com uma prolusão dedicada à figura de Jó no cinema. Ciaccio também apresentou a visão do primeiro filme exibido por ocasião da crítica "As Maçãs de Adão", de Anders Thomas Jensen (Dinamarca, 2005). Discurso de abertura de Peter Ciaccio “A Bíblia é uma biblioteca de imagens. Jó é um dos livros mais imaginativos – começou Peter Ciaccio -. Tecnicamente, o cinema é fruto da pintura e da fotografia, mas a alma do cinema é a literatura, especialmente o romance do século XIX”. O cinema, como o romance do século XIX, explora o mal em suas formas. São muitas as referências que nos remetem mais ou menos explicitamente a Jó e, em geral, à questão do "mal", da fragilidade do ser humano, da fé. Ciaccio citou Charles Dickens, Fiódor Dostoiévski, Alessandro Manzonie então Stanley Kubrick, Terrence Malick: “Em Kubrick há explicitamente Nietzsche. O macaco que se torna consciente e se torna homem, que por sua vez se torna consciente e se torna super-homem ou super-homem. Em Malick, por outro lado, seu amado Heidegger está bastante escondido. O homem nasce super-homem e torna-se homem no embate com a realidade, da qual sai destruído”. Em sua fala, Ciaccio uniu crítica cinematográfica e texto bíblico, também por meio da leitura de algumas passagens do livro de Jó. E falou de “Deus oculto”. Um Deus que se esconde de Jó e um segundo Deus oculto Carl Theodor Dreyer, Robert Bresson, Ingmar Bergman, Andrei Tarkovski e muitos outros. “Imagens, muitas imagens – disse o pastor Ciaccio – nascem todas da pergunta sobre a fé de Jó. Vale a pena acreditar em Deus? E se não vale a pena acreditar, então talvez Deus não exista? As perguntas representam uma tentativa de superar as dicotomias entre realidade e instituições, bem e mal, fé e negação. A dúvida atroz é: "E se Deus me odiava, e se ele não existisse, o que estou fazendo aqui nesta terra?". Uma resposta possível é que Deus é Deus, e não nossa projeção de Deus, concluiu Ciaccio. A EffettoBibbia é organizada e promovida pelo Comitê de Cultura Bíblica de Bérgamo, que reúne ACLI, o Centro Cultural da Graça, o Centro Cultural Protestante, a Fundação Serughetti La Porta, Grupos de Leitura Contínua da Palavra de Deus, o Escritório de Estudos Bíblicos Apostolado da Diocese de Bérgamo. Descarregue aqui o folheto. ...

Ler artigo
19 de maio em Roma um momento de espiritualidade compartilhada contra a guerra

19 de maio em Roma um momento de espiritualidade compartilhada contra a guerra

Roma (NEV), 15 de maio de 2023 – A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) e o Interfaith Centre for Peace (CIPAX) continuam sua jornada inter-religiosa no âmbito das iniciativas da Europa pela Paz . “Para lembrar que a guerra, todas as guerras devem acabar, que queremos paz, justiça e desarmamento, mesmo nuclear, propomos um novo momento de espiritualidade compartilhada” escrevem as duas siglas. Encontro em Roma, sexta-feira, 19 de maio de 2023, das 18h às 19h30, na Igreja Evangélica Batista Cristã na via del Teatro Valle, 27. Outras iniciativas: Domingo, 21 de maio, 23, é realizada a Marcha da Paz Perugia Assis, à qual a CIPAX adere, com a Europa pela Paz. “Em preparação para a Marcha, mesmo para aqueles que por diversos motivos não poderão participar, queremos continuar nosso caminho de espiritualidade compartilhada que nos viu juntos em vários momentos desde que a Rússia invadiu a Ucrânia – escreve CIPAX -. Somos contra a guerra na Ucrânia, pelo cessar-fogo, negociações, uma conferência internacional pela paz e a favor de uma cultura de não violência e de ações concretas de preparação para a paz. Acreditamos firmemente que as crenças não devem ser usadas para justificar guerras, violência e violações dos direitos fundamentais”. Europa pela Paz: "continua a mobilização pelo cessar-fogo, pela negociação, pela solução política e não violenta da guerra na Ucrânia, juntamente com o pedido de desarmamento nuclear global". ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.