Relatórios GLAM

Relatórios GLAM

Saarah Yasmin Latif – foto tirada de

23 de maio de 2023 – Inauguramos um novo serviço intitulado “La GLAM sinaliza”. Dirigido pela Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), em colaboração com a agência de notícias NEV, consiste na divulgação de notícias e informações sobre, em particular, a Criação e a proteção do meio ambiente.

Dupla oportunidade para os leitores do NEV, mensalmente.

Para quem gosta de síntesea notícia em três linhas.

Para quem gosta de aprofundarlinks para os materiais integrais, com artigos e documentos especificamente selecionados e/ou traduzidos para você pela GLAM.


Corredores ecológicos para insetos polinizadores. Em que estágio está o projeto?

Fotos e comentários sobre o projeto dos “corredores ecológicos”. Ainda há muito trabalho a ser feito, pessoas a serem envolvidas, oásis a serem criados para permitir a livre circulação de insetos ao longo da bota. De Lampedusa a Bolzano, toda a Itália deve ter oásis que fazem tudo isso.

Para solicitar o documento sobre o projeto polinizador com depoimentos e fotos, escreva [email protected]


O “Desafio Verde do Ramadã” de uma geração do milênio

Saarah Yasmin Latif ajuda as pessoas de todas as tradições religiosas a conectar sua fé com ações individuais e coletivas para sustentar a terra. Por exemplo, com o e-book gratuito Quarenta Hadiths Verdes: Provérbios do Profeta Maomé sobre justiça ambiental e sustentabilidade.

Fonte: Revista Sojourners / leia aqui: Muçulmanos e o movimento ambientalista


Islã e ecologia: “Meio ambiente, saúde e liberdade de crença como direitos invioláveis”

A intervenção do professor Manuel Olivares no contexto da conferência do Centro de Estudos LIREC, realizada no dia 4 de maio passado na Pontifícia Universidade Salesiana. Do Ramadão “ecológico” às mesquitas “verdes”, às dimensões éticas e filosóficas da atitude humana perante a natureza.

Fonte: Islã e Ecologia; palestra na conferência LIREC (viverealtrimenti.com)


Índia, a maior democracia do mundo. Pillay: “Levante-se, vamos juntos”

Jerry Pillay fala de discipulado transformador, justiça, paz, emergência climática e novos modos de vida. “A Índia, por centenas de anos, mostrou ao mundo que a unidade na diversidade é possível e que as pessoas podem viver pacificamente em seu pluralismo religioso, étnico e linguístico”.

Anexo: Discurso completo do Secretário Geral do Conselho Mundial de Igrejas (CEC), Pastor Jerry Pillay, por ocasião da XXIX Assembleia Geral do Conselho Nacional de Igrejas da Índia.

em italiano

Em inglês

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Mirly, a 31ª edição do encontro sobre questões laborais

Mirly, a 31ª edição do encontro sobre questões laborais

Roma (NEV), 4 de fevereiro de 2021 – A XXXI edição do "Rencontre de Mirly", o encontro anual da Missão para a indústria das igrejas reformadas e luteranas na região de Lyon, foi realizada online. Ele fala sobre isso neste artigo Francesca Evangelistaque participou do encontro como membro da Comissão FCEI GLAM (Globalização e Meio Ambiente). “Quando no ano passado, no banlieue de Lyon, apertando a mão de Denis Costilorganizador do Rencontre di Mirly, me despedi com a promessa de me encontrar novamente "l'année prochaine”, Nunca imaginei que cumpriria minha palavra permanecendo confortavelmente sentado em meu sofá em Roma. Pois é, depois de 30 anos de encontros, pela primeira vez Mirly marcou uma consulta no Zoom, provando que não se deixará abater nem por uma pandemia global; por outro lado, foram muitas as dificuldades que enfrentou ao longo de sua história e que temperaram sua alma forte. Mirly é a sigla de “Mission in l'industrie de la Région Lyonnaise” (Missão na Indústria da Região de Lyon), nascida em 1984 no distrito Duchère de Lyon por vontade das Igrejas Protestantes de Lyon (Reformadas e Luteranas), nas instalações da Mission Populaire (Missão do Povo, uma Igreja Protestante Francesa instituição de ensino e ajuda popular). Há 25 anos, Mirly oferece um curso de formação profissional para aprendizes de carpinteiro, com o objetivo de conter o grande desemprego que atingiu a França na década de 1980. Desde 2016, devido à crescente falta de fundos, o curso foi confiado à missão diocesana. Paralelamente ao curso para carpinteiros, em 1987 Mirly abriu uma filial para a luta contra o desemprego e a procura de trabalho no V arrondissement de Lyon, que ainda hoje está ativa. O primeiro nasceu em 1990 Reunião de Mirly: uma reunião anual, no último final de semana de janeiro, para discutir, explorar e discutir o tema do trabalho. Cerca de 60-90 pessoas de diferentes partes da França e da Suíça francófona, cristãos (principalmente protestantes, mas também católicos), se reúnem por dois dias no Centro Protestante de Oullins (subúrbios ao sul de Lyon) para discutir juntos a sempre presente tema de trabalho. A 31ª edição do la Rencontre decorreu nos dias 30 e 31 de janeiro de 2021, a primeira em modo virtual. Um olhar sobre os acontecimentos atuais é inevitável: como a covid-19 está afetando o mundo do trabalho? Parte inesperada da resposta dada por Dennis Maillard, filósofo político e autor de inúmeros ensaios, que destacou como o mundo está se dando conta de um grande número de trabalhadores "invisíveis, mas indispensáveis" (título de seu novo livro a ser lançado em 4 de fevereiro) como, por exemplo: entregadores, os que trabalham na logística, caixas, funcionários da manutenção, pessoal da limpeza, enfermeiros que já foram promovidos a heróis e muitos outros. “Neste período de quarentena”, disse Maillard, “finalmente percebemos que nossa vida cotidiana é facilitada por tantos desses invisíveis, antes os olhávamos sem perceber, enquanto agora finalmente os vemos e os valorizamos”. Devemos trabalhar duro para garantir que isso não diminua quando a pandemia terminar. A intervenção de foi no mesmo sentido Dominique Bolliet, professor universitário e prefeito do 4º arrondissement de Lyon, que destacou como "vivemos em um mundo onde as profissões mais úteis não gozam de nenhum reconhecimento social". Os empregados aceitam a chantagem pela qual se submetem ao empregador em troca de dinheiro, o que os priva de qualquer possibilidade de encontrar um emprego que corresponda às suas expectativas. O trabalho torna-se assim uma mercadoria e não mais uma vocação. Há uma forte necessidade de uma nova disciplina jurídica do trabalho que permita o envolvimento e valorização do indivíduo em suas atividades laborais, que restitua dignidade a TODO tipo de trabalho, que leve em conta a emergência climática e ambiental. Hubert Menet trouxe testemunho prático com o experimento”Territoires zero chômeurs” (Zero Territórios desempregados) que já envolveu cerca de sessenta pequenas realidades francesas entre 5 e 10 mil habitantes. O projeto visa empregar todos os desempregados de forma permanente. As seleções de pessoal são proibidas, o treinamento e a escuta são favorecidos. Parte da análise das necessidades locais e dos seus recursos, para depois procurar uma resposta envolvendo os desempregados desde a fase de planeamento. Assim, cria-se uma consciência social coletiva que leva ao trabalho em equipe e toca em temas antes pouco considerados, como atenção ao meio ambiente e reciclagem (novos empregos). Na conclusão do Rencontre, o pároco da Igreja Protestante Unida da França Françoise Mesi ele relembrou o processo criativo de Deus em Gênesis 1, enfatizando que o trabalho nos foi ensinado por ele, mas que também é necessário um tempo de descanso e adoração: o sétimo dia. Nomeação no final de janeiro de 2022, com a esperança de vê-los novamente em Lyon". ...

Ler artigo
Terremoto, Conselho Valdense aloca 500 mil euros

Terremoto, Conselho Valdense aloca 500 mil euros

Roma (NEV), 21 de fevereiro de 2023 – A Tavola Valdese decidiu destinar 500 mil euros, obtidos dos fundos Otto per Mille atribuídos anualmente às Igrejas Metodista e Valdense, para a criação de um fundo especial destinado a financiar intervenções de ajuda para o populações afetadas pelo terremoto que devastou a Síria e a Turquia. “A Igreja Evangélica Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense, ele comenta Alessandra Trotta, moderador do Tavola Valdese, está próximo das populações síria e turca atingidas violentamente pelo trágico terremoto de 6 de fevereiro. Orações e sentimentos de proximidade vão para as vítimas, os feridos, os sobreviventes e todas as pessoas que estão trabalhando para levar ajuda e apoio na certeza de que Deus não se afasta da dor de suas filhas e filhos”. "Graças à rede de Igrejas irmãs presentes nas áreas mais afetadas e às organizações de comprovada eficácia e confiabilidade com as quais estabelecemos relações consolidadas de colaboração nessas áreas - continua Alessandra Trotta - procuraremos obter uma ajuda adequada e eficaz, ainda menos sob os holofotes da atenção pública, como os sírios já castigados por anos de guerra. Diante de uma tragédia tão imensa, que revela ainda mais a fragilidade humana, somos todos chamados a mostrar o que de melhor pode fazer esta frágil humanidade se iluminada por um espírito de solidariedade capaz de superar fronteiras e barreiras”. O moderador Trotta também enviou uma mensagem de condolências à pastora Najla Kassab, do Sínodo Evangélico Nacional da Síria e Líbano e presidente da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas, expressando total solidariedade e apoio às igrejas metodistas e valdenses italianas. A Igreja Valdense contribui, como outras confissões religiosas, para a distribuição dos fundos Otto per Mille e optou por alocar todas as contribuições para apoiar intervenções sociais, assistenciais, humanitárias e culturais, na Itália e no mundo. O Otto per Mille pode ser atribuído por todos os contribuintes a uma das confissões religiosas com as quais o Estado italiano tenha assinado um acordo, ou ao próprio Estado. O Otto per Mille na verdade funciona como um voto, pois é dividido proporcionalmente ao número de escolhas feitas. ...

Ler artigo
Ucrânia, o compromisso da FCEI – Nev

Ucrânia, o compromisso da FCEI – Nev

foto CESVI @Spucches Roma (NEV), 20 de fevereiro de 2023 – A participação no reinício de seis creches e um projeto de ponto de aquecimento são as duas atividades financiadas pela Federação das Igrejas Evangélicas Italianas na Ucrânia, graças à colaboração com a Fundação CESVI. Ambas as intervenções foram realizadas em Bucha, uma cidade geminada com o município de Bergamo que, novamente graças à Fundação CESVI, participa ativamente na reconstrução da cidade a noroeste de Kiev. Apagões frequentes, combinados com custos crescentes de fornecimento de gás e eletricidade, além da condição de prédios danificados por bombas, expõem milhares de pessoas às condições extremas do inverno. O CESVI criou, portanto, graças à contribuição da FCEI com o Otto per mille Waldensian e o Município de Bergamo, 11 pontos de aquecimento, estruturas aquecidas onde a população civil pode se refugiar durante o dia para se aquecer, conectar-se à Internet, receber alimentos e bebidas quentes. Dentro dos pontos de aquecimento também são fornecidas as necessidades básicas: leite, barras energéticas, papinhas para crianças menores de 3 anos, biscoitos, açúcar, chá e café. Trata-se, portanto, de unidades móveis constituídas em colaboração com a administração local, nomeadamente em algumas zonas próximas de escolas para poderem utilizar as instalações sanitárias e os abrigos de proteção em caso de ataques com mísseis. Eles têm uma área de pelo menos 17 metros quadrados e podem ser usados ​​por mais de 20.000 pessoas que poderão se refugiar durante as horas de apagão e receber alimentos e bebidas quentes. Eles serão equipados com sistemas de aquecimento que podem ser alternados entre eletricidade, madeira e gás, dependendo da disponibilidade. Além disso, com o fornecimento de lençóis e colchões, o projeto também previa a reorganização e recuperação das áreas de descanso das creches da cidade, atendidas por cerca de 500 crianças, que foram ocupadas durante a invasão da área e utilizadas como base apoiada pelo Militar russo, e por isso precisava de reposição de todos os materiais, desde camas a lençóis passando por material didático. Também neste projeto, a FCEI tem contribuído financeiramente para apoiar a atividade do CESVI. Enquanto isso, 24 de fevereiro fará um ano desde o início da guerra. De acordo com as últimas estimativas do escritório do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, há mais de 7.000 vítimas entre os civis ucranianos. Quase oito milhões de pessoas fugiram do país. “Estamos próximos da população ucraniana – declara Daniele Garrone, presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália – Não esqueçamos os sofrimentos sofridos e todas as dificuldades de quem teve que deixar seu país. E daqueles que estão tentando reconstruí-lo e terão que continuar a fazê-lo. Por isso, temos o prazer de colaborar com uma ONG como o CESVI, presente nessa área, para dar nossa contribuição e ajudar as pessoas de forma concreta. Continuaremos a apoiar mulheres, homens, crianças, na Ucrânia, bem como em qualquer outra situação de guerra, crise, pobreza". “Ao medo das bombas soma-se outro perigo: o frio. A Organização Mundial da Saúde estima que até três milhões de pessoas poderiam deixar suas casas em busca de lugares mais quentes e seguros. Graças ao apoio da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, esperamos atingir cerca de 20.000 pessoas, principalmente mulheres, crianças e idosos - declara Roberto Vignola, vice-diretor geral da Fundação CESVI – Nossa equipe de emergência atua no distrito de Bucha com base operacional, desde maio de 2022, para a promoção de atividades e iniciativas voltadas principalmente para os mais vulneráveis. O reinício dos jardins de infância quer ser o símbolo da esperança de que possamos voltar à normalidade mesmo em pleno conflito e que cada criança, graças a este gesto, possa encontrar o seu quotidiano feito de companheiros, professores, sonhos e projetos de crescimento”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.