Secretariado para atividades ecumênicas.  Uma fé nua pode se tornar uma oportunidade

Secretariado para atividades ecumênicas. Uma fé nua pode se tornar uma oportunidade

Roma (NEV), 1º de agosto de 2022 – A 58ª sessão de formação ecumênica da Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) foi encerrada no último sábado em Assis. Com o tema “Em tempos sombrios, ouse ter esperança. As palavras de fé na sucessão das gerações – Uma pesquisa ecumênica (2)”, a sessão envolveu 190 cristãos e cristãs, mas não só.

Leigos, sacerdotes, pastores, teólogos, professores, estudantes, seminaristas, dois bispos e um bispo passaram alguns dias juntos sob a bandeira do diálogo e da partilha. Existem várias formações confessionais: adventista, anglicana, batista, católica, metodista, ortodoxa, reformada, valdense, judaica. Entre os participantes, também representantes de entidades como a Federação Italiana da Juventude Evangélica (FGEI). Ação Católica. Amizades judaico-cristãs. A Coordenação dos Teólogos Italianos. O movimento dos Focolares.

Entre os fios vermelhos tecidos durante os dias, a “reavaliação do corpo na oração pessoal e litúrgica”. “Superando Estilos Androcêntricos na Igreja”. “Saia da mentalidade substitucionista em relação a Israel”.

Esta é a primeira sessão organizada pelo novo Comitê Executivo que inclui o novo presidente, o Valdense Erica Sfredda. “Somos chamados a construir juntos uma nova história que se alimente da esperança de poder caminhar juntos curando a dor, as feridas, as tragédias dos séculos passados ​​– disse Sfredda em seu discurso conclusivo -. Nestes dias entendemos que a crise não é só negatividade, mas nos impulsiona à conversão ao Senhor, nos devolve a força para viver e confiar em Deus.Sentimos que estamos confusos, frágeis, ansiosos e vivemos uma fé nua que pode se tornar uma ‘oportunidade […]. Deus nos chama independentemente do que tenhamos escrito e dito sobre ele. E, portanto, podemos aceitar o desafio de nos tornarmos catalisadores da esperança, testemunhas no mundo com a nossa vida de uma esperança que não desilude. Portanto, hoje não é um adeus, mas um adeus. Despedimo-nos com um pouco de tristeza, mas também conscientes da alegria que trazemos para casa e sabemos que a nossa tarefa é testemunhar nas nossas vidas, nas nossas comunidades e igrejas aquilo que recebemos e do qual por sua vez doamos” .

Também Simone Morandini, membro do Comitê Executivo, destacou alguns aspectos do caminho percorrido, falando da escuta recíproca como algo ativo: “A esperança é uma realidade que se cultiva no plural, é uma dinâmica comunitária, eclesial. É apreendido e expresso em conjunto, na atenção respeitosa às necessidades uns dos outros, aos respectivos estilos de pensamento, de celebração, de vida. Outra descoberta feita na sessão foi a importância de um paradigma intergeracional. Ser todos juntos discípulos e mestres, assumir uma postura de aprendizado mútuo, ser juntos buscadores de esperança. Esta perspectiva exige uma mudança de ritmo e, ao mesmo tempo, preservar os dons recebidos das gerações e tradições anteriores”.

Foto Laura Caffagnini
A 58ª sessão foi aberta com uma oração ecumênica.

Entre os destaques, o encontro com o pastor batista e “Ministra itinerante” Lídia Maggi E Cláudio Monge, chefe do Centro Dominicano para o Diálogo Inter-religioso e Cultural em Istambul. Lá mesa redonda dos jovens sobre a concretude da fé. visita do monsenhor Derio Olivero, bispo de Pinerolo. E novamente as oficinas, também para meninos e meninas. Houve muitos visitantes do mundo protestante, incluindo os de Fulvio Ferrario, Letizia Tomassone, Paolo Naso e outros.

Para saber mais, aceda ao acervo de todos os comunicados da 58ª sessão clicando AQUI.

Para conteúdo de vídeo, clique em AQUI.

Baixe o programa completo

Abaixo, uma seleção de conteúdo com curadoria de Laura Caffagnini.

PRATICAR A ESPERANÇA NO BARATRO

Mesa redonda com Monsenhor Roberto Filippinibispo de Pescia e membro da Comissão Episcopal para o Ecumenismo e o Diálogo da Conferência Episcopal Italiana, e Paulo Nasocientista político e ensaísta, membro da Comissão de Estudos da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI).


ENTRANDO NO SHABAT

Liturgia ecumênica preparada pelo grupo de animação de oração e liturgia. Com o pastor valdense Michael Charbonniercoordenador. Alessandro Martinellianimador litúrgico católico. Margarida Bertinat da SAE de Verona. Elda Possamai da SAE de Turim.


MARTIN LUTHER KING, TESTEMUNHA DA ESPERANÇA

Leitura de música”Martin Luther King. Uma história americana” retirada do último livro de Paolo Naso, com o etnomusicólogo Alberto Annarilli, Elisa Biason e Elena Malandrino.


PELO AMOR DAS FUTURAS GERAÇÕES, JÁ ESTÁ AQUI

A cura de um mudo por Jesus no centro da pregação da pastora valdense Letizia Tomassone na Santa Ceia celebrada na noite de quinta-feira na Sessão da SAE em Assis. Pão, vinho, cachos de uvas eram o convite a uma assembleia composta por mulheres e homens que se uniam em torno da mesa comum da Palavra.


NOVAS PALAVRAS PARA COMUNIDADES AUTENTICAMENTE HUMANAS

Do clima cultural, ao clima meteorológico, ao clima das relações entre Estados, países e culturas… Em tempos como este é preciso mudar também as palavras das Igrejas. Moderado pelo teólogo católico Simone Morandinitrês figuras “históricas” e fiéis da SAE falaram sobre isso em uma mesa redonda: o teólogo valdense Fulvio Ferrarioo padre ortodoxo romeno Traian Valdman e o teólogo católico Cettina Militello.


admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Celebração de encerramento da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

Celebração de encerramento da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

Foto Ivars Kupcis/CEC Roma (NEV), 24 de janeiro de 2021 – A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC) termina em 25 de janeiro. O Secretário Geral Interino do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), Padre Ioan Sauca, convida a família ecumênica e todas as comunidades globais a se unirem para o serviço de oração. A celebração será transmitida no dia 25 de janeiro. Na próxima segunda-feira, portanto, será possível ficar online para rezarmos juntos. “Como as restrições devido à pandemia estão dificultando a reunião física. disse Saúca. Esta celebração on-line global nos permitirá orar juntos onde quer que estejamos. A oração é um dos frutos que brota da nossa permanência no amor de Cristo”. Concluindo, mais algumas palavras sobre a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos. Tradicionalmente, é comemorado de 18 a 25 de janeiro, em meio às festas de Pedro e Paulo. O tema para 2021 é "Permanecei no meu amor: dareis muito fruto". Para saber mais: A carta convite de Ioan Sauca. Link para acompanhar o culto de oração na segunda-feira, 25 de janeiro de 2021, 14:00 CET. www.oikoumene.org/live unidade cristã. Carta conjunta católica, ortodoxa e protestante "Vivemos e celebramos nossa unidade na oração comum". Mensagem assinada pelo bispo Ambrogio Spreaficodo metropolita Polykarpos Stavropoulos e pelo pastor Luca Maria Negropresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), por ocasião do SPUC. agenda NEV de eventos italianos. Semana de oração pela unidade dos cristãos e recorrências históricas o artigo de Claudio Geymonat. “Este ano é também uma ocasião para comemorar os 500 anos da excomunhão de Lutero”… ...

Ler artigo
Acolher refugiados dos corredores humanitários

Acolher refugiados dos corredores humanitários

Roma (NEV), 30 de março de 2023 – 58 pessoas de origem síria chegaram a Roma Fiumicino esta manhã, com um voo de Beirute, graças aos corredores humanitários, um projeto realizado desde 2016 pela Federação de Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI ), Mesa Valdense, Comunidade de Sant'Egidio, no âmbito de memorandos de entendimento firmados com os Ministérios do Interior e das Relações Exteriores. Para acolhê-los, os representantes das realidades que colaboram nesta iniciativa humanitária e dos dicastérios envolvidos. Até o momento, mais de 2.500 pessoas chegaram apenas do Líbano. Outros protocolos, sempre com a participação de igrejas protestantes, estão ativos para pessoas de origem afegã, do Irã e do Paquistão, e da Líbia. “As histórias dessas pessoas – declarou Manuela Vinaygerente do Otto per mille Waldensian – demonstrar que uma rota segura e legal para a migração é possível. Os corredores humanitários devem ser considerados um modelo a replicar, mas não são a solução para o problema: a migração é de facto um fenómeno complexo e como tal deve ser gerido, ou seja, com uma visão global, com ações e políticas integradas dentro de cada realidade e em colaboração com os vários países. Cada um deve fazer a sua parte e nós, do nosso jeito, tentamos fazer”. Para marta bernardini, coordenadora do programa de migrantes e refugiados da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, “hoje nosso privilégio é poder acolher essas pessoas. Eles escolherão qual futuro construir para si mesmos, terão a oportunidade de aprender italiano e decidir o que fazer, como realizar seus sonhos e desejos. Mas não esqueçamos quem morreu no mar há um mês, como na tragédia de Cutro. É por isso que continuamos a pedir políticas de acolhimento e resgates para todos”. No momento de boas-vindas seguido de encontro com a imprensa, além do presidente do Sant'Egidio, marco impagliazzotambém dois representantes dos Ministérios: Valério ValentiChefe do Departamento de Liberdades Civis e Integração do Ministério do Interior e Diretor Geral de Italianos no Exterior e Políticas de Migração do Ministério de Relações Exteriores e Cooperação Internacional, Luigi Maria Vignali. “Sabemos que os Corredores Humanitários não podem satisfazer toda a demanda por uma vida melhor, mas isso significa que devemos investir cada vez mais nessa ferramenta tão importante que tem permitido chegar com segurança. Na minha opinião, vocês são testemunhas e mensageiros. Testemunhas, porque é possível chegar à Itália e à Europa acreditando em corredores humanitários e acreditando nas instituições que trabalham para isso e, ao mesmo tempo, mensageiros para muitos de seus compatriotas, compatriotas que, em vez disso, dependem de traficantes de pessoas para serem explorados e partiu para um futuro incerto. Portanto – disse Valenti – compartilhamos juntos esta dupla responsabilidade: nós integramos vocês, vocês são mensageiros e testemunhas de um futuro melhor que é possível através deste sistema. O Ministério do Interior está empenhado em fortalecer esta ferramenta e investir mais recursos”. Para Vignali, representante do Ministério das Relações Exteriores, “a chegada de hoje confirma o forte compromisso do governo em garantir canais de chegada regulares, seguros e ordenados e, ao mesmo tempo, lutar contra os traficantes de pessoas. Continuaremos neste caminho também em conjunto com outros parceiros europeus e trabalhando em estreita colaboração com os países da Ásia, Médio Oriente e África, de forma a evitar outras tragédias e a fortalecer este modelo de corredores humanitários tão importante ". HERE Infográfico resumido sobre Corredores Humanitários – atualizado até março de 2023 "O #corredores humanitários são uma das formas, não a única, de chegar segura e legalmente: é preciso pensar em outras vias legais de acesso”. Marta Bernardini agora na coletiva de imprensa em Fiumicino para i #corredores humanitários e último voo desde #Líbano pic.twitter.com/NDhighsigb — Esperança do Mediterrâneo (@Medohope_FCEI) 30 de março de 2023 ...

Ler artigo
Ucrânia, jovens protestantes: “Perseguir um caminho para a paz”

Ucrânia, jovens protestantes: “Perseguir um caminho para a paz”

Foto de Candice Seplow, unsplash Roma (NEV), 17 de março de 2022 – “À luz do recente conflito resultante da invasão militar da Ucrânia pelo exército russo, que parece não querer parar mesmo diante dos apelos da comunidade internacional, como jovens Protestantes, membros deFGEI - Federação da Juventude Evangélica da Itália, queremos nos unir à condenação deste enésimo ato de violência, que se manifesta em solo ucraniano e russo, atingindo civis inocentes e aqueles que manifestam sua dissidência a esta política imperialista".O Conselho FGEI escreve em um comunicado: Gabriel Bertin, Annapaola Carbonato, Emanuele DeBettini, Briga Gerard, Rebeca Malla, Roberta Pacílio.“Expressamos preocupação com a extensão e destrutividade que este conflito pode assumir, considerando a ameaça decorrente do uso de armas nucleares – continua a nota -. Além de nos unirmos à oração por todo o povo ucraniano, unimo-nos ao apelo dirigido às instituições europeias e locais para garantir o acolhimento e apoio às pessoas forçadas a fugir ou permanecer em zonas de conflito. Esperamos que as práticas de ajuda humanitária implementadas neste momento de emergência possam abrir caminho para projetos de acolhimento transversal para garantir a cada pessoa o direito de determinar seu próprio futuro, e não criar discriminação contra aqueles que são forçados a abandonar o próprio país, seja qual for a razão.As nossas palavras surgem também à luz do valor que o cidadão da União Europeia tem para a nossa geração, que cresceu também através de oportunidades de intercâmbio a nível internacional que se baseiam nos princípios comuns da democracia, liberdade, igualdade e respeito pela dignidade e pelos direitos humanos, bem como uma cultura voltada para a construção e manutenção da paz para todos.A FGEI, enquanto parte ativa numa rede de federações juvenis a nível europeu e mundial, manifesta proximidade e apoio às federações irmãs e igrejas dos territórios afetados pelo conflito, partilhando os convites para momentos de oração ecuménica propostos por diversas realidades e reconhecendo neles o instrumento para redescobrir irmãos e irmãs amparados e guardados pelas mãos do Senhor em todo lugar e em toda situação. Neste momento queremos fazer nosso o apelo que nos é dirigido a ser luz nos momentos de escuridão e a reconhecer que não são os planos de violência dos poderosos de hoje que fecham o horizonte, mas que este se abre na esperança e na certeza que vem do Senhor e da sua promessa de paz e justiça. Sabemos que isso já se manifestou para nós no rosto e na história de Jesus de Nazaré, que nos ensinou que só a fé e a partilha podem verdadeiramente transformar o mundo, como nos recordam as palavras de Zacarias no Evangelho de Lucas: “Bendito seja o Senhor , o Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo, e nos deu um Salvador para iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, a fim de guiar os nossos passos no caminho da paz”. Cabe a nós hoje – concluem os jovens protestantes – saber prosseguir juntos aquele caminho já traçado rumo à paz”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.