O Mediterrâneo em Karlsruhe nas palavras de Simone De Giuseppe

O Mediterrâneo em Karlsruhe nas palavras de Simone De Giuseppe

2 de setembro de 2022, Karslruhe, Alemanha: Dr. Anders Wejryd, Arcebispo Emérito da Igreja da Suécia e presidente do CMI para a Europa conduz uma conversa durante uma plenária temática focada na Europa, na 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas, realizada em Karlsruhe, Alemanha, de 31 de agosto a 8 de setembro, sob o tema “O amor de Cristo move o mundo à reconciliação e à unidade”.

Karlsruhe (NEV), 2 de setembro de 2022 – Mesmo um pequeno pedaço da Itália e do Mediterrâneo hoje diante das centenas de delegados e participantes da XI Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), em andamento em Karlsruhe, Alemanha. Simone De Giuseppe, 30 anos, em sua primeira experiência como delegado à Assembléia do CMI, falou esta manhã na sessão plenária. O pároco batista estagiário nas igrejas de Gravina e Altamura contou a experiência e o compromisso da FCEI com o acolhimento e os direitos dos migrantes.

“As igrejas na Europa hoje têm uma dupla missão – disse -: uma dentro delas e outra para fora. Esse “fora de nós” é estar com pessoas que estão à margem. Do meu ponto de vista, como italiano, o Mediterrâneo é uma dessas margens, um desses lugares marginalizados. Vivemos um processo migratório epocal e não podemos ficar indiferentes e esquecer os muitos naufrágios ocorridos nos últimos anos. Como Federação das Igrejas Evangélicas na Itália, lidamos com a questão da migração no Mar Mediterrâneo por vários anos com diferentes programas, como os corredores humanitários e o projeto migrante e refugiado, Mediterranean Hope. Neste sentido, foi particularmente importante a experiência da “Peregrinação de justiça e paz” do Conselho Ecumênico das Igrejas, que visitou Lampedusa e a Sicília em maio passado.

Foto de Marcelo Schneider

Ao mesmo tempo, as igrejas na Europa têm uma missão interna. precisamos aprender a viver e transformar nossas comunidades de maneira intercultural, pois muitos membros de nossas igrejas são migrantes. Em tempos de secularização, muitas vezes nossas igrejas crescem graças aos migrantes. É preciso, portanto, testemunhar a nossa fé cristã através da riqueza das nossas diversas culturas e tradições”, concluiu o pároco batista.

o pastor estagiário Simone De Giuseppe

Como foi falar para o público do WCC? “Foi uma grande emoção, uma honra e um privilégio – declarou Simone De Giuseppe ao NEV assim que o painel terminou -, poder falar diante de tantas pessoas, de diferentes tradições cristãs. Quanto ao tema em si, apreciei e estou feliz por ter podido falar da Europa e, portanto, do continente a que pertenço, não só focando o tema numa frente – a questão ucraniana – mas também procurando compreender a Europa em um sentido mais amplo e amplo, inserido num mundo mais complexo, que está em movimento, que abre muitas frentes como a do Mediterrâneo, de que falei. Acho que foi importante poder falar da Europa inserindo-a numa visão mais ampla, que inclui relações fortes com todos os povos do mundo. Uma experiência enriquecedora e também um amadurecimento pessoal poder partilhar uma mensagem como esta num espaço internacional”.

2 de setembro de 2022, Karslruhe, Alemanha: Simone de Giuseppe, delegada da União Evangélica Batista da Itália, fala durante uma plenária temática com foco na Europa, na 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas, realizada em Karlsruhe, Alemanha, de 31 de agosto a 8 de setembro, sob o tema “O amor de Cristo move o mundo à reconciliação e à unidade”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Economia de água doméstica, segundo vídeo da jovem Glam

Economia de água doméstica, segundo vídeo da jovem Glam

foto de Geetanjal Khanna, unsplash Roma (NEV), 13 de julho de 2022 - "Glam spot" é o título da iniciativa que a Comissão de Globalização e Meio Ambiente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália concebeu e criou para aumentar a conscientização sobre a questão da economia doméstica de água. Aqui está o segundo vídeo da série: E neste link o primeiro. artigo anteriorDe norte a sul, proposto pelas 4 Conferências Distritais Metodistas e ValdensesPróximo artigoCom os pés no chão Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo
Faculdade Valdense.  “Estude teologia.  Por que?  Para quem?”

Faculdade Valdense. “Estude teologia. Por que? Para quem?”

Roma (NEV), 6 de abril de 2021 – O encontro ao vivo intitulado “Estudar teologia. Por que? Para quem?". É assim que a Faculdade Valdense de Teologia se apresenta neste "zoom-talk", dando voz ao aluno Marco Agrícolaao aluno Shangli Xupara Floriana Bleynatmembro do Conselho da Faculdade, e ao estudante Magdalena Bredendiek do Centro Melanton. No zoom ao vivo e na página do Facebook da revista "Confronti", a iniciativa integra a coluna "Teologia e sociedade", coluna de aprofundamento e debate editada por Fulvio FerrarioReitor da Faculdade Valdense de Teologia, e Christine SimonelliPresidente da Coordenação dos Teólogos Italianos (CTI). A Faculdade Valdense A Faculdade Valdense de Teologia é o instituto mais antigo da Itália para o estudo universitário de teologia evangélica. Representa um extraordinário ponto de encontro e diálogo, em um contexto de intercâmbio acadêmico de prestígio com outras universidades públicas e pontifícias. Fundada em 1855 em Torre Pellice (TO), mudou-se primeiro para Florença, depois para sua atual sede em Roma. A oferta de formação teológica da Faculdade Valdense é dividida em 4 cursos de graduação (graduação em teologia, especialização em teologia, doutorado em pesquisa em teologia – área histórica, sistemática/ecumênica; graduação em ciências bíblicas e teológicas). A oferta completa-se com mais duas oportunidades de formação: cursos certificados com a duração de dois anos e a possibilidade de ingresso como “auditor”. Os graus conferidos pela Faculdade são reconhecidos pelo Ministério das Universidades e da Investigação Científica (MIUR) e inseridos no projeto europeu Erasmus. ...

Ler artigo
Nascem corredores para insetos polinizadores

Nascem corredores para insetos polinizadores

Aaron Burden, desobstruir Roma (NEV), 1º de abril de 2022 – Os “corredores ecológicos” para insetos polinizadores estão ganhando vida. "Caminhos ecumênicos para polinizadores", este é o nome do projeto com o qual algumas igrejas evangélicas da Itália (luterana de Nápoles, batista Centocelle, batista Civitavecchia, adventista de Bolonha, metodista de Milão), participaram do concurso "Roman Juriga" da Comunidade Cristã Rede para o ambiente (ECEN). A ideia nasceu dentro da Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Os corredores tornaram-se realidade nos dias de hoje, com um primeiro encontro em Bolonha há alguns dias. Em particular, os batedores Aisa da capital emiliana já participaram do projeto "Corredores ecológicos para insetos polinizadores" proposto pela Comissão de Globalização e Meio Ambiente (Glam) da FCEI, conforme afirma este artigo de Monica DePaolis no site Hopemedia.it. "Na tarde de sábado, 26 de março - lê-se no texto -, juntamente com o clube Aisa de Modena, tivemos a oportunidade de nos encontrar Paul Versari, professor da escola agrícola de Castelfranco Emilia e conhecedor do mundo das borboletas. Aprendemos a conhecer um mundo que precisa ser protegido e defendido de perto. Os insetos polinizadores são fundamentais dentro do nosso ecossistema. Ao transportar o pólen de uma flor para outra, de fato, permitem a polinização e a formação do fruto. A nossa horta comunitária vai tornar-se um lugar importante, um “jardim de borboletas”, um projeto para proteger o meio ambiente e dar testemunho do nosso bairro”. Neste vídeo, feito por Monica De Paolis e Maria Elena Lacquanitium tutorial sobre polinizadores:[embed]https://www.youtube.com/watch?v=89fGzHW9rpU[/embed] A Comissão GLAM está a serviço das comunidades e indivíduos que desejam abordar essas questões a partir de uma perspectiva de fé. O trabalho busca a rede dentro e fora das igrejas, nacional e internacionalmente. Um dos focos da GLAM é o trabalho de construção da rede comunidade ecológica. Existem ecocomunidades "iniciadas", "em andamento" e "graduadas", com base na adesão a um determinado limite de 40 critérios ambientais relativas ao culto e outros momentos litúrgicos, trabalhos de manutenção visando a poupança de energia, eliminação do plástico, educação, implementação de comportamentos virtuosos na administração, nas compras, na utilização da energia, mobilidade e gestão de resíduos, até verificação da ética dos bancos onde estão localizadas as contas correntes das igrejas. O comunidade ecológica em Itália, algumas dezenas candidataram-se ao diploma GLAM, num universo de mais de uma centena de simpatizantes. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.