O primeiro dia do FCEI 2022 Assise

O primeiro dia do FCEI 2022 Assise

Roma (NEV), 30 de outubro de 2022 – “Não nos peça a fórmula que os mundos podem abrir para você / sim alguma sílaba torta e seca como um galho. / Isso só hoje podemos te dizer, /
o que não somos, o que não queremos”. Eugene Montale e seu poema “Não nos peça para falar” foram citados hoje pelo pastor Luca Maria Negropresidente da Federação das Igrejas Evangélicas de 2015 a 2021, no relatório sobre o triênio 2018-2021, no primeiro dia dos Assizes da FCEI, os “estados gerais” do protestantismo.

A reunião dos delegados das igrejas protestantes está acontecendo em Ciampino nestes dias.

Após a intervenção de Negro, atual presidente da FCEI, Daniele Garronea saudação de Gabriela Liopresidente da Fdei, a Federação das Mulheres Evangélicas da Itália, a contribuição dos auditores e o debate entre os presentes.

O programa do dia inclui esta tarde após os grupos de trabalho temáticos, a partir das 17h30 a sessão plenária, com relato dos grupos e discussão sobre o tema geral. Às 21 horas a apresentação dos principais projetos de trabalho da Federação. Amanhã, segunda-feira, 31 de outubro, pela manhã, os grupos de trabalho com os serviços, comissões e projetos: Serviço de Comunicação, SIE, Esperança Mediterrânea, COSDI, GLAM; às 15h00 a sessão plenária e às 21h00 a noite social. Por fim, na terça-feira, 1º de novembro, o culto de encerramento com o Cen do Senhor.


Para saber mais: aqui o relatório trienal da FCEI 2019-2021

A reunião trienal representa uma novidade relativamente recente no percurso da FCEI. Criado pela Assembleia em 2015, apresenta-se como uma espécie de “estados gerais” do protestantismo histórico. A fundação da FCEI, no entanto, remonta à década de 1960. Enquanto o primeiro congresso evangélico data de 1920. O I Assise foi realizado em 2018.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Dia Mundial de Oração da Mulher Batista

Dia Mundial de Oração da Mulher Batista

ROMA (NEV), 24 de outubro de 2019 – O Dia Mundial de Oração (PMM) promovido pela Aliança Batista Mundial (ABM) será realizado em 4 de novembro de 2019. O Movimento de Mulheres Evangélicas Batistas (MFEB) preparou um documento em italiano com meditações e orações. 15 páginas, com introdução do presidente do MFEB Lúcia Tubito, em que são sugeridas leituras, meditações, hinos e orações sobre o tema escolhido para o Dia, que este ano é de serviço. O GMP italiano é realizado em colaboração, entre outros, com os pastores Helena Fontana E Ioana Niculinacom Pinha Mola E Virgínia Mariani. O documento reúne testemunhos sobre o serviço, dons espirituais, necessidades e projetos de mulheres de todo o mundo. Da obra das mulheres batistas contada por Ivonne Pitterpresidente da União das Mulheres Batistas Caribenhas (onde foi fortalecido o ministério de mulheres e crianças maltratadas e contra o tráfico de pessoas), passando por uma contribuição de Ksenya Magdapresidente do Departamento de Mulheres da Aliança Batista Mundial (ABM), que convida você a participar do Dia de forma criativa e engajada localmente. Estão previstos eventos por todo o mundo, conferências, encontros de oração, momentos de partilha de histórias e experiências, tanto virtuais (em sites, nas redes sociais) como presenciais. O fio condutor que ligará as várias iniciativas é, precisamente, o serviço, nos seus vários significados: ajudar os necessitados e os feridos, a compaixão, o cuidado, o bem. No documento, disponível online no site da União Evangélica Batista Cristão da Itália (UCEBI), há também um estudo bíblico sobre o jamaicano Sylvia Henry que faz perguntas aos leitores, incluindo: “Estou usando efetivamente meus dons e habilidades espirituais para servir? Qual é a minha motivação para servir?” Segue-se uma meditação da pastora Fontana. Nas últimas páginas do documento, o guia de oração pelas comunidades mundiais, que vai da superação da violência doméstica ao compromisso pelos jovens, pelos pobres, pelos indígenas, pela paz, com a proposta de oração "pelos governos de todos os países, para que possam tomar decisões sábias. Pela dramática situação dos refugiados no Oriente Médio e em toda a Europa. Para que as operações de resgate no Mar Mediterrâneo não sejam interrompidas. Que os refugiados sejam tratados com dignidade pelas autoridades dos países de acolhimento". Finalmente, as orações se estendem às comunidades do Sudoeste do Pacífico, Papua Nova Guiné, Austrália, Nova Zelândia, Papua Ocidental, Ásia, por Mianmar, Coreias, Caribe, África, América Latina e América do Norte. ...

Ler artigo
O Otto per mille Waldensian para o Haiti e o Afeganistão

O Otto per mille Waldensian para o Haiti e o Afeganistão

foto de Tim Mossholder, unsplash Roma (SSSMV06), 25 de agosto de 2021 - Ajuda concreta às populações do Haiti e do Afeganistão. Assim o decidiu o Sínodo valdense e metodista em curso na Torre Pellice, na província de Torino, por ocasião da habitual análise dos projetos dos valdenses e metodistas Otto por mil. Além dessas duas intervenções específicas ligadas às emergências vividas nesses dois países, o Sínodo aprovou a lista de todos os outros projetos que receberão o apoio econômico do Otto per mille Waldensian. A deficiência, os menores e a cultura são os eixos de intervenção mais valorizados entre os projetos aprovados para o corrente ano.“Um dado que nos chamou a atenção é o número de inscrições recebidas – explica Manuela Vinay, chefe do escritório Otto per mille das igrejas valdenses e metodistas -. Nunca tantos pedidos, desde que o Otto per mille existia: quase 5 mil - 4992 - pedidos de financiamento, enquanto em 2019 foram cerca de 4100. Estamos a falar de mais 1400 pedidos, face aos últimos três concursos. Já esperávamos, tendo em conta a pandemia, mas não nestes termos: o terceiro setor mas também a cultura precisam claramente de ajuda. E tentaremos, à nossa maneira, como sempre, oferecer o nosso apoio a estas realidades. A solidariedade dos Valdenses e Metodistas está sempre presente e pronta. Por fim, esperamos que essa possibilidade seja cada vez mais utilizada pelos cidadãos, considerando que a maioria - mais da metade - dos contribuintes na Itália, até o momento, não expressa preferências em suas declarações fiscais com relação ao destino do Otto per mil". Justamente para administrar emergências, existe de fato um fundo específico Otto per mille – ou seja, que não subtrai recursos de projetos, mas é formado por recursos não alocados todos os anos. Deste fundo de emergência, este ano, parte será destinada ao Afeganistão e parte ao Haiti. Em particular, para a população afegã, a ajuda servirá para cobrir os custos de uma intervenção de acolhimento que está a ser estruturada nestes dias e que faz parte do apelo da Federação das Igrejas Evangélicas em Itália, do Conselho Valdense, com S. Egidio, para ativar corredores humanitários, com base no modelo piloto já iniciado e gerido pelas três organizações do Líbano. No ano passado também foi criado um fundo de emergência ad hoc para a Covid, destinado a Itália, mas as intervenções internacionais de combate à Covid também foram financiadas com fundos ordinários. Por fim, os próximos passos para a atribuição das verbas: em setembro a publicação dos projetos no site www.ottopermillevaldese.org e o lançamento dos projetos e em janeiro de 2022 o próximo concurso. LEMBRETE aos jornalistas: hoje às 18h30 coletiva de imprensa final, vídeo ao vivo em www.rbe.it, com o diácono Alessandra Trotta e o pastor José Platão Todos os detalhes nesta página. FACT SHEET: Igrejas metodistas e valdenses na Itália ...

Ler artigo
Notícias da frente.  15 de dezembro, apresentação do X Relatório da Carta de Roma

Notícias da frente. 15 de dezembro, apresentação do X Relatório da Carta de Roma

Quanto, como e quando a mídia italiana cobriu as migrações em 2022? Qual foi a presença de migrantes e refugiados nas informações mainstream e nas redes sociais? "Notícias da frente" tenta responder a estas e outras perguntas, o décimo relatório anual sobre mídia e imigração editado pela Carta de Roma e o Observatório de Pavia, cujos dados serão apresentados em 15 de dezembro no 15:00 na sala de teatro da Universidade eCampus na Via Matera 18 e em transmissão ao vivo no Página da Carta di Roma no Facebook. "Frente" porque o drama da guerra ucraniana e os milhões de refugiados são centrais para a agenda migratória de 2022. “Frente” porque a década 2013-2022 é caracterizada pela informação militante, com confrontos e confrontos de facções. "Frente" porque o léxico da guerra caracteriza a história das migrações (cerco, invasão, trincheira, bomba, etc.) ao longo da década. “Frente” porque, neste ano, voltamos a evocar as fronteiras, tanto físicas como metafóricas, dentro e fora da Europa. “Frente” porque relata os testemunhos daqueles que estão engajados na linha de frente no resgate e acolhimento inicial. “Frente” porque você para na frente de chegada, deixando as biografias dos migrantes no esquecimento um momento após a chegada. leitura de Djarah KanEscritor Saudações de: Lorenza LeiPró-Reitor da eCampus University Charles BartoliPresidente do Conselho Nacional da Ordem dos Jornalistas (CNOG) Joseph GiuliettiPresidente da Federação Nacional da Imprensa Italiana (FNSI) Guido D'UbaldoPresidente da Ordem Regional dos Jornalistas do Lácio Mattia PeradottoDiretor do Gabinete Nacional Anti-Discriminação Racial (UNAR) Eles apresentam os dados: José MilazzoPesquisador do Observatório de Pavia Clara ZanchiProfessor Universidade de Pavia Comente: Ilvo DiamantesProfessor da Universidade Carlo Bò de Urbino, Diretor da Demos&Pi Caixas de som: Ada Ugo AbaraPresidente Surgindo Africanos Laura Perticijornalista republicano Marco Tarquíniofuturo diretor Ana MeliVice-presidente Carta di Roma dialoga com Sahraa Karimicineasta afegão Francesca Mannocchi (Jornalista) fala sobre a Somália na escavação (Jornalista) fala sobre a Ucrânia Eles lideram: Valério Cataldi, Presidente da Carta de Roma Paula Barretaporta-voz da Carta de Roma Com contribuições de: Flávio Di Giacomo (IOM), Francis Di Pietro (ASGI) Martina Chichi (Anistia), Frederico Fossi (ACNUR), Gabriela Guido (amref), Daniel Macheda (usigrai), Elisa Maríncola (Artigo 21), Ana Meli (gerente de comunicação da Cospe) Filipe Miraglia (Arci), David Recchia (ACLI), Grace Naletto (Lunária), Manuela Vinay (Chefe de Otto per Mille Tavola Valdese), Donatella Parisi (Centro Astalli), Eleanor Camilli (Editor social) A atriz apresenta o evento Daniela Morozzi Acompanhado pela música de Antonella Tondiguitarrista Para inscrição e credenciamento escreva para [email protected] ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.