Protestantismo, os novos tempos em Rai Tre

Protestantismo, os novos tempos em Rai Tre

Roma (NEV), 14 de setembro de 2022 – A partir de domingo, 18 de setembro, com a nova programação da Rai, o episódio dominical do Protestantismo, a transmissão de TV da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, será transmitido às 7 em vez das 8. Além disso, o as réplicas não serão mais duas, mas três. Abaixo estão as datas e horários dos compromissos para o próximo episódio. O programa, apresentado por Cláudio Paravatiserá transmitido pela Rai Tre.

Domingo, 18 de setembro às 7

Réplicas:
Terça-feira à noite, 20 de setembro, às 13h10
Quarta-feira à noite, 21 de setembro, às 13h10
Segunda-feira à noite, 26 de setembro, às 13h45
sempre na Rai 3

Neste episódio:

O caminho para o céu
Em Hohrodberg, na França, uma comunidade de freiras protestantes,
ele vive uma vida de silêncio e oração.
As diaconisas de Estrasburgo falam sobre sua vida cotidiana
e as viagens interiores que os levaram a optar pela vida comunitária

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Encontro Ecumênico com a Presidência Alemã da União Europeia

Encontro Ecumênico com a Presidência Alemã da União Europeia

Foto CEC Roma (NEV/KEK), 7 de julho de 2020 – Pour la version française, veuillez cliquer ici Clique aqui para o Fassung alemão Uma delegação ecumênica da Conferência das Igrejas Européias (KEK) e da Comissão das Conferências Episcopais da União Européia (COMECE) reuniu-se em Bruxelas na terça-feira, 7 de julho de 2020, com Michael Claussembaixador na Representação Permanente da Alemanha junto à União Europeia (UE), para compartilhar opiniões sobre as prioridades da presidência alemã do Conselho da UE. A delegação instou a nova presidência da UE a renovar o seu compromisso com o projeto europeu e os seus valores comuns, de forma a tornar a Europa mais justa, justa e sustentável. Durante o encontro, CEC e COMECE apresentaram um documento conjunto com reflexões, propostas e recomendações políticas das igrejas da UE, também no contexto da atual pandemia de covid-19, sobre o programa da Presidência Alemã da UE “Juntos pela recuperação da Europa” . Durante o encontro, foi destacada a necessidade de “a UE e os seus Estados membros, juntamente com as igrejas e comunidades religiosas, bem como as partes interessadas da sociedade civil, colaborarem de forma a tornar a Europa não só mais forte, mas também mais inovadora, justa e sustentável” . "Como Igrejas - lê-se na declaração conjunta apresentada pelas Igrejas europeias - estamos empenhados em construir pontes de paz e hospitalidade e em promover uma visão global do bem comum, em busca de uma Europa humana, social e sustentável, em paz consigo mesma e com os seus vizinhos, onde prevaleçam os direitos humanos e a solidariedade”. A reunião foi um primeiro passo. De facto, KEK e COMECE vão continuar a estar envolvidos com a nova Presidência da UE, trazendo o seu contributo até à cimeira com Michael RothMinistro de Estado para a Europa no Ministério das Relações Exteriores da Alemanha, a ser realizado na terça-feira, 27 de outubro de 2020, em Berlim. A delegação ecumênica era composta por Enrique Barrios Prieto ManualSecretário Geral da COMECE; Lena KumlinConselheiro Sênior para Política da UE da CEC, ramo da Igreja Evangélica Luterana da Finlândia; Friederike Ladenburgerconsultor jurídico de ética, pesquisa e saúde do COMECE; Katrin Hatzinger, Diretor do Escritório de Bruxelas da Igreja Protestante na Alemanha (EKD). As reuniões com as presidências do Conselho da UE fazem parte de uma longa tradição sustentada pelo Artigo 17 do Tratado sobre o Funcionamento da UE (TFUE), que prevê um diálogo aberto, transparente e regular entre as instituições da UE e as igrejas. Para mais informações, leia a Contribuição COMECE e CEC para o programa da Presidência Alemã da UE: Juntos para a recuperação da Europa ...

Ler artigo
XXXIV Dia do Diálogo Judaico-Cristão: “Conforte meu povo”

XXXIV Dia do Diálogo Judaico-Cristão: “Conforte meu povo”

Detalhe do cartaz do encontro para o XXXIV Dia do Diálogo Judaico-Cristão em Parma Roma (NEV), 11 de janeiro de 2023 – No dia 17 de janeiro de 2023 será celebrado o XXXIV Dia do Diálogo Judaico-Cristão. Por volta desta data, várias nomeações em toda a Itália envolvem as comunidades católica, protestante e judaica. Entre eles, destacamos três: o episódio especial de quinta-feira, 12 de janeiro, na Teleradiopace e na Teleliguria Sud, com a participação do pároco Ilenya Goss. A mesa redonda de domingo, 15 de janeiro, em Roma, organizada pela Christian Jewish Alliance e pela Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) com, entre outros, o pároco Eric Noffke. O encontro com Felipe Alma da Faculdade Teológica Adventista de Florença, terça-feira, 17 de janeiro, em Parma, organizada pelo Conselho das Igrejas Cristãs de Parma juntamente com a Comunidade Judaica de Parma. O tema desta edição é "Conforte, console o meu povo” (Isaías 40:1-11). O Dia do Diálogo Judaico-Cristão, entre outras coisas, acontece justamente na véspera da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC), que representa um importante momento ecumênico e inter-religioso. Pedimos ao Pastor Goss um comentário sobre esta jornada, agora em sua 34ª edição. “Fazer um balanço do diálogo judaico-cristão neste dia significa falar para um público mais amplo do que o especializado: muitos aspectos do diálogo inter-religioso adquirido hoje entre os 'insiders' não são tão comuns. Estou pensando na continuidade entre o mundo judaico e os Evangelhos, bem reconhecida hoje entre os estudiosos, mas também na história de sombras e conflitos que caracterizou a relação entre judeus e cristãos ao longo dos séculos”, diz Goss. Tudo passa pela superação do clima geral de preconceito que caracterizou o passado. "Precisamos de uma releitura de nossas tradições animada pelo desejo de conhecimento mútuo - continua o pároco - partindo do estudo da Escritura a duas vozes, até um compromisso ético e social comum, com respeito às diferenças e identidades, mas também em um espírito sinceramente cooperativo. Sobre a história do diálogo judaico-cristão, em 2015, Ilenya Goss falou com o ensaio "A raiz e a seiva da oliveira" ("A caminho de um novo ecumenismo", anais da 52ª Sessão de Formação Ecumênica, SAE, ISE "San Bernardino” Veneza). Começa com uma citação de Karl Barth: "Em última análise, há apenas um grande problema ecumênico: o de nosso relacionamento com o povo judeu". Foto Achim Ruhnau – Unsplash Em seu ensaio, Goss reconstitui algumas viradas históricas fundamentais, desde o trabalho realizado no âmbito protestante desde o pós-guerra, até o realizado no âmbito católico com o Concílio Vaticano II. A intenção era deixar de lado a “teologia da substituição” de Israel que, em sua exegese, havia tentado entender o “povo eleito” como “a Igreja”. O alinhamento sobre isso vem depois de uma série de documentos, desde o de 1948 em Darmstadt até o do Sínodo de Berlim de 1950, onde está escrito: "Cremos que a promessa de Deus ao povo de Israel que ele elegeu ainda é válida, mesmo depois da crucificação de Jesus Cristo”. Na Itália, o Sínodo Valdense também se manifestou sobre o assunto em 1982. A esse respeito, Goss aponta: "A imagem de dois grandes galhos em um único tronco parece-me eficaz para descrever o judaísmo rabínico e o cristianismo". Uma metáfora botânica que, conclui a pastora, “embora reelaborada, devemos ao apóstolo Paulo que, na carta aos Romanos, fala de enxertos, oliveiras e oliveiras bravas para descrever as relações entre os cristãos do judaísmo e do paganismo. Após a queda do Templo em 70 dC, o judaísmo encontrará seu caminho e, da mesma forma, o cristianismo encontrará sua identidade distinta”. Para saber mais Leia o ensaio de Ilenya Goss “A raiz e a seiva da oliveira” (do volume “A caminho de um novo ecumenismo”, atas da 52ª Sessão de formação ecumênica, SAE, ISE “San Bernardino” Veneza). Cortesia do autor e editora. Há um mês terminaram as conversações judaico-cristãs nacionais, das quais o pároco também participou Daniele Garronepresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) e o mesmo Ilenya Goss. EVENTOS do Diálogo Cristão Judaico (seleção) Uma análise aprofundada promovida pelas dioceses da Ligúria será transmitida na quinta-feira, 12 de janeiro, no Telepace. Artigo do SIR A partir das 21h00, transmissão televisiva em directo pela Maurício Garreffa e don Gabriel Maria Corinieles vão intervir José Momiglianorabino chefe da comunidade judaica de Gênova, e outros. No domingo, 15 de janeiro, em Roma, por ocasião do XXXIV Dia do Diálogo Judaico-Cristão, a Aliança Judaico-Cristã e a Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) da capital organizam a mesa redonda sobre o tema "Conforte, console Meu povo, Isaías 40:1-11“. eles intervêm Ariel Di Porto, Eric Noffke e Lilia Sebastião. Saudações de Guido Coen E Pinheiro Pulcinelli. eles moderam Roberta Ascarelli E Stephen Ercoli. Às 16h30, presencialmente, na casa de hóspedes do mosteiro das monjas camaldulenses, via Clivio dei Publicii 2. O encontro será transmitido em directo no canal YouTube da SAE. Terça-feira, 17 de janeiro, em Parma, reunido com Felipe Alma (Faculdade Teológica Adventista de Florença). Eles organizam o Conselho das Igrejas Cristãs de Parma, a Comunidade Judaica de Parma. Membros: Grupo Sae de Parma, Associação de Viajantes. Às 20h30, nas Missões Estrangeiras, viale S. Martino 8 Parma. Baixe o Cartaz Diálogo Parma. ...

Ler artigo
Notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK)

Notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK)

Foto Albin Hillert/CEC Roma (NEV), 14 de outubro de 2022 – Estas são as últimas notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK). Junte-se à equipe de comunicação para a KEK Assembly 2023 em Tallinn Foto Albin Hillert/CEC A CEC convida candidaturas para fazer parte da equipa de comunicação da próxima Assembleia Geral em Tallinn, Estónia. A assembleia será realizada de 14 a 20 de junho de 2023. O convite é dirigido aos que colaboram no setor de comunicação das Igrejas membros da CEC. Em particular, o CEC incentiva mulheres e jovens a se inscreverem. Requer-se: experiência no campo ecumênico, inglês fluente e possivelmente conhecimento de outras línguas, especialmente francês e alemão. Para mais informações, clique aqui. Petr Kratochvíl: minorias, hospitalidade universal e o mandamento do amor Prof. Petr Kratochvíl – Photo Institute of International Relations Praga Petr Kratochvil é membro do conselho executivo da CEC e vem da Igreja Evangélica dos Irmãos Tchecos. Em uma análise aprofundada, Kratochvíl fala sobre otimismo e o papel das igrejas na política europeia e na defesa dos direitos humanos. “É verdade que as igrejas cristãs precisam aprender a aceitar seu status de minoria nas sociedades europeias, mas como minha igreja tem sido uma igreja minoritária desde o início, sei que ser uma minoria não significa que sua voz não pode ser ouvida”, escreve Kratochvil . E acrescenta: “Não somos mais uma maioria que poderia impor suas opiniões aos outros, mas também não devemos sucumbir à tentação de nos tornar uma minoria moralizadora que menospreza as sociedades seculares. A singularidade da Igreja cristã reside, a meu ver, na radical abertura ao outro, na hospitalidade universal e no mandamento do amor, aconteça o que acontecer”. Neste momento de crise, devido à guerra e à emergência climática, “as sociedades tendem a fechar-se – diz Kratochvíl -. Infelizmente, os cristãos às vezes também são atraídos para as armadilhas do nacionalismo e do conservadorismo fanático". E sublinhando o valor da CEC, conclui: “A nossa comunhão eclesial está aqui para demonstrar que não podemos ter medo: não é esconder-se com medo no passado, mas derrubar todos os muros e quebrar todos os jugos que nos libertarão a todos”. . Leia o artigo completo aqui. Berit Hagen Agøy: “Juntos, nossas vozes ficam mais altas” Berit Hagen. Foto Ghermund Øystese Berit Hagen Agøy, diretor internacional da Igreja da Noruega, reflete sobre por que chegou a hora de as igrejas falarem abertamente sobre solidariedade e como a Conferência das Igrejas da Europa contribui para esse fim. “As igrejas devem ser explícitas sobre fraternidade, solidariedade e preocupação com os mais vulneráveis. Nunca devemos aceitar discriminação e exclusão”, diz Agøy. O KEK tem um papel crucial a nível europeu, sendo essencial o diálogo com as instituições europeias. Entre os objetivos identificados por Agøy, o fortalecimento da cooperação ecumênica e inter-religiosa, bem como os vínculos entre as igrejas e outras organizações da sociedade civil. “Este é o momento de compartilhar nossa esperança cristã e lembrar que somos uma humanidade”, diz Agøy. E, sobre as questões de acolhimento de refugiados, justiça social e justiça climática, ele diz: “Um testemunho cristão comum é crucial. As igrejas precisam aprofundar como entendem os valores cristãos. Alguns políticos tendem a explorar o termo sem refletir teologicamente”. O secretário-geral da CEC compartilha impressões sobre a recém-concluída Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) em Karlsruhe “As igrejas europeias são intrinsecamente parte de uma comunidade ecumênica global” diz o secretário-geral do CEC, Jørgen Skov Sørensen, em um comentário em vídeo sobre a 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas. Veja abaixo: [embed]https://www.youtube.com/watch?v=ZiUz3QvrHZQ[/embed] Assembléia CEC na Estônia: Moldando o futuro com a bênção de Deus A Conferência das Igrejas Europeias realizará sua 16ª Assembleia Geral de 14 a 20 de junho de 2023 em Tallinn, Estônia. Título da Assembleia: “Sob a bênção de Deus – moldando o futuro”. A Assembléia será organizada pelas igrejas membros da CEC na Estônia, a Igreja Evangélica Luterana da Estônia e a Igreja Ortodoxa da Estônia. Para saber mais, clique aqui. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.