Também Mediterrâneo Esperança em Karlsruhe

Também Mediterrâneo Esperança em Karlsruhe

foto @Mohamed Amine Ben Haj Slama, unsplash

Roma (NEV), 30 de agosto de 2022 – O workshop que o Mediterranean Hope (MH), o programa de migrantes e refugiados da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália, organizará durante a Assembleia Geral do Conselho Ecumênico é intitulado “O custo de uma laranja “. das igrejas.

O evento será aberto em 31 de agosto em Karlsruhe, Alemanha. A iniciativa da marca MH está marcada em particular para a tarde de quinta-feira, dia 1 de setembro, das 15h30 às 16h45

No dia 4 de setembro, às 11h, os operadores do Mediterranean Hope, e em particular o coordenador marta bernardinio operador e mediador Ibrahim Diabate por Rosarno e a operadora Fiona Kendall participarão de um culto, seguido de almoço e apresentação das atividades do programa da FCEI na igreja do pároco Dorothee Mack.

Aqui está o programa das oficinas que inclui também o encontro promovido pelos protestantes italianos:

Por fim, de 1 a 7 de setembro, será montada a exposição “Ouça minha voz”, já organizada em Roma nos últimos meses.


O NEV seguirá a cúpula com um relatório ad hoc de Karlsruhe. Seguem os artigos da assessoria de imprensa da FCEI já publicados nos últimos dias:

O que vai acontecer em Karlsruhe (24/08/2022)

Em direção a Karlsruhe. Em nome da justiça climática (19/08/2022)

Comitê Central do CMI, uma página de ecumenismo vivido (31/07/2022)

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

17 de fevereiro: “Cidadania, liberdade e cuidado em tempo de covid” – Semana da Liberdade promovida pela FCEI

17 de fevereiro: “Cidadania, liberdade e cuidado em tempo de covid” – Semana da Liberdade promovida pela FCEI

@jan_huber, unsplash Roma (NEV CS/03), 16 de fevereiro de 2021 – Em 17 de fevereiro de 1848, o rei da Sardenha Carlo Alberto concedeu, com a Carta Patente, direitos civis a seus súditos protestantes, os valdenses. No mês seguinte, 29 de março de 1848, ele fez o mesmo pelos judeus. A decisão do rei em favor dos protestantes foi recebida com entusiasmo e saudada pelos valdenses ao redor de grandes fogueiras. Desde então, para os valdenses e para todos os evangélicos, esta data é um dia de festa, e há muitos anos a Federação das Igrejas Evangélicas (FCEI) promove uma "Semana da Liberdade" por volta do dia 17 de fevereiro para refletir sobre os temas da liberdade , não só religiosa e não só de evangélicos: liberdade de consciência, pensamento e religião para todos. Este ano, face às restrições relacionadas com a Covid-19, a FCEI, para além das iniciativas locais, propõe um evento nacional único para o dia 17 de fevereiro, o webinar “Cidadania, liberdade e cuidado em tempos de covid”. “Este 17 de fevereiro será certamente diferente de todos os anteriores mas provavelmente, precisamente pela pandemia e pela crise que atravessamos, ainda mais significativo e simbolicamente importante – declara o pároco Luca Maria Negro, presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) - . A prevenção e o combate à emergência sanitária colocam questões éticas como nunca antes, também em termos de liberdades individuais e coletivas, no sentido mais alto e amplo do termo. Para isso acreditamos ser necessário, como igrejas protestantes, refletirmos juntos sobre o significado daquele caminho percorrido em 1848 e sobre como podemos contribuir proativamente para um futuro sustentável. Porque esse importante passo para valdenses e judeus não diz respeito apenas a nós, crentes, mas a todos que se preocupam com a questão dos direitos, liberdade de religião e expressão. Temas que infelizmente, mesmo depois de 173 anos, continuam dramaticamente atuais e não resolvidos”. Em 2020, a Semana da Liberdade, coincidindo com o dia 17 de fevereiro, foi dedicada ao tema da luta contra o antissemitismo. A FCEI vai assim celebrar o Dia da Liberdade 2021 com um encontro online, em colaboração com a revista e centro de estudos Confronti, intitulado “Cidadania, liberdade e cuidado em tempos de covid”, agendado para amanhã, quarta-feira, 17 de fevereiro, das 17h00 às 18h30. PM. Na reunião, após as saudações do presidente Luca Maria Negroeles vão intervir Alberto Mantovanidiretor científico do instituto clínico Humanitas, Elena Bein Richprofessor de filosofia, Daniele Garroneteólogo e membro do Conselho da FCEI, Abril Máximopastor batista, Francesco Piobbichi da Mediterranean Hope, o programa de migrantes e refugiados da Federação de Igrejas Evangélicas na Itália. A nomeação será moderada pelo advogado Ilaria Valenzi da Comissão de Estudos da FCEI. O webinar acontecerá ao vivo no zoom no endereço e na página do Facebook da revista Comparação e centro de estudos. Aqui o evento fb. ...

Ler artigo
Um novo acrônimo para adoração evangélica

Um novo acrônimo para adoração evangélica

Roma (NEV), 27 de novembro de 2019 - No domingo, 1º de dezembro, o culto evangélico muda de tema. A coluna Radio1 Rai, transmitida nas manhãs de domingo às 6h35, se despede da sigla histórica - que abriu o programa nos últimos 50 anos e acompanhou o despertar matinal dominical de muitos italianos, evangélicos e não evangélicos - e dá as boas-vindas à nova música realizada por Marco Robino dos Arquitetos. “A nova sigla foi concebida a pensar na continuidade e na novidade”, especifica o pároco Luca Barattocurador do Culto Evangélico juntamente com Elisa Baglieri. Uma continuidade dada pela escolha de reapresentar o coral luterano "Ein Feste Burg / Forte rocca" musicado por JS Bach, na novidade de uma harmonização diferente. A segunda parte do episódio do domingo, 1º de dezembro, após o sermão com curadoria de pastor Alessandro Spanoprevê uma conversa a quatro vozes com os músicos que criaram a sigla histórica - o mestre Ferruccio Corsani, Paolo Calzi E Silvano Calzi – e Marco Robino, para uma passagem simbólica que será retomada por uma notícia da agência NEV, domingo de manhã, após a emissão do programa. O Culto Evangélico é um programa da Radio1 Rai, produzido pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), que é transmitido todos os domingos de manhã às 6h35. É possível ouvir e baixar o podcast dos episódios já exibidos na página do Culto Evangélico da Rádio RaiPlay. ...

Ler artigo
Apelo histórico católico-ortodoxo-anglicano pelo futuro do planeta

Apelo histórico católico-ortodoxo-anglicano pelo futuro do planeta

Foto Albin Hillert/CEC Roma (NEV), 9 de setembro de 2021 – Pela primeira vez na história, o papa Franciscoo Patriarca Ecumênico Bartolomeu e o Arcebispo Anglicano de Canterbury Justin Welby assinar uma declaração conjunta pedindo às pessoas que cuidem do futuro do planeta. Os líderes da Igreja Católica Romana, da Igreja Ortodoxa Oriental e da Comunhão Anglicana lembram a urgência da sustentabilidade ambiental, seu impacto na pobreza e a importância da cooperação global. No apelo, o Papa Francisco, o Patriarca Ecumênico Bartolomeu e o Arcebispo Justin Welby exortam todos a fazerem sua parte na escolha da vida para o futuro do planeta. Os líderes cristãos estão convidando as pessoas a orar durante esta temporada litúrgica conhecida como a "Tempo da Criação" para os líderes mundiais antes da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP26) em novembro. A declaração diz: "Pedimos a todos, seja qual for sua fé ou visão de mundo, que se esforcem para ouvir o clamor da terra e de seus pobres, examinando seu comportamento e fazendo sacrifícios significativos pelo bem da terra que Deus nos deu. ." O comunicado conjunto faz um claro alerta: “Hoje estamos pagando o preço… amanhã pode ser pior – e conclui -: Este é um momento crítico. O futuro dos nossos filhos e o futuro da nossa casa comum dependem disso”. Os três líderes cristãos se manifestam contra a injustiça e a desigualdade, dizendo: "Estamos diante de um julgamento severo: a perda da biodiversidade, a degradação ambiental e a mudança climática são as consequências inevitáveis ​​de nossas ações, já que consumimos avidamente mais recursos do que o planeta pode aguentar. Mas também enfrentamos outra injustiça profunda: as pessoas que sofrem as consequências mais catastróficas desses abusos são as mais pobres do planeta e foram as menos responsáveis ​​por provocá-los”. A declaração apela não só à oração, mas também ao trabalho conjunto para um uso responsável dos recursos, colocando as pessoas antes dos lucros e orientando a transição para um sistema justo e economicamente sustentável. Leia o declaração conjunta ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.