Está em andamento a 46ª Assembleia Geral da União Batista na Itália

Está em andamento a 46ª Assembleia Geral da União Batista na Itália

Roma (NEV/CS09), 20 de abril de 2022 – A 46ª Assembleia Geral da União Evangélica Batista Cristã da Itália (UCEBI) começa oficialmente na próxima sexta-feira, 22 de abril, em Pomezia (Roma). Após dois anos de hiato por conta da pandemia, as igrejas batistas italianas voltam a se reunir presencialmente com uma agenda lotada. Na agenda estão, entre outros temas, os temas da internacionalidade, multiculturalismo, cooperação. Uma mesa redonda e eleições para novos órgãos de governo também estão planejadas. Cerca de 100 delegados e convidados estrangeiros são esperados no Lazio para esta ocasião, incluindo Ingeborg te Loocoordenador da Rede de Aprendizagem do International Baptist Theological Study Centre em Amsterdã, e o pastor Antonio Santana Hernández da Fraternidade das Igrejas Batistas de Cuba (FIBAC), com a qual a UCEBI mantém relações fraternas de geminação há vários anos.

Esta edição da Assembleia Geral, que se encerrará no dia 25 de abril, é acompanhada pelos seguintes versículos bíblicos: “Não temais, pequeno rebanho, porque aprouve a vosso Pai dar-vos o seu Reino” (Lucas 12, 32). / “Porque andamos por fé e não por vista” (II Coríntios 5:7).

O programa

O habitual culto de abertura realiza-se na sexta-feira, dia 22 de abril, pelas 8h30, organizado pelo presidente cessante João Paulo Arquidiáconocom liturgia editada por Alessandro Spano e o Ministério da Música.

Sábado, 23 de abril, às 21h, mesa redonda sobre “Igrejas e visões do mundo: o arco do universo moral é longo, mas pende para a justiça (Rei do ML)”. As intervenções estão previstas Alexandre Portelli, Igiaba Scego, Raffaele Volpe, Silvia Rapisarda; moderado: Alberto Annarilli.

Domingo, 24 de abril, é dia de moções e eleições, com um encontro noturno de reflexão e oração sobre a paz na Ucrânia e sobre o acolhimento de refugiados organizado por Ivano De Gasperis. Os trabalhos terminarão na segunda-feira, 25 de abril, com o culto de encerramento.

Os temas

Entre os temas em discussão nos próximos dias, além do funcionamento do Sindicato, também o Ministério Bíblico Itinerante, gestão e administração de bens e fundos, atividades editoriais e culturais, projetos, reuniões e conferências. No que diz respeito ao Otto per mille, as igrejas batistas apoiaram financeiramente famílias em dificuldades devido à pandemia e programas de acolhimento de refugiados nos últimos três anos, em colaboração, entre outras coisas, com a European Baptist Federation (EBF) e a Federation of igrejas evangélicas na Itália (FCEI). Além disso, estão previstos momentos de oração e elaboração comum, também em vista do próximo Assembléia-Sínodo que reunirá as igrejas Batista, Metodista e Valdense. E ainda: teologia, evangelização, mulheres, jovens, pastoral musical, formação pastoral, relações ecumênicas, fé e sexualidade, migrações, clima.

As igrejas batistas na Itália são multiétnicas. A presença de crentes latino-americanos, mas também da Nigéria, Gana, Costa do Marfim, Coréia, abre uma nova visão do presente e do futuro. A história remonta a um longo caminho e começa com um movimento dentro do evangelicalismo mundial, que apela para as doutrinas fundamentais do protestantismo”sola gratia, sola fide, sola scriptura”. São comunidades que nasceram da experiência das chamadas igrejas separatistas inglesas na virada dos séculos 16 e 17 e se espalharam por todo o mundo, onde hoje somam cerca de 100 milhões de membros e simpatizantes. Para saber mais acesse FORMA.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Bíblia.  Uma nova tradução italiana para o Jubileu da Reforma 2017

Bíblia. Uma nova tradução italiana para o Jubileu da Reforma 2017

Roma (NEV), 23 de outubro de 2013 – Uma nova tradução da Bíblia para o italiano. Esta é a iniciativa que a Sociedade Bíblica na Itália (SBI) está lançando em vista do 500º aniversário da Reforma em 2017. "O grande mérito dos reformadores - escreve o pastor Eric Noffke, presidente da SBI, em carta enviada em a ocasião do domingo da Reforma deste ano – foi precisamente a de chamar o cristianismo de volta à sua fonte, a Cristo, ao Verbo de Deus feito carne, cujo único testemunho de autoridade se encontra nas Escrituras do Antigo e do Novo Testamento”. A iniciativa será apoiada não apenas pelo SBI, mas também pelas igrejas evangélicas italianas às quais a carta de Noffke é dirigida para solicitar sua adesão. De facto, os custos não são indiferentes e ascendem a cerca de 500.000 euros num período de dez anos. “Para apoiar o empreendimento contamos não só com o empenho dos executivos nacionais das igrejas, mas pretendemos criar uma rede de indivíduos dispostos a nos apoiar com pequenas mas constantes quantias ao longo do tempo”, especifica o presidente da SBI. O método escolhido para a tradução também será novo. “A Bíblia protestante em italiano está ligada ao nome de um indivíduo, Giovanni Diodati – explica Noffke -. O método que temos em mente é mais coral porque envolve um grupo de tradutores, consultores e revisores escolhidos no mundo da evangelização italiana, para fazer uma tradução fiel à letra dos textos bíblicos e em uma linguagem moderna”. O Novo Testamento e os Salmos devem ser publicados em 2017, ano do Jubileu da Reforma, enquanto a Bíblia inteira deve ser impressa em 2023. “Esta nova tradução pretende dar expressão renovada à Palavra e pretende ser o legado da nossa geração para as que virão”, conclui Noffke. ...

Ler artigo
EffectBible.  A parábola de Jó, um justo sendo testado

EffectBible. A parábola de Jó, um justo sendo testado

Uma imagem do filme "As Maçãs de Adão", retirada de www.teodorafilm.com Roma (NEV), 28 de abril de 2022 – A revista EffettoBibbia foi aberta em 26 de abril deste ano com o título “A parábola de Jó, um homem justo posto à prova”. Oito dias de filmes, debates, leituras e música. O pastor Pedro Ciaccio, especialista em cinema e membro do Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), abriu o EffettoBibbia com uma prolusão dedicada à figura de Jó no cinema. Ciaccio também apresentou a visão do primeiro filme exibido por ocasião da crítica "As Maçãs de Adão", de Anders Thomas Jensen (Dinamarca, 2005). Discurso de abertura de Peter Ciaccio “A Bíblia é uma biblioteca de imagens. Jó é um dos livros mais imaginativos – começou Peter Ciaccio -. Tecnicamente, o cinema é fruto da pintura e da fotografia, mas a alma do cinema é a literatura, especialmente o romance do século XIX”. O cinema, como o romance do século XIX, explora o mal em suas formas. São muitas as referências que nos remetem mais ou menos explicitamente a Jó e, em geral, à questão do "mal", da fragilidade do ser humano, da fé. Ciaccio citou Charles Dickens, Fiódor Dostoiévski, Alessandro Manzonie então Stanley Kubrick, Terrence Malick: “Em Kubrick há explicitamente Nietzsche. O macaco que se torna consciente e se torna homem, que por sua vez se torna consciente e se torna super-homem ou super-homem. Em Malick, por outro lado, seu amado Heidegger está bastante escondido. O homem nasce super-homem e torna-se homem no embate com a realidade, da qual sai destruído”. Em sua fala, Ciaccio uniu crítica cinematográfica e texto bíblico, também por meio da leitura de algumas passagens do livro de Jó. E falou de “Deus oculto”. Um Deus que se esconde de Jó e um segundo Deus oculto Carl Theodor Dreyer, Robert Bresson, Ingmar Bergman, Andrei Tarkovski e muitos outros. “Imagens, muitas imagens – disse o pastor Ciaccio – nascem todas da pergunta sobre a fé de Jó. Vale a pena acreditar em Deus? E se não vale a pena acreditar, então talvez Deus não exista? As perguntas representam uma tentativa de superar as dicotomias entre realidade e instituições, bem e mal, fé e negação. A dúvida atroz é: "E se Deus me odiava, e se ele não existisse, o que estou fazendo aqui nesta terra?". Uma resposta possível é que Deus é Deus, e não nossa projeção de Deus, concluiu Ciaccio. A EffettoBibbia é organizada e promovida pelo Comitê de Cultura Bíblica de Bérgamo, que reúne ACLI, o Centro Cultural da Graça, o Centro Cultural Protestante, a Fundação Serughetti La Porta, Grupos de Leitura Contínua da Palavra de Deus, o Escritório de Estudos Bíblicos Apostolado da Diocese de Bérgamo. Descarregue aqui o folheto. ...

Ler artigo
“O tempo está se esgotando”

“O tempo está se esgotando”

Foto: Paul Jeffrey/CEC. 2 de setembro de 2022, Karlsruhe, Alemanha. Ativistas chamam atenção para crise climática durante protesto na 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CEC) Roma (NEV), 23 de setembro de 2022 – Enquanto ocorre a greve global pelo clima do movimento Sextas-feiras para o Futuroe em conjunto com a Semana do Clima de Nova York, está ocorrendo a 77ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas. Foi neste contexto que decorreu o debate “Ouvir a voz da Criação: cuidar da criação numa época de emergência climática”. Promovido pelo Escritório Ecumênico das Nações Unidas (EOUN), foi realizado naCentro da Igreja Episcopal de nova York. A EOUN é o ponto de referência do Conselho Mundial de Igrejas (WCE) para as iniciativas de defesa na sede da ONU. Estamos no coração do Tempo da Criação, o tempo litúrgico que se celebra em todo o mundo de 1 de setembro a 4 de outubro. A 77ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas inclui discussões sobre educação, paz, desenvolvimento sustentável e desarmamento nuclear. Justamente por isso, o debate promovido pela EOUN em chave inter-religiosa centrou-se nas mensagens a serem enviadas à ONU e aos líderes políticos mundiais para que “nossa casa terrena comum” esteja verdadeiramente no centro das agendas mundiais. Os oradores, vindos de diferentes contextos religiosos e espirituais, enviaram uma mensagem unificada, partindo de uma pergunta complexa. “Como podemos ouvir a voz da criação – da natureza – individualmente, como corpos religiosos, como tomadores de decisão e formuladores de políticas em nossas sociedades?” Bhagwan. Um grito do Pacífico: "Precisamos de uma transformação social" O pastor James Bhagwan, secretário-geral da Conferência das Igrejas do Pacífico, em uma mensagem em vídeo, pediu o fortalecimento de campanhas, como a de um tratado de não proliferação de combustíveis fósseis. “Temos que nos comprometer seriamente – disse -. Continuamos a lutar para ganhar impulso no financiamento climático, para conter as perdas e danos. Fazer isso é essencial." Bhagwan também pediu soluções eficazes para conter mais danos a um ecossistema já frágil. “Temos que garantir que tudo o que fazemos seja feito no contexto da proteção do meio ambiente. Precisamos de uma transformação social, sabemos disso”. Tal transformação social deve fundamentar políticas, leis e regulamentos, de acordo com Bhagwan. Ele acrescentou: “Essa transformação social fornecerá a vontade política e a vontade empreendedora. Devemos garantir que os países atualmente mais vulneráveis ​​e afetados não contraiam mais dívidas enquanto tentam proteger o meio ambiente”. “Há muito o que fazer e o tempo está acabando”, concluiu. Smith. “Que a criação de Deus seja habitável para as gerações futuras” Ryan Smith, gerente de programa do Escritório Ecumênico nas Nações Unidas e representante do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) na sede das Nações Unidas, falou sobre a “necessidade da comunidade de fé trazer nossa voz única na discussão sobre a crise climática. E trabalhar junto com parceiros religiosos e a comunidade científica para garantir que a criação de Deus seja habitável para as gerações futuras”. A mesa redonda foi precedida por uma oração ecumênica. Para saber mais sobre o trabalho do Escritório Ecumênico nas Nações Unidas, clique AQUI. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.