Está em andamento a 46ª Assembleia Geral da União Batista na Itália

Está em andamento a 46ª Assembleia Geral da União Batista na Itália

Roma (NEV/CS09), 20 de abril de 2022 – A 46ª Assembleia Geral da União Evangélica Batista Cristã da Itália (UCEBI) começa oficialmente na próxima sexta-feira, 22 de abril, em Pomezia (Roma). Após dois anos de hiato por conta da pandemia, as igrejas batistas italianas voltam a se reunir presencialmente com uma agenda lotada. Na agenda estão, entre outros temas, os temas da internacionalidade, multiculturalismo, cooperação. Uma mesa redonda e eleições para novos órgãos de governo também estão planejadas. Cerca de 100 delegados e convidados estrangeiros são esperados no Lazio para esta ocasião, incluindo Ingeborg te Loocoordenador da Rede de Aprendizagem do International Baptist Theological Study Centre em Amsterdã, e o pastor Antonio Santana Hernández da Fraternidade das Igrejas Batistas de Cuba (FIBAC), com a qual a UCEBI mantém relações fraternas de geminação há vários anos.

Esta edição da Assembleia Geral, que se encerrará no dia 25 de abril, é acompanhada pelos seguintes versículos bíblicos: “Não temais, pequeno rebanho, porque aprouve a vosso Pai dar-vos o seu Reino” (Lucas 12, 32). / “Porque andamos por fé e não por vista” (II Coríntios 5:7).

O programa

O habitual culto de abertura realiza-se na sexta-feira, dia 22 de abril, pelas 8h30, organizado pelo presidente cessante João Paulo Arquidiáconocom liturgia editada por Alessandro Spano e o Ministério da Música.

Sábado, 23 de abril, às 21h, mesa redonda sobre “Igrejas e visões do mundo: o arco do universo moral é longo, mas pende para a justiça (Rei do ML)”. As intervenções estão previstas Alexandre Portelli, Igiaba Scego, Raffaele Volpe, Silvia Rapisarda; moderado: Alberto Annarilli.

Domingo, 24 de abril, é dia de moções e eleições, com um encontro noturno de reflexão e oração sobre a paz na Ucrânia e sobre o acolhimento de refugiados organizado por Ivano De Gasperis. Os trabalhos terminarão na segunda-feira, 25 de abril, com o culto de encerramento.

Os temas

Entre os temas em discussão nos próximos dias, além do funcionamento do Sindicato, também o Ministério Bíblico Itinerante, gestão e administração de bens e fundos, atividades editoriais e culturais, projetos, reuniões e conferências. No que diz respeito ao Otto per mille, as igrejas batistas apoiaram financeiramente famílias em dificuldades devido à pandemia e programas de acolhimento de refugiados nos últimos três anos, em colaboração, entre outras coisas, com a European Baptist Federation (EBF) e a Federation of igrejas evangélicas na Itália (FCEI). Além disso, estão previstos momentos de oração e elaboração comum, também em vista do próximo Assembléia-Sínodo que reunirá as igrejas Batista, Metodista e Valdense. E ainda: teologia, evangelização, mulheres, jovens, pastoral musical, formação pastoral, relações ecumênicas, fé e sexualidade, migrações, clima.

As igrejas batistas na Itália são multiétnicas. A presença de crentes latino-americanos, mas também da Nigéria, Gana, Costa do Marfim, Coréia, abre uma nova visão do presente e do futuro. A história remonta a um longo caminho e começa com um movimento dentro do evangelicalismo mundial, que apela para as doutrinas fundamentais do protestantismo”sola gratia, sola fide, sola scriptura”. São comunidades que nasceram da experiência das chamadas igrejas separatistas inglesas na virada dos séculos 16 e 17 e se espalharam por todo o mundo, onde hoje somam cerca de 100 milhões de membros e simpatizantes. Para saber mais acesse FORMA.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Mensagem ecumênica para a presidência alemã da UE.  Europa é o futuro

Mensagem ecumênica para a presidência alemã da UE. Europa é o futuro

Heinrich Bedford-Strohm (à esquerda) e Georg Bätzing juntos pela primeira vez em "Sunday Word". Um quadro do vídeo retirado de www.daserste.de Roma (NEV/EKD), 25 de junho de 2020 – O bispo Heinrich Bedford-Strohmpresidente do Conselho da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD), e o bispo Georg Batzingpresidente da Conferência Episcopal Alemã, encorajou a presidência alemã do Conselho da União Européia para que o futuro dos povos na Europa seja "europeu", e não deixado apenas aos Estados-nação. No contexto da presidência alemã do Conselho a partir de 1º de julho de 2020, os políticos alemães devem “moldar o futuro de nosso lar europeu comum com responsabilidade pela coesão europeia”. “Somente uma Europa unida pode superar as consequências sociais, econômicas e sociais da pandemia do coronavírus”, comentaram Dom Bedford-Strohm e Dom Bätzing. Ninguém ganha - acrescentam - com as tentativas nacionais de seguir em frente sozinhas, egoisticamente e jogando a culpa umas nas outras; a preocupação deve ser, ao contrário, enfrentar os grandes desafios com espírito de solidariedade europeia”. Como o maior e economicamente mais forte estado membro da UE, a Alemanha, através da presidência do Conselho, tem a oportunidade de desempenhar um papel de liderança no espírito de primus inter pares”. Os dois bispos sublinham explicitamente que o caminho já percorrido rumo a uma sociedade com impacto neutro no clima deve ser percorrido com determinação, a biodiversidade deve ser preservada e o meio ambiente deve ser protegido. A pandemia de coronavírus está afetando especialmente os países estruturalmente desfavorecidos e as camadas mais pobres da população. “Consequentemente, a presidência do Conselho deve ser uma oportunidade para apoiar os países mais afetados, mesmo fora da UE. Uma expressão clara da responsabilidade europeia pelo bem comum global seria, por exemplo, uma iniciativa social e ecológica para a criação de cadeias produtivas alinhadas com os direitos humanos”, escrevem os bispos. Outros temas para a presidência alemã do Conselho, segundo as Igrejas, são a digitalização, abrindo perspectivas para as gerações mais jovens, uma política de asilo justa e solidária, garantindo a democracia e o estado de direito em sociedades pluralistas. Bedford-Strohm e Bätzing concluem: “Durante sua presidência no Conselho da UE, a Alemanha pode tomar iniciativas voltadas para o futuro para dar respostas europeias aos atuais desafios europeus e globais. Nestes tempos difíceis, a integração europeia precisa urgentemente de um novo impulso”. ...

Ler artigo
Especial Karlsruhe// Concílio Ecumênico, apelo à unidade

Especial Karlsruhe// Concílio Ecumênico, apelo à unidade

31 de agosto de 2022, Karlsruhe, Alemanha: Um show de luzes no Castelo de Karlsruhe completou uma noite de entretenimento e confraternização para os participantes da assembléia e residentes de Karlsruhe na Marketplatz na primeira noite da 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas, realizada em Karlsruhe, Alemanha de 31 de agosto a 8 de setembro de 2022. Foto: Simon Chambers/WCC Karlsruhe (NEV), 8 de setembro de 2022 – XI Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas, a “gotha” do ecumenismo a nível mundial, o maior encontro de cristãos e cristãs – e não só – de todos os continentes. 'Reconciliação' a ​​palavra-chave. E o trabalho e as muitas iniciativas à margem da cúpula oficial foram realizadas sob a bandeira da inclusão. De fato, grande espaço foi reservado aos povos indígenas, representantes de todo o mundo, mas também muitas vozes da sociedade civil, ativistas e realidades comprometidas com os direitos das pessoas e do meio ambiente. Esta manhã o último plenário com as declarações do "comitê de assuntos públicos“, a comissão que trata essencialmente de questões de maior relevância política – como guerras e meio ambiente – e importância social. O documento "Guerra na Ucrânia, Paz e Justiça na região europeia" foi objecto de debate, no âmbito de uma Assembleia em que estiveram presentes representantes das igrejas russa e ucraniana. O texto, que retoma essencialmente as posições expressas pelo último Comité Central do CMI, foi inicialmente contestado por ambas as partes, o que no entanto não impediu a sua aprovação. "o objetivo do documento não é ser exaustivo ou agradar a uma ou outra parte, mas permitir a continuação do diálogo, garantir que o CMI continue a ser um espaço de diálogo no caminho da reconciliação", explicou o 'Arcebispo Angelos da Igreja Ortodoxa Copta e moderador da Comissão de Assuntos Públicos do CMI. O mesmo documento sobre "Guerra na Ucrânia, paz e justiça na região europeia" também diz respeito, como antecipado, à migração e inclui uma referência precisa à experiência de corredores humanitários e projetos de busca e salvamento no Mediterrâneo. Torsten Moritz, secretário-geral da Comissão das igrejas para migrantes na Europa (CCME), confirma: "As migrações tiveram um papel importante nesta 11ª Assembleia, desde os Brunnens às conversas ecumênicas até a discussão também no plenário e, como resultado, no texto da declaração final, há uma página sobre migração, racismo e xenofobia. É um excelente resultado e um bom sinal, útil no sentido de que reconhece verdadeiramente o compromisso das Igrejas, particularmente na Europa nos últimos nove anos, de Busan até hoje, e o que foi alcançado no que diz respeito à proteção dos migrantes . Ainda há muito a fazer, também em termos de advocacia. Neste contexto, pela primeira vez num organismo ecuménico deste nível há uma referência precisa a passagens seguras e corredores humanitários: é o reconhecimento do trabalho que as igrejas que integram o CCME e o CEC sobre questões migratórias têm feito fizeram e continuam a fazer". O clima foi o outro grande protagonista dos trabalhos da Assembleia Geral: em breve todos os materiais do evento serão publicados no site www.oikumene.org, incluindo a declaração pública sobre meio ambiente e cuidado com a criação. Sobre outro documento particularmente discutido, o da situação no Oriente Médio e a paz na Palestina e em Israel, foi encontrada uma síntese ao final do trabalho que deu conta substancialmente das diferentes posições expressas pelas delegações (em particular, a respeito ao uso do termo “apartheid”). Finalmente, o CMI opinou, com três breves notas, sobre tantos conflitos ou situações que suscitam preocupação: Nagorno Karabakh, Coréia e Papua. Aqui a coletiva de imprensa final do evento realizado na Alemanha:[embed]https://www.youtube.com/watch?v=hQyQtzBoiPo[/embed] Para saber mais: Aqui estão todos os artigos NEV de e sobre Karlsruhe, em ordem cronológica, publicados até agora: 08/09/2022 Especial Karlsruhe// Dorothee Mack, “um coração para o ecumenismo” 07/09/2022 Conselho Mundial de Igrejas: apelo para fortalecer e ampliar os corredores humanitários 07/09/2022 Concílio Ecumênico: as palavras para dizer a unidade das igrejas 07/09/2022 Mulheres vítimas do tráfico, uma discussão sobre o tema da prostituição 09/06/2022 Ativistas LGBTQIA+ no Conselho Ecumênico: respeito, direitos e liberdades 06/09/2022 Conselho Ecumênico: uma Assembleia sem barreiras 09/06/2022 Conselho Ecumênico: eleito novo Comitê Central 06/09/2022 Concílio Ecumênico: afirmar a plenitude da vida 05/09/2022 Especial Karlsruhe// Religiões pela paz, Azza Karam: “A fé e o amor são universais” 09/05/2022 Chile, decepção após não à Constituição. Bispo luterano Bruch: "Reconstruindo a esperança" 03/09/2022 Sem guerra, da Sardenha à Assembleia da CEC em Karlsruhe 02/09/2022 De guerras e paz, ocupações e direitos. O mundo em Karlsruhe 01/09/2922 Pílulas de Karlsruhe, o "Fórum Social Mundial das Igrejas" na cidade dos direitos 01/09/2022 Especial Karlsruhe// Dia de cuidar da criação 31/08/2022 Especial Karlsruhe// O primeiro dia: “Uma oportunidade a não perder para ver as crises de outros pontos de vista” 31/08/2022 Especial Karlsruhe// Saudações do presidente alemão 29/08/2022 Também Esperança do Mediterrâneo em Karlsruhe 24/08/2022 O que vai acontecer em Karlsruhe 19/08/2022 Rumo a Karlsruhe. Em nome da justiça climática ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.