Terremoto Türkiye-Síria, as igrejas metodista e valdense alocam quinhentos mil euros

Terremoto Türkiye-Síria, as igrejas metodista e valdense alocam quinhentos mil euros

Roma (NEV), 9 de fevereiro de 2023 – A Igreja Evangélica Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense, lemos no site chiesavaldese.org, está “próxima das populações síria e turca violentamente afetadas pelo trágico terremoto de 6 de fevereiro. Orações e sentimentos de proximidade vão para as vítimas, os feridos, os sobreviventes e todas as pessoas que estão trabalhando para levar ajuda e apoio na certeza de que Deus não se afasta da dor de suas filhas e filhos”.

A Tavola Valdese, “sentindo, para as igrejas que representa, a responsabilidade de contribuir ainda que com meios extraordinários para o compromisso a favor das intervenções de ajuda às populações afectadas pelo sismo, decidiu destinar quinhentos mil euros, obtidos junto do Otto fundos para mil destinados anualmente às Igrejas Metodista e Valdense, para o estabelecimento de um Fundo especial destinado a este fim.

“Graças à rede de Igrejas irmãs presentes nas áreas mais afetadas e às organizações de comprovada eficácia e confiabilidade com as quais estabelecemos relações consolidadas de colaboração nessas áreas – declara o moderador do Tavola Valdese Alessandra Trotta – tentaremos obter ajuda adequada e eficaz, mesmo nos territórios menos expostos à atenção pública, como os sírios já castigados por anos de guerra. Diante de uma tragédia tão imensa, que revela ainda mais a fragilidade humana, somos todos chamados a mostrar o que de melhor pode fazer esta frágil humanidade se iluminada por um espírito de solidariedade capaz de superar fronteiras e barreiras”.

O moderador Trotta também enviou uma mensagem de condolências ao pastor Najla Kassab do Sínodo Evangélico Nacional da Síria e do Líbano, bem como presidente da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas, expressando total solidariedade e apoio às igrejas metodistas e valdenses italianas.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Toti Rochat

Toti Rochat

Roma (NEV), 27 de junho de 2023 - Ela faleceu ontem à noite Toti Rochat. Nascida em Pavia em 1937 em uma família protestante, ela era uma pensadora e escritora ativa e comprometida. Referência de várias gerações de homens e mulheres, Rochat foi, entre outras coisas, um dos fundadores do Clube Cultural "Jacopo Lombardini". Com o apoio da Igreja Valdense, o Centro contribuiu durante anos para o desenvolvimento democrático de Cinisello Balsamo com o Clube Cultural e a escola popular para jovens e adultos. Na década de 1980 foi diretora da comunidade evangélica aldeia de Monteforte Irpino (Avellino). Estes foram os anos em que, dentro da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), Toti Rochat coordenou o trabalho na área afetada pelo terremoto de 23 de novembro de 1980, após o qual as igrejas evangélicas italianas e estrangeiras, juntamente com muitos fiéis , eles se mobilizaram para arrecadar fundos e ajudar. Desde 1992 ela é responsável por receber os visitantes do Waldensian Cultural Center e da Waldensian Foresteria em Torre Pellice, ajudando a construir o sistema de visitas a museus nos vales valdenses. Co-fundador do Museu das Mulheres Valdenses em Val Pellice, Toti Rochat é também autor do volume “Via Monte Grappa 62/b. O município de Cinisello na década de 70 entre a escola popular e as lutas operárias” (Marsilio, 2010) e co-autor do volume “A Palavra e as práticas. Mulheres protestantes e feminismos" (Claudiana, 2007), juntamente com Sabina Baral, Ines Pontet, Giovanna Ribet, Francesca Spano, Federica Tourn, Graziella Tron. Um livro que representa um "marco" entre a memória e o futuro. De fato, a historiadora Gabriella Rossetti escreve sobre nós, mulheres: . Muitas mensagens nas redes sociais dedicadas à figura de Toti Rochat. Abaixo, em memória da pastora Daniela Di Carlo. Para mais informações, leia a entrevista com Toti Rochat divulgada por ocasião da apresentação do livro sobre Cinisello Balsamo. ...

Ler artigo
O Mediterrâneo em Karlsruhe nas palavras de Simone De Giuseppe

O Mediterrâneo em Karlsruhe nas palavras de Simone De Giuseppe

2 de setembro de 2022, Karslruhe, Alemanha: Dr. Anders Wejryd, Arcebispo Emérito da Igreja da Suécia e presidente do CMI para a Europa conduz uma conversa durante uma plenária temática focada na Europa, na 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas, realizada em Karlsruhe, Alemanha, de 31 de agosto a 8 de setembro, sob o tema “O amor de Cristo move o mundo à reconciliação e à unidade”. Karlsruhe (NEV), 2 de setembro de 2022 – Mesmo um pequeno pedaço da Itália e do Mediterrâneo hoje diante das centenas de delegados e participantes da XI Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), em andamento em Karlsruhe, Alemanha. Simone De Giuseppe, 30 anos, em sua primeira experiência como delegado à Assembléia do CMI, falou esta manhã na sessão plenária. O pároco batista estagiário nas igrejas de Gravina e Altamura contou a experiência e o compromisso da FCEI com o acolhimento e os direitos dos migrantes. “As igrejas na Europa hoje têm uma dupla missão – disse -: uma dentro delas e outra para fora. Esse “fora de nós” é estar com pessoas que estão à margem. Do meu ponto de vista, como italiano, o Mediterrâneo é uma dessas margens, um desses lugares marginalizados. Vivemos um processo migratório epocal e não podemos ficar indiferentes e esquecer os muitos naufrágios ocorridos nos últimos anos. Como Federação das Igrejas Evangélicas na Itália, lidamos com a questão da migração no Mar Mediterrâneo por vários anos com diferentes programas, como os corredores humanitários e o projeto migrante e refugiado, Mediterranean Hope. Neste sentido, foi particularmente importante a experiência da "Peregrinação de justiça e paz" do Conselho Ecumênico das Igrejas, que visitou Lampedusa e a Sicília em maio passado. Foto de Marcelo Schneider Ao mesmo tempo, as igrejas na Europa têm uma missão interna. precisamos aprender a viver e transformar nossas comunidades de maneira intercultural, pois muitos membros de nossas igrejas são migrantes. Em tempos de secularização, muitas vezes nossas igrejas crescem graças aos migrantes. É preciso, portanto, testemunhar a nossa fé cristã através da riqueza das nossas diversas culturas e tradições”, concluiu o pároco batista. o pastor estagiário Simone De Giuseppe Como foi falar para o público do WCC? “Foi uma grande emoção, uma honra e um privilégio – declarou Simone De Giuseppe ao NEV assim que o painel terminou -, poder falar diante de tantas pessoas, de diferentes tradições cristãs. Quanto ao tema em si, apreciei e estou feliz por ter podido falar da Europa e, portanto, do continente a que pertenço, não só focando o tema numa frente – a questão ucraniana – mas também procurando compreender a Europa em um sentido mais amplo e amplo, inserido num mundo mais complexo, que está em movimento, que abre muitas frentes como a do Mediterrâneo, de que falei. Acho que foi importante poder falar da Europa inserindo-a numa visão mais ampla, que inclui relações fortes com todos os povos do mundo. Uma experiência enriquecedora e também um amadurecimento pessoal poder partilhar uma mensagem como esta num espaço internacional”. 2 de setembro de 2022, Karslruhe, Alemanha: Simone de Giuseppe, delegada da União Evangélica Batista da Itália, fala durante uma plenária temática com foco na Europa, na 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas, realizada em Karlsruhe, Alemanha, de 31 de agosto a 8 de setembro, sob o tema “O amor de Cristo move o mundo à reconciliação e à unidade”. ...

Ler artigo
Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos.  Igrejas de todo o mundo

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos. Igrejas de todo o mundo

Imagem retirada de www.christianunity.va Roma (NEV), 27 de dezembro de 2022 – A habitual Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC) será realizada de 18 a 25 de janeiro de 2023. Convocado este ano pelo Conselho de Igrejas de Minnesota, com sede nos Estados Unidos, o SPUC envolve igrejas cristãs em todo o mundo. O versículo da Bíblia escolhido para este ano é: “Aprenda a fazer o bem; buscar a justiça (Isaías 1:17)." Clique AQUI para ver os compromissos na Itália. Foto Albin Hillert/CEC O contexto em que foram elaborados os textos que acompanham o SPUC 2023 é o do assassinato de George Floyd. “Durante anos – lê-se no documento – Minnesota sofreu algumas das piores discriminações raciais da nação: em 1862 foi palco, por exemplo, do maior eseCulto em massa na história dos EUA, quando trinta e oito nativos de Dakota foram enforcados em Mankato, um dia depois do Natal, após a guerra dos Estados Unidos–Dakota. Enquanto se preparavam para morrer, os trinta e oito Dakotas cantaram o hino Wakantanka taku nitawa (muitosou seja, grande) cuja versão (também italiana) se insere na celebração ecumênica daSemana. Mais recentemente, Minnesota tem sido o epicentro do cálculo racial. Quando o covid–19 fecharam o mundo em março de 2020, o assassinato de um jovem afro–Americano, George Floyd, nas mãos de um policial de Minneapolis, Derek Chauvinele saiu na praça pessoas de todo o mundo, unidas no sentimento de justa indignação, para protestar contra a injustiça de que foramou testemunhado na televisão. Chauvin, demitido logo depois do assalto, tornou-se o primeiro policial da história moderna condenado, em primeira instância, pelo assassinato de um afro–americano em Minnesota". A história dos maus tratos das comunasa unidade de cor nos Estados Unidos, continua o documento, “criou desigualdades de fraturas de longa data e relacionais entre as comunidades. Consequentemente, a história das igrejas nos Estados Unidos A United inclui questões raciais como um fator importante de divisão eclesial; em alturavá embora do mundo, esse mesmo papel é desempenhado por outras questões não doutrinárias. É por isso que o trabalho teologia da unidade realizada pela Comissão Fé e Constituição do Concílio Ecumênico das igrejas tem tradicionalmente tentado manter ijuntos a busca pela unidade das igrejas e a pesquisa de superar muros de separação, como o racismo, dentro da família humana. Olha Você aqui porque rezar juntos, especialmente rezar juntos pela unidade dos cristãos, adquire significado paraainda mais importante quando se coloca no centro das lutas contra o que nos separa como seresseres humanos criados com igual dignidade à imagem e semelhança de Deus". Os materiais litúrgicos, disponíveis em 7 idiomas, foram preparados e publicados em conjunto pela Comissão Fé e Constituição do Conselho Mundial de Igrejas (CEC) e pelo Dicastério para a Promoção da Unidade dos Cristãos. Para materiais em italiano clique AQUI. Para outros idiomas, veja abaixo: O WCC escreve: “Aprender a se sair bem requer uma decisão de comprometimento. A Semana de Oração é o momento perfeito para os cristãos reconhecerem que as divisões entre nossas igrejas e denominações não podem ser distinguidas das divisões presentes na família humana mais ampla”. Na introdução aos materiais litúrgicos, válidos tanto para a Semana quanto para todo o ano, é enfatizado que rezar juntos pela unidade dos cristãos é uma oportunidade para refletir sobre o que une as pessoas e como enfrentar a opressão e a divisão entre os seres humanos. “A unidade dos cristãos deve ser sinal e antecipação da unidade reconciliada de toda a criação – lê-se no documento -. Como cristãos, devemos estar dispostos a destruir os sistemas de opressão e defender a justiça”. Os materiais litúrgicos incluem, entre outras coisas, um serviço ecumênico com oração de abertura, reflexões bíblicas e orações por oito dias. Pai Ioan Sauca, Secretário-Geral Interino do CMI, disse: “A oportunidade de orarmos juntos é uma bênção para todos nós, pois, apesar de nossas diferenças, nos encontramos juntos em comunhão com o Senhor Jesus Cristo como Deus e Salvador de acordo com as Escrituras. Portanto, cumpramos juntos nosso chamado comum para a glória do único Deus, Pai, Filho e Espírito Santo”. E acrescentou: “Juntos estamos plantando as sementes da justiça e da paz. Enquanto lutamos e rezamos pela unidade dos cristãos, podemos alimentar nossa esperança coletiva para o novo ano e para enfrentar os tempos difíceis em que todos vivemos”. O SPUC ocorre todos os anos em torno de Pentecostes no Hemisfério Sul e entre 18 e 25 de janeiro no Hemisfério Norte. Parceiros ecumênicos de diferentes regiões são convidados a se revezar na preparação dos materiais. Suas raízes remontam a mais de 100 anos e, desde 1966, após o Concílio Vaticano II, é elaborado conjuntamente pela Igreja Católica Romana e pelo CMI. Para saber mais: Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos Recursos para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2023 ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.