10 e 11 de fevereiro.  Rede de mulheres luteranas em Florença

10 e 11 de fevereiro. Rede de mulheres luteranas em Florença

Roma (NEV/CELI), 7 de fevereiro de 2023 – A reunião anual da Rede de Mulheres Luteranas será aberta na próxima sexta-feira, 10 de fevereiro, em Florença.

A Conferência terá como tema “O poder da voz das mulheres? Escuta e expressão para cuidar de si e da criação” e contará com a participação de inúmeras delegações de todo o país.

Eles participarão da iniciativa Laura Cima e Elena Mazza sobre o tema do ecofeminismo. Com efeito, é sobre o binômio mulher-ambiente que a Conferência deseja refletir no início de seus trabalhos. […] Existe uma conexão entre o patriarcado capitalista, a dominação masculina e a repressão das mulheres na sociedade e a crise ecológica? A Conferência de Mulheres Luteranas tentará responder a esta e outras questões.

Sábado 11, oficina de Annamaria Cimmino sobre o uso e o poder da voz.

A Conferência Nacional das Mulheres Luteranas será encerrada com a eleição das representantes da Rede e culto público pelo pastor luterano Birgit Mahn e a pastora Lydia Giorgi.

Leia no site da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI).

Baixe o MANIFESTO aqui.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

O Deus dos migrantes em Milão, apresentação do livro amanhã, 29 de maio

O Deus dos migrantes em Milão, apresentação do livro amanhã, 29 de maio

Milão (NEV), 28 de maio de 2019 – “O fato histórico é que nenhum movimento migratório jamais foi reversível. […] Não só isso: além de irreversíveis, os processos migratórios nunca foram decorrentes, mas apenas interpretáveis. E sua interpretação mudou seu significado e destino”, escreve o professor de História do Cristianismo Alberto Melloni no prefácio do livro "O Deus dos Migrantes". Três pesquisas sobre a experiência e a prática religiosa dos imigrantes em nosso país estão no centro do volume, publicado por Il Mulino, que será apresentado amanhã, quarta-feira, 29 de maio, às 18h, na Biblioteca Claudiana, em Milão. “Quantos imãs existem na Itália? Como eles se preparam? Como vivem as diferentes igrejas cristãs em nossa metrópole? Quais são as atividades e ações realizadas pela Igreja Ortodoxa Romena, que na Itália tem uma população de mais de um milhão de pessoas?” – lê-se na contracapa – Três caminhos até agora inexplorados, que mostram como a imigração constitui um dos vetores mais incisivos de um processo de pós-secularização e de um novo movimento de efervescência religiosa”. Os três curadores da obra participarão do encontro amanhã à tarde, na via Francesco Sforza 12/A, Maurizio Ambrosini, Paulo Naso E Cláudio Paravati do Centro de Estudos Comparados, com Júlio Giorelloprofessor da Universidade de Milão, conselheiro de políticas sociais, saúde e direitos do município de Milão, recém-eleito para o Parlamento Europeu, Pierfrancesco MajorinoE Madalena ColomboUniversidade Católica do Sagrado Coração de Milão. ...

Ler artigo
Rosarno Film Festival, a segunda edição está chegando

Rosarno Film Festival, a segunda edição está chegando

Roma (NEV), 12 de julho de 2023 – O festival de cinema de Rosarno retorna ao Piana di Gioia Tauro. E quer ser, explicam os promotores, “um olhar sobre a sociedade em que vivemos a partir da terra. De quem a trabalha para se alimentar e de quem a defende, de quem a viola e saqueia por fome de lucro”. No ano passado, prosseguem, “propusemos a um júri de trabalhadores rurais lançar um novo olhar, aquele de quem nesta sociedade pode no máximo ser filmado como testemunha mas nunca se tornar protagonista da sua própria vida. Queremos continuar a manter este olhar também este ano, organizando um festival que terá como elemento central a resistência das populações que lutam pela defesa da terra, das suas comunidades e dos direitos sociais”. Esta segunda edição do festival de cinema sobre as temáticas do trabalho e dos direitos será "um festival "ecossocial" no qual procuraremos fazer um elo entre as práticas de solidariedade, entreajuda, defesa dos direitos e meio ambiente, mostrando e tecendo entre seus vários pontos de vista”. Também este ano, como na primeira edição realizada em 2022, o Festival de Cinema de Rosarno será organizado como "uma resenha de curtas que, após a seleção, serão exibidos em momento público e avaliados por um júri 'sem fronteiras' , da qual também participarão os operários da Piana di Gioia Tauro”. A competição é reservada para curtas-metragens "que tratem do tema da resistência ecossocial, lutas ambientais, mobilizações, testemunhos, terras envenenadas ou resgatadas". Primeiros membros: Ass Coopisa Cooperação em saúde (Reggio Calabria), Ass. Culturale Terra dei Morgeti (San Giorgio Morgeto), Ass. Santa Barbara (San Ferdinando). Equo Sud (Reggio Calabria), The Blanket of Memory Piana di Gioia Tauro, Faro Fabbrica dei Saperi (Rosarno), Valarioti Foundation (Rosarno), Coop Sankara (Gioiosa Ionica), ResQ People Saving People, Comune Info, Confronti, Volere la Luna , Imprensa Internacional. Para participar: [email protected] Especificações técnicas para os participantes: Os filmes devem ser enviados em formato Mpg4 com tamanho máximo de 2 GB. Aconselha-se o envio de filmes em formato 1920×1080, com wetransfer. Duração máxima 20'. A seleção das obras fica sob o inquestionável julgamento da direção artística. Ao final da pré-seleção, os autores serão informados do resultado por telefone ou e-mail. Os trabalhos devem ser enviados para o endereço de e-mail [email protected] até 1 de setembro de 2023. Prêmios: Dada a particularidade, originalidade e experimentação da revista, que leva em consideração o trabalho árduo e mal remunerado dos trabalhadores, os prêmios – Primeiro, Segundo e Menção – não serão pagos em dinheiro, mas em produtos agrícolas e alimentícios da Piana di Gioia Touro. Para saber mais: na primeira edição da revista, atendida por Sara Manisera Para protestantismo ...

Ler artigo
Bem-estar.  Habilitando projeto de lei de não autossuficiência, trabalho em andamento

Bem-estar. Habilitando projeto de lei de não autossuficiência, trabalho em andamento

Imagem de arquivo Roma (NEV), 3 de outubro de 2022 – O Subsecretário da Presidência do Conselho de Ministros, Roberto Garofoli, disse que o texto da proposta de lei da não auto-suficiência será aprovado pelo actual governo antes da tomada de posse do novo executivo, para que possa ser discutido na nova legislatura sem desperdício do trabalho feito até agora. Confartigianato.it relata isso em um relatório sobre o XVI Itinerário da Segurança Social, realizado há alguns dias em Bari e no qual Garofoli esteve presente. Dias antes, 52 entidades do "Pacto pela Nova Previdência pela Não Autossuficiência", que também inclui a Diaconia Valdese CDS, haviam solicitado ao governo cessante a primeira aprovação de seu texto, justamente para não frustrar o trabalho de reforma feito sobre o tema. “Queremos abrir mão de melhorar a assistência aos idosos não autossuficientes?” pergunte às organizações. “A assistência a idosos não autossuficientes é um setor particularmente fraco de nosso bem-estar. Para o saber não é necessário conhecer os infinitos estudos e dados que o demonstram, basta viver concretamente a realidade quotidiana da não autossuficiência. Em nosso país, cerca de 10 milhões de pessoas o fazem, entre idosos, familiares e pessoas que os auxiliam profissionalmente. Para que as coisas mudem, essa extensa e esquecida faixa da sociedade italiana precisa de boa política”, diz o site da Diaconia Valdense. A lei é aguardada há trinta anos. A legislação ad hoc já está em vigor em todos os países europeus, o que fortaleceu o bem-estar e criou empregos. O texto é "o resultado de meses de trabalho preparatório para o qual o Pacto deu uma contribuição substancial", escrevem os promotores. Sublinhando, entre outras coisas, que se trata de uma reforma prevista pelo PNRR. E concluem: “A sua aprovação em Conselho de Ministros já foi várias vezes anunciada, sempre sem resultado. Portanto, todas as realidades do Pacto vivem dias de grande preocupação. O novo Governo e o novo Parlamento terão de continuar o caminho de elaboração da reforma e levá-la à sua conclusão, tal como previsto no PNRR. Eles serão, portanto, chamados a redigir a versão definitiva: a meta deve ser um texto ambicioso, à altura das expectativas dos idosos e das famílias. Para o Pacto, isso significa uma reforma coerente com sua proposta de 'Sistema Nacional de Assistência ao Idoso' (recentemente sintetizada no 'Manifesto para a nova legislatura' do Pacto). O esforço a desenvolver será considerável, quer na definição dos conteúdos das intervenções, quer na procura dos novos financiamentos necessários, aspecto até agora não abordado. A condição para o sucesso é clara: a não autossuficiência deve se tornar uma prioridade política. Esse, para o Pacto, é o tema básico da nova Legislatura”. Para saber mais: Arquivo de Texto Iter DDL S. 1967 "Estabelecimento do Fundo para não auto-suficiência e delegação ao Governo em licença parental" Políticas de não autossuficiência e deficiência A plataforma do Pacto por um Novo Bem-Estar na Não Autossuficiência ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.