Ecumenismo de 1920 a 2020. A esperança da comunhão

Ecumenismo de 1920 a 2020. A esperança da comunhão

Nikos Kosmidis, Ut unum sint, aquarela 23,5 × 23,5 cm, 2020. Feito especialmente para a Conferência CEC/LOCEOC “A esperança da comunhão: de 1920 a 2020”

Roma (NEV), 16 de dezembro de 2020 – A conferência online “A esperança da comunhão: de 1920 a 2020” acontece hoje e amanhã. Organizado pela Conferência das Igrejas Européias (KEK) juntamente com o Centro de Louvain para o Cristianismo Oriental e Oriental (LOCEOC), ele receberá ilustres convidados da Europa e da América do Norte.

O objetivo do encontro é centrar-se nos dois textos ecumênicos fundamentais de 1920. A Encíclica do Patriarcado Ortodoxo às Igrejas de Cristo em toda parte, escrita em 1920 pelo Sínodo da Igreja de Constantinopla, e o Apelo a todo o povo cristão da Conferência de Bispos Anglicanos de Lambeth.

“A conferência explorará as expectativas de unidade nesses textos. Examinará sua relação com os desenvolvimentos ecumênicos subseqüentes. Por fim, abordará a questão do que significa a esperança da comunhão para as relações entre as Igrejas hoje”, lê-se na apresentação.

Entre os destaques, além da análise dos textos, também uma sessão (amanhã à tarde) dedicada a “Sinais de esperança, modelos de unidade: a paisagem ecumênica hoje”.

Ir para PROGRAMA.


O LOCEOC

O LOCEOC é formado por professores da Faculdade de Teologia e Estudos da Religião com experiência no campo do Cristianismo Oriental. Com sede na Universidade Católica de Louvain (Louven, Bélgica), tem entre seus objetivos a promoção do estudo do cristianismo oriental a partir de uma perspectiva teológica, histórica e social. Está, portanto, ligado a uma antiga tradição de estudos sobre o cristianismo siríaco, copta e armênio, portanto das tradições ortodoxa e antigo-oriental.

CEC

O CEC reúne 114 igrejas de tradição ortodoxa, protestante e anglicana de toda a Europa. Entre seus objetivos, a promoção da paz e o trabalho pela unidade da Igreja. Coordena uma rede de Conselhos Nacionais de Igrejas para discussão e intercâmbio em nível nacional e regional, sobre temas como diaconia, migração, direitos dos refugiados, mulheres e jovens nas igrejas, sustentabilidade social e ambiental. A Conferência das Igrejas Europeias nasceu no contexto de um esforço de paz em 1959, para construir pontes entre o Oriente e o Ocidente durante a Guerra Fria.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

FORMA.  O “matadouro sagrado” de Valtellina (19 de julho de 1620)

FORMA. O “matadouro sagrado” de Valtellina (19 de julho de 1620)

Foto da Wikipédia. O massacre de Tirano, de uma xilogravura anônima mantida na biblioteca cantonal de Chur Ao raiar da madrugada de domingo, 19 de julho de 1620, quatro tiros do arcabuz deram o sinal. Os portões da cidade de Tirano foram trancados e os sinos tocaram. A população saiu às ruas, sendo surpreendida por algumas centenas de homens armados que massacraram todos os protestantes com arcabuz, espada ou pau. O cadáver do pastor reformado foi mutilado e insultado. Terminada a triste obra em Tirano, o pequeno exército desceu o vale, chegando a Teglio quando a comunidade reformada se reuniu na igreja para o culto. Alvejados com arcabuzes, os protestantes se fecharam no templo, até que a porta cedeu. Alguns, incluindo duas crianças de seis anos, pensaram em alcançar a segurança na torre do sino, que foi incendiada. Em Sondrio, capital do Vale, os protestantes conseguiram organizar um pelotão de setenta homens armados que, apesar de sua inferioridade, não foram atacados pelos rebeldes, que obviamente só estavam dispostos a massacrar, não a lutar. Os evangélicos desarmados foram mortos. Não bastando esta última para apaziguar a fúria da tropa, o cemitério evangélico foi profanado e os cadáveres lançados no Adda. Em Berbenno, a Igreja Católica Bartolomeo Porreto e outros se posicionaram contra o massacre e foram mortos junto com todos os protestantes do país. Para Caspano, o alfaiate André Paravicino conseguiu se esconder e foi capturado alguns dias depois. Convidado a abjurar, ele respondeu que era "da antiga fé católica romana, conforme pregada por São Paulo, que o homem é salvo pela graça por meio da fé, e não pelas obras, para que ninguém se glorie". Foi-lhe perguntado se considerava o papa o cabeça da igreja, e ele respondeu: "Não, visto que somente Cristo é o cabeça da igreja, segundo a promessa, estarei convosco até o fim do mundo". Ele foi queimado na fogueira em 15 de agosto. Fomentado pelo ódio contra-reformista e financiado pelo ouro espanhol, o massacre de cerca de 700 protestantes em Valtellina foi um súbito empurrão contra a ocupação tolerante dos Grisões. As comunidades evangélicas, que representavam cerca de 10% da população (excluindo a área de Bormio) e que acolheram figuras importantes da Reforma italiana, como Ludovico Castelveltro, Pier Paolo Vergério, Girolamo Zanchi E Cipião Lentoloforam completamente erradicados. A paz subseqüente assinada em Milão em 1639 impôs a proibição do culto público e privado de outras religiões que não a católica. Deste massacre italiano, quase totalmente esquecido, fica a definição do historiador católico Cesare Cantu “O matadouro sagrado de Valtellina” com o qual é lembrado, ainda que por poucos, e os versos bíblicos em italiano gravados nas ombreiras das casas que outrora pertenceram a protestantes, como um testemunho tenaz e irredutível. O Senhor Jesus Cristo diz: "Digo-vos que, se eles se calarem, as pedras clamarão" (Lucas 19:40). (Emanuele Fiume, para a agência de notícias evangélica nev-news, julho de 2020) ...

Ler artigo
Suíço.  Em 17 de janeiro, os protestantes de Zurique se reúnem no Grossmünster

Suíço. Em 17 de janeiro, os protestantes de Zurique se reúnem no Grossmünster

Foto do Wikimedia Commons Roma (NEV), 11 de janeiro de 2021 – O culto ecumênico será realizado no próximo domingo, 17 de janeiro, em Grossmünster, em Zurique, Suíça. A antiga catedral, de onde a Reforma suíça começou com Ulrich Zwinglio, acolherá as diferentes denominações protestantes de Zurique. O culto começará às 10h e incluirá partes litúrgicas em diferentes idiomas e pregação multivocal. a pastora Lydia Maggi representará a Igreja Evangélica Valdense de língua italiana Zurique-Waldenser. O consistório, conforme consta na carta periódica da comunidade, também decidiu doar as arrecadações do mês de janeiro a pessoas empobrecidas pela covid-19. “Infelizmente – lê-se no boletim – o ano passado de 2020 deixou muitas famílias sem trabalho e é justo tentar dar uma ajuda concreta a essas pessoas. Nossa comunidade estará, portanto, empenhada durante todo o mês de janeiro para esse fim”. Será possível acompanhar o culto em streaming neste link: A participação presencial, com número limitado, é possível mediante anúncio por telefone (044 462 04 11) ou por correio ([email protected]) Lydia Maggi ela é uma pastora batista, estudiosa da Bíblia, teóloga. Ela foi designada para o "ministério itinerante", instituído pela Assembleia da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) em 2018. A própria pastora assim descreveu a tarefa: "O ministério itinerante representa a possibilidade de levar a Bíblia a pessoas que não a teria encontrado facilmente, para tirá-la dos contextos habituais, nas festas, nas bibliotecas, nas paróquias, entre as pessoas que não frequentam as igrejas". ...

Ler artigo
Cinema e direitos, Interfilm sobre a prisão de três diretores iranianos

Cinema e direitos, Interfilm sobre a prisão de três diretores iranianos

Felix Mooneeram, unsplash Roma (NEV), 18 de julho de 2022 – Nos últimos dias, três diretores iranianos foram presos: Mohammad Rasoulof, Mostafa Aleahmad E Jafar Panahi. A Interfilm, uma organização internacional que promove júris ecumênicos em vários festivais de cinema, juntou-se ao coro de vozes que protestam contra essas prisões. “O Irão é um país líder na criação de cinema de arte contemporânea e estes realizadores de renome internacional têm apresentado os seus trabalhos em todos os grandes festivais do mundo – lê-se na nota divulgada pela Interfilm -. Mohammad Rasoulof ganhou o Prêmio Ecumênico na Berlinale 2020 pelo filme O diabo não existe. Jafar Panahi recebeu o Prêmio Signis-Wacc de Direitos Humanos em 2014 por seu filme Taxi Tehran”.Signis e Interfilm, que formam júris ecumênicos "para promover uma cultura de paz, unem forças para denunciar este ataque à criação artística e à livre circulação de cineastas que sempre defenderam a sabedoria e a resiliência do povo iraniano e que permitiram que o mundo conhecer melhor este país de tradições artísticas milenares". A Interfilm foi fundada em 1955 por várias associações protestantes de cinema na Europa. Em colaboração com seu parceiro católico Signis, ele organiza júris ecumênicos nos festivais de cinema mais importantes, como Cannes, Montreal, Moscou, Leipzig, Berlim, Locarno. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.