Este é o Caminho – Nev

Este é o Caminho – Nev

Roma (NEV), 03 de fevereiro de 2023 – por Benedetta Fragomeni

No meio dessa experiência, me pego fazendo um balanço do que foi e do que espero que seja. A experiência do serviço público com a Mediterranean Hope tem tantas nuances que, pensando bem, me parece que estou vivendo não uma, mas mil aventuras.

A regularidade do empenho dá-te a constância, o sentido de responsabilidade próprio de um trabalho.

O contacto com as pessoas, beneficiárias dos projetos, dá-lhe a empatia e muitas reflexões próprias do voluntariado. As frequentes oportunidades de treinamento, dentro do MH ou com os demais voluntários da Diaconia Valdense, lhe dão a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos, o interesse pelo aprendizado típico de um curso de estudos.

A relação com os operadores, com os colegas voluntários, ao longo do tempo, dá-nos a sensação de estar em família.

Na minha vida já passei por esses ambientes, mas encontrá-los todos em uma única experiência me deu a consciência de ter feito a escolha certa.

Um ano de vida que você coloca à disposição de um projeto com suas estratégias, recursos, questões críticas e objetivos que, se tiver sorte, descobre que são iguais aos seus.

A variedade de atividades que, com confiança, os responsáveis ​​confiam a vocês, é o que mais aprecio. O serviço passa por coisas que parecem as mais simples como acompanhar os operadores aos nossos centros, acompanhar os beneficiários a um exame médico, verificar ou preencher documentos. No meu caso, passa pela comunicação, pelas redes sociais. Depois pelo apoio à organização dos corredores humanitários, à recepção.

Você está em serviço. Você fica onde precisa, confia um pouco em quem está dirigindo e inicialmente cruza os dedos, porque eles te obrigam a fazer algo que você gosta e porque você faz jus às exigências. Então o conhecimento toma conta, o compartilhamento, o diálogo e a experiência se abrem em uma troca. A certeza das muitas coisas que estás a aprender junta-se à esperança de estares por sua vez a deixar algo de ti. Sim, eu diria que o serviço público é um ofício. Todas as reuniões que tive até agora graças ao funcionalismo público tiveram essa dinâmica, a experiência de acolher os corredores humanitários, o período em Lampedusa mas também a busca de formas novas e eficazes de contar tudo isso.

Ofereça seu tempo, seus recursos e receba em troca a oportunidade de conhecer duas realidades; aquela que você ouviu falar de longe e aquela que sempre esteve perto de você mas você percebe que ainda não explorou, a sua realidade. É realmente uma forma de se conhecer e imaginar qual caminho você gostaria de trilhar e devo dizer que o meu é muito parecido com o que já tenho sob meus pés.



Até às 14h00 de sexta-feira, dia 10 de fevereiro de 2023, é possível apresentar candidatura para participar num dos projetos da função pública que decorrerão entre 2023 e 2024 em todo o país e no estrangeiro. Duas vagas estão disponíveis no Programa para Migrantes e Refugiados da Federação das Igrejas Protestantes da Itália, em Roma.

Para se inscrever, é necessário fazê-lo através do portal online-demand.serviziocivile.it.

As especificações são:

Título: Este é o caminho

Código do projeto: PTXSU0019022010895NXX

2 vagas nos Serviços de Inclusão de Roma, Via del Campo 44D (anteriormente via di Torre Spaccata) – Sede código: 178989

2 posições nos escritórios da FCEI em Roma, Via Firenze 38 – Código da sede: 178966

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Franzoni, o ecumenismo e as igrejas ‘aproximadas’

Franzoni, o ecumenismo e as igrejas ‘aproximadas’

Roma (NEV), 12 de novembro de 2018 – A conferência "História e Profecia: O Legado de João Franzoni. A comunidade cristã de base de São Paulo comemora Giovanni Franzoni em seu nonagésimo aniversário". Entre as várias iniciativas, uma mesa redonda na sala de teatro da Abadia de San Paolo fuori le Mura que contou com a presença do pároco Luca Maria Negropresidente da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). “Giovanni Franzoni foi certamente um mestre – começou Negro em seu discurso -. Tive o privilégio de trabalhar ao lado dele primeiro como jovem editor do Com Nuovi Tempi e depois como diretor do Confronti. Mestre em jornalismo e mestre em heresia; e depois um irmão mais velho na fé, que me ensinou sobretudo a sempre me questionar profundamente, a não me contentar com fórmulas óbvias, estereótipos. Me pediram para falar sobre o ecumenismo de Giovanni, o que não é fácil porque Franzoni pouco escreveu sobre ecumenismo e pouco se preocupou em teorizá-lo, mas o viveu, principalmente a partir daquela experiência de ecumenismo prático que foi a revista Com Nuovi Tempi”. Negro passou então a citar um artigo do Confronti de 1991, intitulado "Por uma igreja aproximada", no qual Franzoni refletia sobre a relação entre as comunidades populares e o protestantismo, a partir de seu discurso feito dias antes na Assembleia da FCEI em Santa Severa . Na nota Franzoni propôs uma nova classificação das igrejas sujeitas ao ecumenismo distinguindo entre igrejas dogmáticas, igrejas tautológicas e igrejas 'aproximadas'. “Segundo João, somente as franjas 'heréticas' das igrejas podem tornar o ecumenismo real – disse Negro – porque colocam a abordagem do mistério da salvação manifestado no Evangelho acima da auto-reprodução ou conservação das igrejas eles mesmos. Comunidades de base e igrejas protestantes, nos moldes dessa igreja 'aproximada', poderiam e deveriam fazer mais juntas. Sonhava com uma espécie de federação, ou melhor, sonhava com nossas igrejinhas acolhendo as comunidades de base. Mas foi um sonho um tanto difícil de realizar. No entanto, acredito que sua visão de uma igreja 'aproximada' permanece muito atual”, concluiu. A reunião também contou com a presença Luís Sandri, Paolo Lojudice, Alberto Melloni, Marinella Perroni, Ana Maria Marlia. O ator Marco Baliani leu trechos do livro de Franzoni "A terra é de Deus. Na sala, entre outros, o fundador do Centro Inter-religioso pela Paz (CIPAX) John Novelli e monsenhor Louis Bettazzi. ...

Ler artigo
Faculdade Valdense.  Abertura do ano letivo 2020/21

Faculdade Valdense. Abertura do ano letivo 2020/21

Roma (NEV), 29 de setembro de 2020 – A abertura do ano acadêmico 2020/21 da Faculdade Valdense de Teologia (FVT) será oficialmente realizada no sábado, 3 de outubro, a partir das 17h30, com uma prolusão de Fulvio Ferrario, reitor da Faculdade, sobre “A cátedra e o púlpito. Serviço Teológico na Igreja Evangélica”. O culto de abertura editado por Yann Redalié será realizada na igreja valdense na Piazza Cavour, domingo, 4 de outubro, às 10h45, também em transmissão ao vivo no Durante a Semana Introdutória, a partir de segunda-feira, dia 5 de outubro, estão programadas várias atividades: apresentação do programa, introdução à Biblioteca, boas-vindas aos alunos internacionais. Estarão presentes como oradores David Romanosobre “Fazendo Teologia na Faculdade Adventista Villa Aurora”; José Loriziosobre "Fazer teologia na Pontifícia Universidade Lateranense"; Gury Schneider-Ludorff E Markus Mülke sobre “Fazendo teologia na Augustana Hochschule em Neuendettelsau”. Sexta-feira, 9 de outubro, às 17h30, apresentação do livro "Relendo a Reforma" de Fulvio Ferrario e Lothar Vogelpreside Domenico Segnaeles intervêm Cettina Militello (Marianum) e Paulo rico (FVT). Baixe o Pôster da Semana Introdutória Por motivos de organização, favor confirmar sua participação no local enviando um e-mail para a Secretaria da FVT ([email protected]). A participação no atendimento é limitada a 80 pessoas (para o discurso de abertura e adoração) e 12 pessoas (para os eventos da semana introdutória) respectivamente. Prolusão e adoração podem ser acompanhadas na página do Facebook da igreja valdense na Piazza Cavour ou enquanto os eventos da semana podem ser acompanhados via Zoom no modo telemático registrando-se por e-mail no seguinte endereço [email protected] Na oferta formativa da Faculdade, também dois cursos ministrados por Daniele Garrone E Fulvio Ferrarioaberto a todos, segundo o método "All you can learn": ao inscrever-se como "auditor" durante um ano lectivo completo, tem acesso a todos os cursos indicados no catálogo e programa da FVT. Consulte Mais informação: Daniel Garrone. Um Deus, o seu nome e as suas denominações – 13 de outubro de 2020 a 26 de janeiro de 2021, 18h00-19h30 Fúlvio Ferrario. Proclamando o Evangelho na Europa secular. Uma proposta protestante – 14 de outubro de 2020/20 de janeiro de 2021, 18h00-19h30 A Faculdade Valdense de Teologia é o instituto mais antigo da Itália para o estudo universitário de teologia evangélica. Foi fundada em 1855 na Torre Pellice (TO), e depois mudou-se para Florença para o Palazzo Salviati de 1860 a 1921, e para Roma, na via Pietro Cossa, ao lado da igreja valdense na Piazza Cavour. A Faculdade representa um ponto de encontro e diálogo, dada a participação de muitos estudantes estrangeiros e em virtude de uma acentuada sensibilidade ecuménica. ...

Ler artigo
Protestantes europeus: livres, conectados, engajados

Protestantes europeus: livres, conectados, engajados

Roma (NEV), 5 de setembro de 2018 - "Libertados - conectados - comprometidos". Estas são as três palavras-chave que acompanharão os trabalhos da VIII Assembleia Geral da Comunhão das Igrejas Protestantes na Europa (CCPE), programada para Basileia (Suíça) de 13 a 18 de setembro próximo. O encontro trará à cidade suíça representantes de 94 igrejas luteranas, metodistas, reformadas e unidas do continente que discutirão as prioridades futuras do corpo intraprotestante. Entre os temas da agenda: pluralismo religioso na Europa, migração e comunhão eclesial, relações ecumênicas, teologia da diáspora, aprendizagem ao longo da vida. Os documentos que instruem as várias sessões estão disponíveis no site da Assembleia. O logotipo da Assembleia do CCPE A escolha da cidade de Basileia não é acidental: com esta Assembleia o CCPE regressa, por assim dizer, a casa. O CCPE nasceu, de fato, em torno da Concórdia assinada em 1973 em Leuenberg, cidade próxima à Basileia, documento que recompôs as divergências doutrinárias que dividiam luteranos e protestantes reformados, sobretudo em torno do entendimento da Ceia do Senhor. Através do Acordo de Leuenberg, o CCPE é um exemplo de sucesso do ecumenismo da “unidade na diversidade”. As igrejas da comunhão, enquanto permanecem independentes, reconhecem os ministérios, sacramentos e membros da igreja uns dos outros. Gottfried Locher Ao longo dos séculos, como recorda o pároco Gottfried Locherpresidente da Federação das Igrejas Protestantes da Suíça (FCES) e membro da Presidência do CCPE, Basileia foi também um "importante centro cosmopolita da Reforma Protestante e do humanismo europeu", sede de um Concílio (1431-1481), e mais recentemente, e significativamente para o diálogo entre as igrejas de nossos dias, acolheu a Primeira Assembleia Ecumênica Européia em 1989. A dimensão ecumênica da Assembleia será marcada também pela presença de Andrew Riccardifundador da Comunidade de Sant'Egidio, convidado a proferir uma das principais palestras da sessão. Da Itália, o pároco estará presente na Assembleia Pawel Gajewskimembro suplente do Conselho do CCPE, e sabina baral para a Igreja Evangélica Valdense, a pastora Mirella Manocchiopresidente da Obra das Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI), e o pároco Heiner Bludaureitor da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI). ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.