O Comitê Interfedi de Turim torna-se um órgão consultivo da cidade

O Comitê Interfedi de Turim torna-se um órgão consultivo da cidade

Roma (NEV/Riforma.it), 23 de dezembro de 2020 – O Comitê Interfedi de Turim foi criado por ocasião dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2006. Presidido pelo então prefeito Valentino Castellanireuniu numa mesa de debate vários representantes das confissões religiosas presentes na zona.

“É uma instituição municipal que nos últimos anos já representou um órgão importante para a cidade mas que nos últimos dias tem visto o seu papel reconhecido de forma mais formal – escreve na Riforma Susana Ricci –. Tornou-se efetivamente um órgão consultivo. Isso significa que a opinião do Comitê entra em jogo sobre algumas questões que podem dizer respeito à relação entre as religiões e a cidade, por exemplo, na gestão do enterro e da morte, e as várias sensibilidades em relação a este aspecto da vida”.

Ricci questiona a pastora e ex-moderadora da Mesa Valdense sobre a questão, maria bonafede, representante no Comitê: “É um comitê técnico, não político de pensamento… Quer haja judeus, muçulmanos, protestantes, budistas, hindus, católicos que se sentam à mesa para conversar sobre as coisas e encontrar soluções harmoniosas é um evento de valor extremamente precioso, difícil de quantificar”, diz o pastor. E conclui: “É claro que Turim ainda tem muito a fazer”, mas o caminho está aberto para criar cultura e conscientização sobre os temas do diálogo.

Leia o artigo completo no Riforma

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

COP28 à vista.  Entrevista com Irene Abra

COP28 à vista. Entrevista com Irene Abra

Roma (NEV), 14 de agosto de 2023 - Irene Abbra é membro da Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Além disso, foi embaixadora do clima do Conselho Metodista Europeu e é representante da campanha global Clima SIM, liderada por jovens cristãos entre 18 e 30 anos. Pedimos a ela que conhecesse as novidades e os compromissos em vista da próxima Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP28). Esta é a 28ª conferência do clima e será realizada de 30 de novembro a 12 de dezembro de 2023 na Expo City, Dubai. Em uma recente reunião do GLAM, você falou sobre seus próximos compromissos para a COP28. Você pode nos dar alguma antecipação? Estamos pensando em um evento que possa ser uma oportunidade de discussão, encontro e confronto sobre os temas que serão tratados durante a COP28. A ideia é reunir online e envolver vários atores-chave da sociedade civil, dando espaço a testemunhos e experiências sobre sustentabilidade e ação climática. Esta Conferência é particular, antes de tudo pela localização. Estando em Dubai, de fato, acho que será interessante ver como os vários lobistas, principalmente os do petróleo, tentarão se fazer ouvir. Espero sinceramente que, como sociedade civil, como igrejas, como ativistas, também nós possamos nos fazer ouvir. Felizmente as igrejas participam da COP28, elas estão lá e podem fazer suas vozes serem ouvidas. GLAM falou em julho sobre o quanto a mídia italiana está "tratando mal" a questão climática. O que você acha? O tema das mudanças climáticas ainda hoje é tratado superficialmente, e até negado, até mesmo por representantes das instituições. Acho que o que vivemos nos últimos meses e nas últimas semanas é uma evidência clara de que existe uma crise climática em curso. Basta dizer que algumas pessoas, tanto do norte quanto do sul, tiveram que colocar suas vidas em espera e começar do zero, tentando retomar a vida depois do que aconteceu devido ao clima. Um pensamento comum a todos os jovens, penso eu, é como é realmente frustrante ter que viver em um país que dificilmente pode garantir um futuro. Se continuarmos neste ritmo, como podemos ter uma ideia, um pensamento positivo sobre o nosso futuro? Nossos políticos negam a evidência de um problema, de uma emergência que ainda vivemos. Isso pode nos roubar nosso futuro, nossas esperanças. A comunicação e a precisão na escolha das palavras são essenciais, sobretudo nesta altura, porque ajudam a sensibilizar as pessoas para estas questões que afetam o futuro de todos. Este ano ela será novamente embaixadora do clima e ativa na campanha Clima SIM: o que ela fará nessa função e como as igrejas da FCEI podem ajudar? Tanto como referente da Itália quanto como referente do GLAM, um dos meus objetivos é aumentar a presença de jovens cristãos para a sustentabilidade, no ativismo climático. É essencial ter representação e ter uma voz unida quando se trata de justiça climática e crise climática. Portanto, um dos objetivos que nos propusemos como movimento Clima SIM é certamente fortalecer a rede de jovens local e globalmente. Acima de tudo, queremos ser ecumênicos. Somos um movimento que une a diversidade e inclui diversas vozes cristãs. Entre as palavras-chave do nosso compromisso: networking; conhecer diferentes redes juvenis e redes cristãs na Itália; criar um grupo mais forte e estável que também pode ser ouvido como uma voz italiana em nível global. Deste ponto de vista, as igrejas podem certamente ser o nosso melhor suporte, numa perspetiva de intergeracionalidade, tema fundamental quando falamos de futuro, reunindo também experiências passadas, em termos de ensino e soluções, numa comparação aberta. Nossas igrejas também podem nos apoiar por meio de projetos, convidando pessoas que possam compartilhar suas experiências, ativistas. Por fim, podem também tentar ajudar-nos a pensar juntos em soluções concretas, em boas práticas que podemos implementar nas diferentes realidades eclesiais existentes. Em breve haverá o Sínodo Valdense. Que mensagem você gostaria de compartilhar neste importante encontro para as igrejas metodista e valdense? Uma mensagem que gostaria de deixar ao Sínodo Valdense é a de nos distanciarmos um pouco mais de nossas realidades locais e continuarmos a ser promotores desses temas. Fizemos muito progresso nos últimos anos e seria muito importante garantir que nossas vozes, como igrejas valdenses e metodistas, possam alcançar tanto a sociedade civil quanto os líderes políticos e, portanto, nosso governo. Outra mensagem muito importante que gostaria de lançar diz respeito ao diálogo entre as gerações e à necessidade da presença dos jovens também nos processos decisórios de nossas igrejas. Veja também: ...

Ler artigo
75º Festival Internacional de Cinema de Veneza.  Sameh Zoabi ganha o prêmio INTERFILM

75º Festival Internacional de Cinema de Veneza. Sameh Zoabi ganha o prêmio INTERFILM

Roma (NEV), 10 de setembro de 2018 – O Júri INTERFILM, presente no 75º Festival Internacional de Cinema de Veneza, entregou seu prêmio de diálogo inter-religioso a Sameh Zoabi para o filme “Tel Aviv em chamas”. O júri deste ano foi composto por alemães Christian Engelsmembro do Comitê INTERFILM, do jornalista italiano Federica Tourndo escocês Joylon Mitchell e da Suíça Daria Pezzoli-Olgiati (Presidente). Motivação total Esta comédia brilhante, provocativa e irreverente oferece um olhar original sobre um dos conflitos mais dolorosos do nosso tempo. Um roteirista palestino forma uma parceria inesperada com um oficial israelense que o ajuda a desenvolver o enredo da série de televisão sentimental Tel Aviv on Fire. O filme inverte a linha entre a dura realidade e as visões românticas, trabalhando as identidades dos personagens e abrindo um espaço criativo para o diálogo. Tel Aviv on Fire, dirigido por Sameh Zoabi (Luxemburgo, França, Israel, Bélgica, 2017) A INTERFILM foi fundada em 1955 por várias associações protestantes de cinema na Europa. Em colaboração com seu parceiro católico SIGNIS, organiza júris ecumênicos nos festivais de cinema mais importantes, como Cannes, Montreal, Moscou, Leipzig, Berlim, Locarno. Em Veneza, os júris da SIGNIS e da INTERFILM são separados. ...

Ler artigo
Os migrantes ainda são notícia?

Os migrantes ainda são notícia?

foto de Roman Kraft, unsplash Roma (NEV), 16 de dezembro de 2022 – 1310 notícias em um ano no horário nobre: ​​-14% em relação aos primeiros meses de 2021 e o nível mínimo de cobertura desde 2014. 563 artigos nas primeiras páginas dos jornais: 17 % em menos e o valor mais baixo dos últimos oito anos. Sobre o que estamos conversando? Do número de notícias sobre migrações. Estes são apenas alguns dos muitos dados contidos no décimo Relatório da Carta de Roma, intitulado "Notícias da frente", apresentado durante uma reunião pública organizada ontem, 15 de dezembro, em Roma. Agora em Roma para a apresentação do relatório X #Novidades da frente De @cartadiroma #direitos #migrantes o escritor apresenta o encontro @djarahkan pic.twitter.com/mlngKhusu8 — Esperança do Mediterrâneo (@Medohope_FCEI) 15 de dezembro de 2022 O Relatório analisa a qualidade e a quantidade de notícias sobre migração na TV, na imprensa e nas redes sociais, comparando as informações dos últimos dez anos. Analisando as palavras que têm sido usadas, sublinhando quantas vezes os migrantes têm voz e quantas vezes os políticos falam dos migrantes, relatando os títulos e o "sentimento" ligado a estas questões... Aqui o comunicado de imprensa após a apresentação do relatório. Aqui a gravação do evento na quinta-feira, 15 de dezembro, em Roma: Carta di Roma é uma associação fundada em dezembro de 2011 para implementar o protocolo deontológico para a informação correta sobre questões de imigração, assinado pelo Conselho Nacional da Ordem dos Jornalistas (CNOG) e a Federação Nacional da Imprensa Italiana (FNSI) em junho de 2008 . A associação trabalha para se tornar um ponto de referência estável para todos aqueles que trabalham diariamente nas questões da Carta, jornalistas e operadores de informação principalmente, mas também organismos e instituições comerciais, associações e ativistas há muito comprometidos com os direitos dos requerentes de asilo, refugiados, minorias e migrantes no mundo da informação. O presidente da Associação é Valério Cataldi; o vice-presidente é Ana Meli. A FCEI é uma das organizações associadas à Carta de Roma. As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.