Anne Frank e Etty Hillesum, dois diários comparados

Anne Frank e Etty Hillesum, dois diários comparados

Roma (NEV), 23 de janeiro de 2023 – Os diários de dois extraordinários escritores e testemunhas da Shoah, Anne Frank E Etty Hillesum, estará no centro de uma iniciativa para o Dia da Memória, que se celebra a 27 de janeiro. A sessão pública, que contará com a presença do Prof. Daniele Garronepresidente da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália, e Lia Tagliacozzoescritor, acontecerá em Roma, na igreja metodista na via XX Settembre 122, às 18h30.

Para saber mais:

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

17 de maio, Dia Internacional contra a omobilesbotransfobia

17 de maio, Dia Internacional contra a omobilesbotransfobia

Foto tirada de Roma (NEV), 10 de maio de 2023 – 17 de maio é o Dia Internacional de Luta contra a Homobilesbotransfobia. Várias iniciativas e vigílias em toda a Itália também envolverão as igrejas. Uma liturgia foi elaborada pela Comissão Batista, Metodista e Valdense "FeGeSe - Fé, Gênero e Sexualidade", em colaboração com a Rede Evangélica Fé e Homossexualidade (REFO). O versículo escolhido este ano foi retirado do Evangelho segundo Mateus 10,40: “Quem vos recebe, a mim me recebe, e quem me recebe, acolhe aquele que me enviou”. Este versículo da Bíblia une todas as vigílias e cultos de superação da homotransfobia que acontecerão no mês de maio de 2023. Na apresentação da documentação litúrgica (que contém leituras bíblicas, orações e hinos), lemos: "Como se sabe, em 17 de maio de 1990 a Organização Mundial da Saúde (OMS) eliminou a homossexualidade da lista de doenças mentais, mas, apesar disso, demorou faltam ainda quatro anos para a decisão se tornar operacional, com a posterior edição do Dsm (Manual Diagnóstico e Estatístico das Perturbações Mentais, 1994). Em 2007, na sequência de algumas declarações das autoridades polacas contra a comunidade LGBT, a União Europeia instituiu oficialmente o dia contra a homofobia no seu território”. Precisamente neste período em que se tenta limitar severamente os espaços democráticos, e no campo dos direitos civis há um fechamento cada vez mais forte às famílias homoafetivas, negando direitos adquiridos para o reconhecimento dos filhos nascidos em famílias homoafetivas, pedimos a todos vocês pastores, pastoras e comunidades que organizem reuniões, vigílias, cultos no dia da luta e contraste com a homossexualbotransfobia porque amor é amor e todos somos filhas e filhos de Deus independente de gênero e orientação sexual . O acolhimento e a inclusão são fundamentais para a vida cristã. Assinado fraternalmente e fraternalmente em Cristo pelo coordenador Daniela di Carlo e pelo coordenador Jorge Rainellia liturgia está à disposição de todas as igrejas e interessados ​​(para informações: [email protected]). “É um texto que convida as igrejas à inclusão. Vivemos um momento difícil e complexo onde cresce a discriminação combinada com o ódio social - escreveu o presidente da União Evangélica Batista Cristã da Itália João Paulo Arquidiácono em carta de apresentação às igrejas –. Aqueles que experimentam medos, discriminações e obstáculos odiosos no acesso a direitos em vários contextos sociais (família, escola, redes sociais, trabalho) todos os dias precisam ser reconhecidos precisamente no contexto em que vivem. Isso possibilita a resiliência, ou seja, a possibilidade de uma resistência não violenta e positiva para o bem-estar da sociedade e ao mesmo tempo a valorização da pessoa nas diversas relações humanas”. Entre as nomeações, destacamos: domingo 14 de maio Vigílias contra a homotransfobia. A igreja cristã e metodista de Vomero e a igreja valdense de Nápolesjuntamente com a Federação da Juventude Evangélica da Itália (FGEI), convidam para o culto dominical contra a homofobia e a transfobia em suas respectivas igrejas. Milão. 10h30, culto dominical contra a homotransfobia na igreja batista da Via Pinamonte. Terça-feira, 16 de maio “Quem vos acolhe, acolhe-me a mim”. Génova, 20h45, igreja de San Pietro in Banchi na Piazza Banchi. Vigília de oração pela superação da homofobia, transfobia e intolerância com Pe. Gianni Grondona, Vigário Episcopal da Arquidiocese de Gênova; Haim Cipriani, rabino; Lino Gabbiano, pastor batista; William Jourdan, pastor valdense; padre Marco Torre e padre Stefano Curotto da diocese de Chiavari. Promove o Grupo Bethel de Cristãos LGBTQ+ com o apoio da coordenação Liguria Rainbow. quarta-feira, 17 de maio “Não existe macho nem fêmea”. Turim, 21h, templo valdense em Corso Vittorio. A Igreja Valdense com Arcigay Turin Ottavio Mai e Turin Pride, noite de testemunhos. Descarregue aqui o folheto. Assistir. Trieste, 19h45 na Igreja Evangélica Metodista e Valdense em Scala dei Giganti, 1 perto da Piazza Goldoni. Vigília ecumênica de oração e música pela celebração da diversidade, para ajudar a construir uma sociedade plural. Organizado pela Associação Progetto Rùah, cristãos LGBT de Friuli Venezia Giulia e Veneto Oriental. “Quem vos acolhe, acolhe-me a mim”. Alexandria21h, na Igreja Evangélica Metodista de C.so Borsalino 24. Vigília pela superação da homotransfobia. Assistir. Gravina na Puglia, 19h, na Igreja Batista Evangélica Cristã na via Alcide De Gasperi 20h. "Coloco o meu arco na nuvem e ele servirá de sinal da aliança entre mim e a terra" (Gênesis 9:13) domingo 21 de maio Culto de domingo contra a homotransbifobia. Milão10h45, na Igreja Valdense. sábado, 27 de maio Vigília que reúne os diversos grupos, crentes homossexuais da Igreja Católica, escoteiros e igrejas evangélicas. Nápoles, 18h, igreja valdense na via dei Cimbri. No próximo ano, por alternância, será realizada na igreja católica. Outros agendamentos AQUI. ...

Ler artigo
Otto per mille aos valdenses e metodistas, compromisso e esperança

Otto per mille aos valdenses e metodistas, compromisso e esperança

Roma (NEV), 4 de maio de 2021 – A campanha Otto per mille está em andamento para as igrejas valdenses e metodistas. No centro está o tema da mudança: “Mudar o mundo, mudar a terra... e ninguém vai ficar no chão” é o slogan principal, ilustrado pelo cartunista e designer gráfico Takoua Ben Mohamed. O narrador é de Lella Costa e a campanha foi criada pela Web&Com di Sérgio Veludo. “Num momento tão difícil, marcado pela pandemia e exposto ao risco de miopia, miopia, queremos passar uma mensagem de esperança e empenho, que sabe olhar longe, com confiança, no espaço e no tempo – explica Alessandra Trotta, moderador da Mesa Valdense, em nota publicada hoje no site chiesavaldese.org -. Acreditamos que mudar o olhar sobre os outros e sobre as coisas é o primeiro passo para ajudar a mudar o mundo para melhor. No comercial de rádio e televisão, algumas mulheres testemunham o poder transformador da confiança na mudança, o motor do compromisso em favor dos outros. No final, a imagem, leve mas cheia de esperança, de uma criança pendurada num balão que o levanta, enquanto o slogan remete para a responsabilidade de todos perante o mundo”. Em 2020 o Otto per mille atribuído à Igreja Evangélica Valdense - União das Igrejas Metodistas e Valdenses, com base nas assinaturas dos contribuintes, atingiu a cifra de 42,8 milhões de euros. Cerca de 800 projetos na Itália e 450 no exterior foram financiados com esse recurso. Oito milhões de euros foram alocados para financiar intervenções de saúde para terapias ou ações para combater a propagação do COVID 19 e apoiar a recuperação do país a partir das necessidades dos sujeitos mais desfavorecidos ou vulneráveis. Crescem as participações investidas em “projectos de promoção de modelos de partilha e solidariedade humana como os da habitação social; e o apoio a projetos de integração de pessoas com deficiência e de apoio às suas famílias, entre as mais afetadas nos últimos anos pela redução dos recursos sociais”, explicam os promotores. Mantém-se também o “significativo compromisso de apoio ao projeto dos corredores humanitários”, promovido pela Junta Valdense com a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália e a Comunidade de Sant'Egidio, e outros projetos em favor dos refugiados e migrantes, “na direção do desenvolvimento de sociedades abertas e inclusivas”. A parcela destinada a intervenções culturais também é expressiva. “Devido à pandemia, o setor da cultura está entre os que mais sofrem – continua Trotta -. Sentimos assim particularmente a responsabilidade de apoiar projetos teatrais e artísticos, de investigação e divulgação sobre temas importantes de compromisso civil e social. Valdenses e metodistas, por outro lado, possuem uma longa tradição de compromisso no campo da educação, salvaguardando e valorizando o patrimônio histórico e cultural e sempre afirmaram que a cultura é um recurso essencial também para o crescimento civil e democrático e para o crescimento econômico e desenvolvimento social do país". A campanha Otto per mille de 2021 para as Igrejas valdenses e metodistas termina com um apelo aos contribuintes: "Sua assinatura é a diferença". “Queremos sublinhar – conclui Trotta – que quem assina pelos valdenses e metodistas também apoia uma forma particular de gestão dos fundos Otto per mille, que podemos definir como transparente, laica e participativa: qualquer pessoa, com um simples acesso ao site www.ottopermillevaldese .org, pode verificar a quem se destinam os valores recebidos do Estado; nenhum euro é destinado ao culto; todos os anos centenas de associações, ONGs, comunidades de vários tipos nos oferecem projetos que financiamos, acompanhamos e monitoramos, porque nos sentimos parte de uma comunidade global de homens e mulheres que nos cinco continentes fazem o possível para mudar o mundo, como construtores de paz, justiça e desenvolvimento sustentável. Uma meta ambiciosa, mas é isso que nossa fé e nossa tradição nos sugerem”. Os custos totais da campanha são inferiores a 5% dos valores recebidos. Além da publicidade nos principais jornais, estão previstos comerciais de rádio e televisão e cartazes afixados em algumas cidades italianas. ...

Ler artigo
Sobre amores protestantes – Nev

Sobre amores protestantes – Nev

Roma (NEV), 14 de fevereiro de 2020 – “Ao meu amável senhor”, escreveu a ela. Ele fora frade, ela freira, antes de casar. Estamos nas primeiras décadas de 1500 e a igualdade de gênero ainda estava por vir. E apenas em 14 de fevereiro de 1546, quatro dias antes de morrer, Martinho Lutero dirigido a sua esposa, Katharina von Bora, uma ex-freira cisterciense educada com quem se casou em 1525, a última de uma longa série de cartas. Restam 21 e a correspondência virou livro, editado por Reinhard Dithmar, editado por Claudiana. A primeira dessas cartas de Lutero para sua esposa data de 4 de outubro de 1529 e começa com o relato das conversações de Marburg. O livro com as cartas entre os dois reformadores, resenhadas entre outras coisas pelo escritor e jornalista Natália Aspesi, mostra um Lutero íntimo e privado e apresenta a relação entre um marido e uma esposa muito amada e estimada, inclusive no campo teológico. Um ano depois, em 1547, outra figura feminina de primeira importância para o protestantismo morreu em Roma, Vitória Colonna, marquesa de Pescara, pertencente à mais famosa e controversa corrente de reforma em curso na Cúria Romana. Segundo muitos estudiosos, Vittoria Colonna, poetisa e nobre, teria influenciado a religiosidade e o processo criativo de Michelangelo na década de 1540. A Pietà de Vittoria Colonna, desenho a giz sobre papel de Michelangelo Buonarroti, datável de cerca de 1546 e preservado no Museu Isabella Stewart Gardner em Boston Entre a mulher, uma das figuras mais influentes do evangelismo italiano, e o artista, houve também por muitos anos uma estreita correspondência epistolar, outras cartas, portanto, das quais duas cartas de Michelangelo e cinco da marquesa permanecem até hoje. “Um homem em uma mulher, de fato um deus“isso Michelangelo viu nela, como escreveu em suas rimas. Também neste caso, subverter a identidade de gênero, subverter masculino e feminino, para atribuir respeito, honra e estima a uma mulher que não representa o amor romântico, mas sim uma referência espiritual, intelectual e cultural. Provavelmente haveria muito mais "histórias" de diferentes "amores" a serem celebradas hoje, 14 de fevereiro. Para redescobrir, em vez ou antes dos chocolates, também o sentido primitivo de uma festa que deriva da lupercali, antigos ritos pagãos dedicados ao deus da fertilidade Luperco. Em sua homenagem, explica Treccani, as comemorações foram realizadas no dia 15 de fevereiro festas lupercais de purificação: primeiro as cabras e um cachorro foram imolados, depois dois jovens Luperci, com as testas molhadas com o sangue das cabras e vestidos com as peles dos animais sacrificados, correram pelo Monte Palatino atingindo as mulheres com tiras do mesmo pele. Era então o Dia dos Namorados: dias ligados à natureza, ao despertar da primavera, aos ritos de fertilidade dos campos e das pessoas. [BB] ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.