FCEI, a palavra aos conselheiros cessantes.  Stephen Bertuzzi

FCEI, a palavra aos conselheiros cessantes. Stephen Bertuzzi

Markus Spiske, unsplash

Roma (NEV), 28 de outubro de 2021 – Em vista da Assembleia a ser realizada nos próximos dias, quando o atual Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) terminará seu mandato e um novo Conselho e um novo presidente será eleito , reunimos o testemunho de serviço nestes anos de trabalho no Conselho da Federação, àqueles que, ou seja, têm orientado o caminho da FCEI. Pedimos assim aos vereadores e vereadores cessantes que nos falassem do passado, através de um balanço da experiência feita, e um olhar para o futuro.

Stephen BertuzziMetodista, criado em Trieste, agora mora no Piemonte e trabalha para a Diaconia Valdense.

Qual é a sua avaliação desta experiência?

“Seria muito fácil falar de um balanço muito positivo; talvez, porém, a definição que mais me agrada seja a de um orçamento rico: de experiências, de conhecimentos, de ações, de fraternidade e – não podemos esconder depois destes quase dois anos de pandemia – também de muitas dificuldades, porém enfrentadas com determinação e consciência de nossas forças e limitações.

Há seis anos fui eleito para o Conselho da FCEI depois de uma longa experiência como vice-secretário, primeiro e depois secretário da Federação Juvenil Evangélica da Itália, a FGEI: aparentemente apenas uma carta mudou, em termos concretos para mim significou a transição para o compromisso “adulto” para as igrejas; significou entrar em contacto com realidades que eu pouco conhecia – o FGEI dirige-se sobretudo a jovens mulheres “BMV” – e lidar com projetos de grande complexidade e valor. Eu não tinha certeza do que me esperava. No entanto, o ambiente que encontrei revelou-se acolhedor e fraterno, de modo a permitir-me abordar até os assuntos mais complexos, sentindo-me ouvido e útil.

Cito alguns dos temas que me são particularmente próximos, ciente de que a lista deveria ser bem mais longa: o programa Esperança do Mediterrâneo, que cresceu diante de nossos olhos, mostrando o quanto as igrejas protestantes italianas ainda têm muito a fazer e dizer ; a comunicação através dos diversos meios de comunicação da FCEI, cada vez mais ricos e eficazes; temas como justiça ambiental e social que nunca foram esquecidos, mas estiveram no centro de muitas iniciativas, eventos, reflexões úteis para as igrejas e a sociedade; finalmente, a FCEI foi capaz de responder a muitas emergências na Itália e no exterior nos últimos 6 anos. Agradeço ao Senhor por me dar a oportunidade de fazer parte de uma grande e complexa máquina.

Que testemunho você tem vontade de deixar para aqueles que virão depois de você?

Como mencionei anteriormente, devido ao meu percurso profissional, entrei no Conselho sentindo-me um pouco “cota jovem” e por isso o meu primeiro pensamento é deixar o testemunho das experiências vividas no mundo juvenil, do projecto Ser Igreja Juntas, questões ambientais, inclusão social, gênero e orientação sexual que são centrais para as gerações dos “Millenials” e “Z”. São temas cuja importância já é amplamente reconhecida e creio que não é necessário que quem tenha menos de 40 ou 30 anos os mantenha no centro da ação da FCEI.

Outra característica da Federação que eu gostaria que fosse aprimorada é ser uma promotora de ideias e projetos inovadores, capaz de atrair igrejas-membro e outras. Uma FCEI que não tem medo de ser uma voz profética na Itália e no mundo”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Armas e bilhões.  O “negócio principal”

Armas e bilhões. O “negócio principal”

Detalhe da capa do livro Futura D'Aprile "Crises globais e assuntos de liderança" (SEB27) Roma (NEV), 30 de março de 2023 – A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) relança a declaração do Observatório sobre os gastos militares italianos (MIL€X). Os Estados-Maiores das Forças Armadas pediram investimentos extraordinários para novos armamentos. "O custo dos investimentos extraordinários em novos armamentos será de pelo menos 25 mil milhões de euros - escreve MIL€X - se o ministro da Defesa Guido Crosetto implementará as propostas que os Chefes do Estado-Maior do Exército, da Marinha e da Aeronáutica apresentaram em suas audiências programáticas às Comissões de Defesa da Câmara e do Senado". Um programa de rearmamento, prossegue o Observatório, “impressionante, que teria um impacto considerável nos orçamentos dos Estados, justificado pelos militares com o risco real de guerra provocado pelo conflito na Ucrânia, mas que suscita mais do que uma perplexidade. Também em atenção ao recorde de aprovações de programas de compras militares ocorridas na última Legislatura”. Sobre o tema das armas e sistemas de guerra made in Italy, esta noite em Turim (18h00 no Circolo dei Lettori), Riforma – Eco delle valli valdesi juntamente com a Ordem dos Jornalistas do Piemonte e a editora SEB27 promovem um debate. “A política e as indústrias italianas no mercado de armas de guerra: como contribuem para a persistência dos conflitos bélicos, para a repressão de regimes autoritários, para as migrações; por que o setor de Defesa, cujos lucros nunca diminuem, é considerado estratégico e quanto contribui para o PIB e o emprego". É o que lemos na página do Círculo de Leitores dedicada ao evento, que conta com a participação de abril futuroespecialista em assuntos internacionais e armamentos e colaborador do jornal Domani; Albert Perducaex-procurador-chefe de Asti, assessor jurídico do Tribunal Penal Internacional por crimes cometidos na ex-Iugoslávia e depois da agência antifraude de Bruxelas Olaf, e chefe da missão Eulez, moderada por David De Michelisjornalista profissional, autor e realizador de documentários televisivos. Futura D'Aprile é, entre outras coisas, autora do livro "Crises globais e assuntos de liderança" (SEB27), com prefácio de Alex Zanotelli, volume no qual apresenta um panorama da indústria de defesa italiana, as leis utilizadas para regular o comércio de material bélico e a prática de contorná-las. “O negócio de armas nunca está em declínio na Itália como no resto do mundo – escreve Riforma citando o volume – «Seus lucros crescem tanto durante conflitos geopolíticos quanto em caso de crises econômicas, como a causada pela pandemia do COVID-19. O Estado, considerando estratégico o setor de defesa, apóia-o e protege-o da exposição à volatilidade do mercado. A escalada do conflito bélico à margem da União Europeia levou os parlamentos a votarem renúncias às exportações para zonas de guerra e ao aumento das despesas militares, de modo que enquanto na Ucrânia, como no Iémen ou na Líbia, os civis sofrem as terríveis consequências da a guerra, os lucros das holdings ao redor do mundo continuam subindo sem serem perturbados". > reserve aqui o seu lugar no Clube de Leitores de Turim. ...

Ler artigo
Aliança Batista Mundial.  Mackey é o novo presidente

Aliança Batista Mundial. Mackey é o novo presidente

Roma (NEV), 30 de julho de 2020 – O novo presidente da Aliança Batista Mundial (BWA) é argentino. é sobre o pastor Tomas Mackeyque foi eleito em 23 de julho e cujo mandato será de cinco anos. Mackey foi reitor do Seminário Teológico Batista Internacional em Buenos Aires, Argentina, de 1993 a 2004, e é professor desde 1979. Dirige a Fraternidade Pastoral da Associação Batista Argentina (ABA), foi Secretário Executivo da Juventude Batista Argentina de 1976 a 1978, e é Conselheiro Juvenil da Associação Batista Argentina desde 2005. Foi membro fundador da Aliança Cristã de Igrejas Evangélicas da República Argentina (ACIERA), membro fundador e atual membro do Conselho de Administração do Fórum Social Ecumênico, bem como membro do Conselho de Administração da Kairos Fundação de 1988 a 2004 e membro do Conselho de Administração da Sociedade Bíblica Argentina de 2004 a 2008. Ele atua no pastorado desde 1978 e desde 1988 é pastor da Igreja Batista de Buenos Aires, Argentina. “A Global Baptist Alliance abriu meus olhos para o mundo”, disse Mackey. Estou ansioso pela oportunidade de continuar servindo ao Senhor e à família BWA nesta função e convido todos a se juntarem a mim para experimentar a bênção de servir ao Senhor e à família batista em todo o mundo”. ...

Ler artigo
Tertio Millennio Film Festival.  Estão abertas as inscrições para a competição de curtas-metragens

Tertio Millennio Film Festival. Estão abertas as inscrições para a competição de curtas-metragens

Roma (NEV), 19 de setembro de 2018 – Estão abertas as inscrições para a competição de curtas-metragens da XXII edição do Tertio Millennio Film Fest, um festival de diálogo inter-religioso envolvendo protestantes, católicos, judeus e muçulmanos. O tema deste ano, “Estamos aqui. Jovens, desejo de participação e busca de sentido”. O prazo para inscrição de curtas-metragens é 31 de outubro de 2018. “Este ano o tema é dedicado aos jovens, aos seus valores, ao seu mundo e às dificuldades que têm de enfrentar na sociedade moderna”, lê-se no comunicado de apresentação da iniciativa. Os participantes devem ter entre 18 e 29 anos e são convidados a realizar um curta-metragem que conte a história de "uma juventude que sai, que se entrega, que se renova sem lágrimas, porque é capaz de se regenerar, primeiro de todos com seus pais, seus primeiros guias”. Os 3 primeiros classificados serão premiados no dia 15 de dezembro de 2018 por ocasião da noite de entrega dos RdC Awards, os prestigiosos prêmios da Rivista del Cinematografo atribuídos no âmbito do Tertio Millennio Film Fest que este ano acontecerá em Roma a partir de 11 até 15 de dezembro de 2018. O Tertio Millennio Film Fest é organizado pela Entertainment Foundation (FEdS) e conta com a colaboração, entre outras, da Protestant Cinema Association"Roberto Sbaffi”, do Centro Judaico Italiano Pitigliani, da Comunidade Religiosa Islâmica Italiana (COREIS). Para anúncio, requisitos e formulário de participação clique AQUI ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.