Igrejas reformadas em todo o mundo: renovando a imaginação e a esperança

Igrejas reformadas em todo o mundo: renovando a imaginação e a esperança

Martin Junge traz saudações da Federação Luterana Mundial (FLM). foto CMCR

Roma (NEV), 11 de junho de 2021 – O Comitê Executivo da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (CMCR-WCRC) se reuniu pela primeira vez em dois anos devido à pandemia de covid-19. Os trabalhos foram realizados digitalmente no final de maio.

O Comitê definiu um plano de trabalho para o futuro. Criou grupos de trabalho para a sustentabilidade e para a próxima Assembleia Geral. Além disso, definiu uma política de justiça de gênero. Por fim, agradeceu ao Secretário-Geral cessante Chris Ferguson por seu serviço.

O presidente Najla Kassab convidou a Comunhão a uma “imaginação renovada” para os vários desafios e a uma “esperança radical”.

“Quando a vida de Jesus se manifesta em nós, ficamos na esperança. Como Comunhão, renovamos nossa imaginação, que se inspira na esperança de ver nosso Senhor continuar caminhando conosco para um amanhã melhor”, disse ele.

A mensagem do Comitê Executivo

O Comitê Executivo emitiu uma mensagem (disponível em inglês, francês, alemão e espanhol) em consonância com as palavras de Kassab.

“A pandemia revelou injustiças, sejam elas sociais, políticas ou econômicas. Expôs a desigualdade, a exploração e a opressão que estão enraizadas nos sistemas econômicos. Ele destacou como a dignidade das pessoas, os cuidados de saúde e outros direitos fundamentais são garantidos apenas para aqueles que podem pagar. Quase em todo o mundo os mais vulneráveis, pobres e marginalizados são os mais afetados pela doença e suas medidas de controle”. Lê-se no comunicado final do CMCR.

Nesta situação, o Comitê pede a toda a Comunhão e a todas as pessoas de boa vontade que “se unam a nós para discernir ‘O que Deus quer de nós’ (Miquéias 6:8)? Este processo buscará estabelecer uma compreensão teológica renovada da crise atual. Esperamos que esta prática comum de discernimento leve toda a Comunhão – local, regional e global – a uma resposta teológica profética e a ações específicas de testemunho que falam a verdade ao poder e pedem justiça”.

justiça de gênero

Ao adotar sua Política de Justiça de Gênero, o Comitê Executivo procurou promover a visão e o engajamento nas igrejas e na sociedade. Precisamos “enfrentar as desigualdades e injustiças de gênero na Comunhão e nas igrejas membros”, recomenda o próprio Comitê.

Um ano de transição

Chris Fergusoncujo mandato termina em 31 de agosto, expressou “agradecimento ao nosso presidente e dirigentes, membros do Executivo e todos aqueles com quem tive o prazer de colaborar no serviço nas regiões, redes e comitês”.

Atualmente não há candidatos para o cargo de Secretário-Geral. A Comissão Executiva aprovou assim um período transitório, a partir de 1 de setembro, com um colégio provisório. Os três atuais Secretários Executivos (Hans Lessing da Igreja Evangélica de Vestfália. Felipe Pavãoda Igreja do Norte da Índia. Phil Tanis da Igreja Reformada da América.) assumirá as funções e responsabilidades do secretário geral, juntamente com o presidente e os comitês diretores. Trata-se de “um novo modelo de responsabilidade compartilhada no qual será vital o envolvimento de executivos e líderes regionais”, comentou o presidente Kassab.

No período de transição, parte do trabalho também se concentrará no planejamento da próxima Assembleia Geral, prevista para 2024. E na escolha de um candidato a secretário até maio de 2022.

O próximo Comitê Executivo será realizado no final de novembro.


Para mais informações, leia o relatório do delegado italiano Cláudio Páscoa sobre Chiesavaldese.org

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Começa hoje o Sínodo Luterano em Roma

Começa hoje o Sínodo Luterano em Roma

Roma (NEV), 28 de abril de 2022 – A XXIII sessão do Sínodo da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) começa hoje em Roma, no Hotel Villa Aurelia.Uma vez cumprido formalmente a constituição do "parliamentino" luterano, prevista noNo início da tarde, entraremos no centro do debate com o relatório do Presidente do Sínodo, Wolfgang Pradera que se seguirão os relatórios do Consistório e do Reitor cessante, Heiner Bludau.Em seguida, será a vez dos cumprimentos do Presidente da Federação das Igrejas Evangélicas emItália, Daniele Garroneo primeiro convidado entre vários esperados para os próximos dias.Uma sessão, a XXIII, que verá a eleição do Reitor e do Vice-Reitor do CELIprevisto para sábado, 30 de abril.Após o período de pandemia, portanto, o Sínodo Luterano volta a se reunir ao vivo, em Roma.Para Wolfgang Prader, 47, presidente do Sínodo, a nomeação deste ano éparticularmente relevante porque “estamos mais uma vez na condição de nos encontrarmos em presença […] para discutir e debater após a sessão do ano passado teve que ser realizada online". Os sinodais, mais de 50, como aponta o vice-presidente do sínodo Ingrid Pfrommer“eles são escolhidos pelas 15 comunidades luteranas presentes na Itália, e terão a tarefa de discutir as várias resoluções e propostas apresentadas, votando a seguir e participando das eleições para a renovação dos mandatos sinodais”.Entre as atividades programadas para esta XXIII sessão, uma mesa redonda, amanhã, 29abril, moderado pelo vice-reitor Kirsten Thiele, que terá como tema “liberte-se para a liberdade”. Com a participação de representantes do mundo protestante europeu: MichaelHubner (Secretário Geral da Federação Mundial Martin Luther), Leon Novak (Bispo da Igreja Evangélica da Confissão Augusta na Eslovênia), Gerhild Herrgesell (Conselheiro Eclesiástico para o desenvolvimento da Igreja Evangélica Austríaca) e Olaf Wassmuth (Chefe do Departamento de Turismo do Sul da Europa e Exterior da Igreja Evangélica Alemã).O Sínodo Luterano representa, portanto, como afirma uma nota do CELI, "uma importante oportunidade não só religiosa, mas de confronto e debate com os fermentos teológicos, sociais e culturais que animam as sociedades europeias no atual momento histórico, oferecida em comparação com a empresa italiana". ...

Ler artigo
Piedicavallo (Biella).  O Festival de Música passa pelo histórico templo valdense

Piedicavallo (Biella). O Festival de Música passa pelo histórico templo valdense

foto Wikicommons Roma (NEV), 1 de agosto de 2023 - "Horizontes efêmeros", edição XXXIII da Festival Piedicavallo. Sons, música, conhecimento, num percurso cultural e musical já consolidado no Valle del Cervo, na província de Biella, neste Festival que há anos toca também o templo valdense, como palco de iniciativas e concertos. "Do subsolo das raízes, informe e fértil, onde tudo se origina, de repente uma batida rítmica, emergindo na superfície, deu corpo ao movimento: erguido no ar, o som e a voz sondam a atmosfera rarefeita de uma mudança " lê-se na introdução ao evento, que se desenvolve em três secções distintas: Simbiosi, Fortepiano e Aurora. O templo valdense de Piedicavallo tem uma longa história, diz o presidente do Conselho da igreja valdense de Biella Pedro Magliola (transmitido no culto evangélico na Rádio RAI1 no dia 16 de julho, do minuto '10''31 ao minuto '16''41, link no final da página). “A data de fundação da comunidade valdense remonta a 1888, quando o professor chega à aldeia Elisa Goss e encontrou uma escola. Dois anos depois, em 1890, dos mil habitantes, 77 haviam se tornado membros da igreja valdense”, explica Magliola. Posteriormente, um templo foi adicionado à escola, projetado pelo arquiteto Gay di Susa. Ao longo dos anos, a igreja segue a tendência demográfica. Hoje são cerca de 100 habitantes e a comunidade está praticamente extinta. O templo da pequena aldeia de Piedicavallo, no entanto, apesar de estar fechado nos meses de inverno, no verão é um centro de cultura e um local de culto, em domingos alternados, "Para não abrir mão de seu legado espiritual e material ", diz o presidente. O templo é todo em pedra e foi construído graças ao esforço econômico da população e da comunidade local. Um culto tradicional em Piemonte é celebrado todos os anos. A próxima, que encerra a temporada de verão do templo de Piedicavallo, será realizada no domingo, 27 de agosto. Nascido na onda da discussão conciliar dentro da Igreja Católica, seja para rezar a missa também em dialeto ou apenas em italiano (escolhendo então esta opção), explica Magliola, o culto em piemontês ganha vida graças à paixão de Gustavo Buratti, estudioso e defensor das minorias linguísticas e religiosas. O pastor o segurou inicialmente Ernesto Ayassotdo que com Buratti e com o poeta piemontês Camilo Brero no final da década de 1970, ele também traduziu alguns hinos para o piemontês. Entre os compromissos do Festival Piedicavallo destacamos: Quarta-feira 2, seção Simbiose, classe mestre do musicólogo Jacopo Tomatis sobre "Voz e som na era digital (ou era?).“. Das 15h30 às 18h30, no templo valdense. Sexta-feira 4, seção Fortepiano, concerto "forteou” do mestre Carlo Mascheroni. Aos 18, no templo valdense. Aqui a página do Festival: Culto Evangélico | Culto Evangélico de 16/07/2023 | Rai Rádio 1 | Reproduzir Som ...

Ler artigo
Pequenos valdenses crescem – Nev

Pequenos valdenses crescem – Nev

Torre Pellice (NEV), 24 de agosto de 2023 – “Gostaríamos de uma igreja com escorregas e plantas no interior. Gostaríamos que todos pudessem dar a sua opinião, eliminação dos trabalhos de casa, cidades mais coloridas”. O “Sínodo para as crianças” reunido recentemente em Torre Pellice apresentou os seus pedidos precisos à assembleia homóloga dos adultos no final da tarde de 24 de Agosto. Sobre o que é isso? A carta com os pedidos do Sínodo das Crianças Traversari Gesine, coordenadora do grupo de trabalho para a organização do Sínodo sobre as crianças, nomeada pelo Conselho Valdense por mandato do Sínodo do ano passado, e mãe de três crianças que participaram no projeto, explica: “O grupo de trabalho era composto por 5 pessoas. A ideia surgiu do fato de uma menina, num sínodo passado, ter perguntado aos seus pais: “Mas onde está o meu sínodo?”. Daí a vontade de responder e organizar o Sínodo das Crianças. Procurámos, portanto, pensar no que poderia ser, promover um percurso que fosse mais do que babysitting, mas sim uma atividade pensada na perspetiva das crianças. Foram-lhes propostos temas como a participação democrática, falavam de direitos e liberdades, e também da comunhão entre eles. Para nós, adultos, que participamos no Sínodo Valdense é também um momento em que nos reencontramos e estamos juntos todos os anos, portanto paralelamente a iniciativa para os mais pequenos é um investimento nas relações entre eles e, mais importante ainda, neles gostam muito". Dezesseis crianças de toda a Itália, com idades entre 5 e 13 anos, participam do Sínodo para as crianças, pela manhã há "cultini", ou momentos de oração, depois visitas e itinerários: foram convidados da Rádio Beckwith, em Villa Holland, participou de diversas oficinas, visitou o museu valdense, jogou jogos e realizou inúmeras atividades práticas. Fizemos algumas perguntas aos pequenos participantes desta versão reduzida do corpo executivo das igrejas valdenses. O que é o Sínodo? “Um momento em que os adultos se encontram e discutem coisas importantes na igreja”, explica Matteo, 10 anos, de Veneza. Quem é Jesus? “Ele é o Filho de Deus, é como um amigo e nos protege e morreu por nós, para que sejamos livres”. Do que você gostou mais? “Encontrar as outras crianças”, acrescenta outro pequeno sinodal. Para Martina, 9 anos, de Verona, o Sínodo das crianças está indo “bem”, ela não sabe do que menos gostou porque “tudo é lindo”. Sobre os adultos, ele sabe que “eles trocam informações, escolhem se querem mudar algumas coisas ou não... Os bancos deveriam ser trocados, porque são assentos do século XIX”. Quem são os valdenses? “Outra religião que não tem Papa, não tem padres, a mulher pode fazer tudo... Uma pastora é como um padre, só mulher, e pode casar”. Voltando ao mundo dos adultos, “propusemos atividades adaptadas à idade das crianças, paralelamente ao Sínodo dos adultos, procurando seguir os temas propostos pela assembleia dos “grandes”, e os mais pequenos mostraram que saiba como se sentir bem todos juntos. É uma experiência muito positiva”, afirma Miriam Bufapsicoterapeuta, um dos animadores do Sínodo dos pequenos, junto com um grupo de voluntários. «No Sínodo anterior, em 2022, foi aprovado um ato em que era solicitada a organização deste espaço – acrescenta Daniele Parisiprofessora e membro do grupo de trabalho que idealizou a iniciativa - que já não se tratava apenas de uma babá para permitir que deputados, párocos e pastoras com crianças participassem no Sínodo, mas também uma forma de devolver às crianças e às meninas um momento central na vida da nossa igreja”. No final da tarde de quinta-feira, 24 de agosto, os meninos e meninas do Sínodo foram recebidos na sala sinodal, onde apresentaram a sua carta repleta de propostas. Resultado? Uma ovação de pé e uma moção votada em tempo recorde: o Sínodo das Crianças estará lá novamente no próximo ano. Para saber mais: Um Sínodo “amigo das crianças”, Reforma28/07/2023 As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.