O Dia da Liberdade.  O podcast do Nev

O Dia da Liberdade. O podcast do Nev

Roma (NEV), 16 de fevereiro de 2021 – O segundo episódio do podcast “NEVerending stories”, o podcast da agência de notícias NEV, é dedicado ao Dia da Liberdade de 17 de fevereiro. Neste dia, os valdenses e todos os evangélicos comemoram o aniversário do dia em que obtiveram direitos civis e políticos com a Carta Patente. Um primeiro passo para a liberdade religiosa que é, desde 1848, um dia de celebração mas também de reflexão sobre a questão dos direitos, para todos e não só para os protestantes.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Especial Karlsruhe// Dia da Criação

Especial Karlsruhe// Dia da Criação

Karlsruhe (NEV), 1º de setembro de 2022 – Meio ambiente e mudança climática no centro da agenda da Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CMI). E este só poderia ser o tema prioritário dos trabalhos do evento em Karlsruhe, no dia do início do Tempo da Criação. De fato, 1º de setembro é um dia de oração dedicado à Criação: a ideia nasceu em 1989 por desejo do Patriarca Ecumênico Dimitrios, que sugeriu que o primeiro dia do ano ortodoxo, precisamente 1º de setembro, fosse considerado um dia "de proteção ao meio ambiente". Assim, desde a Assembleia Ecumênica Europeia em Graz, Áustria, em 1997, o “Tempo da Criação” tornou-se um tempo litúrgico ecumênico global, cada vez mais participado em todos os níveis, terminando em 4 de outubro. Voltando à cúpula de Karlsruhe, na coletiva de imprensa de hoje, o representante do povo Sami, Júlia Rensberg, delegada da Igreja da Suécia, falou de como a mudança climática é concreta e visível, inverno após inverno, em sua terra natal. Ela e seu povo estão literalmente morrendo de fome devido ao aumento das temperaturas na região do Ártico, que é uma "fronteira". Ele também lembrou como suas raízes estão ligadas à "mãe terra" e o impacto da das Alterações Climáticas “em florestas naturais, que conservam um enorme patrimônio em termos de biodiversidade”. Joy Kennedy ela é a moderadora do grupo de trabalho sobre mudança climática do Conselho Mundial de Igrejas. “Precisamos de uma nova teologia para o clima, uma cosmologia, uma nova forma de viver neste cosmos”, declarou no encontro com a imprensa realizado esta manhã. Mas, ele admitiu, nem todas as igrejas estão fazendo sua parte ou realmente entenderam a urgência desta questão. Uma crise que afeta globalmente, desde o norte profundo representado, por exemplo, pela voz do expoente Sami até o Caribe. Björn Wards, delegado da igreja presbiteriana de Trinidad e Tobago, destacou os múltiplos problemas da região de onde vem, também ligados ao fenômeno da grilagem de terras (a grilagem de terras para agricultura, na sua maioria intensiva, sem consentimento ou em qualquer caso em detrimento das comunidades locais, ed.). Efeitos devastadores para esses territórios, também potencializados pelo turismo de massa. Nos próximos dias, a ecologia e o ambiente continuarão a estar entre os temas mais falados tanto nos eventos oficiais da Assembleia como nas iniciativas paralelas. Amanhã, sexta-feira, 2 de setembro, por exemplo, está previsto o protesto climático do movimento #FridaysforFuture liderado por jovens, com uma marcha simbólica e um programa de intervenções do palco com vozes, canções, apelos à solidariedade global e ação dos jovens. A iniciativa nasceu graças ao Encontro Ecumênico de Jovens (EYG), um grupo de jovens de todo o mundo que organizou uma greve pela justiça climática, em conexão com o movimento lançado pela Greta Thunberg. O EYG Climate Group é constituído por cerca de 25 voluntários com menos de 30 anos. Desde que chegaram a Karlsruhe, eles se reuniram todos os dias durante o horário de almoço para compartilhar histórias e experiências sobre como o clima está mudando seus países e regiões de origem e para planejar a greve. Aqui está o vídeo da conferência de imprensa do clima:[embed]https://www.youtube.com/watch?v=sOSY5zaclWc[/embed] Para saber mais: ...

Ler artigo
tudo começa com uma casa aberta e um coração aberto

tudo começa com uma casa aberta e um coração aberto

Foto retirada de chiesadimilano.it Roma (NEV), 16 de maio de 2019 – O evento ecumênico promovido pelo Conselho das Igrejas Cristãs de Milão, "Juntos pela Europa", foi realizado no dia 9 de maio em Milão. 19 igrejas cristãs presentes, protestantes, católicas e ortodoxas, e numerosos movimentos e associações. Entre as presenças protestantes, os párocos Anna Maffei, Cristina Arquidiácona, Anne Stempel-De Fallois E Dorothee Mackda qual extraímos trechos do discurso, inspirados no texto dos Atos 16,11-15. “O que vem à mente quando você pensa na Europa e no cristianismo? Quando você reflete sobre o relacionamento deles e sua história comum? – pergunta-se Mack em sua meditação -. Cada igreja, cada movimento poderia contar sua própria história, seus primeiros passos no continente europeu, em muitos lugares, em muitas cidades, em muitos países diferentes. Hoje, porém, parece-me importante recordar 'o início dos primórdios' da história do cristianismo aqui na Europa”. O início é colocado por Mack em Filipos, no norte da Grécia, na casa de um empresário, comerciante de púrpura, na casa de Lídia, como lemos na Bíblia. “É claro que também era necessária a presença do apóstolo Paulo e seus companheiros e colaboradores. Foram necessárias pessoas multiculturais e interculturais como Paulo, pessoas que conheciam bem tanto a cultura judaica quanto a grega, que sabiam falar línguas diferentes e se sentiam pertencentes a culturas diferentes”. Foto retirada de chiesadimilano.it O verdadeiro protagonista do livro dos Atos, que narra a história do cristianismo primitivo, é o espírito santo, diz a pastora, que impele Paulo e seus seguidores a "ultrapassar fronteiras e barreiras para chegar à Europa e falar de Jesus Cristo a um grupo de mulheres reunidas em oração à beira do rio perto da cidade de Filipos… Para Lídia, a primeira cristã na Europa, é óbvio: depois da abertura do coração, vem a da casa. Lydia obriga esses homens estrangeiros, da Ásia Menor e do Oriente Médio, a ficarem em sua casa. Lídia acolhe com o coração a fé cristã e pratica o acolhimento destes estrangeiros – prossegue na sua reflexão -. O cristianismo chegou à Europa graças a casas abertas como a de Lídia. Graças ao acolhimento e hospitalidade praticados por você e por muitos outros. Acolhida e hospitalidade são, portanto, as raízes do cristianismo na Europa. Tudo começa com uma casa aberta e um coração aberto." Ao encerrar seu discurso, Dorothee Mack também lembrou o trabalho realizado nos últimos 13 anos pelo Fórum das Religiões que “nos últimos meses refletiu em conjunto sobre a importância da hospitalidade como um valor fundamental presente em todas as religiões”. ...

Ler artigo
Religiões do G20, Kitanovic (KEK): “Mais e mais casos de violação da liberdade religiosa”

Religiões do G20, Kitanovic (KEK): “Mais e mais casos de violação da liberdade religiosa”

Elle Leontiev, antisplash Roma (NEV), 23 de setembro de 2021 – Elizabeta Kitanovićsecretário executivo para os direitos humanos da Conferência das Igrejas da Europa (KEK) é o protagonista da terceira e última entrevista realizada à margem do G20 das religiões, em Bolonha. A Conferência das Igrejas Europeias, juntamente com o Centro de Segurança e Crise (SACC) do Congresso Judaico Europeu (EJC), Faith Matters e a União Budista Europeia, recebeu uma subvenção de 3 milhões de euros da Comissão Europeia para a Proteção de locais de culto na Europa em maio passado. O CEC está muito comprometido com a questão da liberdade religiosa. Qual é a situação na Europa? Quais projetos estão em andamento? O nosso principal compromisso, graças ao contributo da Comissão Europeia, é dar formação sobre segurança nos locais de culto, para sensibilizar os cidadãos, através de diversas atividades de literacia religiosa. Dentro desse programa tão amplo, produzimos um guia para as agências de aplicação da lei: um documento dirigido aos "insiders", de advogados a policiais, para tentar explicar como o cristianismo, o budismo, o 'slam e o judaísmo, nos vários países, como comunidades vivem e se organizam. O segundo passo, novamente em termos de advocacia e informação, foi produzir orientações para líderes religiosos e fiéis sobre a proteção de locais de culto. Não importa se você é crente ou não, porque ter mais informação e consciência pode salvar a sua vida e salvar a vida de outras pessoas. Construímos então um website, www.sasce.eu, e promovemos centenas de cursos de formação. Os dirigidos aos líderes das igrejas, para os ajudar a tomar consciência dos riscos: isto significa que as igrejas e símbolos eclesiásticos em edifícios religiosos devem ter planos específicos de segurança. E também significa que os líderes religiosos devem manter relações muito estreitas e constantes com as forças da ordem, para prevenir qualquer ataque e episódio de possível risco. Além disso, no âmbito deste projeto, produzimos e enviamos mensalmente à Comissão Europeia um relatório sobre episódios de violação da liberdade religiosa. Uma questão particularmente importante é a da incitação ao ódio na esfera pública, com base religiosa, alarme que infelizmente registramos em constante crescimento. Queremos garantir, desta forma, que a União Europeia esteja a par das informações e denúncias que recebemos, dos relatórios que nos chegam das igrejas de todo o continente. E em maio de 2021, pela primeira vez, o executivo da comunidade produziu um guia real sobre segurança em locais de culto. Então, as violações da liberdade religiosa estão aumentando na Europa? Infelizmente, há um aumento dramático nas violações da liberdade religiosa na Europa, em todas as comunidades. Um fenómeno que, infelizmente, muitas vezes conduz ao anti-semitismo e à islamofobia, a formas gravíssimas de discriminação e, por vezes, de forma dramática, a atentados terroristas que causam mortos e feridos. Mas agora temos uma nova consciência, uma abordagem inter-religiosa para tais violações. Até recentemente, parecia que cada comunidade tendia mais a se proteger e, de fato, um mecanismo de "competição" foi acionado de alguma forma entre as vítimas. Trabalhamos em sentido ecumênico justamente para dizer que toda violação do direito de professar a própria fé conta, que todos devemos lidar com ela juntos, independentemente da confissão a que pertençamos. Este é o grande desafio que nos espera”. O projeto SASCE visa aumentar a segurança dentro e fora dos locais de culto, bem como entre as comunidades. As quatro organizações desenvolverão ferramentas para fortalecer a conscientização sobre segurança e o gerenciamento de crises. Uma rede coordenará cursos de treinamento e briefings para comunidades religiosas. Campanhas de comunicação também serão ativadas. Por fim, o projeto pretende promover a confiança e a cooperação entre a sociedade civil e as autoridades nacionais e é financiado pelo Fundo de Segurança Interna da Comissão Europeia “ISF-P” e terminará em 2023. Para saber mais sobre o tema: Outras entrevistas do G20 das religiões: Jim Winkler, presidente do Conselho Nacional de Igrejas de Cristo nos EUA (NCCCUSA) Philip Vinod PavãoSecretário Geral Interino para Programas da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (CMCR) ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.