#SPUC 2020. Variações da filantropia

#SPUC 2020. Variações da filantropia

O encontro na Golden Gate de Giotto (c. 1303-1305), afresco na Capela Scrovegni em Pádua, escolhido para acompanhar o tema da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2020 “Eles nos trataram com bondade”. Imagem wikipedia

Roma (NEV), 18 de janeiro de 2020 – Trataram-nos com bondade: este é o tema da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC), que acontece, como acontece todos os anos há mais de meio século, de 18 a 25 Janeiro, promovido mundialmente pelo Conselho Mundial das Igrejas (CEC) e pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos. Eles nos trataram com gentileza (talvez seja melhor traduzir: “com humanidade”). É uma citação do livro dos Atos dos Apóstolos no capítulo 28.2, quando o apóstolo Paulo escapa de uma terrível tempestade e naufraga na ilha de Malta, junto com alguns de seus companheiros, os soldados que o levaram prisioneiro para Roma e para marinheiros. Quem é que trata Paolo e os outros náufragos com bondade (ou humanidade, se preferir)? São os habitantes de Malta, que acolhem, refrescam e aquecem os náufragos frios e húmidos. E por que escolher tal texto para a Semana da Unidade? A resposta das igrejas cristãs de Malta, que prepararam os materiais para a Semana, é que este texto é mais atual do que nunca. “Em várias partes do mundo – lê-se na introdução – muitas pessoas enfrentam jornadas igualmente perigosas, por terra e por mar, para escapar de desastres naturais, guerras e pobreza. Também a sua vida está à mercê de forças imensas e altamente indiferentes, não só naturais, mas também políticas, económicas e humanas. A indiferença humana assume muitas formas: a indiferença de quem vende lugares em barcos inseguros a pessoas desesperadas; a indiferença das pessoas que decidem não enviar botes salva-vidas; a indiferença de quem rejeita os barcos dos migrantes. Esta história interpela-nos como cristãos que enfrentam juntos a crise migratória: somos coniventes com as forças indiferentes ou acolhemos com a humanidade, tornando-nos assim testemunhas da amorosa providência de Deus para com cada pessoa?».

A narração dos Atos dos Apóstolos desenvolve boa parte do linguagem de boas vindas que encontramos no Novo Testamento. Existem três verbos acolhedores: acolher, receber, hospedar. Os malteses são definidos como “bárbaros” (porque não pertencem ao mundo da cultura grega), mas são bárbaros hospitaleiros que literalmente acolhem os náufragos com uma “filantropia fora do comum”. Ainda em Malta, o notável Públio “amigo” acolhe Paulo e seus seguidores (28,7): a palavra grega é filofronosoutro termo que, como filantropiaé composto com filia, amizade. Com efeito, no Novo Testamento, o vocabulário do acolhimento está intimamente ligado ao conceito de filiaamizade: se é filantropiaisto é, de amizade e humanidade para com todos os seres humanos, ou do Filadélfiao amor entre irmãos, ou mesmo dos filoxenia, amizade para o estrangeiro, são apenas variações do mesmo conceito. E contrastar essas diferentes formas de amizade/amor (por exemplo, afirmar que o amor pelos nossos conterrâneos vem em primeiro lugar) não faz sentido: certamente não do ponto de vista da mensagem cristã.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Semana dos Direitos celebrada pelos batistas italianos

Semana dos Direitos celebrada pelos batistas italianos

O tema da Semana, que será celebrada de 6 a 11 de abril, é o direito à educação e à instrução. “Este ano – lê-se numa carta enviada às igrejas pelo Departamento – queremos chamar a atenção das comunidades para a questão do direito à educação e à instrução. O mundo inteiro tomou consciência dramaticamente da grande disparidade que ainda habita nossa sociedade. É difícil garantir o mesmo direito à educação para todos. Um direito que desempenha um papel fundamental na afirmação de todos os outros direitos. E isso de alguma forma os protege. De fato, muitos falam de paz e justiça. Mas devemos ser capazes de nos dar cursos de formação, um caminho, uma escola que eduque homens e mulheres para a paz e a justiça”. Devido à pandemia, o aniversário também acontecerá eletronicamente este ano. “Mas isso não deve nos desanimar”, escreve novamente o Departamento de Evangelização. Uma série de materiais será publicada para a ocasião no site do Semeador (ilseminatore.net) e na página da revista no Facebook (Il Seminatore). Semana dos Direitos. Plano Em particular, entre os muitos conteúdos compartilhados, destacamos: dois artigos sobre o papel da educação e formação no projeto de professores protestantes Fabricio Oppoe Stephen Meloni. o testemunho de Yacouba Coulibaly, responsável por projetos de desenvolvimento em alguns países africanos. Uma meditação bíblica sobre Isaías 1, 17 pelo pastor Lucas Reina. As entrevistas em vídeo feitas a três teólogas envolvidas na formação. Em particular, um Frances Nuzzoleseconsultor de trauma especializado em teologia pastoral e psicoterapia. na pastora Gabriela Lio, presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI). Finalmente, alla pastora Lydia Maggi, responsável pela Pastoral Bíblica Itinerante da UCEBI. Para os mais pequenos, o vídeo tutorial musical da música Gam Gam Gam, produzida pelo Maestro Emanuel abril. Além disso, um quadro comemorativo especial "Semana dos Direitos 2021 UCEBI" estará disponível para ser incluído em seu perfil no Facebook. Uma exposição virtual dos desenhos que os meninos e meninas nos enviaram sobre o tema "Escola dos Sonhos!" estará aberta aos visitantes. Terça-feira, 6 de abril, ao vivo no Facebook e YouTube pelos pastores Abril Máximo E Anna Maffei. Tema: o direito à educação e à formação. (Transmissão na página do Facebook do Semeador às 20h55. Simultaneamente, na página do Facebook do Pastor Aprile e no canal do YouTube da Igreja Batista Milan Pinamonte). Extensão MLK Pastor Martin Luther King (cujo aniversário de morte cai no domingo deste ano da Páscoa) em um de seus artigos ele escreveu: StSomos inclinados a permitir que nosso pensamento seja invadido por legiões de meias-verdades, preconceitos, e propaganda. Neste ponto, muitas vezes me pergunto se a educação está cumprindo seu propósito ou se não. A grande maioria das chamadas pessoas instruídas não pensa de forma lógica e cientificamente. Mesmo a imprensa, os tribunais, as campanhas eleitorais e o púlpito, em muitos casos, não estão lá. eles oferecem verdades objetivas e imparciais. Salvar o homem do lodo da propaganda é uma das principais objetivos da educação. A educação deve permitir a peneiração e a pesagem das evidências, discernir o verdadeiro do falso, o real do irreal e o fato da ficção. […] Devemos lembrar que inteligência não é suficiente. Inteligência mais caráter: este é o objetivo da verdadeira educação. A educação abrangente oferece não apenas um poder de concentração, mas objetivos dignos sobre os quais focar. Se não tomarmos cuidado, nossas faculdades produzirão um bando de propagandistas tacanhos, anticientífico, ilógico, acostumado a ações imorais. Estejam alertas, irmãos! Cuidado, professores! ...

Ler artigo
Sondrio.  educação para a paz

Sondrio. educação para a paz

Detalhe do cartaz da conferência "Educação para a paz", 4 de junho de 2022, Sondrio Roma (NEV), 1 de junho de 2022 - A conferência intitulada "Educação para a paz" será realizada em 4 de junho em Sondrio. O dia representa uma oportunidade para refletir juntos sobre a escola secundária inferior e fazer um balanço dos aspectos pedagógicos, sociais, educativos e culturais do nosso tempo. A conferência é organizada pelo Centro Cultural Evangélico de Sondrio juntamente com a Ópera Nacional Montessori e o Milanese Comprehensive Institute "Ricardo Massa”. “2022 é um excelente ano para falar de escola – escreve o presidente do Centro Evangélico, Emanuele Campagna –, pois são 60 anos da extensão da escolaridade obrigatória ao ensino médio”. Falaremos sobre inovação na escola e também sobre o método Montessori. É uma oportunidade, continua Campagna, “de falar da reforma escolar concebida por Maria Montessori (cf. O Erdkinder. Os filhos da terra – para uma reforma do ensino secundário), dado que este ano marca o 70º aniversário da sua morte”. O presidente conclui: “A nossa intenção é muito ambiciosa porque queremos propor uma forma de identificar a função educativa da idade desenvolvimentista (11-13 anos) na construção da personalidade e na autoconfiança”. Eles conversam sobre isso juntos Milena Piscozzo (Nas dobras da história escolar). Gianpaolo Bovio (O mundo claro-escuro da escola). Elizabeth Nigris (Escola e atualidades). Antonella Binago (Educação para a paz na escola). Às 12 horas, o debate foi aberto. Conclusões do Diretor de Sondrio Fábio Molinari. Marcação a partir das 9h45 na sala "Fabio Besta", gentilmente cedida pela Banca Popolare di Sondrio. Ao vivo, acesse pelo link abaixo: Leia AQUI as biografias dos oradores. Para mais informações, clique aqui. Baixe o FLYER. ...

Ler artigo
Ceia do Senhor aberta a todos

Ceia do Senhor aberta a todos

Ilustração retirada do número 9 da "Hospitalidade Eucarística" Roma (NEV), 26 de junho de 2019 - O grupo ecumênico que redigiu o boletim "Hospitalidade Eucarística" propôs um documento intitulado "A Ceia do Senhor", escrito pelo pároco e teólogo valdense Paulo rico juntamente com o padre católico e teólogo João Ceretipara definir os pontos de convergência essenciais a respeito da Ceia do Senhor. O documento - datado de 25 de maio e co-assinado por párocos, pastores, teólogos e sacerdotes - propõe alguns pontos comuns sobre a compreensão da Ceia do Senhor, com base nos quais os redatores acreditam que "é possível para todo cristão batizado, em a obediência à própria consciência e a plena solidariedade com a própria Igreja, para sermos acolhidos como convidados em todas as mesas cristãs onde se celebra a Ceia do Senhor». A Ceia do Senhor que, na esfera católica, é definida principalmente como a Eucaristia e, na esfera protestante e evangélica, a Santa Ceia. Entre os pontos salientes do texto, o conceito de que a Ceia pertence precisamente ao Senhor e não às igrejas e, portanto, é Jesus quem a convida e preside; a consideração de que "as diferentes doutrinas de interpretação dos gestos, palavras e presença de Jesus na Ceia têm todas o seu significado e valor próprios, mas não são constitutivas da Ceia"; o fato de que representa "um momento de união entre os cristãos e, portanto, não pode ser ocasião de divisão". Aqui estão os nomes dos co-signatários: maria bonafedepastora valdense; Daniele Garroneteólogo valdense e conselheiro da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), André Grilloteólogo católico; Lydia Maggipastor batista; Carlos Molariteólogo católico; Fredo OliveroPadre católico; Emmanuel Paschettopastor batista; José Platãopastor valdense, Antonieta Poderosateólogo católico; Felice ScaliaPadre católico; Antonio Squitieripastor metodista; Kirsten Thielepastor luterano. É possível aderir à Declaração Conjunta divulgada na folha "Hospitalidade Eucarística" pelos dois teólogos, enviando um e-mail para [email protected] especificando sobrenome e nome, estado civil ou religioso, igreja cristã de referência, município de residência, endereço de e-mail para o qual as comunicações devem ser enviadas (que não serão publicadas em nenhum caso). Você pode especificar o pedido de anonimato no e-mail pelo nome e possivelmente pela ordem religiosa; a adesão neste caso constará apenas no total numérico dos recebidos. Baixe o documento completo aqui Ceia do Senhor. O folheto "Hospitalidade Eucarística" é editado por Margarida Ricciuti (valdense) e Pedro Urciuoli (católico), como parte do grupo ecumênico "Partir o pão" nascido em 2011 em Turim, que inclui indivíduos protestantes e católicos. O grupo envolve também igrejas, mosteiros e paróquias e está aberto a todos os interessados ​​em praticar a recepção recíproca da “Santa Ceia Protestante” e da “Eucaristia Católica” nas igrejas; em 2017 também propôs um questionário sobre o tema. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.