Uma amizade islâmica-cristã.  Primeiros passos institucionais em Florença

Uma amizade islâmica-cristã. Primeiros passos institucionais em Florença

Roma (NEV), 28 de janeiro de 2020 – O encontro “Fraternidade humana pela paz mundial e a coexistência comum será realizado na quinta-feira, 30 de janeiro, em Florença. Seguindo os passos de Abu Dhabi no sinal de amizade entre cristãos e muçulmanos”.

Com este encontro, os promotores pretendem “destacar a partilha do Documento de Abu Dhabi entre componentes cristãs e islâmicas, com o desejo de dar vida a um caminho para uma relação mais estruturada entre as duas realidades religiosas, para uma Amizade Islâmica-Cristã em Florença”, lê-se no cartaz da iniciativa.

Igrejas protestantes locais também foram convidadas, para as quais ele participará Letizia Tomassonepastor da igreja valdense em Florença.

O Documento de Abu Dhabi foi assinado em conjunto pelo papa Francisco e pelo Grande Imam Aḥmad Muhammad Aḥmad al-Ṭayyib de Al-Azhar sob o conferência global da fraternidade humana, conferência internacional inter-religiosa em Abu-Dhabi, Emirados Árabes Unidos, em fevereiro de 2019. Organizada pelo Conselho Muçulmano de Anciãos como parte do Ano Internacional da Moderação, contou com a presença de líderes religiosos de todo o mundo, incluindo o secretário-geral do Conselho Mundial de Igrejas (CE) Olav Fykse Tveit.

O Documento também foi examinado em detalhe em maio de 2019 durante o Conferência “Promovendo a Paz Juntos”, durante a qual foi lançado oficialmente o Documento “Educação para a Paz em um Mundo Multirreligioso: Uma Perspectiva Cristã”, elaborado conjuntamente pelo Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso e pelo Conselho Mundial de Igrejas (CEC).

O encontro marcado para esta iniciativa piloto de “amizade islâmica-cristã” é quinta-feira, 30 de janeiro, às 17h45, na Sala Teatina, na Via De’ Pescioni 3, em Florença.

Descarregue aqui o PROGRAMA: convite 30 de janeiro de 2020

O encontro foi promovido pela Fundação e Centro Internacional Giorgio La Pira, juntamente com a comunidade islâmica de Florença e Toscana e o Instituto Universitário Sophia, em colaboração com diversas realidades religiosas e seculares da região.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

igrejas européias.  Os desafios para os direitos humanos em tempos de coronavírus

igrejas européias. Os desafios para os direitos humanos em tempos de coronavírus

Roma (NEV), 6 de julho de 2020 - Haverá também o presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), pároco Luca Maria Negroentre os palestrantes da 7ª edição da "Escola de verão" sobre direitos humanos organizada pela Conferência das Igrejas da Europa (KEK) juntamente com a Igreja Evangélica na Alemanha (EKD). O título desta edição, que decorrerá de 7 a 10 de julho de 2020 em modo online, é: “Os desafios para os direitos humanos em tempo de covid-19”. O Presidente Negro participará da primeira sessão do segundo dia, quarta-feira, 8 de julho, sobre o tema dos desafios para as igrejas da CEC no momento do coronavírus, especificamente na área de liberdade de religião ou crença e outras direitos fundamentais. “Nos países democráticos da Europa – lê-se no programa da manhã – a democracia, os direitos humanos e o estado de direito são administração ordinária. Em tempos normais, o direito à liberdade de religião ou crença é um dado adquirido pela maioria das pessoas na Europa. Durante a pandemia, os governos europeus reagiram de várias maneiras, limitando o direito à liberdade de religião ou crença. Algumas tradições, como a ortodoxa (relativa à prática milenar da "colher compartilhada" para receber a comunhão), levantaram questões sobre se a comunhão é uma fonte de saúde ou doença. Em algumas tradições protestantes, a adaptação a novas formas de culto tem se mostrado difícil”. Em 3 webinars, diferentes igrejas do CEC apresentarão suas experiências e reações, em relação à liberdade de religião ou crença, e como vários países europeus tentaram derrogar as normas de direitos humanos, para investigar as consequências. O pároco da EKD moderará o debate Patrick Schnabel com Kieryn Wurtsda Federação Batista Europeia (EBF). Além do pastor Luca Negro, que participará pela Itália, estará presente o pastor Christian KriegerPresidente do CEC, da França; Emanuel-Pavel Tavala Da Romênia; o bispo da Igreja Evangélica Católica Apostólica Lusitana de Portugal Jorge Pina CabralPresidente do Conselho Português das Igrejas Cristãs (COPIC), o pároco Daniel Topalskida Igreja Metodista Unida na Bulgária. A Escola de Verão CEC sobre Direitos Humanos ocorre em um local europeu diferente a cada ano. Este ano decorrerá em modo online devido à pandemia de covid-19. Esta escola de verão é implementada com contribuições das igrejas membros do CEC e apoiada pela Arquidiocese Ortodoxa Grega de Tiateira e Grã-Bretanha. Baixe o programa completo aqui: ...

Ler artigo
Paz.  O CMI convida você a dedicar o domingo, 22 de maio, à oração pela paz

Paz. O CMI convida você a dedicar o domingo, 22 de maio, à oração pela paz

Kingston, Jamaica Roma (NEV), 13 de abril de 2011 – Encontros de oração ao amanhecer, plantando árvores, compartilhando orações, pensamentos e imagens nas redes sociais como twitter e facebook. Estas são algumas das propostas lançadas pelo Conselho Mundial de Igrejas (CEC) para fazer do dia 22 de maio um domingo dedicado pelos cristãos de todo o mundo à paz. De fato, o domingo em questão se enquadra no apelo ecumênico internacional pela paz que, por iniciativa do CMI, será realizado em Kingston (Jamaica) de 17 a 25 de maio próximo. Mais de mil participantes se reunirão na cidade caribenha para o que já está sendo anunciado como o maior encontro ecumênico pela paz já organizado. “As igrejas do Caribe prepararam uma oração traduzida em vários idiomas para ser lida durante as iniciativas do dia 22 em qualquer lugar do mundo. Será um sinal tangível de comunhão entre os cristãos do planeta”, explicou o pároco Olav Fykse Tveit, secretário geral do CMI. Um apelo que foi também retomado por "Ousar a paz pela fé", o movimento ecuménico juvenil italiano que, no seminário realizado em Roma nos dias 2 e 3 de Abril do ano passado, divulgou um comunicado no qual se pede, entre outras coisas, que " que todas as comunidades cristãs do nosso país – paróquias, grupos de base, cenáculos de estudo, igrejas evangélicas – acompanhem com a sua intercessão a preparação e a realização do encontro de Kingston, dedicando o domingo 22 de maio a uma oração coral e comunitária para que a comunidade ecumênica montagem em Kingston pode alcançar os resultados desejados”. Comentando as demais propostas para o Domingo da Paz, o secretário-geral do CMI sublinhou que “quem decidir plantar uma árvore o fará com o espírito de simbolizar o esforço de levar a paz de Cristo a um mundo sofredor”. Tveit também destacou a importância das redes sociais: “Pode ser um verdadeiro desafio escrever uma oração em apenas 140 caracteres no Twitter”. A esse respeito, um exemplo de culto pela paz projetado especificamente para o twitter está disponível no site do CMI. Outros textos litúrgicos e reflexões para a ocasião estão disponíveis no site www.overcomingviolence.org. "Cada um deve usar a linguagem que mais lhe convém para construir pontes para uma paz justa", concluiu Tveit. ...

Ler artigo
#ThursdaysInBlack no Sínodo Valdense contra a violência contra as mulheres

#ThursdaysInBlack no Sínodo Valdense contra a violência contra as mulheres

Foto de Pietro Romeo/Reforma Roma (NEV), 24 de agosto de 2023 – #ThursdaysInBlack, a campanha global por um mundo sem estupro e violência, no Sínodo Valdense, hoje, quinta-feira, 24 de agosto. As deputadas reunidas e reunidas na Torre Pellice (Turim) usaram o distintivo de mobilização e uma peça de roupa preta, como símbolo da luta contra a violência de género. Leia mais: Acabar com a violência contra as mulheres #ThursdaysinBlack é uma campanha nascida da Década das Igrejas em Solidariedade com as Mulheres (1988-1998), para tornar visíveis histórias sobre violação como arma de guerra, injustiça de género, abuso, violência e para tornar visíveis a resiliência e os esforços das mulheres. A campanha foi inspirada nas Mães da Plaza de Mayo em Buenos Aires, nas Mulheres de Preto em Israel e na Palestina, nas mulheres de Ruanda e da Bósnia. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.