A reforma encontra Nápoles – Nev

A reforma encontra Nápoles – Nev

Roma (NEV), 29 de janeiro de 2021 – “A reforma encontra Nápoles” é o novo livro, publicado há algumas semanas por Claudiana Editrice, editado pelo vice-presidente da FCEI, Christiane Groeben. Uma viagem a Nápoles que foi uma das capitais do pensamento reformado, entre a arte, a arquitetura e a Reforma, e que também tem entre suas paradas o famoso museu Capodimonte. Conversamos sobre isso com a curadora, que nesta jornada reuniu duas de suas grandes paixões: o compromisso de tornar viva a memória e a cidade de Nápoles.

“A Reforma encontra Nápoles” é um projeto promovido pela comunidade luterana da capital da Campânia como parte do 500º aniversário da Reforma Protestante: como surgiu a ideia deste livro especificamente, uma longa viagem pelos lugares napolitanos de a Reforma?

Temos caminhado em várias direções, conseguindo envolver grupos muito diferentes: desde os cidadãos, com passeios, às escolas, com a criação de um vídeo, até ao mundo do entretenimento, ao mundo académico e a um público de marcado interesse histórico e cultural. O livro é a conclusão natural de tudo isso, uma coleção final das muitas iniciativas promovidas em Nápoles, que queríamos coletar para ter rastros e memórias de todo esse trabalho sobre a Reforma.

Você conta uma anedota muito particular relacionada à Capela do tesouro de San Gennaro da Catedral de Nápoles, com uma pintura em que a mãe de Jesus “encontra” os reformadores Lutero e Calvino, depois fala do Cristo crucificado por Giorgio Vasari em a igreja de San Giovanni in Carbonara “em perfeita solidão”. Que papel desempenhou Nápoles na iconografia da época da Reforma?

Ao longo do percurso fomos compreendendo e descobrindo também que nesta cidade houve e sempre houve uma abertura geral a outras formas de expressão. Nápoles sempre foi uma cidade que se opôs ao poder, à cultura dominante, sempre foi contra a maré. Há, portanto, vestígios da Reforma em muitas obras de arte, nem sempre traços positivos. Por exemplo, por volta de 1540, os seguidores locais de Valdés, segundo testemunhos contemporâneos, haviam caiado os ternos decorados da igreja da cidade de San Paolo Maggiore que lhes foi confiada. Se pensarmos na Reforma, as cidades italianas associadas a este período são outras, como Veneza, enquanto esta obra demonstra que a capital da Campânia também teve grandes influências, demonstradas pelos sinais ainda hoje visíveis, daquele momento histórico, desse pensamento teológico.

Foto: Caixa de rapé dos heresiarcas. Lid, os Heresiarcas – Museu Nacional de Cerâmica Duca di Martina, Nápoles (inv. n.º 2836). Cortesia do Ministério do Patrimônio e Atividades Culturais – Campania Museum Complex. Fotógrafos Luciano Basagni e Alessandra Cardone.

A última parte do volume é dedicada à tabaqueira dos heresiarcas, manufacturada por Ginori a partir de 1760, objecto único, segundo afirma, “pelo seu equilíbrio entre a mensagem iconográfica e a verbal”. Você pode explicar por quê?

O que o torna particular é que as figuras não são apenas identificadas e classificadas como “boas e más”, através de citações do Inferno de Dante. Mas o grupo dos reformadores, muito específico – o que significa que quem criou a relíquia conhecia a fundo o assunto – se opõe aos “drudes amorosos” (a referência é ao décimo segundo canto do Paraíso de Dante, ed.). Abrindo a tabaqueira, os “hereges” estão de cabeça para baixo… É um objeto raro, que deixa em aberto muitas questões sobre a atualidade da Reforma ainda no período seguinte, 200 anos depois daquela virada, demonstrando o quanto ela animou os napolitanos debate cultural e não só”.

O volume “A Reforma encontra Nápoles”, editado por Christiane Groeben, vice-presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, é editado por Claudiana, à venda aqui, no site da editora.


Christiane Groeben, filóloga e arquivista de origem alemã, é membro da Comunidade Luterana de Nápoles. De 1969 a 2010 foi responsável pelo arquivo histórico da Estação Zoológica Anton Dohrn e publicou numerosos ensaios no campo da história da ciência e sobre a história da Estação Zoológica e de Nápoles em particular.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

“Uma nova comunidade onde as diferenças são respeitadas e valorizadas”

“Uma nova comunidade onde as diferenças são respeitadas e valorizadas”

Foto Laura Caffagnini Roma (NEV), 3 de agosto de 2021 - Concluiu-se a 57ª jornada de formação da Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) realizada em Camaldoli, na província de Arezzo, de 25 a 31 de julho de 2021. Este é o título da sessão: “'Contarás a teu filho' (Ex 13,8). As palavras de fé na sucessão das gerações. Uma busca ecumênica (I)”. A reunião contou com uma grande participação de jovens: estudantes, seminaristas, catequistas que trabalham em suas respectivas igrejas. Ao final da reunião, em diálogo com o presidente da SAE Pedro Stefanio pregador valdense Erica Sfredda ele disse: “Chegamos com nossas histórias e bagagem pesada e bebemos das mesmas fontes. Ecumenismo é ter um novo estilo de vida aberto aos outros, aos migrantes, aos colegas; é uma nova forma de encarar a vida”. A SAE escreve no comunicado de imprensa que relata os últimos dias de trabalho: "A comunidade cristã é também uma comunidade de profetas onde as vozes se respeitam, não se impõem, se compõem e se submetem ao discernimento mútuo em vista da construção de o crescimento de todo o corpo de Cristo". Este é o coração da meditação Maria Paola Rimoldi, membro do grupo teológico SAE. O teólogo pentecostal, propondo o "canto e contra-canto" do livro do profeta Joel (cap.3,1) e dos Atos dos Apóstolos (cap.2,16-17) mostrou como "a Escritura comenta a dentro de si ensinando-nos a abordar o texto e a abrir-nos a novas descobertas e relações a partir dele”. Profecia e colaboração A boa notícia válida para todos os tempos, continua a SAE, é que “diante da falibilidade do ser humano e do seu pedido de arrependimento, a resposta do Senhor supera todas as expectativas. Seu próprio espírito, o Ruach, será aspergido sobre toda a 'carne'. O Espírito rompe a realidade para reconstruir uma nova visão das coisas. E fundar uma nova comunidade na qual as diferenças sejam respeitadas e valorizadas. Onde as palavras ressoam na linguagem de cada um e são compreensíveis para todos e para todos, seja qual for a sua origem. Isso também é verdade hoje, continua Rimoldi, de forma inclusiva como Joel profetiza. Tanto filhas como filhos, nomeados individualmente, receberam a investidura de porta-vozes da Palavra de Deus”. O teólogo sublinha ainda: “com a vinda do Espírito, jovens e velhos não são colocados num plano vertical, mas num plano de contiguidade e colaboração. Todos são chamados ao mesmo tempo e caminham juntos num espaço horizontal de respeito, admiração e igual partilha em que cada um enriquece o outro com o fruto do seu dom”. A profecia que Paulo recomenda a todos (1 Coríntios 14): “é um espírito de denúncia de todos os opressores. Espírito de revelação mostrando a vontade de Deus para o bem de nossas vidas. É um espírito de consolação que encoraja e conforta os que estão fracos e cansados. Ser profético envolve um esforço, um compromisso constante”. O testemunho de Valeria Khadija Collina A tarde contou com a presença Valéria Khadija Colinaentrevistado pelo editor-chefe da Avvenire Ricardo Maccioni. A mulher, mãe do jovem Youssef Zaghba morto pela polícia em Londres em 3 de junho de 2017 após causar a morte de oito pessoas, ele relembrou os acontecimentos na história da família. “A coragem de contar esta história – escreve a SAE – é a mesma com que Valéria Collina conta a sua própria história e a do seu filho em prisões juvenis a quem foi vítima da radicalização e parou a um passo do abismo. A mulher aceitou participar num projecto dedicado aos jovens atraídos pelo terrorismo e compromete-se a estudar os textos sagrados do Islão, a fazer uma releitura feminista dos mesmos e a transmitir o tema do diálogo inter-religioso através do teatro, disciplina a que dedicado como estudante universitário". Shabat O dia terminou com a liturgia ecumênica no átrio da igreja do Mosteiro seguida da entrada do Shabat, com o acendimento das velas pelo professor Laura Voghera Luzzattoesposa do inesquecível Amós Luzzattoque faleceu em 2020, um estudioso judeu simpatizante da SAE, e a oração de kidush recitado por Sandro Ventura por Shir Hadash, congregação de Florença da Federação Italiana para o Judaísmo Progressista (FIEP). Para mais detalhes: Leia os artigos do NEV sobre SAE. Acesse o canal do SAE no Youtube. ...

Ler artigo
Conselho Ecumênico abre indicações para comunicadores da Assembleia 2022

Conselho Ecumênico abre indicações para comunicadores da Assembleia 2022

Foto de arquivo Albin Hillert/CEC Roma (NEV), 13 de julho de 2021 – Até 15 de agosto é possível se inscrever para integrar a equipe de comunicação da 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), prevista para 2022 na Alemanha. O CEC convida comunicadores de todo o mundo a se juntarem à equipe. “Estamos procurando jovens comunicadores de 18 a 30 anos, bem como comunicadores seniores mais experientes, para nos ajudar a cobrir a comunicação da Assembleia em vários canais, globalmente”, escreve o CEC. Durante a 11ª Assembléia em Karlsruhe, Alemanha, a maioria dos comunicadores trabalhará remotamente em seus países de origem, sob a supervisão de pessoal experiente da equipe de comunicação do CMI. Um programa de treinamento abrangente será oferecido aos candidatos aprovados. Jovens comunicadores também aprenderão sobre ética na comunicação, seu papel fundamental na prevenção da disseminação de desinformação e padrões jornalísticos básicos, como verificação de fatos e citação responsável. “Não se espera que os jovens candidatos tenham tanta experiência, mas devem ter genuinamente interesse pela comunicação e vontade de aprender mais sobre o movimento ecumênico”, explica. Marianne Ejderstendiretor de comunicação do WCC. Proficiência total em inglês não é esperada, mas os candidatos devem ser capazes de se comunicar bem em inglês. Proficiência nas demais línguas oficiais do CMI (alemão, francês e espanhol) são consideradas preferenciais Os jovens finalistas serão selecionados para curtas entrevistas online em agosto e setembro de 2021 e iniciarão o treinamento básico de comunicação em outubro-dezembro de 2021. Espera-se uma certificação emitida pelo escritório de comunicação do CEC. Os finalistas seniores serão selecionados para curtas entrevistas online de setembro a dezembro de 2021. Os cargos de comunicador júnior e sênior são voluntários. A CEC arcará com as despesas de viagem e hospedagem dos selecionados para estarem presentes em Karlsruhe. Prazo para inscrições 15 de agosto de 2021. As perguntas devem ser enviadas para [email protected] Apenas as candidaturas online serão consideradas de acordo com os procedimentos indicados. Para mais informações sobre requisitos e procedimentos: Comunicador sênior da Assembleia - para candidatos seniores Junior Assembly Communicator - para candidatos juniores ...

Ler artigo
Está em andamento a 46ª Assembleia Geral da União Batista na Itália

Está em andamento a 46ª Assembleia Geral da União Batista na Itália

Roma (NEV/CS09), 20 de abril de 2022 – A 46ª Assembleia Geral da União Evangélica Batista Cristã da Itália (UCEBI) começa oficialmente na próxima sexta-feira, 22 de abril, em Pomezia (Roma). Após dois anos de hiato por conta da pandemia, as igrejas batistas italianas voltam a se reunir presencialmente com uma agenda lotada. Na agenda estão, entre outros temas, os temas da internacionalidade, multiculturalismo, cooperação. Uma mesa redonda e eleições para novos órgãos de governo também estão planejadas. Cerca de 100 delegados e convidados estrangeiros são esperados no Lazio para esta ocasião, incluindo Ingeborg te Loocoordenador da Rede de Aprendizagem do International Baptist Theological Study Centre em Amsterdã, e o pastor Antonio Santana Hernández da Fraternidade das Igrejas Batistas de Cuba (FIBAC), com a qual a UCEBI mantém relações fraternas de geminação há vários anos. Esta edição da Assembleia Geral, que se encerrará no dia 25 de abril, é acompanhada pelos seguintes versículos bíblicos: “Não temais, pequeno rebanho, porque aprouve a vosso Pai dar-vos o seu Reino” (Lucas 12, 32). / "Porque andamos por fé e não por vista" (II Coríntios 5:7). O programa O habitual culto de abertura realiza-se na sexta-feira, dia 22 de abril, pelas 8h30, organizado pelo presidente cessante João Paulo Arquidiáconocom liturgia editada por Alessandro Spano e o Ministério da Música. Sábado, 23 de abril, às 21h, mesa redonda sobre "Igrejas e visões do mundo: o arco do universo moral é longo, mas pende para a justiça (Rei do ML)”. As intervenções estão previstas Alexandre Portelli, Igiaba Scego, Raffaele Volpe, Silvia Rapisarda; moderado: Alberto Annarilli. Domingo, 24 de abril, é dia de moções e eleições, com um encontro noturno de reflexão e oração sobre a paz na Ucrânia e sobre o acolhimento de refugiados organizado por Ivano De Gasperis. Os trabalhos terminarão na segunda-feira, 25 de abril, com o culto de encerramento. Os temas Entre os temas em discussão nos próximos dias, além do funcionamento do Sindicato, também o Ministério Bíblico Itinerante, gestão e administração de bens e fundos, atividades editoriais e culturais, projetos, reuniões e conferências. No que diz respeito ao Otto per mille, as igrejas batistas apoiaram financeiramente famílias em dificuldades devido à pandemia e programas de acolhimento de refugiados nos últimos três anos, em colaboração, entre outras coisas, com a European Baptist Federation (EBF) e a Federation of igrejas evangélicas na Itália (FCEI). Além disso, estão previstos momentos de oração e elaboração comum, também em vista do próximo Assembléia-Sínodo que reunirá as igrejas Batista, Metodista e Valdense. E ainda: teologia, evangelização, mulheres, jovens, pastoral musical, formação pastoral, relações ecumênicas, fé e sexualidade, migrações, clima. As igrejas batistas na Itália são multiétnicas. A presença de crentes latino-americanos, mas também da Nigéria, Gana, Costa do Marfim, Coréia, abre uma nova visão do presente e do futuro. A história remonta a um longo caminho e começa com um movimento dentro do evangelicalismo mundial, que apela para as doutrinas fundamentais do protestantismo"sola gratia, sola fide, sola scriptura”. São comunidades que nasceram da experiência das chamadas igrejas separatistas inglesas na virada dos séculos 16 e 17 e se espalharam por todo o mundo, onde hoje somam cerca de 100 milhões de membros e simpatizantes. Para saber mais acesse FORMA. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.