…e o calendário do Advento da Federação da Juventude Evangélica

…e o calendário do Advento da Federação da Juventude Evangélica

Roma (NEV), 1º de dezembro de 2020 – Calendário do Advento para jovens evangélicos. O FGEI publica a partir de hoje, obviamente, 1 de dezembro, no seu site e nas suas redes sociais.

Depois da Igreja Valdense de Turim, outro calendário protestante para a aproximação do Natal.

“Hoje Dezembro começa – lemos no boletim divulgado pelos jovens evangélicos -, estamos nos preparando para o Natal, que certamente será diferente dos anos anteriores. E então pensamos: por que não tornar este período do Advento um pouco mais especial? Tentaremos juntos tornar este Natal mágico mantendo-nos unidos e unidos, mesmo que distantes! hoje poderemos abrir juntos uma caixinha do nosso calendário virtual do advento todos os dias. Nós o intrigamos? Vamos abrir a primeira caixa juntos!”

Aqui o calendário, com a caixinha do primeiro dia do mês (que contém um vídeo para deixar algo bem natalino…mas não queremos “estragar” o conteúdo).

No mesmo número da newsletter do FGEI, há um encontro marcado (online) para o próximo sábado dia 5 de dezembro, pelas 17h30, sobre questões de privacidade, no âmbito do projeto Geração Multimédia, criado pelo FGEI com o apoio da Otto per Mil da Igreja Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense.

Pelas 17h30 a introdução e apresentações, a atividade temática terá início às 18h e prolongar-se-á até às 20h. “A atividade – explicam os promotores – não é um webinar, nem uma conferência, vamos tentar propor algo mais semelhante a um FGEI campo, ainda que em edição COVID-19”. As inscrições são bem-vindas escrevendo para [email protected].

Segue abaixo o flyer do encontro.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Mulheres em igrejas e comunidades de fé: algo para mudar?

Mulheres em igrejas e comunidades de fé: algo para mudar?

Reconstrução feminina do "Quarto Stato" de Giuseppe Pellizza da Volpedo realizada por professores e alunos do instituto técnico comercial "Giovanni Caboto" de Chiavari - segunda-feira, 15 de janeiro de 2018 Roma (NEV), 5 de fevereiro de 2020 - A Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) - grupo de Milão e o Centro Cultural Protestante de Milão apresentam o seminário "Mulheres nas igrejas e comunidades de fé: algo para mudar?". É um ciclo de 4 encontros, que será aberto na segunda-feira, 10 de fevereiro, para explorar o papel das mulheres nas comunidades judaica e islâmica, nas igrejas evangélicas e na Igreja Católica Romana. “Nas igrejas e nas comunidades de fé existem diferentes ideias sobre a posição que a mulher deve ou pode ter – lê-se no cartaz -. Em algumas tradições religiosas houve notáveis ​​evoluções nos papéis aos quais eles têm acesso. De fato, dentro de sua religião, as mulheres podem ter uma importante função crítica ou proativa: onde assumiram cargos de responsabilidade, ocorreram mudanças significativas na vida e na prática da fé das comunidades. O tempo, as experiências e as reflexões espalhadas pelas diferentes confissões têm questionado as imagens consolidadas e os papéis estereotipados. Uma viagem está, portanto, em andamento. Na maioria das vezes, porém, ainda é uma jornada acidentada e com evidente resistência das comunidades em aceitar o pedido dooutra metade do céu ser mais presentes, mais responsáveis, mais protagonistas”. Os promotores também citam Susan Frederick Gray, presidente da Unitarian Universalist American Association (UUA): “O declínio não é responsabilidade das mulheres. E talvez sejamos a esperança para o futuro”. A perspectiva inicial do seminário, portanto, é que "a liderança feminina é essencial em uma época de declínio para muitas religiões". As reuniões serão coordenadas por Elza Ferrario da SAE e contará com a participação de estudiosos que desenvolverão problemáticas e perspectivas das diversas tradições religiosas. Abaixo está o programa. Baixe o cartaz Mulheres nas igrejas. segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020 Mulheres em comunidades judaicas Miriam Camerini, diretor de teatro, estudioso do judaísmo, Milão – Jerusalém segunda-feira, 9 de março de 2020 Mulheres em comunidades islâmicas Marisa Iannucci, Islamologista, presidente da Life Association, Ravenna Segunda-feira, 20 de abril de 2020 Mulheres nas Igrejas Cristãs Evangélicas Elizabeth Greenteólogo e pastor da Igreja Evangélica Batista, Cagliari segunda-feira, 11 de maio de 2020 Mulheres na Igreja Católica Romana Maria Soave BuscemiBiblista, Centro Ecumênico de Estudos Bíblicos, Brasil Os encontros serão das 18h às 19h30 na Livraria Claudiana – Via Francesco Sforza 12/a – 20122 Milão – entrada livre ...

Ler artigo
Um obstáculo para Jacopo Lombardini

Um obstáculo para Jacopo Lombardini

Jacopo Lombardini. Foto Fondazionevaldese.org Roma (NEV), 13 de abril de 2023 - Jacopo Lombardini (Gragnana, 13 de dezembro de 1892 - Mauthausen, 25 de abril de 1945), metodista, antifascista, professor, partidário, com o codinome de "Professor". Ele foi deportado, torturado e morto em Mauthausen, pouco antes do Dia da Libertação. Na sexta-feira, 21 de abril de 2023, às 17h30, será descoberto um pedra de tropeço em sua memória. A ideia parte da classe V do Escola Secundária Valdense de Torre Pellice. Por muitos anos, o colégio valdense dedicou um espaço de estudo aprofundado para lembrar a figura de Jacopo Lombardini. Feito pelo artista alemão Gunter Demniga pedra será colocada na via Beckwith, em frente ao atual centro cultural valdense de Torre Pellice, um antigo internato valdense, última residência de Lombardini antes de escalar as montanhas com os guerrilheiros. Ele também falará sobre Jacopo Lombardini Gian Mario Gillio próximo domingo em Rádio RAI1, culto evangélico na coluna por ele editada intitulada "Entre as palavras". Diferentes vozes pintarão um afresco desta figura histórica. São as vozes de Marco Fraschiaprofessor, ex-diretor da escola secundária valdense. Anna Giampiccoli, diretor do documentário “Jacopo Lombardini. Protestantes e liberdade” (feito em conjunto com alunos do colégio valdense, link no final da página). Bruna Peyrothistoriador e ensaísta. Jean Louis Sappéco-autor com Maura Bertin do espetáculo teatral realizado em Fossoli, campo de prisioneiros por onde se passava antes de ir para os campos de concentração. Lorenzo Tibaldo professor e autor, entre outras coisas, de "O viajante da liberdade. Jacopo Lombardini”, publicado por Claudiana. O projeto de colocação da pedra de tropeço também aderiu ao Fundação do Centro Cultural Valdense, o Município de Torre Pellice, a Igreja Valdense de Torre Pellice, o Colégio Valdense de Torre Pellice. Jacopo Lombardini, "Um homem de grande estatura moral e intelectual que viveu e ensinou os alunos do internato valdense, pagando por si mesmo o preço muito alto de uma vida gasta lutando contra o fascismo e todas as suas formas de opressão", escreve a Fundação, será lembrado durante uma cerimônia pública. Estarão também presentes representantes da ANPI, da Câmara Municipal de Torre Pellice e da Comissão de defesa dos valores da resistência e da constituição republicana. Haverá algumas leituras do Grupo de Teatro do Colégio Valdense e canções do Coro do Colégio. Para saber mais: Acesse o FACTSHEET do NEV: Jacopo Lombardini (1892-1945). Na Rádio Beckwith (RBE), Jorge Trombottoaluno do quinto ano do colégio valdense, relata o longo processo de introspecção que o colégio realizou ao longo dos anos sobre a figura de Lombardini. Angariação de fundos para a pedra de tropeço dedicada a Jacopo Lombardini Para apoiar este projeto, é possível participar com uma doação na arrecadação de fundos na Rete del Dono: www.retedeldono.it Além disso, a associação Amigos da Faculdade Valdense e a Escola Secundária Valdense de Torre Pellice organizam a viagem do “Barramento de memória”: uma viagem ao longo do itinerário do partidário Jacopo Lombardini. A viagem é aberta a visitantes de fora e acontecerá de 16 a 21 de maio. a cela do Quartel Ribet de Torre Pellice, o Quartel Pettinati de Luserna San Giovanni, o "Novo" quartel de Torino, Fossoli, Bolzano e finalmente Mauthausen. Por fim, o artigo de Luca Maria Negro sobre a ressurreição de Lázaro em uma meditação dada por Jacopo Lombardini para os guerrilheiros, publicada por ocasião da Páscoa em Riforma: [embed]https://www.youtube.com/watch?v=GpRzHm0HJ1w[/embed] ...

Ler artigo
Igrejas reformadas em todo o mundo: renovando a imaginação e a esperança

Igrejas reformadas em todo o mundo: renovando a imaginação e a esperança

Martin Junge traz saudações da Federação Luterana Mundial (FLM). foto CMCR Roma (NEV), 11 de junho de 2021 – O Comitê Executivo da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (CMCR-WCRC) se reuniu pela primeira vez em dois anos devido à pandemia de covid-19. Os trabalhos foram realizados digitalmente no final de maio. O Comitê definiu um plano de trabalho para o futuro. Criou grupos de trabalho para a sustentabilidade e para a próxima Assembleia Geral. Além disso, definiu uma política de justiça de gênero. Por fim, agradeceu ao Secretário-Geral cessante Chris Ferguson por seu serviço. O presidente Najla Kassab convidou a Comunhão a uma “imaginação renovada” para os vários desafios e a uma “esperança radical”. “Quando a vida de Jesus se manifesta em nós, ficamos na esperança. Como Comunhão, renovamos nossa imaginação, que se inspira na esperança de ver nosso Senhor continuar caminhando conosco para um amanhã melhor”, disse ele. A mensagem do Comitê Executivo O Comitê Executivo emitiu uma mensagem (disponível em inglês, francês, alemão e espanhol) em consonância com as palavras de Kassab. “A pandemia revelou injustiças, sejam elas sociais, políticas ou econômicas. Expôs a desigualdade, a exploração e a opressão que estão enraizadas nos sistemas econômicos. Ele destacou como a dignidade das pessoas, os cuidados de saúde e outros direitos fundamentais são garantidos apenas para aqueles que podem pagar. Quase em todo o mundo os mais vulneráveis, pobres e marginalizados são os mais afetados pela doença e suas medidas de controle”. Lê-se no comunicado final do CMCR. Nesta situação, o Comitê pede a toda a Comunhão e a todas as pessoas de boa vontade que “se unam a nós para discernir 'O que Deus quer de nós' (Miquéias 6:8)? Este processo buscará estabelecer uma compreensão teológica renovada da crise atual. Esperamos que esta prática comum de discernimento leve toda a Comunhão – local, regional e global – a uma resposta teológica profética e a ações específicas de testemunho que falam a verdade ao poder e pedem justiça”. justiça de gênero Ao adotar sua Política de Justiça de Gênero, o Comitê Executivo procurou promover a visão e o engajamento nas igrejas e na sociedade. Precisamos “enfrentar as desigualdades e injustiças de gênero na Comunhão e nas igrejas membros”, recomenda o próprio Comitê. Um ano de transição Chris Fergusoncujo mandato termina em 31 de agosto, expressou "agradecimento ao nosso presidente e dirigentes, membros do Executivo e todos aqueles com quem tive o prazer de colaborar no serviço nas regiões, redes e comitês". Atualmente não há candidatos para o cargo de Secretário-Geral. A Comissão Executiva aprovou assim um período transitório, a partir de 1 de setembro, com um colégio provisório. Os três atuais Secretários Executivos (Hans Lessing da Igreja Evangélica de Vestfália. Felipe Pavãoda Igreja do Norte da Índia. Phil Tanis da Igreja Reformada da América.) assumirá as funções e responsabilidades do secretário geral, juntamente com o presidente e os comitês diretores. Trata-se de “um novo modelo de responsabilidade compartilhada no qual será vital o envolvimento de executivos e líderes regionais”, comentou o presidente Kassab. No período de transição, parte do trabalho também se concentrará no planejamento da próxima Assembleia Geral, prevista para 2024. E na escolha de um candidato a secretário até maio de 2022. O próximo Comitê Executivo será realizado no final de novembro. Para mais informações, leia o relatório do delegado italiano Cláudio Páscoa sobre Chiesavaldese.org ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.