Migrantes, SAE: “Revogar os acordos Itália-Líbia”

Migrantes, SAE: “Revogar os acordos Itália-Líbia”

Desenho de Francesco Piobbichi, operador do “Mediterrâneo Esperança”, programa de refugiados e migrantes da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália

Roma (NEV), 13 de outubro de 2022 – “Não podemos aceitar que nosso país mantenha vivos acordos que de fato favorecem a interceptação e captura de migrantes, repulsão, negação do direito de asilo e detenção arbitrária nos campos de concentração líbios onde a violência, o estupro e torturas são perpetradas, e onde muitos e muitos morrem justamente por causa do tratamento desumano. Por esta razão, pedimos ao governo italiano que revogue imediatamente o Memorando de Entendimento entre a Itália e a Líbia, estipulado por Minniti-Gentiloni em 2 de fevereiro de 2017 e tacitamente renovável a cada três anos”. A SAE, Secretaria de Atividades Ecumênicas informa em nota.
“Este acordo – prossegue o texto –, no seu segundo triénio, voltará a expirar em fevereiro de 2023 e, não havendo ato de revogação até ao próximo dia 2 de novembro, será tacitamente renovado de novo”.

O Conselho de grupos locais da Secretaria de Atividades Ecumênicas da SAE reuniu-se em Roma no dia 9 de outubro de 2022 e votou por unanimidade duas moções: uma dirigida ao Presidente da República e ao Presidente do Conselho de Ministros, a outra a Monsenhor Erio Castellucci, presidente do Comitê Nacional do Caminho Sinodal da Igreja Católica na Itália, e para informação ao Cardeal Matteo Zuppi, presidente da CEI, e a Monsenhor Derio Olivero, presidente da Comissão Episcopal para o Ecumenismo e o Diálogo da CEI. A moção enviada ao Estado é a relativa ao Memorando de Entendimento entre a Itália e a Líbia. A moção enviada à Igreja Católica constata “a completa ausência de referências ao caminho ecumênico na Síntese nacional da fase diocesana do Caminho Sinodal da Igreja Católica na Itália, que contém apenas referências limitadas a pessoas de outras fés ou religiões” ; pede atenção a este tema e oferece a sua colaboração para criar “momentos e ocasiões em que se viva e tematize a dimensão ecuménica da Igreja”.

Quanto aos acordos com a Líbia, prossegue o documento, “não podemos ficar indiferentes face à perpetuação de uma situação de grave injustiça que vê de um lado o bem-estar económico, a sociedade da abundância e do desperdício, e
do outro, a desnutrição, a miséria e a fome – declaram -. Animados e animados pelo sentido da justiça e pelo espírito de solidariedade, denunciamos estes graves desequilíbrios que levam à morte tantas mulheres e homens, raparigas e rapazes, forçados a atravessar fronteiras clandestinamente ou amontoados em barcos para escapar à pobreza, à perseguição e à das guerras”.

Seguem os textos das duas moções aprovadas pela SAE.


A SAE é uma associação leiga e interconfessional, que em 1966 foi formalmente constituída como associação sob a presidência da fundadora Maria Vingiani. Desde 1964 organiza uma sessão anual de verão de formação ecumênica, da qual são publicados os Atos. Geralmente é acompanhado por uma conferência anual de primavera mais curta. Ele foi um dos promotores da época para o judaísmo (1989) e do documento para casamentos inter-religiosos entre católicos e valdenses-metodistas (1998). Em setembro de 2021, foi eleita Erica Sfreddavaldense, primeiro presidente evangélico da associação, que tomou posse oficialmente em janeiro de 2022.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Mattarella em Torre Pellice em agosto.  O sonho pró-europeu nasceu aqui.

Mattarella em Torre Pellice em agosto. O sonho pró-europeu nasceu aqui.

A placa será inaugurada na manhã de quinta-feira, 31 de agosto, na Torre Pellice, na presença do Presidente da República, Sérgio Mattarella, com um dia dividido em dois momentos distintos: um envolverá instituições civis locais e outro será dedicado à Igreja Valdense, realidade histórica do protestantismo reformado. À tarde continuaremos com uma conferência histórica promovida pela Prefeitura e pela Fundação Centro Cultural Valdense. A conferência, intitulada “A Europa de Altiero Spinelli. O importante legado de um federalista”, terá lugar no Teatro del Forte pelas 16h30. “Será um dia histórico não apenas para a comunidade de Torre Pellice, mas para toda a área de Pinerolo e os vales valdenses do Piemonte. – declara o Prefeito de Torre Pellice, Mark Cogno –. A presença e atenção do Presidente para pequenas comunidades como a nossa nos honra e nos fortalece em nossas ações diárias. Oitenta anos depois de 1943, a presença do Presidente adquirirá um significado ainda mais profundo para o nosso território graças aos valores democráticos e republicanos consagrados na nossa Constituição". "Estamos honrados com a visita do Presidente Mattarella em uma ocasião tão significativa para uma Igreja que sempre combinou uma fé vivida à luz do Evangelho de Jesus Cristo com um compromisso civil apaixonado – declara o moderador do Tavola Valdese, Alessandra Trotta –. Um tipo de compromisso que para toda uma geração de jovens valdenses em nossos vales e em outros lugares, exatamente oitenta anos atrás, também se tornou dramaticamente um compromisso de resistir ao nazifascismo, guiado por uma visão ampla de uma Itália e uma Europa fundadas em princípios de liberdade e a democracia, respeitadores da pluralidade de ideias e valores, amantes da paz e orientados para a promoção da solidariedade e dos direitos humanos". Recorde-se que entre 26 e 28 de agosto de 1943, a reunião de fundação da seção italiana do Movimento Federalista Europeu foi realizada na casa milanesa de Rollier, com a presença de Spinelli. O próprio Spinelli será então convidado de Rollier, alguns dias depois, na Torre Pellice onde, há oitenta anos, proferiu aquele primeiro discurso histórico. Uma utopia concreta e um projeto ainda por concretizar, portanto, a ideia de uma Europa federalista conheceu, de facto, um momento chave com o Manifesto Ventotene (escrito em 1941 por Ernesto Rossi e Spinelli), mas teve também uma passagem fundamental na Torre Fur. Alguns meses depois, em 19 de dezembro de 1943, encontramos Rollier em Chivasso, onde um grupo misto de antifascistas do Vale de Aosta e representantes dos vales valdenses se reuniram para redigir a chamada "Declaração de Chivasso". Reivindicava um federalismo que reconhecesse as pequenas autonomias culturais e linguísticas como expressões de liberdade face a uma visão autoritária e centralista do Estado. O mesmo grupo valdense que inspirou este documento desempenhou um papel importante na organização das "Jornadas Teológicas de Ciabàs" (1-2 de setembro de 1945) cujo tema era, precisamente, "Ecumenismo cristão e federalismo europeu". Leia Chiesavaldese.org ...

Ler artigo
Mulheres e a Bíblia” no início, boom de matrículas

Mulheres e a Bíblia” no início, boom de matrículas

Arquivo. 9 de março de 2015, assinatura no Senado do Apelo Ecumênico contra a violência promovido pela FDEI. Foto Elena Ribet Roma (NEV), 12 de março de 2021 – Atualmente, há 159 inscrições para o curso de teologia online "Violência e poder: mulheres e a Bíblia", que começa no domingo, 14 de março. Estamos falando de 159 homens e mulheres, católicos e protestantes, entre diáconos, teólogos, universitários, professores. Além disso, pastores probatórios, estudantes de faculdades teológicas, candidatos ao ministério e pessoas de diversas origens ecumênicas. Por exemplo, representantes de igrejas latino-americanas, de uma faculdade pontifícia, da Federação Italiana da Juventude Evangélica (FGEI), da Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE). Algumas inscrições vêm da Suíça, Argentina e Colômbia. Nos círculos protestantes e reformados, as inscrições vieram de áreas batistas, valdenses, luteranas, metodistas, do Exército de Salvação (SE), bem como de igrejas adventistas e pentecostais. Foto do cartaz do FDEI – detalhe. Imagem de Silvia Gastaldi – aquarela Ester O curso é organizado e promovido pela Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI). “Este é o sinal claro de uma necessidade que se faz presente – declarou o presidente da FDEI, pároco Gabriela Lio -. Estou muito feliz com essa incrível variedade de inscritos. A esperança é que este seja apenas o começo”. Essa necessidade de conhecimento nasce do desejo “de uma abordagem diferente, uma abertura à leitura dos textos bíblicos para redescobrir contextos e histórias que obscureceram o feminino por séculos – continuou Lio -. O trabalho do FDEI é assim. Contra a violência contra a mulher, sempre, e à luz da palavra”. O curso será ministrado por corinne lanoirestudioso da Bíblia e professor de Antigo Testamento na Faculdade de Teologia Protestante de Paris, e por Letizia Tomassoneteóloga, professora do curso de "Estudos Feministas e de Gênero" na Faculdade Valdense de Teologia em Roma. Os encontros serão realizados no Zoom de 14 de março a 9 de maio de 2021. Para informações, escreva para [email protected] As pessoas inscritas no curso receberão referências bíblicas e bibliografia aprofundada para cada encontro, além do link para se conectar à plataforma zoom onde será possível interagir com dúvidas e comentários. Os não inscritos ainda poderão acompanhar o curso em vídeo aula, diferido, na página do Facebook da igreja valdense em Florença, neste link. Segue abaixo o calendário de reuniões. Baixe o cartaz do curso de Teologia Bíblica em pdf 1ª REUNIÃO Como lemos a Bíblia. Até as matriarcas sofrem violência de gênero 14 de março das 17:00 às 19:00 zoom 2ª REUNIÃO Histórias de violência e patriarcado 28 de março das 17:00 às 19:00 zoom 3ª REUNIÃO O silêncio das mulheres 18 de abril das 17:00 às 19:00 zoom 4ª REUNIÃO Violência econômica e de poder 9 de maio das 17:00 às 19:00 zoom A Federação de Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) é um movimento de mulheres pertencentes às igrejas batista, metodista, valdense e outras organizações de mulheres na área evangélica (luteranas, adventistas, Exército de Salvação e Igreja Reformada do Ticino). Organiza e participa em iniciativas conjuntas com organizações de mulheres protestantes a nível internacional e mantém relações com organizações de mulheres católicas e seculares a nível nacional e local. Entre as iniciativas, a promoção do Apelo Ecumênico contra a violência contra as mulheres, assinado pela Igreja Católica, a Federação das Igrejas Protestantes da Itália, a Sagrada Arquidiocese Ortodoxa da Itália e Malta, a Diocese Ortodoxa Romena, a administração das paróquias da Patriarcado de Moscou, Igreja Ortodoxa Copta, Igreja Apostólica Armênia, Igreja Católica Bizantina Ucraniana, Igreja Católica Nacional Polonesa dos Estados Unidos da América e Canadá. ...

Ler artigo
19 de julho de 1620 – 19 de julho de 2020. Culto para recordar o “Sagrado Matadouro”

19 de julho de 1620 – 19 de julho de 2020. Culto para recordar o “Sagrado Matadouro”

A fachada da igreja valdense na via IV novembro em Roma. Foto da Wikipédia Roma (NEV), 15 de julho de 2020 - Um serviço de comemoração presidido pelo pároco valdense será realizado em Roma no domingo, 19 de julho Rio Emanuelexatamente 400 anos após o massacre conhecido como o "Sagrado Matadouro de Valtellina". “Relembraremos este episódio da nossa história durante o culto” escreveu o pastor Fiume na primeira página do boletim julho-agosto “Protestantes em Roma”, enviado aos membros e simpatizantes da comunidade valdense que se reúne na via IV novembro 107 em Roma . O culto do próximo dia 19 de julho, que como todos os domingos do período de verão acontecerá às 11h junto com a comunidade francófona, será realizado respeitando as medidas sanitárias e de segurança indicadas pela Junta Valdense e pelas autoridades. A agência de notícias NEV publicou um arquivo intitulado O "matadeiro sagrado" de Valtellina (19 de julho de 1620), editado pelo próprio Emanuele Fiume, no qual o pastor e estudioso refaz as etapas históricas do extermínio religioso de centenas de protestantes ocorrido em julho de 1620. Acesse o CARD. Para mais informações sobre o culto e sobre a igreja valdense na via IV de novembro em Roma clique AQUI ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.