“Os custos da guerra são pagos pela população”

“Os custos da guerra são pagos pela população”

Roma (NEV), 17 de outubro de 2019 – Ajudar milhares de refugiados sírios, um número cada vez maior que a escalada militar só pode aumentar exponencialmente: este é o primeiro objetivo e compromisso do pastor Riad Jarjoursírio de Aleppo, criado em Homs, presidente do Fórum de Desenvolvimento, Cultura e Diálogo de Beirute (FDCD).

A situação em toda a área é, obviamente, cada vez mais dramática. “Tentamos ajudar as pessoas, os deslocados (internamente pessoas deslocadas, idp, um acrônimo para indicar pessoas deslocadas, que não cruzaram as fronteiras de seu próprio país, ao contrário dos refugiados, mas que estão, portanto, entre as categorias mais vulneráveis, ed) para sobreviver, antes de tudo, e viver em condições dignas, com dignidade em abrigos adequados. E também tentamos ajudar a sociedade síria a se reconstruir: porque os valores desmoronam com a guerra”. A guerra destrói casas, estradas, aldeias, vidas pessoais, mas também sociedades inteiras, ou o que deveria manter uma sociedade unida. As Igrejas, portanto, segundo Jarjour, devem “trazer confiança entre as pessoas, criar caminhos de reconciliação entre as comunidades, promovendo os valores da igualdade e da cidadania. E prevenir a violência, o extremismo religioso”.

E na Europa, o que as igrejas e a sociedade civil podem fazer agora? “Pedir que as pessoas estejam no centro de todas as negociações, de tudo, olhando a realidade do ponto de vista das pessoas. Porque são eles, os povos, que pagam o preço da guerra, o custo das sanções impostas aos seus Estados”. “E continuar a apoiar as vozes da sociedade civil síria – acrescenta Mireille Hamouchedas FDCD – , partilham com ações de advocacia em todos os países europeus o que têm feito as muitas realidades da sociedade civil síria, que nos últimos 7 anos conseguiram reconstruir um tecido muito ativo, para voltar, nesse contexto, a querer ser protagonista da vida do seu país, da reconstrução depois da guerra”.

Rev. Dr. Riad Jarjour e Mireille Hamouche (FDCD) com Paolo Naso, coordenador do Mediterranean Hope, programa de refugiados e migrantes da FCEI

Com sede em Beirute, Líbano, o Fórum para o Desenvolvimento, Cultura e Diálogo (FDCD) organiza seminários, conferências e sessões ad hoc, para implementar o diálogo social e a não-violência.
Fundado em 2004, o FCDD pretende “alcançar um mundo árabe esclarecido, no qual as diferentes opiniões políticas, etnias e religiões estejam inseridas numa cultura profundamente diversificada de paz e diálogo, respeitando e promovendo os direitos de todos os cidadãos. Promovemos a construção da paz, cidadania igualitária e direitos humanos no mundo árabe, criando espaços comuns de diálogo e desenvolvendo a capacidade de comunidades e grupos da sociedade civil serem catalisadores da paz. Respeitamos a dignidade de cada ser humano, valorizamos a diversidade de culturas na região, incentivamos o diálogo e o entendimento como meio de resolução de conflitos e percebemos a justiça como um valor na base da paz duradoura”. [BB]

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

100 anos da Igreja Hussita Tchecoslovaca: aberta, gratuita, democrática

100 anos da Igreja Hussita Tchecoslovaca: aberta, gratuita, democrática

Foto Karel Cudlin / Igreja Hussita Tchecoslovaca Roma (NEV), 15 de janeiro de 2020 – A Conferência das Igrejas Europeias (KEK) expressou seus mais calorosos votos à Igreja Hussita da Tchecoslováquia, que é seu membro aderente. “É inspirador para nós testemunhar os 100 anos da Igreja Hussita Tchecoslovaca a serviço de Deus e da humanidade”, disse o secretário geral do CEC, Jørgen Skov Sørensen. “Com nossos irmãos e irmãs na República Tcheca, celebramos esta data juntos, agradecendo pelas contribuições históricas feitas à unidade cristã e à liberdade evangélica por esta igreja membro. Enviamos nossas orações por sua jornada ecumênica continuada”, acrescentou. Fundada em 1920, a Igreja Hussita Checoslovaca professa a antiga tradição do cristianismo primitivo, de Cirilo e Metódio, e refere-se aos ensinamentos de Jan Husda Reforma, da João Amós Comeniusdo movimento modernista e da herança espiritual e humanística de Tomáš Garrigue Masaryk. No dia 11 de janeiro, uma celebração foi realizada na igreja de São Nicolau em Praga. Mais estão planejados A Igreja Hussita da Checoslováquia, no contexto do seu aniversário, aprovou o documento "Igreja e sociedade", que entre outras coisas sublinha a sua característica de Igreja aberta à sociedade, aos valores da liberdade e da democracia, "consciente da sua proximidade vínculos com o judaísmo e a necessidade de buscar o entendimento entre as religiões e desenvolver o diálogo com a sociedade, que muitas vezes rejeita a religião a priori". A Igreja Hussita da Tchecoslováquia, diz o documento, cuida do mundo “na proclamação do Evangelho, por meio da pregação e do trabalho missionário, difundindo o conhecimento da Bíblia e cultivando o pensamento religioso, promovendo a teologia acadêmica, por meio da diaconia, atividades caritativas e sociais” com o objetivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas, também por meio da educação e de atividades culturais. Jan Hus (1370-1415) foi um teólogo e mártir. Chegando a Constança com um salvo-conduto imperial para apresentar suas teses de reforma da igreja perante o Concílio reunido na cidade alemã, Hus foi preso, declarado herege e queimado na fogueira em 6 de julho de 1415. Considerado um expoente do chamado Primeira Reforma - isto é, a que precedeu a Reforma Protestante do século XVI e que incluiu também o movimento valdense medieval -, Jan Hus continua sendo uma figura chave na história da Boêmia e da Europa, tanto do ponto de vista cultural - por sua teologia, ideias filosóficas e educacionais - e históricas/políticas. ...

Ler artigo
Faculdade Valdense.  Abertura do ano letivo 2020/21

Faculdade Valdense. Abertura do ano letivo 2020/21

Roma (NEV), 29 de setembro de 2020 – A abertura do ano acadêmico 2020/21 da Faculdade Valdense de Teologia (FVT) será oficialmente realizada no sábado, 3 de outubro, a partir das 17h30, com uma prolusão de Fulvio Ferrario, reitor da Faculdade, sobre “A cátedra e o púlpito. Serviço Teológico na Igreja Evangélica”. O culto de abertura editado por Yann Redalié será realizada na igreja valdense na Piazza Cavour, domingo, 4 de outubro, às 10h45, também em transmissão ao vivo no Durante a Semana Introdutória, a partir de segunda-feira, dia 5 de outubro, estão programadas várias atividades: apresentação do programa, introdução à Biblioteca, boas-vindas aos alunos internacionais. Estarão presentes como oradores David Romanosobre “Fazendo Teologia na Faculdade Adventista Villa Aurora”; José Loriziosobre "Fazer teologia na Pontifícia Universidade Lateranense"; Gury Schneider-Ludorff E Markus Mülke sobre “Fazendo teologia na Augustana Hochschule em Neuendettelsau”. Sexta-feira, 9 de outubro, às 17h30, apresentação do livro "Relendo a Reforma" de Fulvio Ferrario e Lothar Vogelpreside Domenico Segnaeles intervêm Cettina Militello (Marianum) e Paulo rico (FVT). Baixe o Pôster da Semana Introdutória Por motivos de organização, favor confirmar sua participação no local enviando um e-mail para a Secretaria da FVT ([email protected]). A participação no atendimento é limitada a 80 pessoas (para o discurso de abertura e adoração) e 12 pessoas (para os eventos da semana introdutória) respectivamente. Prolusão e adoração podem ser acompanhadas na página do Facebook da igreja valdense na Piazza Cavour ou enquanto os eventos da semana podem ser acompanhados via Zoom no modo telemático registrando-se por e-mail no seguinte endereço [email protected] Na oferta formativa da Faculdade, também dois cursos ministrados por Daniele Garrone E Fulvio Ferrarioaberto a todos, segundo o método "All you can learn": ao inscrever-se como "auditor" durante um ano lectivo completo, tem acesso a todos os cursos indicados no catálogo e programa da FVT. Consulte Mais informação: Daniel Garrone. Um Deus, o seu nome e as suas denominações – 13 de outubro de 2020 a 26 de janeiro de 2021, 18h00-19h30 Fúlvio Ferrario. Proclamando o Evangelho na Europa secular. Uma proposta protestante – 14 de outubro de 2020/20 de janeiro de 2021, 18h00-19h30 A Faculdade Valdense de Teologia é o instituto mais antigo da Itália para o estudo universitário de teologia evangélica. Foi fundada em 1855 na Torre Pellice (TO), e depois mudou-se para Florença para o Palazzo Salviati de 1860 a 1921, e para Roma, na via Pietro Cossa, ao lado da igreja valdense na Piazza Cavour. A Faculdade representa um ponto de encontro e diálogo, dada a participação de muitos estudantes estrangeiros e em virtude de uma acentuada sensibilidade ecuménica. ...

Ler artigo
16 dias para superar a violência, 12º dia.  Ser velho (e solitário?)

16 dias para superar a violência, 12º dia. Ser velho (e solitário?)

Foto tirada de Roma (NEV), 6 de dezembro de 2022 – Publicamos, em fascículos e dia a dia, as reflexões do livrinho "16 dias contra a violência" editado pela Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) a partir de 25 de novembro, Dia Internacional da Eliminação da violência contra a mulher, até 10 de dezembro, Dia dos Direitos Humanos. Para rever a apresentação oficial do dossiê, clique aqui. DIA 12: 6 DE DEZEMBRO Ser velho (e solitário?) SOLICITARdiscutirQuais soluçõespara uma idade avançada"de uma mulher"? Vamos pensar nisso! Antônia, 86 anos mEu sou casado em segundo lugar com umhomem ansioso por carinho, companhiae apoiar como eu. Foi bom, até-porque eu poderia ser o elemento forte docasal. Quando, em vez disso, tive um derrame, e deconseqüentemente era ele quem tinha que me ajudar, eu soufomos “convencidos” a sair de casa eligados em um Rsa. Eu me sinto em um pri-Gione, dourado, claro, mas não é minha casa. vamos começar dar a ela palavras. eu digo ter“velho”, não velho, Seniore via mitigaçãofazer. Eu quero desafiar todo o feio que se escondeesse termo.Ser velho não é ser velho:a velhice feminina é um pouco diferente, emuitas vezes é um pouco pior do que o masculino.Em primeiro lugar, mais frequentemente significa estar sozinho: manopessoas na casa dos oitenta, apenas 40% das mulheresainda é casado, enquanto 80% doshomens ainda é. Homens vivem quatroou cinco anos mais jovem que as mulheres (em média), masmais raramente ficam sozinhos no período finalda vida deles. Nós mulheres vivemos mais,mas em troca vivemos sozinhos. Hoje o so-existem 8 milhões de famílias unipessoais erepresentam um terço de todos os agregados familiares.Metade desses 8 milhões são pessoas com mais de65 anos.Ser velho significa ser cuidadoresdo marido, ou parceiro, depois de ser umsido dos pais e talvez dos paisde seu marido. Mas depois, quando antespessoa que você vai precisar de ajuda, carinho eempresa, você se encontra sem ninguém em quecontar.A reforma dos cuidados aos idosos nãoautossuficiente foi aprovado recentemente, masrequer certos tempos de realização e financiamentocolocações adequadas. Hoje dois terços dos convidadosda RSA são mulheres. E as alternativas ao RSA,ou a humanização da RSA, são percorridos emgrande parte para construir. proposta de visão TOMATES VERDES FRITO (NA PARADA DO TREM) dirigido por Jon Avnet Estados Unidos da Américaca, 1991, 125'Da história de uma velha animadata em uma casa de repouso, uma mulher frustrado aprende de um cativante história de amor, amizade, rebelião contra o racismo, que se torna inspiração para sua câmera radicalequilíbrio da vida. VERSÍCULO BÍBLICO Agora que cheguei à velhice e aos cabelos brancos, ó Deus, não me desampares, até que eu tenha contado as maravilhas do teu braço a esta geração e o teu poder às que hão de vir. (Salmo 71, 18) COMENTE O antigo homem de oração de Israel experimentou a presença e a ajuda do poder de Deus em todas as perseguições que sofreu. Agora ele se encontra em maior dificuldade devido à sua idade avançada: suas forças estão diminuindo e seus adversários podem pensar que Deus o abandonou.No entanto, o seu pedido de ajuda não tem o tom desconsolado e débil que se poderia esperar de uma pessoa sobrecarregada pelo peso da idade. Longe disso: pede novas energias para poder transmitir eficazmente o seu testemunho às novas gerações! Consciente de estar inserido na grande história da salvação, ele reivindica a relevância de sua própria experiência humana e espiritual e um papel ainda ativo na sociedade: ele não pede para si, egoisticamente, mas para o bem da geração futura e para o maior glória de Deus. ORAÇÃO Senhor de nossos dias, nãopedimos que nos estendavida indefinidamente e emqualquer condição. Mais do que-a quantidade de anos por favorpedimos que nos dê a capacidadety para experimentá-los à luz desua graça, em solidariedadecom o nosso vizinho, nodignidade de suas filhas, de seus filhos,amar e amar a si mesmo. Permita-nosser capaz de expressar em palavras emostrar nossa gratidãopelo que você operounós, por Cristo, nosso Senhor.Amém. A cartilha “16 dias para vencer a violência” pode ser baixada na íntegra em formato PDF (clique no link abaixo): 16 dias FDEI 2022 (disponível também em alemão, inglês e espanhol). Falamos de Irã, Afeganistão, Argentina, mas também de trabalho; dos jovens; de contracepção, aborto, prevenção; de política. E de felicidade. A publicação contra a violência contra a mulher também pode ser encontrada em encarte no semanário Riforma. “16 Dias Contra a Violência” é uma campanha internacional anual que começa em 25 de novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher, e termina em 10 de dezembro, Dia dos Direitos Humanos. O Conselho Mundial de Igrejas (CEC) também está se juntando à campanha com várias iniciativas. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.