Internet e comunicação cristã

Internet e comunicação cristã

dav

Roma (NEV) 14 de maio de 2019 – A 24ª sessão da European Christian Internet Conference (ECIC), a rede cristã de pessoas que trabalham pela Internet no ministério da igreja, está ocorrendo (14 a 16 de maio) em Aalborg, Dinamarca.

Os membros do ECIC incluem representantes das igrejas membros do Conselho Mundial de Igrejas (CEC), da Conferência das Igrejas Europeias (KEK), da Igreja Católica e de organizações cristãs afiliadas. Entre os objetivos do ECIC, está o de manter viva uma rede de intercâmbio entre as igrejas sobre temas de comunicação na Internet. Por isso, as conferências anuais são uma oportunidade de formação e estudo. Para a Itália, está presente Mark Davideditor-chefe do Protestantesimo, o programa de televisão editado pela Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI), transmitido pela RaiDUE.

No programa, entre outras coisas, as intervenções de Peter Svarre sobre o que “humano” significa, de Ellen Aagaard Petersen da Igreja da Dinamarca sobre comunicação estratégica, por Mathias Grund sobre política preditiva, inteligência artificial e sociedade, por Kadri Kaska E Morten Thomsen Hojsgaard sobre identidade, privacidade e manipulação.

A reunião foi aberta com uma meditação de Ralf Peter Reimannpastor da Igreja Evangélica da Renânia e vice-presidente da Associação Mundial de Comunicação Cristã (WACC) para a região da Europa.

Para mais informações, clique aqui.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

O serviço público: uma aventura – Nevada

O serviço público: uma aventura – Nevada

Roma (NEV), 2 de fevereiro de 2023 – por Lorenzo Sgro – O serviço público é uma aventura. Colocar-se ao serviço dos outros, à disposição das instituições das quais é escolhido, significa deixar-se levar pelas necessidades do próximo em toda uma série de encontros extraordinários. Obviamente cada voluntário pode escolher de acordo com sua disponibilidade e nem todos esses encontros são agradáveis. Você não precisa dizer sim para tudo e se arrepende de muitos “sim” depois. Mas quanto mais as pessoas dizem não, mais oportunidades de experimentar a natureza aventureira do serviço público são perdidas. Posso dizer que raramente dizia "não". Quase todas as vezes que os operadores da Federação de Igrejas Evangélicas e seu Programa para Refugiados e Migrantes, Mediterranean Hope, me pediam para fazer algo, eu não recuava. E isso me levou a ter as aventuras mais maravilhosas da minha vida. Acolhi os migrantes que chegaram à Itália pelos corredores humanitários do aeroporto de Fiumicino, levei-lhes comida enquanto esperavam para fazer a papelada, brinquei com seus filhos para prepará-los enquanto esperavam. Estive em Scicli, na província de Ragusa, para trabalhar no centro de acolhimento Casa delle Culture do programa Esperança Mediterrânica, onde auxiliei os hóspedes em todos os aspectos, acompanhando-os até à esquadra, ajudando-os a aprender italiano, levando-os eles na praia. E em tudo isso pude conhecer os operadores da instituição, os membros das igrejas evangélicas envolvidos nas atividades como voluntários e todas as pessoas de outras instituições e serviços que ajudam a atender nossos beneficiários. Todas as pessoas maravilhosas. Não é fácil dizer sempre sim, sobretudo porque é difícil atender os migrantes. Quantas vezes acompanhei beneficiários a uma repartição pública para fazer uma papelada e não consegui concluir nada ... Não é fácil dizer sempre sim porque muitas vezes você se encontra em circunstâncias em que prefere ter dito "não ". É natural se arrepender de más escolhas. Mas o funcionalismo público não é uma má escolha, ainda que assim pareça pelas dificuldades que acarreta. O objetivo não é alcançar resultados brilhantes, porque eles vêm com tempo e esforço. O verdadeiro propósito é simplesmente servir, estar disponível e viver o momento. Portanto, não apenas se entusiasme com os sucessos, mas também enfrente os fracassos. Não apenas ser agradecido pelo sucesso de seus esforços, mas também pedir desculpas quando os esforços são em vão. Em suma, o serviço público é estranho. Colocar-se à disposição de pessoas e organizações com necessidades muito diversificadas significa lançar-se em atividades completamente opostas. Já falei da parte "épica" e da frustrante (que de qualquer forma garante emoções fortes) mas também há uma parte que pode ser descrita como chata. Ajudar quem sai de casa a mudar-se para o seu apartamento, passar horas ao telefone com a reserva regional para marcação de consultas hospitalares, responder a e-mails e telefonemas de pessoas que gostariam de fazer estágios curriculares na instituição mas não têm ideia o que a instituição faz e só está interessado nos créditos de formação que tem de cumprir. Mas tudo isso nada mais é do que a demonstração de que o serviço público é uma experiência extremamente vital porque o confronta com as complexidades e contradições da vida. Não é uma experiência que você vive, mas que faz você viver. Até às 14h00 de sexta-feira, dia 10 de fevereiro de 2023, é possível apresentar candidatura para participar num dos projetos da função pública que decorrerão entre 2023 e 2024 em todo o país e no estrangeiro. Duas vagas estão disponíveis no Programa para Migrantes e Refugiados da Federação das Igrejas Protestantes da Itália, em Roma. Para se inscrever, é necessário fazê-lo através do portal online-demand.serviziocivile.it. As especificações são: Título: Este é o caminho Código do projeto: PTXSU0019022010895NXX 2 vagas nos Serviços de Inclusão de Roma, Via del Campo 44D (anteriormente via di Torre Spaccata) – Sede código: 178989 2 posições nos escritórios da FCEI em Roma, Via Firenze 38 – Código da sede: 178966 ...

Ler artigo
O que está acontecendo em Lampedusa

O que está acontecendo em Lampedusa

Roma (NEV), 8 de dezembro de 2022 – Um pequeno barco, transportando 42 migrantes, colidiu com as rochas do Vallone delle Acque, em Lampedusa. É o que lemos hoje nas agências de notícias. O grupo, composto por 14 mulheres e 5 menores, foi resgatado pelos homens da CP324 e 327 barcos patrulha da Guarda Costeira. O barco, que partiu de Sfax às 6h do último domingo, afundou. Os migrantes, originários de Gâmbia, Camarões, Mali, Costa do Marfim e Chade, foram todos levados para o hotspot do distrito de Imbriacola. Nestas horas as pessoas no interior da estrutura seriam, sempre segundo fontes da imprensa, mais de 1.200, face a uma capacidade de 350 lugares sentados. Nos últimos dias, houve numerosos desembarques em Lampedusa, um corpo chegou, vários desaparecidos, como contam os operadores do Mediterranean Hope, o programa de migrantes e refugiados da Federação de Igrejas Evangélicas da Itália, neste post no Facebook . E apenas alguns dias atrás, uma menina de alguns meses morreu dentro do hotspot. “O Mediterrâneo ainda é um lugar onde as pessoas morrem, uma das rotas mais perigosas do mundo – declara marta bernardini, coordenadora do Mediterranean Hope, programa de migrantes e refugiados da FCEI – . Como igrejas protestantes, há anos construímos corredores humanitários, uma maneira segura de levar as pessoas à Itália, mas queremos continuar dizendo que as pessoas também devem ser salvas no Mediterrâneo com a ajuda de ONGs ou, em qualquer caso, de uma organização europeia de defesa do mar. resgate, que o acolhimento deve ser digno para todos aqueles que chegam à Itália e que, além dos corredores humanitários, também devem ser garantidos outros acessos legais e seguros. A Europa deve assumir a sua responsabilidade, cuidar de quem continua a viajar em busca de um futuro melhor, que o próprio Ocidente não permite que seja garantido nos locais de onde fogem”. ...

Ler artigo
Informação em guerra.  Encerrou a 11ª edição do Prêmio Morrione

Informação em guerra. Encerrou a 11ª edição do Prêmio Morrione

Foto de Andrea Marcantonio - Prêmio Federico Tisa/Morrione Roma (NEV), 2 de novembro de 2022 – A 11ª edição do Prêmio Roberto Morrione para o jornalismo investigativo. Ele ganhou a pesquisa "Na pele" de Marika Ikonomu, Alexandre Leo, Simone Manda, sobre a opacidade da gestão privada dos centros de detenção para repatriação e as repercussões nos direitos básicos das pessoas migrantes. Tutor jornalístico: Sacha Biazzojornalista da Fanpage.it Esta é a motivação do júri: Para recompensar em palco , Gian Mario GillioDiretor Executivo da Agência de Notícias NEV. Os Dias do Prêmio Morrione, sobre o tema "WarNews - informações em guerra”, foram realizadas em Turim de quarta-feira, 26, a sábado, 29 de outubro. O Prêmio Morrione é apoiado, entre outras coisas, com fundos do Otto per mille para a Igreja Valdense – União das Igrejas Metodistas e Valdenses e vê Reforma – Eco dos vales valdenses entre parceiros de mídia. Relatamos a contribuição escrita do Diácono Alessandra TrottaModerador da Mesa Valdense, para o livreto do Giornate. Para saber mais: Para ler a reportagem da cerimónia de entrega de prémios e todos os prémios clique aqui. Aqui, o artigo sobre o caso de Julian Assangeobjecto de um dos debates no âmbito do Prémio. Finalmente, aqui o dia dedicado ao jornalista Vera Schiavazzi. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.