Torre Pellice, berço da Europa.  O primeiro dia #senzasinodo

Torre Pellice, berço da Europa. O primeiro dia #senzasinodo

A crônica da primeira noite pública da revista #senzasinodo e o vídeo completo da inauguração dos eventos que acontecem na Torre Pellice até 30 de agosto

A moderadora da Mesa Valdense Alessandra Trotta, na reunião de abertura da resenha #senzasinodo

Roma (NEV/Riforma.it), 25 de agosto de 2020 – Ontem à noite, segunda-feira, 24 de agosto, aconteceu a primeira noite de «Gerações e Regenerações», a semana organizada pelas igrejas metodistas e valdenses da província de Turim. Ele fala sobre isso neste artigo sobre Reforma Gian Mario Gillio.

Neste link você pode acompanhar a web ao vivo da resenha #senzasinodo, ler e baixar o programa completo dos encontros que acontecerão até o próximo domingo nos vales valdenses.
Aqui está o vídeo completo da inauguração na segunda-feira, 24 de agosto:

artigo anteriorSemana #semsínodo. Recomeçar da escuta para reconstruir o país
Próximo artigoSemana #semsínodo. Trotta: estamos aqui para inovação, cooperação e desenvolvimento

Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

A voz das mulheres afegãs contra a violência

A voz das mulheres afegãs contra a violência

Roma (NEV), 23 de maio de 2022 – A nova etapa do projeto promovido pela Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) “Vamos começar com você” será realizada em Milão nos dias 27 e 28 de maio. Entre outras coisas, está agendada uma reunião com o ativista Batool Haidari (que também será a protagonista de uma entrevista que será transmitida no domingo, 29 de maio, no "Protestantismo", em Rai Due, ed) sobre "A voz das mulheres afegãs além do silêncio e da violência". A seguir, um espetáculo com as meninas da especialização contemporânea do Centro de Estudos Coreográficos do Teatro Carcano, intitulado "Hijab", com a coreografia de Jorge Azzone. A iniciativa "Recomeçar com você", também implementada em Nápoles, Gênova e Gravina, visa combater a violência contra as mulheres. Os destinatários também são os próprios homens. Importa actuar ao nível da prevenção do fenómeno, responsabilizando não só os potenciais actores da violência, mas também aqueles que a testemunham e aqueles que, por medo ou por ignorância, negam a sua dimensão social, cultural e significado psicofísico. A etapa de Milão conta com uma colaboração ecumênica, com a participação, entre outras coisas, da Caritas Ambrosiana, que colabora participando da mesa redonda de sábado à tarde intitulada "A resiliência é uma mulher". O projeto FDEI responde, entre outras coisas, a solicitações do Conselho Mundial de Igrejas (CEC), que desde 2015 incentiva igrejas e organizações a trabalhar nessas questões. Para superar as atitudes que predispõem à violência sexual e de gênero, segundo o FDEI e o CEC, é preciso envolver as realidades locais e os indivíduos. Para saber mais, baixe o flyer. Leia a análise aprofundada com o presidente da FDEI, pároco Gabriela Lio. Plano Sexta-feira 18h30, «A voz das mulheres afegãs para além do silêncio e da violência». Igreja Evangélica Batista (via Pinamonte da Vimercate 10), com Batool Haidari, ativista do movimento pelos direitos das mulheres. 19h45, «Hijab», do coreógrafo Giorgio Azzone com intérpretes femininas do Centro de Estudos Coreográficos do Teatro Carcano. Sábado 10h00, «Encontros de resiliência feminina», na CasArché (via Michele Lessona 70). 16h00, «Resiliência é mulher», mesa redonda. Igreja Metodista (via Luigi Porro Lambertenghi 28). Com Renata Rossi (Caritas Ambrosiana), Silvia Gissi (Radam Csd Project) e Massimo Aprile (pastor batista); moderado por Anna Maffei, pastora batista. ...

Ler artigo
Oito por mil valdenses, assinaturas e projetos estão crescendo

Oito por mil valdenses, assinaturas e projetos estão crescendo

Alessandra Trotta, Moderadora da Mesa Valdense Torre Pellice (Turim), 25 de agosto de 2022 – São 1.557 intervenções humanitárias, educacionais, culturais e de ajuda ao desenvolvimento que serão financiadas este ano pelas Igrejas valdenses e metodistas com os fundos Otto per Mille: 34% a mais do que as incorridas em 2021 (1161). Um aumento devido principalmente ao maior número de contribuintes (570.000, contra 547.000 no ano anterior) que se inscreveram a favor do Otto per Mille Valdense e Metodista e, portanto, à maior disponibilidade financeira (45 milhões de euros em 2022, 43 em 2021 ), mas também à decisão de alargar o leque de iniciativas a que pode ser garantido apoio financeiro. A percentagem de projetos aprovados face aos apresentados para avaliação também aumentou: 23,2% em 2021, 35,2% em 2022. A destinação dos recursos foi aprovada hoje pelo Sínodo, a Assembleia que constitui a instância máxima das igrejas valdenses e metodistas, reunida recentemente em Torre Pellice, na província de Turim. “Mesmo a gestão de um recurso tão grande que mais de meio milhão de italianos nos deu a responsabilidade de usar – explica Alessandra TrottaModerador da Mesa Valdense – é para nós uma forma de testemunhar a nossa fé cristã, apoiando ações de ajuda aos últimos e o compromisso de fazer o bem comum sem preconceitos ideológicos, sociais ou religiosos”. Números do projeto Em comparação com 2021, os projetos italianos estão aumentando (1107 em 2022, 730 em 2021: +51,6%) em comparação com os internacionais (450 em 2022, 431 em 2021: +4,4%). Para a Itália, os recursos foram distribuídos da seguinte forma: melhoria das condições de vida das pessoas com deficiência (21%), promoção do bem-estar e crescimento de crianças e jovens (17%), atividades culturais (16%), contraste à pobreza, privação social e precariedade laboral (9%), protecção da saúde (8%), acolhimento de refugiados e migrantes (7%), prevenção e luta contra a violência de género (7%), reabilitação de reclusos e ex-reclusos ( 4%), educação para a cidadania (4%), proteção ambiental (4%), idosos (3%). Os projetos internacionais são divididos da seguinte forma: cuidados de saúde e intervenções de proteção à saúde (19%), educação (19%), proteção à criança (12%), treinamento profissional e atividades geradoras de renda (11%), direitos humanos (9%) , desenvolvimento rural e segurança alimentar (9%), promoção do papel da mulher e igualdade de género (9%), ajuda humanitária de emergência (5%), acesso a água e saneamento (3%), luta contra a malnutrição (3%) , proteção ambiental (1%). A lista completa dos projetos aprovados para 2022 será publicada no site www.ottopermillevaldese.org até meados de setembro. O Otto per Mille pode ser doado por todos aqueles que fazem uma declaração de imposto a uma das entidades religiosas com as quais o Estado italiano tem um acordo ou ao próprio Estado para os fins estabelecidos por lei. Outros fundos são 5×1000, que podem ser atribuídos a investigação científica ou associações e organizações sem fins lucrativos, e 2×1000, que só podem ser atribuídos a partidos políticos. No entanto, apenas 8×1000 são atribuídos anualmente pelo Ministério das Finanças (uma vez que já está “incluído” na tributação), e funciona efetivamente como uma votação, em que os que se abstêm contribuem para o valor do voto maioritário. Oito por mil de todos os rendimentos declarados são, em qualquer caso, divididos entre o Estado e todas as entidades religiosas responsáveis ​​por recebê-los, na proporção das escolhas efetivamente recebidas por cada organismo. ...

Ler artigo
Martin Luther King em Tor Bella Monaca

Martin Luther King em Tor Bella Monaca

Aprendo o que vivo, Roma - janeiro de 2023. Foto Bimbo Aquilone Roma (NEV), 26 de janeiro de 2023 – “Se vivo na lealdade, aprendo a justiça. Se vivo em aprovação, aprendo a aceitar. Se vivo na aceitação, aprendo a encontrar o amor no mundo”. Estas são as palavras de apresentação do projeto "Aprendo o que vivo" que está a decorrer no Istituto Comprensivo "Melissa Bassi" de Tor Bella Monaca, distrito de Roma, em algumas classes IV e V elementares. Foto Criança Pipa "Professor" por um dia, ontem, o editor da agência de notícias NEV-Evangélica Elena Ribet ofereceu aos meninos e meninas uma aula-jogo sobre Martin Luther King. Pastor batista, líder do movimento pelos direitos civis e ganhador do Prêmio Nobel da Paz, King foi inspirado pelos princípios de não-violência de Gandhi. Os Estados Unidos comemoraram recentemente o Dia de Martin Luther King. Este ano, entre outras coisas, marca o 60º aniversário do famoso discurso "Eu tenho um sonho" (I have a dream). “Gostaria de agradecer especialmente aos meninos e meninas da escola Bassi. Com suas palavras, suas perguntas e suas emoções me proporcionaram um dia maravilhoso – declara o jornalista -. Obrigado também aos professores pela preciosa colaboração e pela presença. Esta é a escola do presente: uma escola já projetada no futuro e com raízes na história individual e coletiva, atenta e aberta à troca. Obrigado, então, a todas as pessoas que contribuíram para esta experiência, à Associação Bimbo Aquilone e aos referentes. A escola na Itália tem seus momentos de glória e seus momentos de abandono – continua Elena Ribet. Se, por um lado, a Câmara avançou com o projeto de lei das competências não cognitivas, para uma escola que ensine empatia e criatividade, por outro ainda estamos na retaguarda na Europa. Do abandono escolar precoce, com quase 13% de abandono escolar (dados de setembro de 2022. Leia mais sobre as causas aqui). Aos investimentos. A Itália gasta 15% menos que a média em educação. Sem falar na construção de escolas (tornando os prédios escolares seguros, eficiência energética e acesso a serviços básicos). O caminho é uma subida, como anunciou a Legambiente no recente lançamento do XXII Relatório Nacional sobre a qualidade dos edifícios e serviços escolares. A boa vontade dos particulares é extraordinária, porém é necessária uma visão de futuro por parte do Estado”, conclui. Ao final das aulas, a jornalista fez uma pequena homenagem aos meninos e meninas. Uma cópia do CD de música protestante “Da bimbo a bimbo. Canções de ontem e de hoje", produzida pelo Serviço de Educação e Educação da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), sob a direção artística do Maestro Charles Lella, Ministro de Música da União Evangélica Batista Cristã da Itália (UCEBI). E o livro de receitas "Dai-nos hoje também o pão de ontem", para não desperdiçar pão seco, com as receitas de Clara Manfredi. Este último, editado pela Globalization and Environment Commission (GLAM) da FCEI e também disponível em pdf. aprendo o que vivo O projeto está ativo há vários anos nas escolas romanas, graças à Associação Bimbo Aquilone. É um projeto de legalidade e educação para a cidadania que trabalha a sensibilização para os direitos da criança e a prevenção do bullying. Destinado a escolas de ensino fundamental e médio, o projeto Aprendo o que vivo já contou com o apoio de 8 por mil da Igreja Evangélica Luterana da Itália (CELI). Esta edição é produzida com verbas ministeriais e com o contributo e parceria de várias realidades e associações. Entre os temas abordados: respeito pelos outros, diversidade como fonte de riqueza, mas também cyberbullying, direitos da criança e sua defesa. Em encontros anteriores, o jornalista Alfredo Sprovieri falou sobre direitos humanos e diversidade cultural. Enquanto você os defende Frances Aliberti E Daniela Barbuscia propôs a aula "Juntos com Bull: vamos contrastar o fenômeno do bullying e do cyberbullying". Para saber mais Todos os artigos do NEV sobre o projeto. A página FB de Aprendo o que vivo. Acesse o NEV FACTSHEET sobre Martin Luther King e o movimento pelos direitos civis. Nesta página do Spotify, uma série de comícios e discursos públicos do pastor batista, ganhador do Prêmio Nobel da Paz. Aqui a entrevista de 15 de janeiro de 2021 a Paulo Nasopor ocasião da publicação do livro "Martin Luther King, uma história americana" (ed. Laterza). ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.