#AbuDhabi.  500 líderes religiosos em diálogo

#AbuDhabi. 500 líderes religiosos em diálogo

Imagem retirada de www.humanfraternitymeeting.com

Roma (NEV), 4 de fevereiro de 2019 – O conferência global da fraternidade humana, conferência inter-religiosa internacional em Abu-Dhabi, Emirados Árabes Unidos. Organizado pelo Conselho Muçulmano de Anciãos como parte do Ano Internacional da Moderação, contou com a presença de líderes religiosos de todo o mundo, incluindo o secretário-geral do Conselho Mundial de Igrejas (CMI). Olav Fykse Tveit.

As religiões devem ser “o antídoto contra o ódio e especialmente contra o flagelo do racismo – declarou Tveit -. A má influência do racismo no mundo de hoje nos desafia, qualquer que seja nossa fé, a colocar em prática o ensinamento de amor que recebemos: amar todos os nossos irmãos e irmãs humanos e buscar para eles justiça e paz”. Tveit também mencionou os genocídios do século XX, alertando para o perigo de um regresso do ódio e sublinhou o valor da diversidade, que é importante “para a promoção da liberdade de religião e crença, para acções de solidariedade, a aplicar também entre diferentes comunidades religiosas. Precisamos de uma nova narrativa comunitária e de um novo ‘pacto social’; também no Oriente Médio, berço de nossas três religiões abraâmicas. Sabemos que as convicções religiosas podem motivar fortes emoções, inclusive a agressão, o ódio, até a violência contra os outros – concluiu -. É, portanto, nossa responsabilidade refletir, difundir, como um espelho quando reflete a luz, o amor de Deus pela humanidade”.

Imagem retirada de www.humanfraternitymeeting.com

O encontro inter-religioso contou com a presença de autoridades cristãs ortodoxas, orientais e protestantes, entre elas Papa Francisco (primeiro papa a viajar para a península Arábica) e o Grande Imam de Al Azhar Al Tayyebo Ministro da Tolerância dos Emirados Árabes Unidos Sheikh Nahyan bin Mubarak Al Nahyano rabino-chefe da Polônia Michael Schudriche e delegações islâmicas da Ucrânia, Argélia, Líbano, Mauritânia, Tunísia, Azerbaijão, Cazaquistão, Malásia, Indonésia, Bósnia, Albânia, Kosovo, Croácia, Rússia, Índia e Paquistão. Da Itália, o representante muçulmano foi o presidente da Comunidade Religiosa Islâmica Italiana (COREIS), Imam Yahya Pallavicini.

Definida como um evento histórico, que pela primeira vez reuniu tantas personalidades religiosas do mundo árabe, a conferência conta com dezenas de workshops e palestrantes de diversas religiões, 500 participantes e inúmeros temas abordados: princípios da fraternidade humana, noção de cidadania, luta contra o extremismo, promoção do diálogo, defesa dos direitos dos oprimidos e perseguidos, questões morais e religiosas, individualismo e materialismo, fanatismo religioso e étnico, paz global, responsabilidade das organizações internacionais, humanitárias, educativas, culturais e mediáticas na construção e difundir a fraternidade, papel dos jovens.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Conselho Ecumênico: uma Assembleia sem barreiras

Conselho Ecumênico: uma Assembleia sem barreiras

A atuação de Karen Abou Nader e Fadi El Halabi. Foto Hillert/WCC Karlsruhe (NEV), 6 de setembro de 2022 - "Afirmar a plenitude da vida" é o tema que caracterizou ontem, 5 de setembro, na XI Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas (CMI). e sob diversos pontos de vista, inclusive o da deficiência. Esta a decorrer em Karlsruhe na Alemanha (31 de agosto - 8 de setembro de 2022), é uma Assembleia sem barreiras, físicas ou mentais, em que a presença de pessoas com deficiência não causa constrangimento nem limita a participação. Pessoas com deficiência estão presentes entre os participantes, entre os palestrantes e também entre os artistas performáticos desempenho apresentações teatrais, musicais e até de dança como é o caso Fadi El Halabi que se apresentaram juntos Karen Abu Nader (veja a foto acima). Além disso, todas as intervenções no plenário são traduzidas para a linguagem gestual em grandes ecrãs. Uma tradução simultânea em língua de sinais. Foto Sean Hawkey/WCC “Nem sempre foi assim”, explica um pastor da região do Caribe em uma das Grupos iniciais, os grupos de cerca de 20/30 participantes que se reúnem todos os dias, após a plenária da manhã, para compartilhar impressões e reflexões sobre os temas discutidos. “Em 1998, na Assembléia da CEC em Harare, Zimbábue, havia 12 pessoas com deficiência entre os delegados e ninguém estava preparado para recebê-los. Demorou 20 anos para que as coisas mudassem e para que fosse organizada uma assembléia que levasse verdadeiramente em conta as necessidades de todos”. O texto bíblico do dia, João 9, suscitou mais reflexão no Grupo de Escolha. Na história do Evangelho, quando os discípulos de Jesus encontram um homem cego de nascença, perguntam ao seu Mestre: "Quem pecou, ​​ele ou seus pais, para ser assim?" “A dos discípulos é a pergunta errada – explica um jovem pastor anglicano paraplégico -. Uma pergunta que dá por certo um erro, uma falta, um pecado: procurar um culpado para explicar a situação de deficiência em que se encontra o homem”. No entanto, Jesus dá a resposta certa a uma pergunta errada: “Nem ele pecou, ​​nem seus pais; mas é assim que as obras de Deus podem ser manifestadas nele. “Esta resposta de Jesus – continua o jovem pastor – me permitiu fazer a pergunta certa sobre mim e sobre todos os outros: como, com a minha deficiência, a obra de Deus pode se manifestar em mim?” Porém, a glória de Deus não se manifesta em um milagre de cura, mas de inclusão. “Há muitas pessoas que estão dispostas a orar para que uma pessoa 'se cure'. Mas a deficiência veio para ficar! A obra de Deus é mostrar a todos o caminho neste mundo, fazer com que todos se sintam não do lado do problema, mas do lado da solução. Afirmar a plenitude da vida é fazer parte de um mundo que também dá às pessoas com deficiência a oportunidade de contribuir para o bem comum”. Participantes na pré-assembléia de pessoas com deficiência Foi o que afirmaram os participantes da pré-Assembleia das pessoas com deficiência, realizada em Karlsruhe nos dias imediatamente anteriores à Assembleia. A pré-montagem, através do Rede ecumênica pelos direitos das pessoas com deficiência (EDAN) sublinhou como "as pessoas com deficiência são portadoras de dons concedidos por Deus e reafirmou a importância de que esses dons sejam disponibilizados para todo o Corpo de Cristo", a igreja. “O amor de Cristo é inclusivo e não deixa ninguém para trás. Barreiras arquitetônicas e mentais empobrecem as igrejas, porque se você exclui alguém, todo o Corpo de Cristo fica prejudicado”. ...

Ler artigo
Bíblia.  Uma nova tradução italiana para o Jubileu da Reforma 2017

Bíblia. Uma nova tradução italiana para o Jubileu da Reforma 2017

Roma (NEV), 23 de outubro de 2013 – Uma nova tradução da Bíblia para o italiano. Esta é a iniciativa que a Sociedade Bíblica na Itália (SBI) está lançando em vista do 500º aniversário da Reforma em 2017. "O grande mérito dos reformadores - escreve o pastor Eric Noffke, presidente da SBI, em carta enviada em a ocasião do domingo da Reforma deste ano – foi precisamente a de chamar o cristianismo de volta à sua fonte, a Cristo, ao Verbo de Deus feito carne, cujo único testemunho de autoridade se encontra nas Escrituras do Antigo e do Novo Testamento”. A iniciativa será apoiada não apenas pelo SBI, mas também pelas igrejas evangélicas italianas às quais a carta de Noffke é dirigida para solicitar sua adesão. De facto, os custos não são indiferentes e ascendem a cerca de 500.000 euros num período de dez anos. “Para apoiar o empreendimento contamos não só com o empenho dos executivos nacionais das igrejas, mas pretendemos criar uma rede de indivíduos dispostos a nos apoiar com pequenas mas constantes quantias ao longo do tempo”, especifica o presidente da SBI. O método escolhido para a tradução também será novo. “A Bíblia protestante em italiano está ligada ao nome de um indivíduo, Giovanni Diodati – explica Noffke -. O método que temos em mente é mais coral porque envolve um grupo de tradutores, consultores e revisores escolhidos no mundo da evangelização italiana, para fazer uma tradução fiel à letra dos textos bíblicos e em uma linguagem moderna”. O Novo Testamento e os Salmos devem ser publicados em 2017, ano do Jubileu da Reforma, enquanto a Bíblia inteira deve ser impressa em 2023. “Esta nova tradução pretende dar expressão renovada à Palavra e pretende ser o legado da nossa geração para as que virão”, conclui Noffke. ...

Ler artigo
XXIII Tertio Millennio Film.  Prêmio para “Um tradutor”

XXIII Tertio Millennio Film. Prêmio para “Um tradutor”

Roma (NEV), 23 de dezembro de 2019 – O filme de Rodrigo e Sebastián Barriuso "Un traductor" venceu a XXIII edição do Tertio Millennio Film Fest, o festival do diálogo inter-religioso. O filme é inspirado na história real do pai do diretor. O Júri Inter-religioso, presidido por Fariborz Kamkariera formado por representantes de várias religiões, entre eles o pastor valdense Marco Fornerone. O Festival, este ano intitulado “Eu sou você é. Reconhecendo-se como diferentes”, realizou-se em Roma de 10 a 13 de dezembro. O Júri atribuiu ainda uma menção honrosa a “As Andorinhas de Cabul” De Zabou Breitman E Eléa Gobé Mévellec. O Júri Inter-religioso para curtas-metragens, presidido por Phaim Bhuiyanem vez disso, concedeu o primeiro prêmio a “milady” De Júlia Tivelli E Flávia Scardinique conquistou também o Prémio Juventude, atribuído pelas escolas envolvidas no projeto "Nati nel Tertio Millennio" criado com o contributo do MIUR e do MiBACT, com curadoria de Ângela D'Arrigo. Finalmente, pela primeira vez, o Prêmio Outfield, um reconhecimento que reúne os mais importantes festivais nacionais de cinema e espiritualidade (Tertio Millennio Film Fest, Religion Today de Trento e Popoli e Religioni de Terni). O Prémio Fuoricampo é atribuído ao filme italiano do ano que melhor desenvolve a temática do sagrado, do divino, do transcendente e do invisível. Ganhou esta primeira edição”senhor demônio” De Pupi Avati. O festival contou com a presença de mais de dois mil espectadores. Entre os destaques: o diálogo em memória de Robert Bresson com a viúva Mylene Bresson E João Amelio; a reunião de 13 de dezembro entre Giuseppe Tornatoreprimeiro vencedor do Prêmio Bresson, e o cardeal Gianfranco Ravasi, Presidente do Pontifício Conselho para a Cultura e fundador do Pátio dos Gentios; o encontro com na escavaçãojornalista sob tutela da Avvenire, que apresentou um dos nove filmes em competição, "The Remains", um documentário sobre migrantes de Natalie Borgers. “A chamada emergência migratória é a poeira que você esconde debaixo do tapete para não ver a enormidade do tráfico ilícito – disse Scavo, comentando a investigação -. A Itália é a nação que mais exporta bombas para a África. Embora não tenhamos uma percepção direta de quanto a guerra rende, há controvérsias sobre por que os migrantes chegam”. FORMA. Um tradutor. Canadá, Cuba – 2018 Após o desastre nuclear de Chernobyl, a Ucrânia pede ajuda ao mundo. Entre 1990 e 2011, chegaram a Cuba cerca de 25.000 crianças, muitas delas com câncer, deformações, problemas musculares e dermatológicos, altos níveis de estresse pós-traumático. Malin, professor de literatura russa em Havana, é designado para atuar como intérprete entre os médicos cubanos e as crianças. Forçado a lidar com a dor, Malin fica cada vez mais deprimido, até conhecer uma criança especial. Enquanto isso, o Muro de Berlim cai e Cuba entra em uma profunda crise econômica. O Tertio Millennio Film Fest é organizado pela Fundação Ente dello Spettacolo com o patrocínio do Pontifício Conselho para a Cultura, do Dicastério para a Comunicação da Santa Sé, do Escritório Nacional para as Comunicações Sociais da Conferência Episcopal Italiana (CEI), do Departamento de crescimento cultural do Município de Roma e da Região do Lácio, sob a direção artística de Marina Sanna (vice-diretor da Rivista del Cinematografo) e do Gianluca Arnone (coordenador editorial da Fondazione Ente dello Spettacolo). ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.