Continuamos humanos.  Apelo de cristãos, católicos e evangélicos sobre migrantes

Continuamos humanos. Apelo de cristãos, católicos e evangélicos sobre migrantes

Desenho de Francesco Piobbichi, equipe, programa Mediterranean Hope, Federação de Igrejas Protestantes na Itália (FCEI)

Roma (NEV/CS07), 22 de janeiro de 2019 – Por ocasião da semana de oração pela unidade dos cristãos, católicos e protestantes italianos lançam um apelo conjunto para continuar a viver um espírito de humanidade e solidariedade para com os migrantes. Se para todos é um dever para com aqueles que saem do seu país arriscando a vida no deserto e no mar, para os cristãos é uma obrigação moral. É por isso que, durante a semana dedicada à unidade dos cristãos, celebrada nestes dias (18 a 25 de janeiro) em todo o mundo, sentimos a necessidade de unir nossas vozes, assim como tantas vezes trabalhamos juntos no campo de imigração, permitindo a criação dos primeiros corredores humanitários, iniciados pela Comunidade de Sant’Egidio, a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, a Tavola Valdese, Cei e Caritas Italiana.

“Na ocasião em que celebramos o dom da unidade e da fraternidade entre os cristãos, queremos explicar a todos que, para nós, ajudar os necessitados não é um gesto de benfeitor, de altruísmo ingênuo ou, pior ainda, de conveniência : é a própria essência da nossa fé. Lamentamos e desconcertamos a retórica superficial e repetitiva com a qual o tema da migração global vem sendo abordado há meses, perdendo de vista que por trás dos fluxos, desembarques e estatísticas existem homens, mulheres e crianças aos quais são negados direitos fundamentais humanos: nos países de onde fogem, assim como nos países por onde transitam, como a Líbia, acabam em campos de detenção onde é difícil sobreviver. Apontá-los como uma ameaça ao nosso bem-estar, defini-los como potenciais criminosos ou aproveitadores de nossa acolhida, trai a história dos imigrantes – inclusive italianos – que, ao contrário, contribuíram para o crescimento econômico, social e cultural de muitos países. Daí o nosso apelo para que – no confronto político – não se perca o sentido do respeito devido às pessoas e às suas histórias de sofrimento”.

Mas além do método, o documento ecumênico aborda problemas substantivos:

“Uma política migratória que não abre novas vias seguras e legais de acesso à Europa tende a encorajar a imigração irregular. Por isso, pedimos aos vários países europeus que dupliquem ou, pelo menos, ampliem os corredores humanitários, abertos pela primeira vez na Itália no início de 2016. A fase de experimentação terminou e os resultados, positivos em muitos aspectos , estão abaixo dos olhos de todos. É, portanto, desejável avançar para uma generalização deste modelo, que salva as pessoas dos traficantes de seres humanos e favorece a integração. Por isso, estamos nos dirigindo diretamente ao governo italiano para ampliar o número de beneficiários acolhidos em nosso país e promover um ‘corredor humanitário europeu’, administrado pela UE e por uma rede de países dispostos, proporcionando um sistema de patrocínio adequado”.

O documento também aborda o problema dos resgates no mar:

“No curto prazo, porém, buscando o consenso europeu sobre essas medidas, deve-se garantir o resgate no mar, que não pode ser reduzido a uma política de retrocessos ou simples fechamentos. Os migrantes não podem ser vítimas três vezes: das perseguições, daqueles que os detêm em campos que – como a ONU tem repetidamente certificado – não protegem os direitos humanos essenciais, e daqueles que os rejeitam nesses mesmos campos e nessas humilhações. Para nós cristãos, como para todo ser humano, deixar de socorrer alguém caído na estrada ou em perigo de afogamento é um comportamento do qual não podemos deixar de nos envergonhar. Por isso pedimos o reforço das atuais atividades de salvamento, prestadas por meios militares, pela Guarda Costeira e por ONG, no cumprimento das regras do mar e do direito humanitário”.

O texto encerra com um apelo à construção de consenso sobre alguns pontos qualificativos sobre os quais as Igrejas estão dispostas a oferecer sua contribuição:

“Por mais divisiva que seja a questão da imigração, ela é tão grave e séria que não pode ser abordada sem buscar uma plataforma mínima de solicitações e procedimentos compartilhados. Esperamos por isso e para isso nos colocamos à disposição com nossa experiência e recursos, prontos para colaborar com as autoridades italianas e europeias”.

Roma, 22 de janeiro de 2019

Passado. Eugênio BernardiniModerador da Mesa Valdense

prof. marco impagliazzoPresidente da Comunidade de Sant’Egidio

Passado. Luca M. NegroPresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália

Mons. Stefano RussoSecretário Geral da Conferência Episcopal Italiana

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Tertio Millennio Film Fest 2018. Jovens, estamos aqui

Tertio Millennio Film Fest 2018. Jovens, estamos aqui

Imagine retirado de www.festivalglocal.it Roma (NEV), 13 de novembro de 2018 – São 10 os finalistas do concurso de curtas-metragens dedicado a jovens entre os 18 e os 29 anos, no âmbito do Tertio Millennio Film Fest, um festival de diálogo inter-religioso que se encontra na sua XXII edição. O concurso, intitulado “Estamos aqui – jovens, vontade de participar e procurar sentido” é promovido pela Fundação do Entretenimento (FEdS). Um prêmio dentro do prêmio, aguardando a exposição principal que será realizada em Roma de 11 a 15 de dezembro e que conta com o patrocínio do Pontifício Conselho para a Cultura, do Dicastério para a Comunicação da Santa Sé e do Escritório Nacional para as Comunicações Sociais da CEI , com a participação da Associação de Cinema Protestante"Roberto Sbaffi”, do Centro Judaico Italiano “Il Pitigliani”, da Comunidade Religiosa Islâmica Italiana (COREIS), da INTERFILM, da União das Comunidades Islâmicas da Itália (UCOII), da União das Comunidades Judaicas Italianas (UCEI) e da Igreja Ortodoxa Russa e Georgiana. As finalistas são: “Penelope” de Luca Rabotti“Kintsugi” de Daniel Greco, “Térreo” de Natalino Zangaro, “Pergunte ao Pó” de Elise Battisti, Alberto Castelli, Diletta Dan, Jorge Fabiano, Francesco Luciani, Mateus Vitelli“Inanimado” por Lúcia Bulgheroni, “Ossos” de Lorenzo Pallotta, “Denise” por Inglês Escarlate“La faim va tout droit” de Júlia Canela, “Nosso limite” por Adriano Morelli“Qualquer comércio” por Ricardo Frederico. A batuta passa agora para o Júri presidido por Constância Quatrigliocomposta por 6 jovens expoentes de comunidades religiosas que integram o Tertio Millennio Film Fest: Mustafá Martino Roma, Andrea Bencivenga, Jacopo Balliana, Francesca Romana Bianchini, Valéria Milão, Ben Mohamed Takoua. A entrega dos prêmios, que consistem em ferramentas técnicas de filmagem e edição, acontecerá durante a cerimônia de entrega dos Prêmios RdC, marcada para 14 de dezembro no Cinema Trevi. Os curtas-metragens finalistas foram apresentados em Varese por ocasião do Festival Glocal, na seção Glocal Cinema. #Nós somosaqui estão os 10 finalistasOs curtas-metragens que participarão da fase final do concurso promovido pela Fondazione Ente dello Spettacolo foram anunciados no Festival Glocal de Varese. Cerimônia de premiação em 14 de dezembro em Roma — Cinematografo.it (@cinematografoIT) 12 de novembro de 2018 ...

Ler artigo
Alegre-se na esperança.  Assembléia do movimento cristão estudantil

Alegre-se na esperança. Assembléia do movimento cristão estudantil

Um detalhe do cartaz da 37ª Assembleia Geral da World Student Christian Federation (WSCF), 2022 Roma (NEV), 23 de junho de 2022 – A Assembleia Geral da Federação Mundial de Estudantes Cristãos (WSCF) começa hoje. É o órgão de decisão mais representativo e máximo do corpo ecumênico global que reúne os movimentos estudantis nacionais autônomos, conhecido na Itália como o "movimento estudantil cristão". A Federação inclui estudantes masculinos e femininos ortodoxos, protestantes, católicos, pentecostais e anglicanos. A Assembleia será realizada na Alemanha, em Berlim, de 23 de junho a 1º de julho. O título desta 37ª edição é "Alegrai-vos na Esperança" (Romanos 12:12). Subtítulo: "Jovens, caminhando juntos rumo à justiça e à paz". Da Itália, estarão presentes Annapaola CarbonatoSecretário da Federação da Juventude Evangélica na Itália (FGEI), e o pároco Pedro Ciacciocomo um "amigo sênior". Do aeroporto onde está prestes a chegar a Berlim, Carbonatto faz este breve comunicado: “É com muita emoção que me preparo para partir para Berlim, até porque há dois anos que esperávamos por este momento. A Assembleia foi adiada por dois anos e no ano passado foi realizada de forma restrita online. É certamente um momento muito emocionante. Teremos a oportunidade de ver uma nova face do movimento”. O Conselho solicitou a Carbonatto que representasse o FGEI na 37ª Assembleia Geral da WSCF. “A ideia de poder nos comparar com outras pessoas que vivem do outro lado do mundo, com quem compartilhamos desafios e esperanças futuras – continua a secretária Annapaola Carbonatto – é muito bonita e estimulante. Também estou muito feliz por poder partir e poder trabalhar neste tema, que me parece oportuno neste momento. Com esta ideia de caminhar e trabalhar juntos para um mundo de justiça e paz, de nos alegrarmos juntos na esperança do Senhor, me deixa confiante e tenho certeza de que esta Assembleia trará novos frutos e novos estímulos também para os evangélicos Federação da Juventude na Itália ”. O pastor Peter Ciaccio escreveu nas redes sociais: “23 anos depois de Beirute 1999, retornarei à Assembléia Geral da WSCF. Muito do que sou agora, devo ao WSCF, até mesmo à teologia pop (para começar).” O versículo bíblico que inspira a Assembleia, escreve a FSM, “nos lembra que a unidade em Cristo Jesus é a nossa esperança em tempos de desafio e dificuldade. Somos chamados a ser unidos na construção do Reino. Somos chamados a profetizar e anunciar a esperança na vinda do Reino. Como uma federação de jovens, a WSCF oferece uma mensagem de esperança no contexto do mundo sofrido de hoje. Uma esperança que se baseia no nosso trabalho pela justiça, igualdade e paz. Esperança informada por nossa compreensão da injustiça social, as causas profundas da pobreza, fragmentação, desunião, violência e guerra. Finalmente, uma esperança que realmente depende de ações que resistem ao Império, que falam a verdade ao poder e o tornam responsável perante o povo e a mãe Terra." A Assembléia Geral também será uma ocasião para celebrar 127 anos de “vida comum e testemunho diversificado e missão para a comunidade mundial” continua a WSCF. Na carta de anúncio da Assembléia, o Secretário Geral da WSCF Marcelo Leites escreve: “Vamos orar juntos por toda a criação neste tempo agitado em um mundo que está sofrendo […]. Este ano, sua 37ª sessão reunirá mais de 100 movimentos de 94 países, amigos seniores, parceiros e convidados”. hashtag #WSCFGA22 #RejoiceInHope ...

Ler artigo
Igrejas católicas e protestantes europeias pedem o fim da guerra

Igrejas católicas e protestantes europeias pedem o fim da guerra

Roma (NEV), 22 de março de 2022 – O Comitê Conjunto das Igrejas Católicas e Protestantes da Europa emitiu uma declaração hoje. É um grupo de trabalho que reúne a Conferência das Igrejas da Europa (KEK) e o Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE). Apelando aos dirigentes das nações e à comunidade internacional, as entidades religiosas pedem que se façam todos os possíveis para pôr fim à guerra em curso “que está a destruir vidas e a causar sofrimentos indescritíveis”. A declaração foi redigida na reunião de 21 de março em Bratislava, Eslováquia. “O coração da fé cristã é a paz e a reconciliação, exemplificadas na vida de Jesus Cristo – reafirmam os signatários, citando a encíclica papal 'Fratelli Tutti' -. Jesus Cristo nunca convidou a fomentar a violência ou a intolerância. Ele mesmo condenou abertamente o uso da força para se impor aos outros”. A religião, escrevem ainda as duas entidades, “não pode servir de meio para justificar esta guerra. Todas as religiões, e nós como cristãos, estamos unidos para condenar a agressão russa, os crimes cometidos contra o povo da Ucrânia e a blasfêmia que representa o uso indevido da religião neste contexto”. A Comissão Mista agradeceu às Igrejas e ONGs envolvidas nas zonas fronteiriças e de conflito, junto com as autoridades de seus respectivos países, no acolhimento dos que fogem da guerra. “Continuemos a rezar pelo dom da paz. Convidamos todos os cristãos a unirem-se a nós em oração, fortalecendo seus esforços para afirmar o valor da vida e promover ativamente a reconciliação”. A reunião de Bratislava também foi uma oportunidade para discutir o compromisso das Igrejas europeias pela paz na Ucrânia, o estreitamento das relações entre as duas organizações e o atual processo sinodal da Igreja Católica. Entre os representantes do CEC estavam o presidente, pastor Christian Krieger. O vice-presidente, pároco Guli Francis-Dehqani. ainda é Valerie Duval-Poujol. Leah Schlenker. O arquimandrita Ignatios Sotiriadis. O Metropolita Joseph da Europa Ocidental e Meridional da Igreja Ortodoxa Romena. O secretário-geral Jørgen Skov Sørensen. O Secretário Executivo do CEC para o Diálogo Teológico Katerina Pekridou. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.