Corredores humanitários da Líbia, Garrone: “A Constituição nos ensina. Acolher a todos”

Corredores humanitários da Líbia, Garrone: “A Constituição nos ensina. Acolher a todos”

Foto de Benedetta Fragomeni

Roma (NEV), 1º de julho de 2022 – “As Constituições comprometem nossas nações a uma postura precisa: honrar a vocação civil e cultural contida em nossas Cartas” é o significado de projetos como os corredores humanitários, que, portanto, “não devem ser considerados como a atividade de pessoas dispostas, ou almas piedosas”. Ele disse isso esta manhã Daniele Garrone, presidente da FCEI, que através do seu programa para migrantes e refugiados, Mediterranean Hope, e juntamente com o ACNUR, Tavola Valdese e S. Egidio, promoveu e implementou corredores humanitários. Teve lugar ontem à noite, 30 de junho, a chegada do segundo voo da Líbia ao aeroporto de Fiumicino, no âmbito de um protocolo assinado com os Ministérios dos Negócios Estrangeiros e do Interior.

“Porque a seca, a crise climática, as guerras vão continuar. Portanto, esta é uma resposta razoável e sensata a uma tendência em andamento. E é algo a dizer à política, em particular à Europa”, acrescentou Garrone. Por fim, uma referência à Ucrânia e à solidariedade demonstrada nos últimos meses para com a população que foge da guerra: “conseguimos acolher milhões deles, porque há evidentemente refugiados que nos mobilizam mais do que outros… Se forem” de nossas”, se estiverem um pouco menos distantes”, comentou o presidente das igrejas protestantes.

“Pedimos ao Parlamento italiano que restabeleça com urgência a figura do Fiador da Imigração cancelada por Bossi-Fini – disse Marco eu vou recheado, presidente do S.Egídio – : precisamos mobilizar as forças da sociedade civil para ampliar os caminhos humanitários e jurídicos. Pedimos para estender o instrumento de corredores humanitários também aos migrantes econômicos, que aumentarão devido à guerra na Ucrânia; pedimos para alargar o conceito de reagrupamento familiar, que é essencial para a integração. Por fim, pedimos ao governo que amplie o decreto de escoamento, que ainda é insuficiente. O sistema italiano está com déficit de pessoal”.

Charlote Sami, porta-voz do ACNUR na Itália, sublinhou que “formas seguras de proteção são mais necessárias do que nunca em um mundo que em junho deste ano ultrapassou o limiar trágico e terrível dos 100 milhões de pessoas que foram forçadas a deixar suas casas, entre os deslocados e refugiados. Um número recorde que nunca havia sido registrado antes.

Cerca de metade das pessoas que chegaram ontem, maioritariamente de origem eritreia e sudanesa, serão acolhidas por igrejas protestantes: nove serão acolhidos na Sicília, em Scicli, pela Casa das Culturas da FCEI, e 34 no Piemonte e outras regiões do norte, pela Diaconia Valdense. O programa de corredores humanitários implementado pelas igrejas evangélicas é financiado pelo Otto per mille da Igreja Valdense e Metodista.

As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Quando os migrantes querem rezar

Quando os migrantes querem rezar

foto de Corey Collins @unsplash Roma (NEV), 19 de janeiro de 2023 – “A realidade do pluralismo religioso é muito mais difundida e enraizada do que ainda está institucionalizada, […] comunidades que são lugares onde os desenraizados encontram esperança e também a possibilidade de redenção". E depois um "postal de Lampedusa". Onde são guardados muitos objetos religiosos que os migrantes carregam em barcos pelo Mediterrâneo. “Temos uma narrativa que nos diz que aquele objeto é socialmente perigoso, perturbador, oneroso. Tentamos demonstrar que esse objeto é um recurso, é um capital humano e social, e é um pecado no sentido bíblico não usar esse talento, não alugar esse capital”. Com estas palavras, respectivamente Maurizio Ambrosini e Paolo Naso, dois dos autores de Quando os imigrantes querem rezar. Comunidade, pluralismo, bem-estar (ed. il Mulino, 2022), com Samuel David Mollyconcluíram uma reunião ontem à noite, no Campidoglio, a partir de seu último trabalho. A apresentação do livro e a posterior mesa redonda contaram com a presença do vereador da cidade Carla Fermariello para Roberto Gualtieri Prefeito de Roma, Tobias ZeviConselheiro para Políticas de Patrimônio e Habitação de Roma Capital, Frank Hippolytuspresidente da Fundação Lelio e Lisli Basso, Yassine Laframpresidente da União das Comunidades Islâmicas na Itália, o ex-ministro Luciana Lamorgeseprefeito, marco impagliazzopresidente da Comunidade de Sant'Egidio, Mons. Lúcio Eles parecem do dicastério para o diálogo inter-religioso e Mons. Siluan Șpan, bispo da diocese ortodoxa romena na Itália. A nomeação foi moderado por Cláudio Paravatidiretor da revista e Centro de Estudos Confronti. Aqui está o vídeo e a gravação completa da reunião de ontem no Campidoglio, editada pela Radio Radicale: ...

Ler artigo
Notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK)

Notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK)

Roma (NEV), 24 de fevereiro de 2022 – Estas são as últimas notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK). Está em curso a pré-assembleia regional europeia A pré-assembleia regional europeia da Conferência das Igrejas Europeias (KEK) abre amanhã. Dois dias de trabalho online sobre o tema "O amor de Cristo move o mundo à reconciliação e à unidade". O evento deveria ter sido realizado em Varsóvia, mas a continuação da emergência da covid levou os organizadores a optarem pela modalidade digital. Organizada em conjunto com o Conselho Ecumênico Polonês e em colaboração com o Conselho Ecumênico de Igrejas (CEC), a Pré-Assembléia representa um momento preparatório para a 11ª Assembleia do CMI agendada para Karlsruhe. Os temas em discussão são: o papel das igrejas para a reconciliação em sociedades europeias cada vez mais seculares e pluralistas. O chamado de Cristo ao discipulado. O movimento ecumênico global: questões, desafios e prioridades. Entre os oradores, pela Itália, o pastor Michael Charbonnier. Reivindicar e salvaguardar a fé como elemento legítimo do discurso político europeu “A Europa caracteriza-se por sociedades cada vez mais seculares e pluralistas. Nossas Igrejas encontram analfabetismo religioso e ignorância entre os tomadores de decisão e políticos. O que podemos fazer para mitigar esse desenvolvimento?” Em sua mensagem em vídeo, o secretário-geral do CEC, Jørgen Skov Sørensen, reafirma o papel das igrejas e comunidades de fé na sociedade, enfatizando que a CEC deve resgatar e salvaguardar a fé como elemento legítimo de um discurso político europeu. Sørensen convida a falar sobre o grande trabalho realizado pelas igrejas em nível local e anuncia os temas da pré-assembléia regional que será realizada a partir de amanhã. Histórias de esperança e coragem “são a demonstração do que as igrejas da CEC fazem pelo bem comum em todos os cantos da Europa”. Assista o vídeo. Assembléia CEC na Estônia: Moldando o futuro com a bênção de Deus A Conferência das Igrejas Europeias realizará sua 16ª Assembleia Geral de 14 a 20 de junho de 2023 em Tallinn, Estônia. Título da Assembleia: “Sob a bênção de Deus – moldando o futuro”. A Assembléia será organizada pelas igrejas membros da CEC na Estônia, a Igreja Evangélica Luterana da Estônia e a Igreja Ortodoxa da Estônia. Para saber mais, clique aqui. Reflexões sobre o tema da Assembleia da CEC “A fé cristã se expressa em um duplo movimento. A da liberdade e a da responsabilidade”. Assim escreve o pároco Anders Gadegaard da Igreja Evangélica Luterana na Dinamarca, refletindo sobre o tema da Assembleia KEK agendada para 2023. “Devemos fazer o nosso melhor para contribuir para o bem comum” continua o pároco, sublinhando a importância de trabalhar para que ele seja alcançado no mundo e na Europa justiça social e económica, através de uma "distribuição justa de recursos". Leia aqui. Como amplificar a voz coletiva das igrejas O Bispo de Leeds Nick Bainesda Igreja da Inglaterra é membro do conselho do CEC. Aqui, uma reflexão sobre como as igrejas podem unir suas vozes na arena pública. O complexo ambiente sócio-político de hoje, de acordo com Baines, torna essencial que as igrejas tragam sua voz profética de fé. Para saber mais, clique aqui. Estão abertas as inscrições para o curso sobre o combate aos crimes de ódio contra os cristãos De 8 a 10 de março, o Escritório de Instituições Democráticas e Direitos Humanos da OSCE (ODIHR) está organizando um curso online sobre como lidar com crimes de ódio contra cristãos. A OSCE cooperou anteriormente com o CEC durante a Escola de Verão de Direitos Humanos. A todos os interessados, o CEC informa as igrejas-membro da possibilidade de se inscreverem. Para todas as informações, clique AQUI. (Nota: os links detalhados levam à notícia original em inglês) ...

Ler artigo
Piedicavallo (Biella).  O Festival de Música passa pelo histórico templo valdense

Piedicavallo (Biella). O Festival de Música passa pelo histórico templo valdense

foto Wikicommons Roma (NEV), 1 de agosto de 2023 - "Horizontes efêmeros", edição XXXIII da Festival Piedicavallo. Sons, música, conhecimento, num percurso cultural e musical já consolidado no Valle del Cervo, na província de Biella, neste Festival que há anos toca também o templo valdense, como palco de iniciativas e concertos. "Do subsolo das raízes, informe e fértil, onde tudo se origina, de repente uma batida rítmica, emergindo na superfície, deu corpo ao movimento: erguido no ar, o som e a voz sondam a atmosfera rarefeita de uma mudança " lê-se na introdução ao evento, que se desenvolve em três secções distintas: Simbiosi, Fortepiano e Aurora. O templo valdense de Piedicavallo tem uma longa história, diz o presidente do Conselho da igreja valdense de Biella Pedro Magliola (transmitido no culto evangélico na Rádio RAI1 no dia 16 de julho, do minuto '10''31 ao minuto '16''41, link no final da página). “A data de fundação da comunidade valdense remonta a 1888, quando o professor chega à aldeia Elisa Goss e encontrou uma escola. Dois anos depois, em 1890, dos mil habitantes, 77 haviam se tornado membros da igreja valdense”, explica Magliola. Posteriormente, um templo foi adicionado à escola, projetado pelo arquiteto Gay di Susa. Ao longo dos anos, a igreja segue a tendência demográfica. Hoje são cerca de 100 habitantes e a comunidade está praticamente extinta. O templo da pequena aldeia de Piedicavallo, no entanto, apesar de estar fechado nos meses de inverno, no verão é um centro de cultura e um local de culto, em domingos alternados, "Para não abrir mão de seu legado espiritual e material ", diz o presidente. O templo é todo em pedra e foi construído graças ao esforço econômico da população e da comunidade local. Um culto tradicional em Piemonte é celebrado todos os anos. A próxima, que encerra a temporada de verão do templo de Piedicavallo, será realizada no domingo, 27 de agosto. Nascido na onda da discussão conciliar dentro da Igreja Católica, seja para rezar a missa também em dialeto ou apenas em italiano (escolhendo então esta opção), explica Magliola, o culto em piemontês ganha vida graças à paixão de Gustavo Buratti, estudioso e defensor das minorias linguísticas e religiosas. O pastor o segurou inicialmente Ernesto Ayassotdo que com Buratti e com o poeta piemontês Camilo Brero no final da década de 1970, ele também traduziu alguns hinos para o piemontês. Entre os compromissos do Festival Piedicavallo destacamos: Quarta-feira 2, seção Simbiose, classe mestre do musicólogo Jacopo Tomatis sobre "Voz e som na era digital (ou era?).“. Das 15h30 às 18h30, no templo valdense. Sexta-feira 4, seção Fortepiano, concerto "forteou” do mestre Carlo Mascheroni. Aos 18, no templo valdense. Aqui a página do Festival: Culto Evangélico | Culto Evangélico de 16/07/2023 | Rai Rádio 1 | Reproduzir Som ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.