Gottfried Locher renuncia à Comunhão das igrejas protestantes na Europa

Gottfried Locher renuncia à Comunhão das igrejas protestantes na Europa

Roma (NEV), 29 de junho de 2020 – O pastor Gottfier Locher ele não é mais o presidente executivo da Comunhão das Igrejas Protestantes na Europa (CCPE). Conforme noticiado em nota de imprensa do órgão protestante europeu, Locher apresentou sua renúncia durante uma sessão do Conselho do CCPE, realizada por videoconferência no dia 26 de junho. O pastor John Bradbury (United Reformed Church, Londres) recebeu a gestão executiva interinamente.

As renúncias do CCPE seguem as renunciadas por Locher em 2020 da presidência da Federação de Igrejas Evangélicas na Suíça. “Sinto que agora também devo renunciar ao meu cargo no CCPE”, escreveu Locher na exposição de motivos dirigida ao Conselho do CCPE, acrescentando que “o Conselho deve ser composto pelo maior número possível de titulares de cargos”.

Locher foi eleito para o Presidium de três membros do CCPE na Assembleia Geral de 2012 em Florença e foi eleito Presidente Executivo após a morte do bispo Friedrich Weber em 2015. Locher lembrou a Assembleia Geral do CCPE realizada em Basel em 2018 como o destaque de seu mandato.

A eleição do novo Presidente Executivo ocorrerá durante a próxima reunião do Conselho prevista para janeiro de 2021 em Estrasburgo.

“O Presidium, o Conselho e os escritórios centrais do CCPE trabalham em estreita relação de confiança – declarou Bradbury -. A recente admissão da Igreja Evangélica Luterana da Islândia e as intensas discussões das igrejas-membro sobre os efeitos da crise do vírus corona demonstram o vigor de nossa Comunhão”.

O pastor valdense também participou da reunião em 26 de junho Pawel Gajewskimembro do Conselho do CCPE.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Genebra-Augusta-Roma.  “Resistência ecumênica” a caminho

Genebra-Augusta-Roma. “Resistência ecumênica” a caminho

Foto Pixabay Roma (NEV), 6 de setembro de 2018 – A reunião de cinco dias do Joint Ecumenical Working Group (JWG), um catalisador para o diálogo, não apenas teológico, entre o Conselho Mundial de Igrejas (CEC) e a Igreja Católica Romana, nasceu em 53 anos atrás como um dos primeiros frutos do Concílio Vaticano II. Poucas semanas depois da #VisitaPapal de Francisco ao CMI de Genebra, portanto, uma nova etapa de unidade e colaboração entre diferentes denominações e confissões cristãs, em perspectivas de futuro que dizem respeito não apenas aos aspectos espirituais e de oração, mas também ao compromisso social e civil. “Continuamos neste caminho porque temos uma tarefa importante, que é unir forças para fazer muito mais pelos necessitados”, afirmou o secretário geral do CMI, pároco Olav Fykse Tveit. Palavras fortes chegaram, conforme relatado no twitter por Odair Pedroso Mateusdiretor da comissão Fé e Constituição do CMI, pelo bispo luterano Heinrich Bedford-Strohm, presidente da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD). “Vamos nos unir em uma resistência ecumênica às políticas de identidade que desvalorizam os outros”, disse Bedford-Strohm, que também destacou o valor da Reforma e do legado luterano como uma “grande experiência que abriu portas e corações e aumentou as amizades entre cristãos de diferentes tradições". O pastor presbiteriano americano Robina Marie Winbush, que falou ao JWG, disse: "A divisão ecumênica nos Estados Unidos hoje não é tanto confessional quanto político-racial". O Grupo de Trabalho Ecumênico, moderado pelo Metropolita Ortodoxo Nifon Mihăița de Targoviste (Romênia) e pelo arcebispo católico Diarmuid Martin de Dublin (Irlanda), está redigindo dois documentos sobre a construção da paz e a pastoral dos refugiados e migrantes, com a colaboração de especialistas do Dicastério vaticano para a promoção do desenvolvimento humano integral e do Pontifício Conselho para o diálogo inter-religioso. Entretanto, decorrem os preparativos para outra importante etapa ecuménica, nomeadamente a conferência mundial sobre xenofobia, racismo e nacionalismo populista (Roma, de 18 a 20 de setembro), que envolve o Conselho Mundial das Igrejas, o Dicastério Vaticano e o Pontifício Conselho. Entre os convidados, o pároco da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália Luca Maria Negroque recentemente em Novi Sad, Sérvia, durante a Assembleia da Conferência das Igrejas Europeias (KEK) opôs a xenofobia dos 'sodomitas' de hoje, cujo pecado é o ódio aos estrangeiros, com a filoxenia de Abraão, mandato bíblico de amizade para com o estrangeiro. O CMI representa mais de 550 milhões de cristãos em todo o mundo com suas 350 igrejas protestantes, ortodoxas, anglicanas e membros independentes. Rev. Presbiteriana dos EUA Robina Winbush para RomanCatholic-#WCC Grupo de Trabalho Conjunto: a divisão ecumênica nos EUA hoje não é tanto denominacional quanto política/racial @wccpilgrimage pic.twitter.com/mj7lUEPqjC — Odair Pedroso Mateus (@odairpmateus) 4 de setembro de 2018 #EKD Bishop Bedford-Strohm para Roman Catholic-#WCC Grupo de Trabalho Conjunto: vamos nos unir na resistência ecumênica à política de identidade que desvaloriza os outros @EKD pic.twitter.com/YzqQE1tcN3 — Odair Pedroso Mateus (@odairpmateus) 3 de setembro de 2018 ...

Ler artigo
Luto.  Faleceu o pastor metodista Sérgio Aquilante

Luto. Faleceu o pastor metodista Sérgio Aquilante

Roma (NEV), 23 de outubro de 2013 – Aos 82 anos, o pároco emérito Sergio Aquilante faleceu pacificamente durante o sono no dia 19 de outubro. Ele foi um expoente autorizado do metodismo italiano e autor de vários livros. Durante o seu longo ministério foi pároco em várias igrejas - valdenses e metodistas - na Ligúria, Abruzzo, Emilia, Campania e Sicília. Ex-presidente da Conferência da Igreja Metodista da Itália e do Comitê Permanente da Obra para as Igrejas Evangélicas Metodistas da Itália (OPCEMI), dirigiu o Centro Ecumene de Velletri (RM), o Centro Social de Villa San Sebastiano (AQ) e o Centro Diaconal "La Noce" em Palermo. Também presidiu o Centro de Estudos do Socialismo Cristão e foi membro do Comitê Executivo do Conselho Mundial Metodista, do Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) e, dentro dele, secretário do Serviço Social. Entre os títulos publicados com a editora Claudiana: “Por um socialismo cristão: testemunhos de um observatório do sul” (1991), “Em busca do bem da cidade: memórias de um pastor metodista” (2011). O atual presidente da FCEI, pastor Massimo Aquilante, é filho de Sergio Aquilante. ...

Ler artigo
Livros.  Uma boa notícia.  O Evangelho de Marcos … sob medida para você

Livros. Uma boa notícia. O Evangelho de Marcos … sob medida para você

Roma (NEV), 23 de setembro de 2020 – Tem como título “Boas notícias. O Evangelho de Marcos … sob medida para você” a nova publicação, recém-saída da imprensa, pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI). O livro é dedicado principalmente a meninos e meninas, meninos e meninas para uma leitura mais fácil do texto do Evangelho de Marcos. De fato, não se trata de uma harmonização da vida de Jesus tomando aqui e ali dos quatro evangelhos, nem de uma paráfrase da história bíblica. O volume, ao contrário, propõe o texto do Evangelho de Marcos, baseado na tradução muito recente da Bíblia italiana da Reforma e elaborado com características de alta legibilidade - tanto do ponto de vista linguístico quanto gráfico -; uma leitura agradável para todos, acessível tanto para aqueles com dificuldades específicas de aprendizagem (DSA) quanto para aqueles com outras dificuldades de linguagem e leitura. “O esforço para tornar o texto o mais acessível possível do ponto de vista linguístico, tentando permanecer fiel às intenções do texto evangélico, produziu uma nova ferramenta. A esperança é que ela permita que mais pessoas descubram a boa nova proclamado no Evangelho de Marcos”, explicou Patrícia Barbanotti, professora, membro da Comissão do Serviço Educativo (SIE) da FCEI, editora dos textos do volume. A supervisão do texto bíblico foi confiada ao professor Eric Noffkeprofessor de Novo Testamento na Faculdade Valdense de Teologia em Roma. Como lembra o pastor Luca Maria Negro, presidente da FCEI, na apresentação do volume, “As igrejas nascidas da Reforma Protestante sempre promoveram a difusão da Bíblia, traduzindo seus textos para a língua falada pelo povo, para favorecer a alfabetização e escolarização da populações. Não é, portanto, por acaso que a FCEI decidiu comprometer-se com este projeto aceitando o desafio de chegar a um texto que facilite a leitura independente do texto bíblico”. E o volume fá-lo através de um texto bíblico simplificado mas fiel ao original, desenhos, mapas, breves notas explicativas sobre personagens e temas da narrativa, tiras do tempo. A publicação é também fruto de vários profissionalismos e competências: foi editada pela referida SIE; financiado com recursos dos metodistas e valdenses Otto por mil; elaborado pela editora Giunti Edu; e por fim distribuído pela editora protestante Claudiana, em cujo site é possível adquirir o volume. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.