Um verão protestante

Um verão protestante

Foto Rajiv Bajaj – Unsplash

Roma (NEV), 22 de junho de 2022 – O verão começou. Nas últimas semanas, e até setembro, várias iniciativas culturais e comunitárias organizadas pelas igrejas evangélicas italianas.

Na Agenda Evangélica e Ecumênica da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), você pode encontrar atualizações semanais com datas, locais e detalhes de apresentações, resenhas, conferências, concertos e outras iniciativas. Além disso, na mesma página, você encontra todas as informações sobre as transmissões de rádio e TV do “Culto Evangélico” com curadoria do pastor Luca Barattocom o Notícias Evangélicas e os destaques, e a veiculação do “Protestantesimo” na RAITRE, com os dias e horários das reprises.

Abaixo, no entanto, uma visão geral do verão protestante com uma seleção de alguns dos eventos mais significativos.

O 25 de junho realiza-se o dia de espiritualidade intitulado “A fé como caminho”. Promovido pela Associação das Igrejas Evangélicas Batistas de Lazio, Abruzzo e Marche (ACEBLAM), inclui reflexões, orações e caminhadas imersas no verde das montanhas Cimini, no lago Vico, na província de Viterbo. Com a pastora Ana Rosa Pereira. Para informações e reservas: [email protected]

O 30 de junho em Meana di Susa, no Piemonte, celebram-se os 100 anos do hinário cristão. Reserva obrigatória até 25 de Junho através do nº. 0122.39138 após as 21h00.

De 3 a 9 de julho na Torre Pellice, no coração dos vales valdenses na província de Turim, é realizada a “Escola para a Democracia”, exposição com curadoria e promoção da Fundação Centro Cultural Valdense que abre com a inauguração Louis Manconi, sociólogo e senador da República. O 4 de julhoa aula-concerto de Paulo Nasocom Alberto Annarilli e Elisa Biason Intitulado: “Martin Luther King. Uma história americana”.

Na Calábria, o albergue social abre suas portas para turistas solidários. Esta é a nova iniciativa da “Casa da Dignidade” inaugurada há alguns meses pelo Mediterranean Hope, o programa de migrantes e refugiados da FCEI.

Entre julho e setembroAlém disso, os Museus Valdenses organizam 6 caminhadas históricas sobre a vida, cultura e história valdenses. Para informações: [email protected]


nomeações institucionais

Há dois compromissos institucionais de verão. A primeira, mano dDomingo 21 de agosto e terça-feira 23 de agosto, é representada pela chamada “Assembleia-Sínodo”, a 5ª sessão conjunta da Assembleia Geral da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) e do Sínodo das igrejas valdenses e metodistas. As igrejas batistas, metodistas e valdenses “BMV” se reúnem na Torre Pellice. Como de costume, seguirá o Sínodo valdense-metodista, que se encerra na sexta-feira, 26 de agosto.


Por fim, para colocar em pauta, o 07 de setembrocom o tradicional encontro marcado em Veneza com o CircuitoCinema, patrocinado pela Associação de Cinema Protestante “Roberto Sbaffi” (mais informações abaixo).

Para relatar compromissos, escreva para [email protected]

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

O Senhor é sempre uma rocha forte

O Senhor é sempre uma rocha forte

Roma (NEV), 1º de dezembro de 2019 – Esta manhã, domingo, 1º de dezembro, o Culto Evangélico abriu as notas de uma nova sigla que “queríamos igual e diferente da histórica que nos acompanhou por 50 anos, até o último domingo ”, explicou o pastor no episódio de hoje Luca Baratto que leva junto com Elisa Baglieri o programa Radio1 Rai produzido pela Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). A continuidade com o acrónimo anterior dá-se sobretudo pela re-proposição da peça “Forte rocca” o coro luterano musicado por bach e tirado de Mendelsson no último movimento da sinfonia “La Riforma”, que define o marca do culto evangélico. "Forte rocca" foi tirado de Marco Robino degli Architorti que criou o novo logotipo. “Foi uma experiência nova para mim, substituir uma música-tema que muitos ouvintes gostam. Senti a responsabilidade, mas também o prazer de ter sido escolhido para esta tarefa”, explicou Robino esta manhã ao Culto Evangélico. A torre do Castelo de Wittenberg com a inscrição "Ein feste Burg / Forte Rocca" “Trabalhei mais nas semelhanças do que nas diferenças entre as duas siglas – continuou Robino -. A intenção é que o ouvinte ao acordar escute uma sigla diferente mas ao mesmo tempo reconheça que está em casa”. A grande novidade reside, antes, no "movimento mais rápido e vivo", mais sintonizado com o gosto e a vida de hoje. O episódio de hoje do Culto Evangélico foi também uma forma de homenagear os três músicos que escreveram o tema anterior, gravado nos estúdios RAI na via Verdi em Turim, há uns bons cinquenta anos: o maestro Ferruccio Corsani no órgão, e os irmãos Paulo e Silvano Calzino eufônio e na corneta, respectivamente. “A peça 'Forte rocca' foi sugerida pelo pároco batista Stanley Crabb que na época tratava do culto evangélico. lembre-se de Corsani – A partitura que usamos tinha o título 'Fantasia sopra Ein Feste Burg' que é o título original do coral. E de fato tinha o caráter de uma fantasia” Já os irmãos Calzi trouxeram para o Culto Evangélico a rica tradição musical protestante das Brass Bands, as fanfarras do Exército da Salvação. “Meu irmão Silvano e eu – explica Paolo Calzi – começamos a brincar com Raymond Quintal, um oficial inglês do Exército de Salvação, um belo músico e um ótimo comunicador; foi ele quem fundou a maioria dos grupos de metais na Itália. Em Turim formei um grupo coral, meu irmão um grupo musical. Ambos conhecíamos os corais de Bach e também por isso fomos contatados por Crabb para as iniciais do Culto Evangélico". Na sigla histórica Silvano Calzi tocava corneta, principal instrumento das Bandas de Metais, que – recordou a emissora – “acompanhou a infância de gerações de meninos e meninas, evangélicos e não, que eram acordados por seus avós ou pais que iniciavam o dia com o culto evangélico no domingo”. “É justo ser acordado pelo receptor – sublinhou Silvano Calzi – porque é uma ferramenta que chama à ação. É importante ressaltar que para a gravação não usei um trompete, mas sim um cornet que é a versão mais popular da banda. Foi o primeiro instrumento no final do século XIX ao qual foram aplicados pistões para que pudesse tocar qualquer melodia”. Uma anedota também está ligada ao registro na via Verdi. “Percebemos – recorda Paolo Calzi – que o órgão era ligeiramente mais alto do que nós, instrumentos de sopro; e os metais não podem aumentar o tom, eles só podem abaixá-lo um pouco. Corremos para o artesão que limava as bocas dos instrumentos para nos afinar com o órgão. Coisas que não deveriam acontecer de última hora, porque são um choque para um pobre músico!” O Culto Evangélico é um programa da Radio1 Rai, produzido pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), que é transmitido todos os domingos de manhã às 6h35. É possível ouvir e baixar o podcast dos episódios já exibidos na página do Culto Evangélico da Rádio RaiPlay. Para ouvir a abertura do Culto Evangélico com a nova sigla, clique aqui. Para ouvir a abertura do Culto Evangélico com as iniciais históricas, clique aqui. Para ouvir a entrevista com Ferruccio Corsani, Paolo Calzi, Silvano Calzi e Marco Robino (do minuto '10''30 até o final do episódio), clique aqui. ...

Ler artigo
batistas.  Começa em Roma o Festival nacional pelos 150 anos de presença na Itália

batistas. Começa em Roma o Festival nacional pelos 150 anos de presença na Itália

Roma (NEV), 4 de setembro de 2013 - A história dos batistas em nosso país, os desafios da sociedade italiana, o acolhimento dos estrangeiros, as relações intergeracionais, as "igrejas verdes" e a salvaguarda da criação, o mundo da prisão, as relações com os outros igrejas protestantes. Estes são apenas alguns dos temas que serão abordados durante os quatro dias da Festa Batista, que acontecerá em Roma de 5 a 8 de setembro próximo. O evento será aberto amanhã à tarde com um culto presidido pelo pastor Raffaele Volpe, presidente da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI). Os momentos de reflexão previstos pelo programa (www.ucebi.it) são muitos, a partir das oficinas organizadas principalmente pelos departamentos de teologia, para as igrejas internacionais e de evangelização da UCEBI. Duas entrevistas públicas também estão planejadas. A primeira, sexta-feira à tarde, no chamado BMV - isto é, a colaboração entre as igrejas batista, metodista e valdense: entrevistar o presidente batista Volpe, a presidente da Obra das Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI) Alessandra Trotta , e o moderador da Mesa Valdense Eugenio Bernardini, será Luca Maria Negro, diretor do semanário "Riforma". No sábado de manhã, a Pastora Anna Maffei moderará um encontro sobre a dimensão internacional dos batistas, com intervenções de Tony Peck, secretário-geral da Federação Batista Europeia; Karin Wiborn, secretária geral do Conselho das Igrejas Cristãs da Suécia; e Regina Claas, vice-presidente da Aliança Batista Mundial. Também na tarde de sábado, a imigração, o meio ambiente e a política serão discutidos em uma conferência moderada por Gian Mario Gillio, diretor da revista "Confronti", que contará com a presença de Franca Di Lecce, diretora do Serviço de Refugiados e Migrantes da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), Herbert Anders, membro da Comissão de Globalização e Meio Ambiente da FCEI, e Mercedes Frias, ex-deputada do Parlamento italiano. Uma exibição documental sobre a história e os princípios batistas estará em exibição durante todo o Festival. A programação do Festival será apresentada amanhã, quinta-feira, 5 de setembro, em entrevista coletiva a ser realizada às 13h na sala de imprensa da Câmara dos Deputados na via della Missione 4. Além do presidente da UCEBI Raffaele Volpe, o teólogo batista Também falarão Elizabeth Green e o parlamentar Luigi Lacquaniti. ...

Ler artigo
#SPUC2020, em Lampedusa no signo da hospitalidade

#SPUC2020, em Lampedusa no signo da hospitalidade

Roma (NEV), 17 de janeiro de 2020 - Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos em Lampedusa como sinal de boas-vindas. Um momento ecumênico de oração acontecerá na ilha siciliana na próxima sexta-feira, 24 de janeiro, às 18h, na paróquia de San Gerlando. Ele falará pela Federação das Igrejas Evangélicas na Itália marta bernardiniWaldensian, operador do Mediterranean Hope, programa de migrantes e refugiados da FCEI, que trabalhou alguns anos na ilha. “Pela terceira vez – declara Marta Bernardini – estamos organizando um evento ecumênico em Lampedusa para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC). Todos os anos procuramos oferecer não só um momento de oração e reflexão, mas também uma oportunidade de envolver as pessoas. Em 2019, por exemplo, distribuímos folhetos com frases a partir do tema escolhido, que foi “Tente ser verdadeiramente justo”, notas que por sua vez os participantes da oração deveriam deixar ou endereçar a alguém”. Este ano, o tema "Eles nos trataram com bondade" foi escolhido pelas Igrejas de Malta e é retirado de uma passagem dos Atos do Apóstolo Paulo, que conta como ele foi acolhido pelos malteses. "Eles propõem o naufrágio de Paulo nos capítulos 27 e 28 do livro de Atos - explica a pastora valdense maria bonafede em Riforma.it hoje - , do navio em que o apóstolo Paulo é um dos prisioneiros que os centuriões romanos devem trazer para Roma, naquelas mesmas águas dos naufrágios dos últimos anos. Um naufrágio de 276 pessoas, incluindo marinheiros que são contrabandistas, e estão prontos para escapar do barco para se salvar, votando todos os outros até a morte; os prisioneiros, incluindo Paulo, que seriam julgados em Roma; os soldados, centuriões romanos, que planejam matar todos os prisioneiros para não deixá-los escapar, exceto um deles que tomou o apóstolo sob sua proteção e que, para salvar Paulo, evita o massacre dos outros e insta todos se joguem do navio que entretanto encalhou num banco de areia: primeiro os que sabem nadar, depois os outros que se agarram aos destroços do navio. "E assim aconteceu que todos chegaram sãos e salvos à terra" (27, 44). O autor do texto bíblico registra que havia 276 naquele navio, um número verdadeiramente grande de pessoas, um número semelhante aos dos últimos anos, nas mesmas costas, nas mesmas rochas”. Assim, as migrações estão no centro da reflexão ecumênica de 2020, um fio vermelho que liga Malta à outra ilha, local de desembarque de muitas pessoas, ambas envolvidas diariamente no acolhimento daqueles que são obrigados a seguir a rota marítima para fugir da Líbia ou de outros países do outro lado do Mediterrâneo. "Para nós é muito significativo - explica Marta Bernardini - organizar e promover este evento ecumênico em Lampedusa, um lugar que é precisamente o emblema da acolhida dos migrantes e, infelizmente, também dos naufrágios de tantas mulheres, crianças, homens que morreu no Mediterrâneo. É também uma forma de testemunhar a nossa presença na ilha, onde estamos envolvidos desde 2014 com o observatório das migrações e onde tentamos, todos os dias, colocar em prática aquela “gentileza” com quem desembarca na ilha. Um momento importante, junto com o aniversário de 3 de outubro, da obra ecumênica que realizamos em Lampedusa com dom Carmelo la Magra“. Amanhã, sábado 18, em Cagliari, para a abertura da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, haverá outro encontro com marta bernardiniintitulado "Viagem, desembarque e hospitalidade: práticas ecumênicas". ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.