Covid19, protocolos assinados no Palazzo Chigi com as várias confissões religiosas

Covid19, protocolos assinados no Palazzo Chigi com as várias confissões religiosas

Roma (NEV), 15 de maio de 2020 – Foi decididamente inédita a reunião realizada hoje no Palazzo Chigi, onde, em estrito cumprimento das regras de distanciamento social, os representantes dos grandes setores confessionais presentes na Itália assinaram os Protocolos de Conduta visando a progressiva retomada das atividades de culto em conformidade com as regras de contraste à propagação do vírus Covid 19. Representantes das comunidades evangélica e judaica, islâmica e sikh, hindu e budista, testemunhas de Jeová, bahá’ís e mórmons se reuniram no Palazzo Chigi onde, juntamente com o primeiro-ministro José Conte e ao Ministro do Interior Luciana Lamorgese assinaram os respectivos Protocolos, cada um dos quais adaptado às peculiaridades das diversas tradições religiosas quanto à condução das redes.

O primeiro signatário do lado evangélico foi o pastor Luca Maria Negro, presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) que também assinou em nome da União das Igrejas Valdenses e Metodistas, da União Cristã Evangélica Batista da Itália, da Igreja Evangélica Luterana da Itália. Enquanto membro da FCEI, ele é um membro separado do Exército de Salvação. Outros signatários do lado evangélico foram os representantes das Assembléias de Deus na Itália, da União das Igrejas Adventistas, da Igreja Apostólica, do Conselho Evangélico e da Aliança Evangélica. O arcebispo também esteve presente Ian Ernestdiretor do Centro Anglicano de Roma.

O encontro tornou plasticamente visível o pluralismo religioso da Itália de hoje – comentou o Presidente Negro – e deu a conhecer os frutos da colaboração entre o Estado e as várias confissões religiosas mesmo em matérias delicadas como a das medidas antipandémicas a adotar no exercício das atividades religiosas. Também tenho o prazer de salientar que a FCEI assinou, lançando assim um importante sinal de unidade nas relações com as instituições italianas”.

As relações com as várias confissões foram estabelecidas pelo Departamento de Liberdades Cívicas e Imigração onde funciona a Direcção Central dos Assuntos Religiosos que, para a ocasião, recorreu a consultores externos.

“Obrigado ao Ministério do Interior e a todos aqueles que trataram estes relatórios com competência e empenho – continua Negro – entabulando um diálogo sério com os representantes das várias confissões, acolhendo observações e propostas que eles apresentaram. Como evangélicos apreciamos, em particular, a uniformidade dos critérios adotados para as diferentes confissões e a atenção ao serviço dos ministros de religião que trabalham em grandes diásporas que, excepcionalmente, são reconhecidos como podendo viajar também entre regiões. Assim foi adotado – concluiu – um método de reconhecimento e diálogo que valoriza as especificidades confessionais no quadro de um compromisso comum de responsabilidade. Foi implementada uma boa prática que esperamos que possa também ser adotado em outras ocasiões”.

Aqui o comunicado de imprensa do Ministério do Interior e aqui o texto do protocolo.

Aqui a galeria de fotos do encontro (Imagens disponíveis sob licença CC-BY-NC-SA) 3.0 IT

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

A sinodalidade na perspectiva ecumênica

A sinodalidade na perspectiva ecumênica

Heidi Kaden, antisplash Roma (NEV), 26 de abril de 2022 – A conferência de primavera da Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) intitulada “Sinodalidade: perspectivas ecumênicas” começou em 23 de abril na Casa Aurora da Igreja Adventista em Florença. Depois da saudação do Presidente do Conselho das Igrejas de Florença, Marco Bontempie as boas-vindas do diretor do Instituto Adventista de Florença, David Romanoapresentou os trabalhos Erica Sfreddapresidente da associação interconfessional de leigos e leigas para o ecumenismo e o diálogo a partir do diálogo judaico-cristão. Erica Sfredda, presidente da Sae. Foto de Laura Caffagnini “A tarefa da Sae é contribuir para a formação ecumênica, e o tema da sinodalidade, particularmente neste período do processo sinodal da Igreja Católica, é uma oportunidade de discussão entre as Igrejas que podem se doar mutuamente com suas próprias práticas e experiências”, disse o presidente. Depois de uma lembrança do teólogo Carlos Molarirecentemente falecido, oferecido pelo teólogo Simone Morandini do Comitê Executivo da Sae, a reflexão partiu da vertente bíblico-teológica com as intervenções de Letizia Tomassone da Faculdade Valdense de Teologia em Roma e de Ricardo Battocchiopresidente da Associação Teológica Italiana. A partir da esquerda Letizia Tomassone, Erica Sfredda, Riccardo Battocchio. Foto de Laura Caffagnini Tomassone ilustrou “a declinação da sinodalidade e a dinâmica histórica do Sínodo nas Igrejas Valdenses e Metodistas. Elementos salientes são a plena participação de leigos e leigas no Sínodo, um órgão cuja autoridade deriva da conformidade com as Escrituras e do testemunho interior do Espírito Santo. Além disso, o Sínodo é provisório e suas decisões são submetidas ao exame das igrejas locais. Ao longo da história, também foi um local de resistência a forças externas”, disse Tomassone, lembrando a Confissão de Barmen de 1934, na qual a Igreja Confessante Alemã se opôs a Hitler em sua tentativa de escravizar o cristianismo à ideologia nazista. “O Sínodo, concluiu, “é uma experiência em curso que sempre espera novas aberturas para temas ainda não incluídos”. Riccardo Battocchio fez "uma análise dos termos Sínodo, sinodal e sinodalidade em um excursus histórico que desde os primeiros Concílios ou Sínodos da Igreja indivisa chegou até hoje em que a visão ecumênica pode dar às igrejas uma nova compreensão do que é plastificado e não palavras aderentes à realidade. A forma sinodal poderia resolver a tensão sempre emergente na Igreja entre comunhão e conflito. Que a Igreja seja “constitutivamente sinodal”, como disse o bispo de Roma, Francisco, não é uma afirmação óbvia”, apontou o teólogo –. É preciso continuar no caminho indicado pelo Concílio e também é preciso estar atento à linguagem: ainda hoje se ouve falar dos pastores e do povo de Deus como se fossem duas realidades distintas e não a mesma Igreja. Finalmente, cada igreja pode relacionar seu entendimento de sinodalidade com o das outras na perspectiva da troca de dons”. Seguiu-se um debate que precedeu, à noite, a celebração da Eucaristia na oitava da Páscoa em que muitas vozes rezaram pela paz, na noite em que, no meio do conflito na Ucrânia, as igrejas ortodoxas celebravam a ressurreição de Cristo. A conferência continua com as experiências da tradição ortodoxa com a intervenção remota de Dionisios Papavasileiou da Sagrada Arquidiocese Ortodoxa da Itália e a práxis evangélica com a intervenção na sala do pároco Pawel Gajewski da Faculdade Valdense de Teologia. O programa também inclui a narração de histórias de diálogo ambientadas em Florença, palestrantes Ricardo Saccenti da Universidade de Bérgamo, Andrea Bigalli do Instituto de Ciências Religiosas da Toscana e da Roberto Pecchioli da Igreja Cristã Evangélica dos Irmãos de Florença. Hoje, segunda-feira, serão concluídos os trabalhos sobre o tema do caminho sinodal católico, monsenhor Erio Castellucciarcebispo de Modena-Nonantola e vice-presidente da CEI e Serena Nogueira do Instituto de Ciências Religiosas da Toscana. ...

Ler artigo
19 de maio em Roma um momento de espiritualidade compartilhada contra a guerra

19 de maio em Roma um momento de espiritualidade compartilhada contra a guerra

Roma (NEV), 15 de maio de 2023 – A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) e o Interfaith Centre for Peace (CIPAX) continuam sua jornada inter-religiosa no âmbito das iniciativas da Europa pela Paz . “Para lembrar que a guerra, todas as guerras devem acabar, que queremos paz, justiça e desarmamento, mesmo nuclear, propomos um novo momento de espiritualidade compartilhada” escrevem as duas siglas. Encontro em Roma, sexta-feira, 19 de maio de 2023, das 18h às 19h30, na Igreja Evangélica Batista Cristã na via del Teatro Valle, 27. Outras iniciativas: Domingo, 21 de maio, 23, é realizada a Marcha da Paz Perugia Assis, à qual a CIPAX adere, com a Europa pela Paz. “Em preparação para a Marcha, mesmo para aqueles que por diversos motivos não poderão participar, queremos continuar nosso caminho de espiritualidade compartilhada que nos viu juntos em vários momentos desde que a Rússia invadiu a Ucrânia – escreve CIPAX -. Somos contra a guerra na Ucrânia, pelo cessar-fogo, negociações, uma conferência internacional pela paz e a favor de uma cultura de não violência e de ações concretas de preparação para a paz. Acreditamos firmemente que as crenças não devem ser usadas para justificar guerras, violência e violações dos direitos fundamentais”. Europa pela Paz: "continua a mobilização pelo cessar-fogo, pela negociação, pela solução política e não violenta da guerra na Ucrânia, juntamente com o pedido de desarmamento nuclear global". ...

Ler artigo
Igreja Batista OPM, “Multiplicar a esperança por mil”

Igreja Batista OPM, “Multiplicar a esperança por mil”

Roma (NEV), 22 de abril de 2023 – "Multiplicar a esperança por mil": este é o lema da campanha Otto per mille Baptist 2023. Estamos falando do compromisso da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) para fins de saúde , humanitário, social. Todos os anos, a UCEBI continua a aplicar 100% dos fundos recebidos "com extremo rigor, destinando-os - até ao último cêntimo - exclusivamente a intervenções sociais, assistenciais, humanitárias e culturais, em Itália e no estrangeiro", lê-se no site da batistas. Entre os projetos ativos, financiados com os recursos do Otto per mille, podemos ajudar idosos, mulheres vítimas de violência, meninos e meninas. Entre as atividades realizadas pela UCEBI com os fundos Otto per mille, um projeto dos Médicos Sem Fronteiras contra a violência contra as mulheres, a casa de repouso GB Taylor em Roma, apoio às atividades da Associação Italiana de Pessoas com Síndrome de Down (AIPD) – Onlus de Pisa e o projeto Medical Hope da Federação de Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) para assistência médica a refugiados sírios no Líbano e na Itália. Quem são os batistas? “Para explicar de forma simples podemos dizer: os cristãos da igreja de Martin Luther King”. É o que afirma o site da UCEBI, membro da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Fundada em 1956, recolhe o legado da União Batista Apostólica Cristã (UCAB), fundada em 1884 pelas missões inglesas e americanas que chegaram à Itália na década de 1860, por sua vez herdeiras dos anabatistas e da chamada Reforma Radical da Inglaterra de 1600. Aqui todas as informações da Receita Federal em 2, 5 e 8 por mil. As imagens escolhidas para a campanha publicitária Otto per mille battista: [embed]https://www.youtube.com/watch?v=4G4eh_lWwIc[/embed] ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.