Ecumenismo.  Fase V do diálogo entre católicos e luteranos concluída

Ecumenismo. Fase V do diálogo entre católicos e luteranos concluída

Participantes do encontro em Kligenthal (França)

Roma (NEV), 31 de julho de 2018 – O último encontro da quinta fase de diálogo da Comissão Católica Luterana para o estudo da unidade foi realizado em Kligenthal (França) de 17 a 24 de julho. Promovida pela Federação Luterana Mundial (FLM) e pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos (PCPUC), esta fase de diálogo foi concluída após nove anos de trabalho.

Com base em documentos anteriores sobre o batismo, a doutrina da justificação, a Eucaristia, o ministério e a apostolicidade da igreja, esta última reunião foi dedicada à relação entre o batismo e a comunhão eclesial. Em particular, tentou-se responder à pergunta sobre que tipo de comunhão eclesial deriva da compreensão compartilhada por católicos e luteranos sobre o batismo.

Uma pergunta, sublinhou o pároco luterano Kaisamari Hintikkaque pede uma resposta também a partir dos compromissos expressos pelo então presidente da FLM, Munib Younane de Papa Francisco em Lund (Suécia) em 2016, por ocasião da abertura do 500º aniversário da Reforma, a respeito da divisão contínua na mesa da Ceia do Senhor – especialmente em referência a casais inter-religiosos.

O relatório será agora recebido pela FLM e pelo PCPUC e será publicado no início de 2019. A Comissão Luterana-Católica – atualmente co-presidida pelo bispo luterano finlandês Eero Huovinen e pelo bispo católico britânico William Kenney – foi instituída em 1967 e, ao longo dos anos, produziu documentos de grande importância, como a “Declaração Conjunta sobre a doutrina da justificação pela fé”, assinada em Augusta em 1999, e “Do conflito à comunhão” de 2013 que definiu a possibilidade de uma celebração ecumênica dos 500 anos da Reforma Protestante.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Bíblia.  Uma nova tradução italiana para o Jubileu da Reforma 2017

Bíblia. Uma nova tradução italiana para o Jubileu da Reforma 2017

Roma (NEV), 23 de outubro de 2013 – Uma nova tradução da Bíblia para o italiano. Esta é a iniciativa que a Sociedade Bíblica na Itália (SBI) está lançando em vista do 500º aniversário da Reforma em 2017. "O grande mérito dos reformadores - escreve o pastor Eric Noffke, presidente da SBI, em carta enviada em a ocasião do domingo da Reforma deste ano – foi precisamente a de chamar o cristianismo de volta à sua fonte, a Cristo, ao Verbo de Deus feito carne, cujo único testemunho de autoridade se encontra nas Escrituras do Antigo e do Novo Testamento”. A iniciativa será apoiada não apenas pelo SBI, mas também pelas igrejas evangélicas italianas às quais a carta de Noffke é dirigida para solicitar sua adesão. De facto, os custos não são indiferentes e ascendem a cerca de 500.000 euros num período de dez anos. “Para apoiar o empreendimento contamos não só com o empenho dos executivos nacionais das igrejas, mas pretendemos criar uma rede de indivíduos dispostos a nos apoiar com pequenas mas constantes quantias ao longo do tempo”, especifica o presidente da SBI. O método escolhido para a tradução também será novo. “A Bíblia protestante em italiano está ligada ao nome de um indivíduo, Giovanni Diodati – explica Noffke -. O método que temos em mente é mais coral porque envolve um grupo de tradutores, consultores e revisores escolhidos no mundo da evangelização italiana, para fazer uma tradução fiel à letra dos textos bíblicos e em uma linguagem moderna”. O Novo Testamento e os Salmos devem ser publicados em 2017, ano do Jubileu da Reforma, enquanto a Bíblia inteira deve ser impressa em 2023. “Esta nova tradução pretende dar expressão renovada à Palavra e pretende ser o legado da nossa geração para as que virão”, conclui Noffke. ...

Ler artigo
Há 58 anos, o discurso “Eu tenho um sonho” de Martin Luther King

Há 58 anos, o discurso “Eu tenho um sonho” de Martin Luther King

foto: Histórias Invisíveis, unsplash Roma (NEV), 28 de agosto de 2021 – 58 anos se passaram desde o dia em que Martin Luther King ele fez seu discurso mais famoso, "Eu tenho um sonho", em Washington, no final da marcha pelo trabalho e pela liberdade. Neste mesmo dia, serão realizadas manifestações em várias cidades dos Estados Unidos para pedir a proteção do direito ao voto. A “Marcha pelo Direito ao Voto” será liderada por líderes dos direitos civis, incluindo Martin Luther King III e o reverendo Al Sharpton. Um dos objetivos é pressionar o Congresso a aprovar uma lei consagrando o amplo acesso ao voto na lei federal. Enquanto isso, novamente por ocasião do aniversário do discurso do Rei Batista, a comunidade do videogame online Fortnite, da empresa Epic Games, criou um novo jogo. A nova experiência virtual, intitulada "March Through Time", mostra o discurso "I Have A Dream" do líder dos direitos civis e permite que os participantes visitem o National Mall e o Lincoln Memorial, onde King fez seu famoso discurso, segurando cartazes e aplausos. 28 de agosto de 2021, o 58º aniversário da marcha sobre o famoso discurso “Eu tenho um sonho” de Washington e MLK. Acabei de sair da prisão para vir; James Farmer não deixaria uma prisão de Los Angeles para vir; e outros líderes dos direitos civis na prisão não puderam comparecer. Em 1963 os AAs não tinham direito a voto. pic.twitter.com/kIHOeAeQL9 — Reverendo Jesse Jackson Sr (@RevJJackson) 28 de agosto de 2021 Neste vídeo, o caçula dos filhos de King, Berenice A. Kingtraça o significado das palavras ditas pelo pai: [embed]https://www.youtube.com/watch?v=G1Q872LfS_c[/embed] Para saber mais: ...

Ler artigo
Dia Mundial de Oração da Mulher Batista

Dia Mundial de Oração da Mulher Batista

ROMA (NEV), 24 de outubro de 2019 – O Dia Mundial de Oração (PMM) promovido pela Aliança Batista Mundial (ABM) será realizado em 4 de novembro de 2019. O Movimento de Mulheres Evangélicas Batistas (MFEB) preparou um documento em italiano com meditações e orações. 15 páginas, com introdução do presidente do MFEB Lúcia Tubito, em que são sugeridas leituras, meditações, hinos e orações sobre o tema escolhido para o Dia, que este ano é de serviço. O GMP italiano é realizado em colaboração, entre outros, com os pastores Helena Fontana E Ioana Niculinacom Pinha Mola E Virgínia Mariani. O documento reúne testemunhos sobre o serviço, dons espirituais, necessidades e projetos de mulheres de todo o mundo. Da obra das mulheres batistas contada por Ivonne Pitterpresidente da União das Mulheres Batistas Caribenhas (onde foi fortalecido o ministério de mulheres e crianças maltratadas e contra o tráfico de pessoas), passando por uma contribuição de Ksenya Magdapresidente do Departamento de Mulheres da Aliança Batista Mundial (ABM), que convida você a participar do Dia de forma criativa e engajada localmente. Estão previstos eventos por todo o mundo, conferências, encontros de oração, momentos de partilha de histórias e experiências, tanto virtuais (em sites, nas redes sociais) como presenciais. O fio condutor que ligará as várias iniciativas é, precisamente, o serviço, nos seus vários significados: ajudar os necessitados e os feridos, a compaixão, o cuidado, o bem. No documento, disponível online no site da União Evangélica Batista Cristão da Itália (UCEBI), há também um estudo bíblico sobre o jamaicano Sylvia Henry que faz perguntas aos leitores, incluindo: “Estou usando efetivamente meus dons e habilidades espirituais para servir? Qual é a minha motivação para servir?” Segue-se uma meditação da pastora Fontana. Nas últimas páginas do documento, o guia de oração pelas comunidades mundiais, que vai da superação da violência doméstica ao compromisso pelos jovens, pelos pobres, pelos indígenas, pela paz, com a proposta de oração "pelos governos de todos os países, para que possam tomar decisões sábias. Pela dramática situação dos refugiados no Oriente Médio e em toda a Europa. Para que as operações de resgate no Mar Mediterrâneo não sejam interrompidas. Que os refugiados sejam tratados com dignidade pelas autoridades dos países de acolhimento". Finalmente, as orações se estendem às comunidades do Sudoeste do Pacífico, Papua Nova Guiné, Austrália, Nova Zelândia, Papua Ocidental, Ásia, por Mianmar, Coreias, Caribe, África, América Latina e América do Norte. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.