Estratégias metodistas na Itália entre a maçonaria e a controvérsia antiprotestante

Estratégias metodistas na Itália entre a maçonaria e a controvérsia antiprotestante

Roma (NEV), 7 de fevereiro de 2020 – A conferência internacional anual sobre estudos do Metodismo, organizada pelo Centro de Documentação Metodista (CDM) em colaboração com o Departamento de história, culturas, religiões, arte e entretenimento da Universidade Sapienza de Roma, tem como título “Os limões católicos. Ambições e estratégias do Metodismo para uma Itália unida” e acontecerá na quarta-feira, 12 de fevereiro, na Faculdade de Letras e Filosofia de Sapienza, a partir das 10h (Sala de Paleografia, 2º andar, seção de história e paleografia medieval).

Mirella Manocchio, presidente da OPCEMI

“O título desta conferência quer expressar o encontro e o embate, o diálogo acalorado também do ponto de vista teológico, social e cultural na Itália na virada dos últimos dois séculos – declarou o presidente da Obra para as Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI), pastora Mirella Manocchio – . O metodismo se insere nessa época, dialogando justamente com a cultura católica e com o catolicismo como instituição. Investigaremos os aspectos particulares do compromisso metodista em vários campos, como fizemos no ano passado sobre os temas de justiça social e direitos civis, na Itália, na Europa, na África e nos Estados Unidos e cujas atas acabam de ser publicadas por Carocci . O recorte histórico e político sobre o metodismo primitivo nos fará compreender o papel dos metodistas no debate travado pelo mundo protestante com a Igreja Católica”.

A conferência representa, disse Manocchio, “uma etapa importante. Existem aspectos inexplorados ou pouco explorados do Metodismo e a ideia com o CDM é voltar aos documentos e investigar essa história, refazê-la de forma mais extensa e exaustiva junto com especialistas em teologia, filosofia e história. Esta conferência abre de forma concreta este caminho, ao qual se seguirão outros momentos de encontro e envolvimento de uma comissão científica, para dar vida a uma história do metodismo na Itália”.

A jornada de estudo inclui uma primeira sessão, que será aberta pelo Diretor do Departamento de história, culturas, religiões, arte e entretenimento da Sapienza, Gaetano Lettiericom Silvana Nitti, Diretora do CDM e pela própria presidente da OPCEMI, pastora Mirella Manocchio.

Entre os temas da manhã, o contexto histórico-político da Itália no final do século XIX – início do século XX, a questão religiosa na Itália entre 1900 e 1915, as estratégias do metodismo inglês e americano para a Itália.

À tarde, após o lanche, discutiremos os metodistas italianos e a maçonaria no início do século XX, o “perigo protestante” e a polêmica católica antiprotestante entre a era liberal e o regime, a questão religiosa nas relações ítalo-americanas e a formação da classe dominante metodista na Itália unida, com o caso da escola Monte Mario.

Numerosos convidados italianos e estrangeiros. A conferência é aberta a todos, mas agradecemos a confirmação do secretariado do MDL. 6 créditos estão previstos para pastores metodistas e valdenses e para diáconos registrados.

“A conferência pretende reconstruir as visões e os projetos estratégicos para a Itália do metodismo inglês e americano nas décadas entre os séculos XIX e XX – lê-se no programa -. Os estudos existentes, alguns dos quais editados pelo CDM, ajudam-nos a delinear uma cultura metodista e a posicionar-se sobre o que se poderia definir como os ‘limes católicos’, limiar de um embate teológico mas também social e cultural com o catolicismo. Neste contexto, a conferência centrar-se-á em algumas alianças das primeiras gerações metodistas, nomeadamente com a maçonaria”.

Consulte o programa completo e faça download da Brochura da Conferência 2020

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Igrejas reformadas suíças.  Um Sínodo extraordinário em setembro

Igrejas reformadas suíças. Um Sínodo extraordinário em setembro

Foto ESRB-Flickr Roma (NEV), 17 de junho de 2020 – O primeiro Sínodo da Igreja Evangélica Reformada na Suíça (ESRB) foi encerrado no Kursaal em Berna. Participaram 26 igrejas-membro, representadas por 81 pessoas, das quais 75 com direito a voto. Entre as decisões mais salientes do Sínodo, a de planejar um Sínodo extraordinário em setembro e a fusão dos dois organismos protestantes suíços de ajuda humanitária "Pão para todos" e "Ajuda das Igrejas Evangélicas Suíças" (ACES - Hilfswerk Evangelischer Kirchen Schweiz - HEKS) . A fusão oficial entrará em vigor a partir de 1º de janeiro de 2022, sujeita à aprovação dos estatutos da nova fundação pelo Conselho Federal de Supervisão de Fundações. Foto ESRB-Flickr Os trabalhos foram condicionados pela recente demissão do presidente Gottfried Locher e o vereador Sabine Brandlin. O Sínodo criou uma comissão temporária de inquérito, encarregada de conduzir uma investigação interna e externa sobre um suposto assédio do ex-presidente contra um ex-funcionário da Igreja. Para completar as discussões deixadas em aberto sobre estratégias futuras, foram agendadas mais três sessões: além do Sínodo extraordinário em setembro, que ainda está sendo definido, o Sínodo se reunirá novamente de 1 a 3 de novembro de 2020 em Berna e depois em junho e em novembro de 2021, em Sion e Berna, respectivamente. O primeiro Sínodo da CERS, antiga Federação das Igrejas Evangélicas Suíças (FCES), foi realizado em um único dia e em modo distanciado após a emergência do coronavírus e foi aberto com um discurso do presidente do Sínodo, pároco Pierre de Salisque falou de um "Sínodo de crise em tempos de crise". Para mais informações: leia o relatório final no site do ESRB (em alemão ou francês) leia o artigo sobre Voce evangelica Sínodo de crise em tempos de crise ...

Ler artigo
Apelo histórico católico-ortodoxo-anglicano pelo futuro do planeta

Apelo histórico católico-ortodoxo-anglicano pelo futuro do planeta

Foto Albin Hillert/CEC Roma (NEV), 9 de setembro de 2021 – Pela primeira vez na história, o papa Franciscoo Patriarca Ecumênico Bartolomeu e o Arcebispo Anglicano de Canterbury Justin Welby assinar uma declaração conjunta pedindo às pessoas que cuidem do futuro do planeta. Os líderes da Igreja Católica Romana, da Igreja Ortodoxa Oriental e da Comunhão Anglicana lembram a urgência da sustentabilidade ambiental, seu impacto na pobreza e a importância da cooperação global. No apelo, o Papa Francisco, o Patriarca Ecumênico Bartolomeu e o Arcebispo Justin Welby exortam todos a fazerem sua parte na escolha da vida para o futuro do planeta. Os líderes cristãos estão convidando as pessoas a orar durante esta temporada litúrgica conhecida como a "Tempo da Criação" para os líderes mundiais antes da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP26) em novembro. A declaração diz: "Pedimos a todos, seja qual for sua fé ou visão de mundo, que se esforcem para ouvir o clamor da terra e de seus pobres, examinando seu comportamento e fazendo sacrifícios significativos pelo bem da terra que Deus nos deu. ." O comunicado conjunto faz um claro alerta: “Hoje estamos pagando o preço… amanhã pode ser pior – e conclui -: Este é um momento crítico. O futuro dos nossos filhos e o futuro da nossa casa comum dependem disso”. Os três líderes cristãos se manifestam contra a injustiça e a desigualdade, dizendo: "Estamos diante de um julgamento severo: a perda da biodiversidade, a degradação ambiental e a mudança climática são as consequências inevitáveis ​​de nossas ações, já que consumimos avidamente mais recursos do que o planeta pode aguentar. Mas também enfrentamos outra injustiça profunda: as pessoas que sofrem as consequências mais catastróficas desses abusos são as mais pobres do planeta e foram as menos responsáveis ​​por provocá-los”. A declaração apela não só à oração, mas também ao trabalho conjunto para um uso responsável dos recursos, colocando as pessoas antes dos lucros e orientando a transição para um sistema justo e economicamente sustentável. Leia o declaração conjunta ...

Ler artigo
A voz das mulheres afegãs contra a violência

A voz das mulheres afegãs contra a violência

Roma (NEV), 23 de maio de 2022 – A nova etapa do projeto promovido pela Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) “Vamos começar com você” será realizada em Milão nos dias 27 e 28 de maio. Entre outras coisas, está agendada uma reunião com o ativista Batool Haidari (que também será a protagonista de uma entrevista que será transmitida no domingo, 29 de maio, no "Protestantismo", em Rai Due, ed) sobre "A voz das mulheres afegãs além do silêncio e da violência". A seguir, um espetáculo com as meninas da especialização contemporânea do Centro de Estudos Coreográficos do Teatro Carcano, intitulado "Hijab", com a coreografia de Jorge Azzone. A iniciativa "Recomeçar com você", também implementada em Nápoles, Gênova e Gravina, visa combater a violência contra as mulheres. Os destinatários também são os próprios homens. Importa actuar ao nível da prevenção do fenómeno, responsabilizando não só os potenciais actores da violência, mas também aqueles que a testemunham e aqueles que, por medo ou por ignorância, negam a sua dimensão social, cultural e significado psicofísico. A etapa de Milão conta com uma colaboração ecumênica, com a participação, entre outras coisas, da Caritas Ambrosiana, que colabora participando da mesa redonda de sábado à tarde intitulada "A resiliência é uma mulher". O projeto FDEI responde, entre outras coisas, a solicitações do Conselho Mundial de Igrejas (CEC), que desde 2015 incentiva igrejas e organizações a trabalhar nessas questões. Para superar as atitudes que predispõem à violência sexual e de gênero, segundo o FDEI e o CEC, é preciso envolver as realidades locais e os indivíduos. Para saber mais, baixe o flyer. Leia a análise aprofundada com o presidente da FDEI, pároco Gabriela Lio. Plano Sexta-feira 18h30, «A voz das mulheres afegãs para além do silêncio e da violência». Igreja Evangélica Batista (via Pinamonte da Vimercate 10), com Batool Haidari, ativista do movimento pelos direitos das mulheres. 19h45, «Hijab», do coreógrafo Giorgio Azzone com intérpretes femininas do Centro de Estudos Coreográficos do Teatro Carcano. Sábado 10h00, «Encontros de resiliência feminina», na CasArché (via Michele Lessona 70). 16h00, «Resiliência é mulher», mesa redonda. Igreja Metodista (via Luigi Porro Lambertenghi 28). Com Renata Rossi (Caritas Ambrosiana), Silvia Gissi (Radam Csd Project) e Massimo Aprile (pastor batista); moderado por Anna Maffei, pastora batista. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.