Você não pode fechar as portas para refugiados e dizer que é uma igreja

Você não pode fechar as portas para refugiados e dizer que é uma igreja

Roma (NEV/Riforma.it), 4 de fevereiro de 2020 – Mesmo em meio a uma terrível guerra civil, a igreja cristã na Síria e no Oriente Médio é forte e comprometida em cuidar das pessoas afetadas pelo conflito, disse ele disse Najla Kassab, presidente da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (CMCR), durante uma conferência na Calvin University em Grand Rapids, Michigan, EUA, onde a CMCR assumiu sua forma atual em 2010. Pastora do Sínodo Evangélico Nacional da Síria e Líbano, Najla Kassab é a primeira pastora eleita presidente da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas.

“Aqui começou nossa jornada. A Fraternidade Mundial de Igrejas Reformadas é onde 100 milhões de membros de mais de 200 igrejas ao redor do mundo se reúnem para falar sobre justiça. Houve muita dor e perda nos últimos anos, especialmente na Síria. O desafio para a igreja é estar presente em meio a essa dor.”

As igrejas reformadas no Oriente Médio fizeram melhorias na educação, nos serviços sociais e no empoderamento das mulheres. Os missionários presbiterianos começaram a Universidade Americana de Beirute, uma das primeiras universidades do Líbano, em meados de 1800. Mais tarde, um hospital e um orfanato foram anexados à escola. “Esta universidade ajudou a moldar nosso legado e mostra o impacto que uma igreja minoritária como a nossa pode ter em uma nação”, comentou.

Em meados da década de 1880, os missionários abriram a Escola Protestante Americana para Meninas, a escola feminina, que ajudou a quebrar estereótipos e restrições na vida das mulheres. “A educação ajudou a melhorar o status das mulheres. Trouxe a libertação das mulheres do Oriente Médio e permitiu que elas usassem seus talentos e contribuíssem positivamente para a sociedade. Isso nos ajudou a experimentar a justiça e o amor de Deus e a minha presença aqui é o resultado disso”.

“Minha igreja ajudou a pavimentar o caminho – continuou – e serviu de exemplo e inspiração para outras igrejas protestantes. Além disso, as igrejas protestantes têm desempenhado um papel importante no movimento ecumênico”.

Devido ao conflito na fronteira libanesa, cerca de 1,5 milhão de refugiados da guerra na Síria vivem em pequenos acampamentos e comunidades improvisadas. As igrejas reformadas abriram escolas para garantir a educação. “As escolas são lugares onde podemos acolher estudantes cristãos e muçulmanos e construir pontes. Os pais mandam seus filhos para essas escolas, que muitas vezes oferecem às crianças uma folga da vida nos campos de refugiados. Na escola eles são alimentados, ajudados a se lavar e às vezes podem ficar um certo tempo longe dos problemas da roça. Há tantas necessidades no Líbano de hoje, diante de tanto sofrimento. Ajudamos as pessoas a sobreviver”, disse Kassab, cujo ministério ao longo dos anos tem sido dedicado especialmente a mulheres e crianças.

“Não se pode fechar as portas aos refugiados e dizer que é uma igreja” concluiu o pároco, afirmando que a igreja deve promover a cura e a reconciliação construindo pontes entre as pessoas. Mesmo no futuro, quando a guerra acabar e muitos refugiados voltarem para casa na Síria. “Na região onde nasceram o judaísmo, o cristianismo e o islamismo, a Igreja deve contar com sua mensagem radical de amor. Mesmo que haja guerras, a esperança pode durar se colocarmos Deus em primeiro lugar.”

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

a consagração é baseada na felicidade e no otimismo da graça

a consagração é baseada na felicidade e no otimismo da graça

Pastor Luca Anziani, presidente da Obra das Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI) Roma (NEV), 24 de maio de 2023 – Entrevista com o presidente da Obra para as Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI), pároco Luke Elders, no encerramento da Consulta Metodista. A reunião habitual das igrejas metodistas da Itália, com mais de 100 delegados de toda a Itália, foi realizada no fim de semana passado no centro Ecumene (Velletri). Quais foram os pontos fortes e fracos desta Consulta Metodista? A Consulta Metodista tem a grande vantagem de não ser uma assembléia decisória. Portanto, não há atas, atos a serem aprovados, eleições a serem realizadas. Em suma, é um momento importante para nossas igrejas em que é possível, em liberdade, discutir aqueles assuntos para os quais a Comissão Permanente solicita, de fato, uma consulta. Foi uma ocasião de adoração, reflexão e celebração. A reflexão centrou-se em três tópicos. Cinquenta anos do pacto de integração entre as igrejas metodistas e valdenses, que se completam em 2025. A ação social da igreja. O papel do centro de formação Ecumene. Todos esses três pontos estão ligados entre si pelo tema mais amplo da vocação. A noite de sábado foi de festa, com o coro nacional de Gana. Depois das dificuldades de encontro devido ao covid, foi lindo e significativo estarmos juntos novamente para orar, discutir e conviver. O limite… é que haja apenas uma Consulta por ano. Quais são os próximos compromissos e compromissos para a OPCEMI? Estamos no período de aproximação do Sínodo, que será realizado em agosto, e por isso estamos trabalhando no relatório anual. Em junho participaremos da Conferência das Igrejas Metodistas da Grã-Bretanha. Com a nova Comissão Permanente também estamos preparando um itinerário com um bispo da Igreja Metodista de Gana que visitará a Itália em novembro. Apresentaremos o projeto Being the Church Together (ECI), falaremos sobre a importância social e política de programas como o Mediterranean Hope e o projeto Rosarno realizado dentro da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI). Qual é a sua mensagem pastoral neste momento caracterizado, por um lado, pela fragilidade e impermanência devido à guerra e às tantas crises em curso e, por outro lado, pelo desejo de paz, confiança, renovação e compromisso no presente? Como todos os anos, o culto de encerramento da Consulta foi um culto litúrgico da Renovação da Aliança, como aquele que fazemos em nossas igrejas no primeiro domingo do ano. Teologicamente, a Renovação da Aliança é uma renovação da própria consagração, ou seja, dizer sim à aliança que Deus fez, como se dissesse "estamos ao Seu serviço". Isso tem sido feito por todas as gerações de crentes. As igrejas metodistas também o construíram do ponto de vista litúrgico. O que significa consagrar a vida ao Senhor em tempos difíceis? Partindo do princípio que nunca houve momentos fáceis... o mais importante na minha opinião é entender que a tua relação com Deus não depende de como vão as coisas no mundo, por isso se as coisas correrem bem Deus está presente, e se as coisas correrem Deus errado está em silêncio. Deus não evita situações difíceis, mas é nessas situações que Ele se revela. A presença de Deus não é Apesar de mal, mas precisamente no mal, por isso numa época em que temos de lidar com velhos monstros que reaparecem, como a guerra, ou com novas dificuldades, a nossa consagração assenta na felicidade. Sobre o otimismo da graça. Ao saber que no árduo caminho Deus não é um hóspede ausente, mas uma presença constante. ...

Ler artigo
Montagem CEC.  Uma mensagem do Oriente

Montagem CEC. Uma mensagem do Oriente

À esquerda, Souraya Bechealany Novi Sad (NEV), 5 de junho de 2018 – “Agradecemos a acolhida que oferece aos nossos irmãos e irmãs que vêm do Oriente Médio. Sua recepção nos toca profundamente e o convidamos a abrir portas ainda maiores. No entanto, pedimos a vocês, acima de tudo, que trabalhem para que os cristãos permaneçam no Oriente Médio”. Esta é "a mensagem que vem do Oriente", lançada ontem, 4 de junho, pelos libaneses Souraya Bechealanysecretário-geral do Conselho de Igrejas do Oriente Médio (MECC), na Assembleia Geral da Conferência das Igrejas da Europa (KEK) em Novi Sad (Sérvia, 31 de maio - 5 de agosto). “Sem a presença dos cristãos, ou com sua presença reduzida, o Oriente Médio não será mais o mesmo e perderá seu sentido de alteridade – continuou Bechealany -. No Oriente Médio, nós, cristãos, não somos hóspedes, estamos em casa e participamos da construção das sociedades dos países em que vivemos”. Bechealany então falou sobre a situação libanesa: “A ONU e a União Européia querem que o Líbano receba 2,5 milhões de refugiados sírios e palestinos de uma população total de 4 milhões de pessoas. Somos um país endividado, como podemos lidar com esta emergência?”. Se as Igrejas européias podem oferecer ajuda às do Oriente Médio, o contrário também é verdadeiro: “Podemos ajudá-los a compreender e construir caminhos concretos de unidade na diversidade em seu continente, onde hoje chegam muitos cristãos orientais e muçulmanos. Temos para si as 'instruções de utilização' desta nova situação”. “Finalmente – concluiu o expoente do Oriente Médio – não fale por nós, não pense por nós, não decida por nós. Reflitamos juntos, unidos na Palavra e no testemunho”. (Libra) ...

Ler artigo
Culto evangélico de Páscoa, domingo as 10 no RaiDue

Culto evangélico de Páscoa, domingo as 10 no RaiDue

Roma (NEV), 7 de abril de 2020 – O culto evangélico de Páscoa será transmitido no domingo, 12 de abril, no RaiDue, de 10 a 11, em Eurovisão ao vivo. O culto está a cargo da Igreja Protestante de Martigny, na Suíça, e será transmitido do templo protestante "San Francesco" em Lausanne. A edição italiana é editada pela seção de protestantismo A adoração começará com a história de Maria Madalena que vai ao túmulo de Jesus e vê que a pedra que bloqueava a entrada foi removida e que o túmulo está vazio. A pregação é feita pelo pastor Pierre Boismoranddos pastores Hélène Kung, Agnès Thuégaz e o diácono Armand Bissat. Música por Leonardo Muller. O culto é transmitido como Especial “Protestantismo”, programa editado pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI). ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.