6 de maio.  Zoom reunião sobre esperança

6 de maio. Zoom reunião sobre esperança

Roma (NEV), 6 de maio de 2022 – A Semana de evangelização está em andamento até 8 de maio. Organizado por uma Comissão especial, indicada pelo Conselho Valdense e coordenada por Mário Cignoniestá aberto a todos os interessados. A Semana é inspirada no versículo “Aqueles que esperam no Senhor ganham novas forças” (Isaías 40:31).

Entre as iniciativas, está agendado para hoje, às 18h, um zoom meeting sobre o tema da esperança. Uma breve introdução será seguida de um debate aberto com perguntas e respostas ao vivo. Aqui está o link de acesso:

“Este encontro não está reservado apenas ao público das nossas igrejas, mas está aberto a todos os que queiram participar” escrevem os organizadores. Haverá a oportunidade de fazer perguntas ao vivo sobre o tema da Semana a um jovem pároco, Francisco Marfee ao pároco emérito José Platão. Conduza o debate Simona Menghini, da Comissão de Evangelização e membro da Comissão de Comunicação da Igreja Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense. A ideia, concluem os promotores, é abordar o tema da esperança “livremente e sem mediações, na consciência de que devemos aprender a estar ‘prontos para prestar contas da esperança que há em nós’ (1 Pd 3,15)” .

Para ver outros recursos relacionados à Semana, clique aqui: Vídeo sobre Esperança

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

31 de outubro, Dia da Reforma

31 de outubro, Dia da Reforma

16 de junho de 2019, Genebra (Suíça). Comemoração dos 20 anos da JDDJ Roma (NEV), 28 de outubro de 2019 – 31 de outubro de 1517 Martinho Lutero ele afixou suas 95 teses no portal da igreja do Castelo de Wittenberg, evento que se convencionou considerar o início da Reforma Protestante. Em todo o mundo, no dia 31 de outubro, são realizadas iniciativas e serviços para celebrar o Dia da Reforma. As igrejas reformadas, também na Itália, organizam um culto para o "Domingo da Reforma" para a ocasião. Com base nas necessidades de cada comunidade, isso cai no domingo antes ou depois de 31 de outubro. As doações arrecadadas durante os cultos do “Domingo da Reforma” das igrejas valdenses, metodista e batista serão doadas à Sociedade Bíblica da Itália (SBI). A SBI é a filial italiana da Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira (SBBF), que nasceu em 1804 em Londres com o objetivo de divulgar a Bíblia e que em poucos anos se expandiu para envolver centenas de comerciantes, oficiais, funcionários administrativos, parlamentares e diplomatas de várias igrejas também na Alemanha, Rússia, Holanda, Suécia, Estados Unidos, França, Grécia… O convite para apoiar a SBI também foi estendido à Federação das Igrejas Pentecostais (FCP). Eric Noffke, professor de Novo Testamento na Faculdade Valdense de Teologia em Roma e presidente da SBI, falou no semanário Riforma sobre o tema da necessidade da leitura bíblica para a vida dos crentes e das igrejas, enfatizando como os grandes reformadores do século XVI "pôr-se em guarda contra a teologia das obras" e recordando como "não basta ser animado pelas melhores intenções, pelo contrário, às vezes pode ser contraproducente". Nesse sentido, a Bíblia representa uma “bússola” para agir “porque assim como a ação é ineficaz sem a orientação das Escrituras, não pode haver uma fé no amor de Deus que permaneça passiva e inerte diante dos desafios deste mundo”. A Federação Luterana Mundial (FLM), por sua vez, pediu o uso, para o Dia da Reforma, da liturgia ecumênica usada em Genebra para o 20º aniversário da Declaração Conjunta sobre a Doutrina da Justificação (JDDJ). O convite é dirigido a todas as igrejas que assinaram o JDDJ: Luterana, Católica, Metodista, Anglicana e Reformada. A liturgia inclui orações, hinos e leituras da Bíblia, extratos do JDDJ e outros documentos. O JDDJ é um acordo histórico, resultado de mais de três décadas de diálogo ecumênico entre a Federação Luterana Mundial (FLM) e a Igreja Católica Romana. Inicialmente assinado por luteranos e católicos em 1999, o JDDJ efetivamente resolveu um dos principais conflitos da Reforma e pôs fim às suas respectivas excomunhões. Nos anos seguintes, também reuniu membros do Conselho Metodista Mundial (WMC), da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (WCRC) e da Comunhão Anglicana. A liturgia ecumênica está disponível online em inglês, alemão, espanhol e francês. ...

Ler artigo
Diálogo ecumênico em nosso tempo

Diálogo ecumênico em nosso tempo

Torre Pellice (Turim), 29 de agosto de 2018 (SSSMV/12) - A coletiva de imprensa do Sínodo das igrejas metodistas e valdenses foi dedicada ao tema do ecumenismo, tanto o externo voltado para outras confissões cristãs quanto o intraprotestante , realizada esta manhã na casa valdense em Torre Pellice. O pastor Fulvio Ferrariodecano da Faculdade Valdense de Teologia em Roma, apresentou o documento "Diálogo ecumênico em nosso tempo" que será discutido na sessão sinodal de amanhã à tarde. “É um documento que não pretende ser 'normativo', mas sim uma ferramenta de referência para reflexão e orientação para nossas igrejas”, explicou Ferrario. Este é o primeiro texto sobre este tema apresentado no Sínodo desde 1998. “A intenção – acrescentou Ferrario – é dar conta do novo clima ecumênico criado com a eleição do Papa Francisco”. Em particular, questiona-se se o clima de fraternidade criado sobretudo pelas visitas de Francisco à igreja valdense de Turim em 2015, a Lund para o início das comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante em 2016 e a sede do Conselho Ecumênico das Igrejas (CEC), em junho passado, em Genebra, teve repercussões “na vida cotidiana das Igrejas e no mútuo reconhecimento teológico”. O pastor batista também falou na coletiva de imprensa Cristina Arquidiácona que introduziu o tema das relações ecumênicas interprotestantes e em particular entre as igrejas metodistas e valdenses e a União Cristã Evangélica Batista na Itália (UCEBI). “Relatórios BMV [l’acronimo dei progetti di collaborazione tra Battisti, Metodisti e Valdesi, n.d.r.] eles já são antigos - disse Arcidiacono - e vêem uma multiplicidade de colaborações, desde a "Reforma" semanal comum até o reconhecimento mútuo dos ministros do culto". O Sínodo e a próxima Assembleia Batista, marcada para novembro próximo, questionam a oportunidade de organizar nos próximos dois anos a convocação conjunta de uma Assembleia/Sínodo em que as duas assembleias “se encontrariam para discutir questões relacionadas ao testemunho comum na Itália” . ...

Ler artigo
um gesto violento em um lugar de fraternidade

um gesto violento em um lugar de fraternidade

A igreja ADI de Orta di Atella Roma (NEV), 14 de dezembro de 2022 – No Extremo Oeste, a nova fronteira do crime eram os assaltos a trens; hoje, na Itália, incrivelmente parece ser roubos a igrejas. As cerca de 70 pessoas que se reuniram para o culto noturno nas dependências da igreja das Assembléias de Deus (ADI) em Orta di Atella (Caserta), no domingo, 11 de dezembro, foram agredidas por seis assaltantes com os rostos cobertos. “Foi um verdadeiro assalto à mão armada – explicou o pároco Dario Jazzetta que presidiu o culto no domingo à noite -. Alguns de nossos irmãos foram ameaçados com uma arma na cabeça e todos foram solicitados a entregar seus objetos de valor”. Perplexidade, consternação, mas também surpresa, são os sentimentos que o pastor transmite ao relatar o roubo. “Acho que algo assim nunca aconteceu antes. E certamente as igrejas pentecostais na Itália não vivenciam momentos de violência como este desde os tempos das leis fascistas que nos discriminavam”. O interior da igreja. O prejuízo é, por um lado, econômico. “Em cada culto – explica o pároco – existe um espaço dedicado à recolha de ofertas” que os fiéis doam à igreja e que a igreja utiliza para se financiar. “Mas é sobretudo o dano moral que tanto pesa. Ficamos impressionados com a violência deste ataque, sem qualquer consideração pelas muitas crianças presentes que estavam assustadas. Houve também pessoas com problemas cardíacos, a quem não aconteceu nada de grave, mas que certamente sofreram mais do que os outros”. Além disso, "lamentamos essas ações, mas infelizmente não nos surpreendemos, ao ouvi-las se referir a roubos em supermercados ou outros estabelecimentos comerciais", acrescenta o pastor Iazzetta. E embora na concepção evangélica o local de culto não seja um local sagrado, todavia “a igreja é e continua sendo um local de fraternidade e alegria, deve ser percebida e respeitada como um local seguro, de paz”. “Naturalmente, a comunidade não se deixa desanimar, somos sustentados pela fé em Deus e pela fraternidade mútua de irmãos e irmãs. Além disso, o perdão é um elemento fundamental na fé cristã. No entanto, nos faz sentir mal pensar que nosso mesmo contratempo pode acontecer com outras pessoas também”. A solidariedade da diocese católica chegou à comunidade. A polícia assegurou o seu total empenho na investigação em curso. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.