Confissões religiosas, a FCEI reúne-se com o Subsecretário do Interior

Confissões religiosas, a FCEI reúne-se com o Subsecretário do Interior

Roma (NEV), 30 de março de 2021 – “As igrejas evangélicas continuam se destacando por sua capacidade de ter um forte impacto em nossa sociedade. A qualidade e profundidade de suas reflexões e o compromisso indiscutível que exercem na sociedade italiana fazem deles um importante protagonista de nossa vida nacional e um precioso interlocutor de grande autoridade para o Ministério do Interior”. Assim comentou o Subsecretário do Interior Ivan Scalfarotto no final da visita de ontem de manhã à Faculdade Valdense em Roma, como afirma esta nota no site do dicastério.

Eles participaram da reunião Fabrício GalloDiretor Central de Assuntos Religiosos, Presidente da Federação das Igrejas Protestantes na Itália Daniele Garrone E Paulo Nasocoordenador da comissão de estudos da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI).

Sobre a emergência ucraniana, o subsecretário destacou como a federação de igrejas evangélicas da Itália agiu imediatamente para preparar um plano de intervenção para ajudar a população ucraniana. “Também nesta ocasião não faltou às igrejas evangélicas a qualidade e intensidade de seu compromisso de proteger e garantir os direitos dos mais fracos e vulneráveis, o que é mais importante do que nunca em tempos de emergência”, concluiu Scalfarotto.

O professor Garrone declarou: “Agradecemos ao Exmo. Scalfarotto pelo interesse demonstrado pelas igrejas evangélicas e pelo nosso compromisso social e humanitário. Esperamos que haja um reconhecimento cada vez maior do valor da liberdade religiosa e de consciência, com pleno respeito pelos indivíduos e comunidades, para uma sociedade cada vez mais aberta e inclusiva”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Dia Mundial do Refugiado, todas as iniciativas dos protestantes

Dia Mundial do Refugiado, todas as iniciativas dos protestantes

Uma família refugiada da Ucrânia chega à fronteira de Vama Siret, na Romênia. Localizada ao norte de Siret e mais ao sul a cidade de Suceava, a travessia conecta a Romênia com a vila ucraniana de Terebleche e mais ao norte a cidade de Chernivtsi. Após a invasão da Ucrânia pelos militares russos a partir de 24 de fevereiro de 2022, mais de meio milhão de refugiados fugiram pela fronteira ucraniana para a Romênia. Foto: Albin Hillert/WCC Roma (NEV), 14 de junho de 2022 – O Dia Mundial do Refugiado é celebrado na segunda-feira, 20 de junho. São muitas as iniciativas promovidas por todo o terceiro setor e várias também são organizadas pelo mundo protestante. No que diz respeito à Federação das Igrejas Evangélicas, em particular, e seu programa de migrantes e refugiados, Mediterrâneo Esperança, a Casa das Culturas de Scicli com a CGIL e em colaboração com as realidades do terceiro setor que fazem parte do Pacto de Solidariedade Scicli, com o Integrado O projeto de serviços para a autonomia socioeconômica dos titulares de Proteção Internacional, e com o patrocínio do Município de Scicli, está organizando um evento de um dia a ser realizado na Villa Comunale Penna no município da província de Ragusa. “Existem mais de 70 milhões de refugiados, requerentes de asilo e deslocados internos em todo o mundo que fogem da guerra e da perseguição. Todos obrigados a abandonar tudo e todos em busca de novas certezas em outros países. Refletir sobre a sua situação, conhecer as suas histórias e as suas dificuldades, não ficar indiferente e procurar agir, no dia-a-dia, para acolhê-los e respeitar os seus direitos”, são, por isso, alguns dos objectivos do Dia Mundial do Refugiado. Durante o Dia em Scicli, serão promovidas atividades didáticas e recreativas para crianças, entretenimento e também momentos de reflexão sobre as "Rotas migratórias e estratégias de acolhimento e integração" para aprofundar o tema também em relação ao território siciliano. “Agora mais do que nunca – lê-se na apresentação da iniciativa – é necessário promover caminhos de plena inclusão em todos os âmbitos da sociedade, desde o trabalho ao estudo e à saúde dos forçados a fugir dos seus países de origem”. O dia começará com um workshop criativo e interativo "Construindo a paz" com curadoria dos operadores da Coop. A Soc. Acting destina-se a todas as crianças e jovens que queiram participar. Compromisso às 11 horas em frente à Câmara Municipal de Scicli. Um momento de reflexão, com curadoria da CGIL e da Mediterranean Hope - Casa delle Culture, envolverá entidades e associações envolvidas na área. Serão explorados os temas dos projetos dedicados aos corredores humanitários e apoio psicológico aos que fogem do seu próprio país. eles vão intervir Federica Brizi, gerente de recepção de corredores humanitários para Mediterranean Hope, Federação de Igrejas Evangélicas, Clemente SabbaCoordenadora do MEDU – Médicos pelos Direitos Humanos da Sicília, Ahmed Echigerente do projeto Emergência em Ragusa, Ana Caratozzolochefe da CPIA Ragusa e Giuseppe Scifo, secretário geral da CGIL Ragusa. A noite no Villa Penna será encerrada com uma apresentação de música popular com “Carmelo Errera e os Scacciadiavoli”. A participação nas oficinas e a entrada na Villa Penna são gratuitas e gratuitas. Em Roma, em particular, em Casale Garibaldi, a Diaconia Valdense, Casale Garibaldi – comum no trabalho, Arco Solidário OnlusMédicos Sem Fronteiras, Intersos, BINÁRIO15 organizam um momento de partilha e confronto junto com os cidadãos e os refugiados do território. A partir das 17h30 exposição fotográfica, histórias solidárias, concerto ArabJazz com os 66 KIF, aperitivo. “Todos os anos – explica a Diaconia Valdense em nota à imprensa – é uma oportunidade de convidar as pessoas a conhecerem nossas atividades de trabalho com requerentes de asilo e refugiados por meio de momentos de encontro e contação de histórias”. O Dia Mundial do Refugiado foi celebrado pela primeira vez em 20 de junho de 2001 e foi criado para comemorar o 50º aniversário da aprovação da Convenção relativa ao Estatuto dos Refugiados assinada em Genebra pela Assembleia Geral das Nações Unidas. ...

Ler artigo
Igreja Evangélica Reformada na Suíça.  Um “Sínodo de crise” em andamento

Igreja Evangélica Reformada na Suíça. Um “Sínodo de crise” em andamento

Foto Gaëlle Courtens Roma (NEV), 15 de junho de 2020 – O Sínodo da Igreja Evangélica Reformada na Suíça (ESRB) está em andamento em Berna. De forma distanciada e respeitando as normas anticontágio, o primeiro Sínodo da Igreja Reformada na Suíça, antiga Federação das Igrejas Evangélicas Suíças (FCES), foi aberto com um discurso do presidente do Sínodo, pároco Pierre de Salisque falou de um "Sínodo de crise". “O debate promete ser animado, após a renúncia do presidente Gottfried Locher para questões a serem apuradas”, tuitou a jornalista do Voce evangelica Gaëlle Courtensque está acompanhando os trabalhos. O Sínodo da ESRB será encerrado hoje, ocorrendo em um único dia conforme anunciado pela própria Igreja no final de abril, após a emergência do coronavírus. O trabalho do Conselho foi complexo desde a manhã. Foi rejeitado um ponto de ordem sobre a possibilidade de reunião à porta fechada e que exigia uma maioria de dois terços. A transparência prevalece, apesar da dificuldade, que parece não desestabilizar a assembléia, convocada para discutir tanto questões processuais quanto o relatório da Comissão Examinadora, que avalia os trabalhos do Conselho. PARA #Berna começa em #Kursaal no modo #coronavírus o primeiro Sínodo da Igreja Evangélica. reformado em #Suíço ⁦@EKS_EERS(antiga Fed. das igrejas evangélicas) - o debate promete ser animado, após a demissão do pres. Gottfried Locher para perguntas pouco claras. pic.twitter.com/OKkh7Cpwa0 — Gaëlle Courtens (@gaelle14juillet) 15 de junho de 2020 ...

Ler artigo
Cinema e direitos, Interfilm sobre a prisão de três diretores iranianos

Cinema e direitos, Interfilm sobre a prisão de três diretores iranianos

Felix Mooneeram, unsplash Roma (NEV), 18 de julho de 2022 – Nos últimos dias, três diretores iranianos foram presos: Mohammad Rasoulof, Mostafa Aleahmad E Jafar Panahi. A Interfilm, uma organização internacional que promove júris ecumênicos em vários festivais de cinema, juntou-se ao coro de vozes que protestam contra essas prisões. “O Irão é um país líder na criação de cinema de arte contemporânea e estes realizadores de renome internacional têm apresentado os seus trabalhos em todos os grandes festivais do mundo – lê-se na nota divulgada pela Interfilm -. Mohammad Rasoulof ganhou o Prêmio Ecumênico na Berlinale 2020 pelo filme O diabo não existe. Jafar Panahi recebeu o Prêmio Signis-Wacc de Direitos Humanos em 2014 por seu filme Taxi Tehran”.Signis e Interfilm, que formam júris ecumênicos "para promover uma cultura de paz, unem forças para denunciar este ataque à criação artística e à livre circulação de cineastas que sempre defenderam a sabedoria e a resiliência do povo iraniano e que permitiram que o mundo conhecer melhor este país de tradições artísticas milenares". A Interfilm foi fundada em 1955 por várias associações protestantes de cinema na Europa. Em colaboração com seu parceiro católico Signis, ele organiza júris ecumênicos nos festivais de cinema mais importantes, como Cannes, Montreal, Moscou, Leipzig, Berlim, Locarno. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.