Confissões religiosas, a FCEI reúne-se com o Subsecretário do Interior

Confissões religiosas, a FCEI reúne-se com o Subsecretário do Interior

Roma (NEV), 30 de março de 2021 – “As igrejas evangélicas continuam se destacando por sua capacidade de ter um forte impacto em nossa sociedade. A qualidade e profundidade de suas reflexões e o compromisso indiscutível que exercem na sociedade italiana fazem deles um importante protagonista de nossa vida nacional e um precioso interlocutor de grande autoridade para o Ministério do Interior”. Assim comentou o Subsecretário do Interior Ivan Scalfarotto no final da visita de ontem de manhã à Faculdade Valdense em Roma, como afirma esta nota no site do dicastério.

Eles participaram da reunião Fabrício GalloDiretor Central de Assuntos Religiosos, Presidente da Federação das Igrejas Protestantes na Itália Daniele Garrone E Paulo Nasocoordenador da comissão de estudos da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI).

Sobre a emergência ucraniana, o subsecretário destacou como a federação de igrejas evangélicas da Itália agiu imediatamente para preparar um plano de intervenção para ajudar a população ucraniana. “Também nesta ocasião não faltou às igrejas evangélicas a qualidade e intensidade de seu compromisso de proteger e garantir os direitos dos mais fracos e vulneráveis, o que é mais importante do que nunca em tempos de emergência”, concluiu Scalfarotto.

O professor Garrone declarou: “Agradecemos ao Exmo. Scalfarotto pelo interesse demonstrado pelas igrejas evangélicas e pelo nosso compromisso social e humanitário. Esperamos que haja um reconhecimento cada vez maior do valor da liberdade religiosa e de consciência, com pleno respeito pelos indivíduos e comunidades, para uma sociedade cada vez mais aberta e inclusiva”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Martin Luther King, aquele sonho que perdemos há 52 anos

Martin Luther King, aquele sonho que perdemos há 52 anos

Roma (NEV), 3 de abril de 2020 – Em 4 de abril de 1968 nos Estados Unidos, em Memphis, Tennessee, Martin Luther King foi morto por um tiro de espingarda enquanto estava na varanda de um motel, baleado de James Earl Ray, um criminoso racista e defensor da segregação. Condenado a 99 anos de prisão, ele morreu enquanto cumpria sua pena em 1998 de hepatite. Martin Luther King esteve em Memphis em solidariedade aos catadores de lixo da cidade, que estavam em greve para exigir o reconhecimento de seus direitos. Washington, protestos após o assassinato de MLK Durante os distúrbios que se seguiram ao assassinato do pastor batista, líder do movimento pelos direitos civis, protestos que duraram vários dias, dez pessoas morreram, várias casas foram incendiadas e lojas foram saqueadas.Hoje, 52 anos depois, o mundo inteiro, incluindo os Estados Unidos, vive a pandemia global de Covid19, com milhares de mortos, feridos, uma emergência sanitária sem precedentes, a consequente crise social e económica.Repassemos, pois, a mensagem de uma das figuras carismáticas mais importantes do século passado, que só hoje mais do que nunca pode testemunhar valores e ideias essenciais, para sair da crise atual, para recomeçar, quando será possível. Martin Luther King nasceu em uma família de pastores da Igreja Batista em 15 de janeiro de 1929 em Atlanta, Geórgia, no extremo sul dos EUA. Seu pai, Martin Luther King Sr., era um pregador da igreja batista e sua mãe, Alberta Williams, um professor. Em 1948, Martin mudou-se para Chester, Pensilvânia, onde estudou teologia e ganhou uma bolsa de estudos que lhe permitiu obter um doutorado em filosofia em Boston. Aqui ele sabe Coretta Scottcom quem se casou em 1953 e desde o mesmo ano é pastor da Igreja Batista em Montgomery, Alabama, um dos lugares onde a situação racial era uma das piores de todos os Estados. Em 1955, naquela mesma cidade, uma costureira de família metodista, Rosa Parques, tornou-se, com seu gesto histórico, recusar-se a ceder seu lugar a um homem branco em um ônibus, A Mãe do Movimento dos Direitos Civis. Foi o pastor Martin Luther King, após aquele episódio extraordinário, quem liderou o protesto que se seguiu, promovendo uma campanha massiva de boicote de todos os afro-americanos contra o transporte público local. Após o sucesso da campanha, em 1956 King e outros líderes do movimento pelos direitos civis afro-americanos fundaram a Southern Christian Leadership Conference, que ele presidiu, uma organização dedicada a alcançar a igualdade e os direitos civis por meio de formas não públicas de protesto. a mensagem de Jesus Cristo e o método de Gandhi. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=_IB0i6bJIjw[/embed] A luta pacífica durará toda a sua vida, apesar das prisões e ameaças que sofreu. A Marcha de Washington Em 1963, em Washington, diante do Lincoln Memorial e de 200.000 pessoas, ele fez seu discurso mais famoso, "I have a dream", no final da marcha "For work and freedom". Em 1964 ele ganhou o Prêmio Nobel da Paz; no ano seguinte organizou a marcha antirracista de Selma. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=tVymzWrBTww[/embed] Por fim, abaixo propomos, em um vídeo do Guardian, não seu discurso mais famoso, mas seu último, "Eu estive no topo da montanha“, que ele realizou em 3 de abril, 52 anos atrás, esperando que pudesse ser uma mensagem de esperança ou conforto para esses tempos sombrios. “Não sei o que vai acontecer agora. Dias difíceis nos esperam. Mas eu realmente não me importo agora, porque já estive no topo da montanha. E eu não me preocupo. Como qualquer pessoa, gostaria de viver uma vida longa; longevidade tem seu valor. Mas agora não me preocupo com isso. Eu só quero fazer a vontade de Deus e ele permitiu que eu subisse a montanha. E olhei para baixo e vi a Terra Prometida. Posso não alcançá-lo com você. Mas eu quero que você saiba esta noite que nós, como povo, iremos. Estou tão feliz esta noite. Não me preocupo com nada, não temo homem algum. Meus olhos viram a glória da vinda do Senhor”. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=e49VEpWg61M[/embed] As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo
Roma, novas luzes para o Templo Valdense

Roma, novas luzes para o Templo Valdense

Roma, templo valdense, praça Cavour Roma (NEV), 9 de março de 2023 – Como parte dos "Dias da Herança Cultural Metodista e Valdense" (10 a 12 de março de 2023), o "complexo protestante" da Piazza Cavour em Roma (a igreja, a livraria Claudiana, o atividades e a Faculdade de Teologia com sua biblioteca) viverão momentos marcados pela gratidão e pela visibilidade. Entre outros, intervirá o Moderador da Mesa Valdense, Alessandra Trottao Presidente da FCEI Daniele Garroneo professor. Paulo rico. Os eventos da sexta-feira, dia 10, serão centrados no agradecimento. Graças ao contributo da ACEA (que se fará representar pelo seu Chief Executive Officer Dr. Fabrício Palermo e outros dirigentes), a fachada e os torreões da igreja estão agora iluminados por dentro e por fora. O apoio da Urban Vision permitiu o restauro recente de todas as fachadas e janelas artísticas da igreja (o seu Presidente, Dr. Fábio Mazzoni). Serão envolvidas empresas e técnicos que contribuam para a conservação, funcionamento e valorização da igreja da Piazza Cavour, com os seus vitrais Paulo Paschetti. No sábado vou focar-me na visibilidade, com visitas guiadas que lhe vão permitir conhecer a história dos valdenses, a sua cultura, o património artístico e o património literário do complexo. “O olhar não se volta apenas para o passado e para o belo. Forçado à invisibilidade por séculos; perseguido quando em campo aberto; obrigado hoje por fazer parte do ágorae de um ágora iluminados, os valdenses - e com eles os outros evangélicos italianos - não se esquecem de quantos e quais "invisíveis" existem ainda hoje e se sentem chamados a fazer a sua parte para que também eles recebam um pouco de luz”, declara Daniele Garrone. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.