Montagem CEC.  Testemunhas de reconciliação ao longo das pontes do Danúbio

Montagem CEC. Testemunhas de reconciliação ao longo das pontes do Danúbio

A procissão ao longo do Danúbio com o memorial do massacre de 1942. Foto CEC.

Novi Sad (NEV), 4 de junho de 2018 – Uma longa procissão nas margens do Danúbio entre as pontes Varadinsky E Žeželj para comemorar todos aqueles que sofreram as atrocidades da violência e da guerra. Assim, ontem à noite, 3 de junho, em Novi Sad (Sérvia), os mais de 400 participantes da Assembleia Geral da Conferência das Igrejas da Europa (KEK) quiseram oferecer seu testemunho de paz e amizade.

Foto CEC.

Um momento de oração, canções e reflexão que teve a sua primeira paragem no memorial às vítimas da incursão levada a cabo em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, pelas forças de ocupação húngaras que vitimaram 1.245 pessoas – entre as quais mais de 800 judeus – lançando o cadáveres no Danúbio.

“CEC acredita na reconciliação entre pessoas e culturas – disse o bispo anglicano Christopher Hill, presidente cessante do CEC -. E hoje isso inclui não só a complexidade de uma Europa ecumênica, mas também inter-religiosa, e onde pessoas de fé e pessoas que não professam nenhuma fé religiosa podem falar umas com as outras”.

Foto CEC.

A procissão continuou passando sob a ponte Varadinski para chegar à ponte Žeželj, ambas bombardeadas pelos bombardeios da OTAN de 1999 e depois reconstruídas em 2000, a primeira, e só este ano, a segunda.

No final da procissão, quatro “árvores da justiça” foram plantadas nos jardins perto da ponte Žeželj como sinal de esperança de reconciliação.

Esta é a oração pronunciada: “Como um grande rio você nos alimenta, você nos transforma em solo fértil para nos tornarmos árvores de justiça que oferecem sombra e refrigério e dão frutos. E o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio (Gálatas 5)”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

os valdenses expressam solidariedade com a comunidade judaica

os valdenses expressam solidariedade com a comunidade judaica

Roma (NEV), 17 de fevereiro de 2020 - A Comunidade Valdense de Verona, no dia em que recorda a concessão de direitos civis aos valdenses e judeus com a Carta Real Patente anexada ao Estatuto Albertino, a primeira Carta Constitucional italiana, expressa sua solidariedade e proximidade com a comunidade judaica de Verona. "Os recentes acontecimentos em Verona, a proposta de batizar uma rua com o nome de Giorgio Almirante, os cantos racistas dos torcedores de futebol, os chapéus com a estilização de Hitler e o crescente ressurgimento do anti-semitismo nos preocupam", diz o comunicado do Conselho de a Igreja Valdense de Verona assinada pela pastora Laura Testa. “Acreditamos que não é possível esquecer os crimes hediondos e atrozes ocorridos durante o Holocausto e que a Memória dos Horrores é indispensável para que fique um alerta claro para que tais crimes nunca mais voltem a acontecer”. A Comunidade Valdense espera também que, como em outras cidades da Europa e do mundo, também em Verona se possa estabelecer “um Museu da Memória ou uma instalação permanente como advertência e memória perpétua”. ...

Ler artigo
Dia Mundial dos Oceanos.  “Águas do mar, fonte de vida”

Dia Mundial dos Oceanos. “Águas do mar, fonte de vida”

Um enquadramento do vídeo de apresentação da Conferência das Nações Unidas sobre o Oceano (27 de junho/1 de julho de 2022, Lisboa - Portugal) Roma (NEV), 9 de junho de 2022 – O Dia Mundial dos Oceanos ocorreu ontem. O slogan deste ano foi: “Revitalização: Ação Coletiva pelo Oceano”. No mesmo dia, há dois anos, em meio à pandemia, a Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) apresentou seu Dossiê para o Tempo da Criação. Dedicado precisamente aos oceanos, cuja biodiversidade é tão preciosa como a da terra, o Dossiê é muito atual e tem como título “Águas marinhas, fonte de vida”. É inspirado no versículo "O oceano a cobriu com seu manto" (Salmo 104,6a). Nesta ocasião, a GLAM relança as questões da proteção dos oceanos através da partilha de algumas informações, que a seguir reportamos na íntegra. Um ano enquadrado pela Década da Ciência Oceânica das Nações Unidas e celebração da Conferência das Nações Unidas sobre o Oceano, dois anos depois de ter sido cancelada devido à pandemia. O Dia Mundial dos Oceanos lembra a todos o importante papel que os oceanos desempenham na vida cotidiana. O oceano cobre mais de 70% do planeta, representa 95% da biosfera, produz pelo menos 50% do oxigênio do planeta, abriga a maior parte da biodiversidade terrestre. Em relação à humanidade, o oceano é a principal fonte de proteína para mais de um bilhão de pessoas e para cerca de 3 bilhões, é a principal fonte de subsistência. Além de empregar cerca de 40 milhões de pessoas. Nas mãos humanas, o oceano está sofrendo com a poluição (a cada ano, estima-se que 5 a 12 milhões de toneladas de plástico fluam para ele), pesca, mineração, guerras com 90% das grandes populações de peixes esgotadas e 50% dos corais recifes destruídos - estamos tirando mais do oceano do que pode ser reposto. Estes são os propósitos do Dia Mundial dos Oceanos: informar o público sobre o impacto das ações humanas no oceano; desenvolver um movimento mundial de cidadãos pelo oceano; mobilizar e unir a população mundial em um projeto de gestão sustentável dos oceanos do mundo. Este ano, as Nações Unidas estão sediando a primeira celebração híbrida do evento. A Ocean Conference decorrerá de 27 de junho a 1 de julho em Lisboa, Portugal. O tema principal será: 'Aumentar a ação oceânica baseada na ciência e a inovação para a implementação do Objetivo 14: inventário, parcerias e soluções'. Em abril, o 4º Fórum dos Oceanos abordou os desafios e oportunidades para a economia dos oceanos abordando: Setores emergentes da economia oceânica sustentável, como a produção de algas marinhas. Mecanismos de apoio à transparência e subsídios à pesca. Reforma dos mercados da economia oceânica e medidas não tarifárias. Sustentabilidade social das cadeias produtivas da pesca e da aquicultura. Cadeias de abastecimento marítimas sustentáveis ​​e resilientes. Aspectos comerciais relacionados com o lixo marinho e a poluição plástica. Abaixo, o vídeo de apresentação do Dossiê GLAM2020 sobre os Oceanos [embed]https://www.youtube.com/watch?v=jiQ42-riZlI[/embed] ...

Ler artigo
O serviço público: uma aventura – Nevada

O serviço público: uma aventura – Nevada

Roma (NEV), 2 de fevereiro de 2023 – por Lorenzo Sgro – O serviço público é uma aventura. Colocar-se ao serviço dos outros, à disposição das instituições das quais é escolhido, significa deixar-se levar pelas necessidades do próximo em toda uma série de encontros extraordinários. Obviamente cada voluntário pode escolher de acordo com sua disponibilidade e nem todos esses encontros são agradáveis. Você não precisa dizer sim para tudo e se arrepende de muitos “sim” depois. Mas quanto mais as pessoas dizem não, mais oportunidades de experimentar a natureza aventureira do serviço público são perdidas. Posso dizer que raramente dizia "não". Quase todas as vezes que os operadores da Federação de Igrejas Evangélicas e seu Programa para Refugiados e Migrantes, Mediterranean Hope, me pediam para fazer algo, eu não recuava. E isso me levou a ter as aventuras mais maravilhosas da minha vida. Acolhi os migrantes que chegaram à Itália pelos corredores humanitários do aeroporto de Fiumicino, levei-lhes comida enquanto esperavam para fazer a papelada, brinquei com seus filhos para prepará-los enquanto esperavam. Estive em Scicli, na província de Ragusa, para trabalhar no centro de acolhimento Casa delle Culture do programa Esperança Mediterrânica, onde auxiliei os hóspedes em todos os aspectos, acompanhando-os até à esquadra, ajudando-os a aprender italiano, levando-os eles na praia. E em tudo isso pude conhecer os operadores da instituição, os membros das igrejas evangélicas envolvidos nas atividades como voluntários e todas as pessoas de outras instituições e serviços que ajudam a atender nossos beneficiários. Todas as pessoas maravilhosas. Não é fácil dizer sempre sim, sobretudo porque é difícil atender os migrantes. Quantas vezes acompanhei beneficiários a uma repartição pública para fazer uma papelada e não consegui concluir nada ... Não é fácil dizer sempre sim porque muitas vezes você se encontra em circunstâncias em que prefere ter dito "não ". É natural se arrepender de más escolhas. Mas o funcionalismo público não é uma má escolha, ainda que assim pareça pelas dificuldades que acarreta. O objetivo não é alcançar resultados brilhantes, porque eles vêm com tempo e esforço. O verdadeiro propósito é simplesmente servir, estar disponível e viver o momento. Portanto, não apenas se entusiasme com os sucessos, mas também enfrente os fracassos. Não apenas ser agradecido pelo sucesso de seus esforços, mas também pedir desculpas quando os esforços são em vão. Em suma, o serviço público é estranho. Colocar-se à disposição de pessoas e organizações com necessidades muito diversificadas significa lançar-se em atividades completamente opostas. Já falei da parte "épica" e da frustrante (que de qualquer forma garante emoções fortes) mas também há uma parte que pode ser descrita como chata. Ajudar quem sai de casa a mudar-se para o seu apartamento, passar horas ao telefone com a reserva regional para marcação de consultas hospitalares, responder a e-mails e telefonemas de pessoas que gostariam de fazer estágios curriculares na instituição mas não têm ideia o que a instituição faz e só está interessado nos créditos de formação que tem de cumprir. Mas tudo isso nada mais é do que a demonstração de que o serviço público é uma experiência extremamente vital porque o confronta com as complexidades e contradições da vida. Não é uma experiência que você vive, mas que faz você viver. Até às 14h00 de sexta-feira, dia 10 de fevereiro de 2023, é possível apresentar candidatura para participar num dos projetos da função pública que decorrerão entre 2023 e 2024 em todo o país e no estrangeiro. Duas vagas estão disponíveis no Programa para Migrantes e Refugiados da Federação das Igrejas Protestantes da Itália, em Roma. Para se inscrever, é necessário fazê-lo através do portal online-demand.serviziocivile.it. As especificações são: Título: Este é o caminho Código do projeto: PTXSU0019022010895NXX 2 vagas nos Serviços de Inclusão de Roma, Via del Campo 44D (anteriormente via di Torre Spaccata) – Sede código: 178989 2 posições nos escritórios da FCEI em Roma, Via Firenze 38 – Código da sede: 178966 ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.