Secretariado para atividades ecumênicas.  Do machismo ao plural humano

Secretariado para atividades ecumênicas. Do machismo ao plural humano

A cruz feita com madeira de barcos naufragados em Lampedusa – foto de Laura Caffagnini

Roma (NEV), 27 de julho de 2023 – A 59ª sessão de formação ecumênica da Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) intitulada “Igrejas inclusivas para novas mulheres e novos homens”, em andamento em Assis, termina no sábado, 29 de julho.

Entre as muitas intervenções que se seguiram, a de linguagem não sexista, uma meditação judaica sobre o Deus masculino-feminino e o painel sobre “Seres humanos plurais, entre a Escritura e o hoje”.

Destes últimos, reportamos parte do relatório editado por Laura Caffagnini. Em particular, retomamos o pensamento de Ilenya Gosspastor valdense, teólogo, filósofo e médico, além de Coordenador da Comissão de Bioética das igrejas Batista, Metodista e Valdense sobre as questões éticas colocadas pela ciência à fé.

“Ilenya Goss propôs uma nova hermenêutica capaz de captar no texto bíblico o entrelaçamento de diferentes vozes, mas também as vozes das mulheres. E destacar sem pretensão que o horizonte cultural traçado pelo texto bíblico é patriarcal, sua matriz cultural é um machismo básico, o que dificulta, portanto, fazer emergir outras vozes e outras perspectivas – escreve Caffagnini -. O teólogo fez uma exegese aprofundada de alguns versículos dos dois primeiros capítulos do Gênesis […]. Em Gênesis 1 aparecem as palavras imagem e semelhança e adão como ser humano ‘macho e fêmea’, enquanto a partir do capítulo 2 esta palavra, que lembra os elementos terra e sangue, desliza para um sinônimo de ser humano masculino, Adão, que tem uma derivada, Eva.

O humano plural painel – SAE 2023 – foto Laura Caffagnini
O teólogo lançou mão de uma hermenêutica que permite também que o sentido surja dos contrastes e lançou sugestões sobre as palavras imagem, o que emerge da própria criação – e semelhança, entendida mais como um devir. O ser humano criado à imagem é chamado a realizar a semelhança.

No centro da discussão, ele explicou, está o relacionamento. «O ser humano à imagem de Deus é o ser ontologicamente relacional. No princípio é a relação, mas na sua forma harmoniosa deve concretizar-se tornando-se também semelhança. Entre Gênesis 1 e 2 a relação parece falhar: Adão nomeia Eva, mas ela não fala. A relação inscrita no ser humano está sempre exposta ao fracasso. Ele fala dela e a conhece como sua propriedade. A expressão ‘Desta vez é carne da minha carne’ pode ser lida de duas formas antitéticas: positivamente as palavras do homem que reconhece sua contraparte, ou uma visão do homem que vê a mulher como algo assimilável, não percebida como algo a ser ‘na frente’, como diz a Escritura, isto é, um limite”.

Referindo o discurso ao Novo Testamento, Goss observa que na carta aos Gálatas (3,27-28) Paulo de Tarso não está anulando a diferença em um unicum indiferenciado, mas está dizendo que não há mais elementos discriminantes que geram uma luta de poder e um dispositivo que estabelece que algo é assim por natureza e impõe proibições. Fazendo eco às palavras do subtítulo da sessão Sae – «Construídos juntamente para habitação de Deus (Ef 2,22)» – deparamo-nos com uma humanidade plural em todas as formas de diferenciação”.

Entre hoje e amanhã a sessão da SAE aborda os temas encontro, diálogo, ética libertadora e justiça de gênero. No último dia, sábado, realiza-se a oração final e a meditação bíblica a partir das 8h30; seguido do painel “Por um futuro diferente” com o arcebispo de Catânia Luigi Renna e o pastor e teólogo valdense Letizia Tomassone; finalmente as conclusões com Erica Sfredda E Simone Morandin.

Para ler todos os comunicados de imprensa e ver o programa e a galeria de fotos clique aqui.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

O Otto per mille Waldensian para o Haiti e o Afeganistão

O Otto per mille Waldensian para o Haiti e o Afeganistão

foto de Tim Mossholder, unsplash Roma (SSSMV06), 25 de agosto de 2021 - Ajuda concreta às populações do Haiti e do Afeganistão. Assim o decidiu o Sínodo valdense e metodista em curso na Torre Pellice, na província de Torino, por ocasião da habitual análise dos projetos dos valdenses e metodistas Otto por mil. Além dessas duas intervenções específicas ligadas às emergências vividas nesses dois países, o Sínodo aprovou a lista de todos os outros projetos que receberão o apoio econômico do Otto per mille Waldensian. A deficiência, os menores e a cultura são os eixos de intervenção mais valorizados entre os projetos aprovados para o corrente ano.“Um dado que nos chamou a atenção é o número de inscrições recebidas – explica Manuela Vinay, chefe do escritório Otto per mille das igrejas valdenses e metodistas -. Nunca tantos pedidos, desde que o Otto per mille existia: quase 5 mil - 4992 - pedidos de financiamento, enquanto em 2019 foram cerca de 4100. Estamos a falar de mais 1400 pedidos, face aos últimos três concursos. Já esperávamos, tendo em conta a pandemia, mas não nestes termos: o terceiro setor mas também a cultura precisam claramente de ajuda. E tentaremos, à nossa maneira, como sempre, oferecer o nosso apoio a estas realidades. A solidariedade dos Valdenses e Metodistas está sempre presente e pronta. Por fim, esperamos que essa possibilidade seja cada vez mais utilizada pelos cidadãos, considerando que a maioria - mais da metade - dos contribuintes na Itália, até o momento, não expressa preferências em suas declarações fiscais com relação ao destino do Otto per mil". Justamente para administrar emergências, existe de fato um fundo específico Otto per mille – ou seja, que não subtrai recursos de projetos, mas é formado por recursos não alocados todos os anos. Deste fundo de emergência, este ano, parte será destinada ao Afeganistão e parte ao Haiti. Em particular, para a população afegã, a ajuda servirá para cobrir os custos de uma intervenção de acolhimento que está a ser estruturada nestes dias e que faz parte do apelo da Federação das Igrejas Evangélicas em Itália, do Conselho Valdense, com S. Egidio, para ativar corredores humanitários, com base no modelo piloto já iniciado e gerido pelas três organizações do Líbano. No ano passado também foi criado um fundo de emergência ad hoc para a Covid, destinado a Itália, mas as intervenções internacionais de combate à Covid também foram financiadas com fundos ordinários. Por fim, os próximos passos para a atribuição das verbas: em setembro a publicação dos projetos no site www.ottopermillevaldese.org e o lançamento dos projetos e em janeiro de 2022 o próximo concurso. LEMBRETE aos jornalistas: hoje às 18h30 coletiva de imprensa final, vídeo ao vivo em www.rbe.it, com o diácono Alessandra Trotta e o pastor José Platão Todos os detalhes nesta página. FACT SHEET: Igrejas metodistas e valdenses na Itália ...

Ler artigo
Alegre-se na esperança.  Assembléia do movimento cristão estudantil

Alegre-se na esperança. Assembléia do movimento cristão estudantil

Um detalhe do cartaz da 37ª Assembleia Geral da World Student Christian Federation (WSCF), 2022 Roma (NEV), 23 de junho de 2022 – A Assembleia Geral da Federação Mundial de Estudantes Cristãos (WSCF) começa hoje. É o órgão de decisão mais representativo e máximo do corpo ecumênico global que reúne os movimentos estudantis nacionais autônomos, conhecido na Itália como o "movimento estudantil cristão". A Federação inclui estudantes masculinos e femininos ortodoxos, protestantes, católicos, pentecostais e anglicanos. A Assembleia será realizada na Alemanha, em Berlim, de 23 de junho a 1º de julho. O título desta 37ª edição é "Alegrai-vos na Esperança" (Romanos 12:12). Subtítulo: "Jovens, caminhando juntos rumo à justiça e à paz". Da Itália, estarão presentes Annapaola CarbonatoSecretário da Federação da Juventude Evangélica na Itália (FGEI), e o pároco Pedro Ciacciocomo um "amigo sênior". Do aeroporto onde está prestes a chegar a Berlim, Carbonatto faz este breve comunicado: “É com muita emoção que me preparo para partir para Berlim, até porque há dois anos que esperávamos por este momento. A Assembleia foi adiada por dois anos e no ano passado foi realizada de forma restrita online. É certamente um momento muito emocionante. Teremos a oportunidade de ver uma nova face do movimento”. O Conselho solicitou a Carbonatto que representasse o FGEI na 37ª Assembleia Geral da WSCF. “A ideia de poder nos comparar com outras pessoas que vivem do outro lado do mundo, com quem compartilhamos desafios e esperanças futuras – continua a secretária Annapaola Carbonatto – é muito bonita e estimulante. Também estou muito feliz por poder partir e poder trabalhar neste tema, que me parece oportuno neste momento. Com esta ideia de caminhar e trabalhar juntos para um mundo de justiça e paz, de nos alegrarmos juntos na esperança do Senhor, me deixa confiante e tenho certeza de que esta Assembleia trará novos frutos e novos estímulos também para os evangélicos Federação da Juventude na Itália ”. O pastor Peter Ciaccio escreveu nas redes sociais: “23 anos depois de Beirute 1999, retornarei à Assembléia Geral da WSCF. Muito do que sou agora, devo ao WSCF, até mesmo à teologia pop (para começar).” O versículo bíblico que inspira a Assembleia, escreve a FSM, “nos lembra que a unidade em Cristo Jesus é a nossa esperança em tempos de desafio e dificuldade. Somos chamados a ser unidos na construção do Reino. Somos chamados a profetizar e anunciar a esperança na vinda do Reino. Como uma federação de jovens, a WSCF oferece uma mensagem de esperança no contexto do mundo sofrido de hoje. Uma esperança que se baseia no nosso trabalho pela justiça, igualdade e paz. Esperança informada por nossa compreensão da injustiça social, as causas profundas da pobreza, fragmentação, desunião, violência e guerra. Finalmente, uma esperança que realmente depende de ações que resistem ao Império, que falam a verdade ao poder e o tornam responsável perante o povo e a mãe Terra." A Assembléia Geral também será uma ocasião para celebrar 127 anos de “vida comum e testemunho diversificado e missão para a comunidade mundial” continua a WSCF. Na carta de anúncio da Assembléia, o Secretário Geral da WSCF Marcelo Leites escreve: “Vamos orar juntos por toda a criação neste tempo agitado em um mundo que está sofrendo […]. Este ano, sua 37ª sessão reunirá mais de 100 movimentos de 94 países, amigos seniores, parceiros e convidados”. hashtag #WSCFGA22 #RejoiceInHope ...

Ler artigo
Sínodo Luterano.  Inclusivo e digital no futuro

Sínodo Luterano. Inclusivo e digital no futuro

Roma (NEV/CELI CS12), 2 de maio de 2021 – 2ª Sessão do XXIII Sínodo da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) 29.04/01.05.2021 Continuidade, mudança, futuro. A misericórdia como responsabilidade da Igreja Declaração sobre Justiça de Gênero Igualdade de gênero como expressão de fé Criação de uma plataforma digital profissional Um desafio superado de forma excelente e com muita disciplina: um sínodo em formato online. Em vez do habitual encontro presencial, dois dias e meio de trabalho concentrado em frente a uma tela. O resultado mais importante da 2ª Sessão do XXIII Sínodo da Igreja Evangélica Luterana na Itália são duas decisões corajosas que guiarão a Igreja e suas comunidades em seu trabalho futuro. A aprovação de uma declaração programática sobre justiça de gênero e uma moção da Comissão Digital, aprovada por ampla maioria, sobre a criação de uma plataforma digital CELI. Outro destaque deste sínodo 2.0 foi a conferência com o convidado de honra, o secretário geral da Federação Luterana Mundial (WLF), Martin Junge. Muitos ferros na brasa no último dia do Sínodo, 1º de maio, com grande número de moções a serem aprovadas. O documento sobre justiça de gênero, aprovado após um debate muito intenso e acalorado, não é apenas a expressão de uma mentalidade aberta, mas quase uma declinação específica do título do sínodo, que colocou no centro de seus trabalhos o tema da misericórdia, ou seja, a a aceitação do outro sem preconceitos e o profundo respeito pelo seu ser. Foi claramente sublinhado que este tópico não apresenta nenhum perfil problemático dentro da igreja. A aceitação do outro (tanto em relação à orientação sexual quanto contra qualquer discriminação étnica) é um dado adquirido. A Igreja, por outro lado, tem como missão específica “sair do armário” e promover fortemente os temas do acolhimento e da integração na sociedade. O pré-requisito é uma atitude aberta e sem preconceitos, que deve ser expressa pelo menos adotando um modo de falar e agir inclusivo em todos os níveis, inclusive na pregação, culto e catequese, e nas comunicações públicas. A sede do Decanato da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) Destaque também para o projeto de três anos de um plataforma digital profissional. Especialmente após a experiência da pandemia e para superar um problema objetivo de acessibilidade "geográfica" ou por outros motivos, o CELI pretende viabilizar a pastoral e a assistência religiosa, bem como a informação sobre o luteranismo em sentido geral, através de podcasts, online estudos bíblicos, possibilidade de diálogo através de blogs, culto online e páginas interativas. E isso também para atender às necessidades e expectativas daqueles que se interessam por temas religiosos e pela igreja, mesmo que não desejem se comprometer em uma comunidade. Na sexta-feira, 30 de abril, os temas justiça de gênero, digitalização, pandemia, diaconia, juventude e meio ambiente foram discutidos em Grupos de trabalho. Nesses grupos menores, uma troca de ideias frutífera e animada foi possível, apesar do formato digital. Porém, há um elemento que une as conclusões de todos os grupos: todos os temas dependem muito da estrutura das respectivas comunidades. Vamos Saudações do convidado houve profundo apreço pelo CELI e suas atividades, bem como pela positiva cooperação. Entre outros, Luca Maria Negro, presidente da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI); o moderador do Tavola Valdese, Alessandra Trotta; o presidente da Ópera das Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI), Mirella Manocchio e o presidente da União das Igrejas Evangélicas Batistas da Itália (UCEBI), João Paulo Arquidiácono; o bispo Leon Novak (Eslovênia); mons. Ambrogio Spreaficopresidente da Comissão Episcopal da CEI para a cooperação entre as Igrejas; Martin Hubner, secretário-geral do Martin Luther Bund; os representantes da Igreja Evangélica Luterana Unida da Alemanha (VELKD) e da Igreja Evangélica da Alemanha (EKD), Norbert Denecke E Olaf Wassmuth; Klaus Rieth da Igreja de Württemberg; Enno Haakssecretário-geral da Gustav Adolf Werk; Mário Fishersecretário-geral da Comunhão das Igrejas Protestantes na Europa (ECCP); a presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI), Gabriela Lio; o presidente do Sínodo da Igreja da Baviera, Annekathrin Preidel e o presidente da Claudiana, Eugênio Bernardini. Leia no site do CELI [email protected] Anexo: Posição de Justiça de Gênero tomada Veja todo o especial: Sínodo Luterano 2021 ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.