Um calendário do Advento “que cheira a vida”

Um calendário do Advento “que cheira a vida”

Foto de Julieta Mazzotta

Roma (NEV), 30 de novembro de 2022 – A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) apresenta o “Calendário do Advento que cheira a vida”. Concebido como um presente para todas as pessoas que amam a Criação, o calendário nasceu como parte do projeto GLAM de “Corredores Ecológicos para Insetos Polinizadores”.

“Antecipada por um vídeo no final do inverno passado, a iniciativa dos corredores para insetos polinizadores foi ampliada devido ao interesse, envolvimento e participação de muitos sujeitos dentro e fora das igrejas”, escreve GLAM. Ele acrescenta: “De repente, semanas após o lançamento, o próprio nome estava sendo transformado várias vezes. ‘Corredores Ecumênicos’, depois ‘Corredores Ecológicos, Caminhos Ecumênicos’, para incluir a diversidade de pessoas e grupos envolvidos. Por que essa iniciativa teve tanto sucesso pode ser explicado em duas palavras: usabilidade e responsabilidade”.

Porque o Senhor teu Deus está prestes a introduzir-te numa terra fértil: uma terra de torrentes, fontes e águas subterrâneas que brotam na planície e na montanha; terra de trigo, cevada, vinha, figos e romãs; de oliveiras, azeite e mel; uma terra onde não comerás pão em falta, onde nada te faltará. País onde as pedras são de ferro e de cujas montanhas cavarás o cobre” (Deuteronômio 8,7-9)

Por que utilizável? Por que responsável?

GLAM continua: “É utilizável porque se adapta a qualquer ambiente, mesmo o mais degradado, aliás é precisamente aí que se realiza o seu significado mais profundo; é utilizável porque não tem restrições de idade, pois qualquer pessoa pode plantar uma semente em um vaso ou cuidar de um canteiro urbano, em vez de plantar árvores ou criar grandes jardins. Exige responsabilidade individual porque lança luz sobre a estreita ligação entre a perda da biodiversidade e a extinção em massa. Estimula o sentido de responsabilidade dos mais pequenos, tornando-se um excelente vetor no ensino do cuidado da Criação”.

O calendário do Advento GLAM visa, entre outras coisas, “agradecer a todos aqueles que colaboraram na divulgação deste pequeno e precioso projeto ‘eco-ecumênico’ e encorajar a participação e divulgação no território italiano”.

O Grupo de Trabalho de Polinizadores criou o calendário. Todos os dias chama a atenção para uma ou mais plantas, de vasos ou da horta, da horta ou do bosque, concluindo no dia 24 de dezembro com uma coleção que a GLAM convida a descobrir folheando o calendário disponível a partir de 1 de dezembro a página de facebook da Comissão (Comissão de Globalização e Ambiente).

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Conselho Ecumênico: uma Assembleia sem barreiras

Conselho Ecumênico: uma Assembleia sem barreiras

A atuação de Karen Abou Nader e Fadi El Halabi. Foto Hillert/WCC Karlsruhe (NEV), 6 de setembro de 2022 - "Afirmar a plenitude da vida" é o tema que caracterizou ontem, 5 de setembro, na XI Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas (CMI). e sob diversos pontos de vista, inclusive o da deficiência. Esta a decorrer em Karlsruhe na Alemanha (31 de agosto - 8 de setembro de 2022), é uma Assembleia sem barreiras, físicas ou mentais, em que a presença de pessoas com deficiência não causa constrangimento nem limita a participação. Pessoas com deficiência estão presentes entre os participantes, entre os palestrantes e também entre os artistas performáticos desempenho apresentações teatrais, musicais e até de dança como é o caso Fadi El Halabi que se apresentaram juntos Karen Abu Nader (veja a foto acima). Além disso, todas as intervenções no plenário são traduzidas para a linguagem gestual em grandes ecrãs. Uma tradução simultânea em língua de sinais. Foto Sean Hawkey/WCC “Nem sempre foi assim”, explica um pastor da região do Caribe em uma das Grupos iniciais, os grupos de cerca de 20/30 participantes que se reúnem todos os dias, após a plenária da manhã, para compartilhar impressões e reflexões sobre os temas discutidos. “Em 1998, na Assembléia da CEC em Harare, Zimbábue, havia 12 pessoas com deficiência entre os delegados e ninguém estava preparado para recebê-los. Demorou 20 anos para que as coisas mudassem e para que fosse organizada uma assembléia que levasse verdadeiramente em conta as necessidades de todos”. O texto bíblico do dia, João 9, suscitou mais reflexão no Grupo de Escolha. Na história do Evangelho, quando os discípulos de Jesus encontram um homem cego de nascença, perguntam ao seu Mestre: "Quem pecou, ​​ele ou seus pais, para ser assim?" “A dos discípulos é a pergunta errada – explica um jovem pastor anglicano paraplégico -. Uma pergunta que dá por certo um erro, uma falta, um pecado: procurar um culpado para explicar a situação de deficiência em que se encontra o homem”. No entanto, Jesus dá a resposta certa a uma pergunta errada: “Nem ele pecou, ​​nem seus pais; mas é assim que as obras de Deus podem ser manifestadas nele. “Esta resposta de Jesus – continua o jovem pastor – me permitiu fazer a pergunta certa sobre mim e sobre todos os outros: como, com a minha deficiência, a obra de Deus pode se manifestar em mim?” Porém, a glória de Deus não se manifesta em um milagre de cura, mas de inclusão. “Há muitas pessoas que estão dispostas a orar para que uma pessoa 'se cure'. Mas a deficiência veio para ficar! A obra de Deus é mostrar a todos o caminho neste mundo, fazer com que todos se sintam não do lado do problema, mas do lado da solução. Afirmar a plenitude da vida é fazer parte de um mundo que também dá às pessoas com deficiência a oportunidade de contribuir para o bem comum”. Participantes na pré-assembléia de pessoas com deficiência Foi o que afirmaram os participantes da pré-Assembleia das pessoas com deficiência, realizada em Karlsruhe nos dias imediatamente anteriores à Assembleia. A pré-montagem, através do Rede ecumênica pelos direitos das pessoas com deficiência (EDAN) sublinhou como "as pessoas com deficiência são portadoras de dons concedidos por Deus e reafirmou a importância de que esses dons sejam disponibilizados para todo o Corpo de Cristo", a igreja. “O amor de Cristo é inclusivo e não deixa ninguém para trás. Barreiras arquitetônicas e mentais empobrecem as igrejas, porque se você exclui alguém, todo o Corpo de Cristo fica prejudicado”. ...

Ler artigo
Protestantismo.  “Nós estamos todos juntos nisso?”

Protestantismo. “Nós estamos todos juntos nisso?”

Roma (NEV), 26 de junho de 2020 - "Estamos todos no mesmo barco?" pergunta o próximo episódio da coluna Protestantismo que será transmitido no domingo, 28 de junho, pouco depois das oito da manhã na Rai2. “Temos certeza de que a Covid funciona apenas como um grande nivelador entre os humanos? Ou talvez seja também uma luz de emergência, um espião, que está sinalizando com mais força as desigualdades de nosso tempo?”. Uma série de serviços desde o mundo do trabalho, cultura e entretenimento, até a condição feminina e a deficiência estão no centro da transmissão e vão estimular o debate no estúdio conduzido por Catia Barão, em que irão participar Patrícia Luongo do Fórum Desigualdades Diversidade e Valentina Castaldo do Exército de Salvação. Assista à prévia aqui. ...

Ler artigo
Otto per mille Waldensian, projetos aprovados publicados

Otto per mille Waldensian, projetos aprovados publicados

No que respeita aos países estrangeiros, a maioria dos projetos aprovados concentra-se em África, Médio Oriente, América Latina: vão desde o Quirguistão ao Mali, passando por projetos que serão implementados na Faixa de Gaza. Duas realidades em particular estão sendo ajudadas no Afeganistão, e há pelo menos três anos o Otto per mille Waldensian apoia projetos que visam sobretudo a emancipação das mulheres. Agora, uma vez publicada a lista, as associações e entidades que receberam os aportes poderão iniciar os projetos até o final do mês. Como já havia explicado ao NEV Manuela Vinay, chefe do Otto per mille da Igreja Valdense – União das Igrejas Metodistas e Valdenses (OPM), por ocasião do Sínodo, o Otto per mille registrou um número recorde de membros este ano, em termos de pedidos: “Quase 5 mil – 4992 – pedidos de financiamento, enquanto em 2019 foram cerca de 4100. Estamos a falar de mais 1400 pedidos, face aos últimos três concursos. Estamos, por isso, muito motivados - acrescenta -, e queremos dizer não só a quem participou no concurso, mas a todos, a toda a sociedade civil, que estamos prontos e determinados a ajudar, a fazer a nossa parte”. Como sempre anunciado durante o Sínodo, também estão sendo captados recursos do fundo de emergência para apoiar projetos extraordinários de ajuda às populações do Haiti e do Afeganistão. “Como nos anos anteriores – declarou Alessandra Trottamoderador do Tavola Valdese, em nota publicada em chiesavaldese.org – pautamo-nos na avaliação dos projetos por alguns critérios básicos: atenção máxima a projetos que atendam às necessidades dos sujeitos mais vulneráveis ​​da forma mais emancipadora possível; a abertura para apoiar diferentes níveis de intervenção, que nunca devem ser colocados em competição, desde o de socorro e ajuda imediata, até ao de projetos de mais longo prazo que visam afetar as causas das desigualdades e promover transformações sociais e culturais positivas; e o equilíbrio entre o apoio a organizações consolidadas e com grande capacidade operacional mesmo em cenários complexos e também a pequenas associações que demonstram conhecimento e raízes reais nos contextos territoriais em que operam e uma atenção profunda a relações de cuidado próximas. Estamos agora empenhados em dar substância ao compromisso – ao qual o Sínodo nos encorajou fortemente – de destinar uma parte significativa do fundo especial residual criado para a emergência do Coronavírus às questões trabalhistas, com atenção particular à condição das mulheres e dos jovens ” . ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.