Culto evangélico de Páscoa, domingo as 10 no RaiDue

Culto evangélico de Páscoa, domingo as 10 no RaiDue

Roma (NEV), 7 de abril de 2020 – O culto evangélico de Páscoa será transmitido no domingo, 12 de abril, no RaiDue, de 10 a 11, em Eurovisão ao vivo.

O culto está a cargo da Igreja Protestante de Martigny, na Suíça, e será transmitido do templo protestante “San Francesco” em Lausanne. A edição italiana é editada pela seção de protestantismo

A adoração começará com a história de Maria Madalena que vai ao túmulo de Jesus e vê que a pedra que bloqueava a entrada foi removida e que o túmulo está vazio.

A pregação é feita pelo pastor Pierre Boismoranddos pastores Hélène Kung, Agnès Thuégaz e o diácono Armand Bissat.

Música por Leonardo Muller.

O culto é transmitido como Especial “Protestantismo”, programa editado pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI).

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

“Decálogo Social” de Peter Ciaccio, para uma netiqueta pastoral

“Decálogo Social” de Peter Ciaccio, para uma netiqueta pastoral

Roma (NEV), 11 de dezembro de 2019 Sempre lute contra o mal com o bem e nunca saia do campo de batalha. Verifique se o que você compartilha é verdadeiro. Sempre. Postar imagens violentas não necessariamente gera indignação, mas está se acostumando cada vez mais com a violência. Preste especial atenção ao que diz respeito aos menores. Lembre-se do dia de descanso. Não exploda as pessoas. Não alimente o troll. Qualquer coisa que você disser pode e será usada contra você. Releia antes de postar. Reflita sobre o que você faz. Você não poderá provar que é diferente de como as postagens que você mesmo compartilhou o descrevem. Lembre-se que a Web não esquece. Esses são os "dez mandamentos" para o uso correto das redes sociais propostos pelo pastor Pedro Ciaccio. Uma espécie de netiqueta pastoral, que nos lembra de usar o bom senso, mas também de adotar estratégias prospectivas e responsáveis ​​em uma época em que o discurso de ódio e o uso indevido de palavras correm o risco de causar danos reais. Não é de forma alguma uma dimensão "virtual", segundo Ciaccio, aquela que nos faz passar horas e horas do nosso tempo online, talvez conversando ou comentando, colocando em jogo nossas identidades, nossas emoções e nossos relacionamentos. Em vez disso, é uma dimensão real, que transformou a conversa de bar em um "agorà" onde todos têm o direito de falar, sempre. Ainda bem que o direito à palavra é uma conquista, mas enquanto na dimensão do bar um discurso de ódio pode ficar limitado a algumas vozes e a alguns ouvidos, acabando por vezes no ridículo ou escaramuça, amplificando o seu impacto nos riscos das plataformas web envenenar o diálogo civil e transformar opiniões. A censura, argumenta Ciaccio, é outra coisa, e tem a ver com as ações repressivas de uma autoridade ou de um Estado. Não deve ser confundido com a decisão de moderar e administrar os exércitos descontrolados de trolls que frequentemente invadem sites e nossas páginas pessoais na rede. Os trolls, que roubaram o nome daquelas fofas criaturas dos bosques da mitologia escandinava, têm como único objetivo alimentar um discurso violento, um conflito por si só. Pode ser bom silenciá-los. Concluindo, com citações cinematográficas e digressões entre a antiguidade e a modernidade, Ciaccio sublinhou que "as palavras são importantes". O “novo decálogo” faz parte de uma apresentação compartilhada durante o encontro sobre a comunicação social e seus aspectos éticos intitulado “Social, como muda o sistema de informação” realizado na quinta-feira passada em Roma e promovido pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI). A reunião, coordenada pelo secretário do serviço de comunicação da FCEI Gianfranco Carpente e o Secretário Executivo, Pr. Luca Barattotambém contou com a participação do jornalista da Ansa Vancini vitoriano. Entre os presentes e convidados estavam representantes da Mesa Valdense e da Obra pelas Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI), que acolheram a iniciativa, do Exército da Salvação (EdS), da Igreja Evangélica Luterana da Itália (CELI), da da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) e dos escritórios metodistas e valdenses Otto per mille, além de colegas da comunicação protestante, da agência NEV e da revista Confronti; em conexão skype, as redações de Turim e Nápoles da Riforma e da Rádio Beckwith da Torre Pellice. ...

Ler artigo
Aliança Batista Mundial.  Mackey é o novo presidente

Aliança Batista Mundial. Mackey é o novo presidente

Roma (NEV), 30 de julho de 2020 – O novo presidente da Aliança Batista Mundial (BWA) é argentino. é sobre o pastor Tomas Mackeyque foi eleito em 23 de julho e cujo mandato será de cinco anos. Mackey foi reitor do Seminário Teológico Batista Internacional em Buenos Aires, Argentina, de 1993 a 2004, e é professor desde 1979. Dirige a Fraternidade Pastoral da Associação Batista Argentina (ABA), foi Secretário Executivo da Juventude Batista Argentina de 1976 a 1978, e é Conselheiro Juvenil da Associação Batista Argentina desde 2005. Foi membro fundador da Aliança Cristã de Igrejas Evangélicas da República Argentina (ACIERA), membro fundador e atual membro do Conselho de Administração do Fórum Social Ecumênico, bem como membro do Conselho de Administração da Kairos Fundação de 1988 a 2004 e membro do Conselho de Administração da Sociedade Bíblica Argentina de 2004 a 2008. Ele atua no pastorado desde 1978 e desde 1988 é pastor da Igreja Batista de Buenos Aires, Argentina. “A Global Baptist Alliance abriu meus olhos para o mundo”, disse Mackey. Estou ansioso pela oportunidade de continuar servindo ao Senhor e à família BWA nesta função e convido todos a se juntarem a mim para experimentar a bênção de servir ao Senhor e à família batista em todo o mundo”. ...

Ler artigo
Reimaginando o ecumenismo em um mundo atingido por uma pandemia

Reimaginando o ecumenismo em um mundo atingido por uma pandemia

Foto retirada de cwmission.org Roma (NEV), 13 de fevereiro de 2022 – O Secretário Geral do Conselho para a Missão (CWM – Council for World Mission), pároco Joseop Keumexortou os líderes cristãos mundiais a repensar o ecumenismo. Convidado pelo Global Christian Forum (GCF), o pastor Keum lançou uma mensagem desafiadora sobre como revisitar o ecumenismo neste mundo atingido pela pandemia. A iniciativa faz parte de uma série de encontros preparatórios em vista do próximo Fórum Global, previsto para 2024. Entre eles, também houve o encontro de facilitadores realizado de forma híbrida de 5 a 9 de fevereiro na Domus Romana Sacerdotalis em Roma, que também contou com a presença do bispo Rosemarie Wenner (foto abaixo, terceiro da esquerda) do Conselho Metodista Mundial. Nos mesmos dias, entre outras coisas, a delegação religiosa se encontrou com o presidente da Obra para as Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI), pároco Mirella ManocchioE Papa Francisco. Ecumenismo transformador Em seu discurso durante a sessão de abertura, o pastor Jooseop Keum expressou sua preocupação com as injustiças sociais, políticas e econômicas reveladas pela pandemia global de Covid-19. Também destacou a ganância sistêmica que não está apenas explorando a vida de pessoas vulneráveis, mas também destruindo o meio ambiente. “A pandemia de Covid-19 não é um desastre natural nem acidental”, disse Keum. É um desastre ecológico causado pelo homem devido ao genocídio da ecodiversidade e invasão humana em lares de animais selvagens.” Neste mundo atingido pela pandemia, com desafios internos ao movimento ecumênico, Keum também convocou os membros do Fórum Cristão a reinventar um ecumenismo transformador. É preciso desmantelar as estruturas que servem apenas aos privilegiados, recebendo o Espírito Santo, redescobrindo a fé à margem e derrotando a cultura do ódio com a força do amor, declarou Keum. O pastor destacou a necessidade de uma transformação radical no movimento ecumênico, também em seus espaços. “Revisar o ecumenismo requer uma mudança de lugar – tanto em termos hermenêuticos quanto geográficos: das câmaras do conselho para as ruas, e do dogma para a vida. A vida e as vidas importam, por isso revisitar o ecumenismo é um apelo à celebração da vida em sua plenitude, com as pessoas, em seus contextos reais e em comunidades concretas”. No final de seu discurso, ele sugeriu sete direções para o futuro do ecumenismo: Status confessionis sobre mudanças climáticas e justiça ecológica. Desenvolva a economia da vida em vez de servir a "mammon", o "deus" do dinheiro. Reimaginar o ecumenismo como um movimento a partir das margens, além das instituições. Cultive uma espiritualidade da interconectividade da vida e da solidariedade da esperança. Promova parcerias e explore teologias entre os vulneráveis. Mudando o foco do ecumenismo do eurocêntrico para o cristianismo global. Promover uma liderança ecumênica baseada em valores de fé, não eclesiais. O pastor Casley EssamuahSecretário-Geral do GCF, e outros participantes expressaram gratidão a Keum por seu discurso, que "ajudará a discernir o caminho a seguir em vista da reunião global de 2024". Foto tirada da página do Global Christian Forum no Facebook. Delegação em audiência com o Papa Francisco, fevereiro de 2022 Fórum Cristão Global (GCF) O GCF é um fórum global de líderes cristãos de diferentes tradições, regiões, culturas e nações. Proposto pela 8ª Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) em 1998 em Harare, o GCF nasceu, após um processo de consultas, para reunir várias tradições eclesiásticas num caminho comum de reflexão rumo à unidade das igrejas globais, sobre igualdade de condições e respeito mútuo. Inclui representantes evangélicos, pentecostais e católicos, juntamente com as igrejas membros do CMI. Obrigado Antonella Visintincoordenadora da Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), pelos relatórios e pelo apoio à tradução. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.