a consagração é baseada na felicidade e no otimismo da graça

a consagração é baseada na felicidade e no otimismo da graça

Pastor Luca Anziani, presidente da Obra das Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI)

Roma (NEV), 24 de maio de 2023 – Entrevista com o presidente da Obra para as Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI), pároco Luke Elders, no encerramento da Consulta Metodista. A reunião habitual das igrejas metodistas da Itália, com mais de 100 delegados de toda a Itália, foi realizada no fim de semana passado no centro Ecumene (Velletri).

Quais foram os pontos fortes e fracos desta Consulta Metodista?

A Consulta Metodista tem a grande vantagem de não ser uma assembléia decisória. Portanto, não há atas, atos a serem aprovados, eleições a serem realizadas. Em suma, é um momento importante para nossas igrejas em que é possível, em liberdade, discutir aqueles assuntos para os quais a Comissão Permanente solicita, de fato, uma consulta. Foi uma ocasião de adoração, reflexão e celebração.

A reflexão centrou-se em três tópicos. Cinquenta anos do pacto de integração entre as igrejas metodistas e valdenses, que se completam em 2025. A ação social da igreja. O papel do centro de formação Ecumene. Todos esses três pontos estão ligados entre si pelo tema mais amplo da vocação.

A noite de sábado foi de festa, com o coro nacional de Gana. Depois das dificuldades de encontro devido ao covid, foi lindo e significativo estarmos juntos novamente para orar, discutir e conviver.

O limite… é que haja apenas uma Consulta por ano.

Quais são os próximos compromissos e compromissos para a OPCEMI?

Estamos no período de aproximação do Sínodo, que será realizado em agosto, e por isso estamos trabalhando no relatório anual. Em junho participaremos da Conferência das Igrejas Metodistas da Grã-Bretanha. Com a nova Comissão Permanente também estamos preparando um itinerário com um bispo da Igreja Metodista de Gana que visitará a Itália em novembro. Apresentaremos o projeto Being the Church Together (ECI), falaremos sobre a importância social e política de programas como o Mediterranean Hope e o projeto Rosarno realizado dentro da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI).

Qual é a sua mensagem pastoral neste momento caracterizado, por um lado, pela fragilidade e impermanência devido à guerra e às tantas crises em curso e, por outro lado, pelo desejo de paz, confiança, renovação e compromisso no presente?

Como todos os anos, o culto de encerramento da Consulta foi um culto litúrgico da Renovação da Aliança, como aquele que fazemos em nossas igrejas no primeiro domingo do ano.

Teologicamente, a Renovação da Aliança é uma renovação da própria consagração, ou seja, dizer sim à aliança que Deus fez, como se dissesse “estamos ao Seu serviço”. Isso tem sido feito por todas as gerações de crentes. As igrejas metodistas também o construíram do ponto de vista litúrgico.

O que significa consagrar a vida ao Senhor em tempos difíceis? Partindo do princípio que nunca houve momentos fáceis… o mais importante na minha opinião é entender que a tua relação com Deus não depende de como vão as coisas no mundo, por isso se as coisas correrem bem Deus está presente, e se as coisas correrem Deus errado está em silêncio.

Deus não evita situações difíceis, mas é nessas situações que Ele se revela. A presença de Deus não é Apesar de mal, mas precisamente no mal, por isso numa época em que temos de lidar com velhos monstros que reaparecem, como a guerra, ou com novas dificuldades, a nossa consagração assenta na felicidade. Sobre o otimismo da graça. Ao saber que no árduo caminho Deus não é um hóspede ausente, mas uma presença constante.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Especial Karlsruhe// Dia da Criação

Especial Karlsruhe// Dia da Criação

Karlsruhe (NEV), 1º de setembro de 2022 – Meio ambiente e mudança climática no centro da agenda da Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CMI). E este só poderia ser o tema prioritário dos trabalhos do evento em Karlsruhe, no dia do início do Tempo da Criação. De fato, 1º de setembro é um dia de oração dedicado à Criação: a ideia nasceu em 1989 por desejo do Patriarca Ecumênico Dimitrios, que sugeriu que o primeiro dia do ano ortodoxo, precisamente 1º de setembro, fosse considerado um dia "de proteção ao meio ambiente". Assim, desde a Assembleia Ecumênica Europeia em Graz, Áustria, em 1997, o “Tempo da Criação” tornou-se um tempo litúrgico ecumênico global, cada vez mais participado em todos os níveis, terminando em 4 de outubro. Voltando à cúpula de Karlsruhe, na coletiva de imprensa de hoje, o representante do povo Sami, Júlia Rensberg, delegada da Igreja da Suécia, falou de como a mudança climática é concreta e visível, inverno após inverno, em sua terra natal. Ela e seu povo estão literalmente morrendo de fome devido ao aumento das temperaturas na região do Ártico, que é uma "fronteira". Ele também lembrou como suas raízes estão ligadas à "mãe terra" e o impacto da das Alterações Climáticas “em florestas naturais, que conservam um enorme patrimônio em termos de biodiversidade”. Joy Kennedy ela é a moderadora do grupo de trabalho sobre mudança climática do Conselho Mundial de Igrejas. “Precisamos de uma nova teologia para o clima, uma cosmologia, uma nova forma de viver neste cosmos”, declarou no encontro com a imprensa realizado esta manhã. Mas, ele admitiu, nem todas as igrejas estão fazendo sua parte ou realmente entenderam a urgência desta questão. Uma crise que afeta globalmente, desde o norte profundo representado, por exemplo, pela voz do expoente Sami até o Caribe. Björn Wards, delegado da igreja presbiteriana de Trinidad e Tobago, destacou os múltiplos problemas da região de onde vem, também ligados ao fenômeno da grilagem de terras (a grilagem de terras para agricultura, na sua maioria intensiva, sem consentimento ou em qualquer caso em detrimento das comunidades locais, ed.). Efeitos devastadores para esses territórios, também potencializados pelo turismo de massa. Nos próximos dias, a ecologia e o ambiente continuarão a estar entre os temas mais falados tanto nos eventos oficiais da Assembleia como nas iniciativas paralelas. Amanhã, sexta-feira, 2 de setembro, por exemplo, está previsto o protesto climático do movimento #FridaysforFuture liderado por jovens, com uma marcha simbólica e um programa de intervenções do palco com vozes, canções, apelos à solidariedade global e ação dos jovens. A iniciativa nasceu graças ao Encontro Ecumênico de Jovens (EYG), um grupo de jovens de todo o mundo que organizou uma greve pela justiça climática, em conexão com o movimento lançado pela Greta Thunberg. O EYG Climate Group é constituído por cerca de 25 voluntários com menos de 30 anos. Desde que chegaram a Karlsruhe, eles se reuniram todos os dias durante o horário de almoço para compartilhar histórias e experiências sobre como o clima está mudando seus países e regiões de origem e para planejar a greve. Aqui está o vídeo da conferência de imprensa do clima:[embed]https://www.youtube.com/watch?v=sOSY5zaclWc[/embed] Para saber mais: ...

Ler artigo
27/29 maio.  Na Ecumene a Consulta Metodista 2022

27/29 maio. Na Ecumene a Consulta Metodista 2022

Roma (NEV), 24 de maio de 2022 – A Consulta Metodista está de volta. Esta é a nomeação anual habitual da Obra para as Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI). Será um momento de encontro, troca de experiências e partilha, a partir do relatório de atividades, que será apresentado pela Comissão Permanente (OPCEMI). A Consulta será realizada de 27 a 29 de maio no Centro Ecumeno de Velletri, na província de Roma. O presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), Daniele Garroneele trará suas saudações. Começará na sexta-feira com um jantar, seguido do culto de abertura e uma pequena reunião para ilustrar o horário e a ordem dos trabalhos. Terminará com o almoço de domingo. a pastora Mirella Manocchiopresidente da OPCEMI, ilustra os temas e propostas de trabalho para esta importante nomeação metodista, novamente presente após dois anos de pandemia: Consulta Metodista. Redescobrindo tempos e espaços de ação, ecologia e música. O Trabalho para as Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI) A OPCEMI é membro da FCEI e é presidida pelo pároco Mirella Manocchio. As igrejas metodistas nasceram no século XVIII na Inglaterra a partir de um movimento de renascimento religioso, que mais tarde se espalhou para a América e outros países. Na Itália, grupos metodistas foram formados por pregadores ingleses e americanos no século XIX, no contexto do despertar cultural do Risorgimento. Durante os vinte anos de fascismo, a missão americana, duramente atingida pelo regime, foi incorporada à britânica. Em 1961 nasceu a Conferência Metodista da Itália, emancipada da Conferência Britânica. Atualmente existem cerca de 5.000 metodistas italianos, espalhados por todo o país, e fazem parte do Conselho Metodista Mundial, que tem cerca de 70 milhões de fiéis em 130 países. Os metodistas também são membros do Conselho Mundial de Igrejas (CEC), da Conferência das Igrejas Européias (KEK) e da Comunhão das Igrejas Protestantes Européias (CCPE-Concord of Leuenberg). Desde 1979 os valdenses e metodistas estão unidos em um pacto de integração que deu origem à Igreja Evangélica Valdense (União das Igrejas Metodista e Valdense). As duas igrejas têm em comum a organização representativa sinodal, a administração (mesa valdense) e o corpo pastoral. Por outro lado, a representação ecumênica e a gestão patrimonial permanecem distintas. As relações com o Estado italiano são reguladas pelo Acordo de 1984. ...

Ler artigo
Terminada a viagem à Itália dos luteranos alemães: encontros, trocas, perspectivas

Terminada a viagem à Itália dos luteranos alemães: encontros, trocas, perspectivas

Torre Annunziata (NA) Roma (NEV), 7 de junho de 2018 – A viagem à Itália da delegação do Comitê Nacional Alemão da Federação Luterana Mundial (FLM) está chegando ao fim hoje. A visita começou em Roma e no Vaticano - com uma audiência privada com o Papa Francisco - e terminou em Nápoles e na Torre Annunziata, onde o grupo visitou as comunidades locais da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) e as estruturas diáconos, incluindo o “ Hospital Evangélico Villa Betania” em Ponticelli, que a FLM apoia financeiramente. “É impressionante como as comunidades do Golfo de Nápoles conseguem correlacionar igrejas com trabalhos culturais e atividades recreativas significativas – observou o chefe da delegação, bispo Gerhard Ulrich –. O trabalho diaconal irradia fortemente na sociedade. Isso demonstra mais uma vez o quão importante é o ministério diaconal das igrejas luteranas em todo o mundo”. Na Torre Annunziata, a delegação visitou um centro cultural e de reuniões do CELI. “Jovens que vivem em situação precária podem encontrar aqui um projeto de teatro. É um sucesso”, acrescentou Ulrich. Cordelia Vitiello (CELI), membro do Conselho da FLM e vice-presidente do hospital "Villa Betania", apresentou, entre outros, o projeto "Pink Rose", que apoia mulheres vulneráveis ​​com assistência psicológica, espiritual e social. Antes de ir para Nápoles, a delegação manteve várias conversações no Vaticano. Com Papa Francisco, Luis Francisco Ladaria Ferrerprefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, e Mons. Matthias Turk, foi confirmado o progresso no caminho comum entre luteranos e católicos. Além disso, em Roma, a delegação se encontrou com a Comunidade de Sant'Egidio e participou da oração vespertina em Santa Maria in Trastevere. Outro encontro aconteceu no Melanchthon Center com estudantes de teologia alemães que podem passar um ano acadêmico em Roma no centro protestante de estudos ecumênicos, em colaboração com a Faculdade de Teologia Valdense. A Federação Luterana Mundial (FLM) é a maior comunhão da igreja luterana do mundo, com mais de 74 milhões de membros e 145 congregações em 98 países, enquanto o Comitê Nacional Alemão da FLM representa as doze igrejas membros germânicas da FLM, compreendendo aproximadamente 11,5 milhões de crentes. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.