Luteranos.  A igreja luterana de Veneza reabre

Luteranos. A igreja luterana de Veneza reabre

Escola do Anjo da Guarda (Veneza)

Roma (NEV), 9 de outubro de 2013 – Em 13 de outubro, após 15 meses fechada para reformas, reabre a igreja que abriga a comunidade protestante mais antiga da Itália: a comunidade luterana de Veneza. Para a ocasião foi organizada uma festa com concerto do coro gospel Joysingers. O anúncio foi feito pelo pastor da igreja, Bernd S. Prigge, que lembra: “Em junho passado, grandes pedaços do teto caíram e a igreja teve que ser fechada. Os especialistas viram as consequências do terrível terremoto na Emilia Romagna que foi sentido até dentro da cidade lagunar”.

A extensa restauração do teto da igreja levou dez meses e custou 250.000 euros, disse Prigge. Foi financiado por várias instituições eclesiásticas, como o Comitê Nacional Alemão da Federação Luterana Mundial (FLM), a Igreja Evangélica Luterana de Hanover, a Gustav-Adolf-Werk e a Igreja Evangélica Luterana da Itália (CELI). “Também houve apoio do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha e de muitos doadores privados na Itália e no exterior. No entanto, a grande quantia de 100.000 euros teve que ser doada pela própria comunidade”, explicou o pároco luterano de Veneza.

Em 1813, o comerciante alemão Sebastian von Heinzelmann comprou a atual igreja e a doou à comunidade. Antes disso, os cultos eram celebrados clandestinamente na casa comercial alemã – o Fondaco dei Tedeschi – perto da Ponte Rialto. O próprio Martinho Lutero já havia escrito cartas em 1543 aos protestantes de Veneza dando-lhes coragem diante da ameaça da Inquisição. A igreja, que antigamente era uma escola da Confraria do Anjo da Guarda, tem algumas obras de arte interessantes, incluindo um Ticiano e um retrato de Lutero por Lucas Cranach.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

O Sínodo não está lá, mas

O Sínodo não está lá, mas

Casa Valdense, sede do Sínodo das igrejas Metodista e Valdense Roma (NEVCS/23), 7 de agosto de 2020 – “Gerações e regenerações. Cuidar de pessoas, memórias e territórios”. Esta é a iniciativa que acontecerá em Torre Pellice (TO) de 24 a 30 de agosto, nos dias que costumam ser dedicados ao Sínodo das Igrejas Valdenses e Metodistas que este ano não será realizado devido aos conhecidos eventos relacionados com a emergência Covid -19. “Não há Sínodo, mas as igrejas valdenses e metodistas estão lá com sua história e seu variado compromisso de Norte a Sul” sublinha o moderador Alessandra Trotta No vídeo que convida a acompanhar (presencialmente ou online) os eventos organizados nos lugares do Sínodo, nas datas do Sínodo, mas sem o Sínodo. Encontros, exposições, shows, filmes e até histórias em quadrinhos vão animar a semana de 24 a 30 de agosto na Torre Pellice, coração do Valli Valdesi. Um rico programa de eventos que será precedido, de 21 a 23 de agosto, por uma edição especial da Torre di Libri. Destacamos a noite de segunda-feira, 24 de agosto, com um debate na Casa Valdese intitulado “Para que ele trabalhasse e o guardasse. Justiça social e ambiental para a construção do pós Covid" com videointervenções de David Sassoli, presidente do Parlamento Europeu e da Elly Schlein, vice-presidente da Emilia Romagna, Vittorio Cogliati Dezza (Legambiente) e Valdo Spini (Círculo Rosselli). Tudo moderado por Cláudio Paravati E Ilaria Valenzi (Comparações), enquanto as conclusões são confiadas ao moderador da Mesa Valdense, Alessandra Trotta. O encontro “Invisível, mas necessário. Imigrantes e trabalho agrícola. As iniciativas das igrejas evangélicas”, organizado pelo Mediterranean Hope, um programa de refugiados emigrantes da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália (FCEI), com a colaboração da Diaconia Valdense. Eles comparecerão ao encontro Maurizio Ambrosinisociólogo, Sara Maniserajornalista, Jaqueta Celestialsindicalista em Piana di Gioia Tauro, Nicolau Salussodiaconia valdense, Alberto RevelSecretário da Câmara do Trabalho, CGIL Turim, Ibrahim Diabatemediadora cultural, Rosarno, Francesco Piobbichiassistente social, MS e ativista social e sindical Aboubakar Soumahoro; coordenadas Paulo NasoFCEI. Na quarta-feira, 26 de agosto, o "Dia Teológico de Miegge" refletirá sobre os temas "Pregação e vida". No mesmo dia, pelas 17h00, a banda desenhada também aterra na Torre Pellice com a apresentação do livro de Peter Madsen sobre “Jesus de Nazaré”, publicado por Claudiana. Sexta-feira haverá vários encontros dedicados às crianças e sobre as crianças, antes de abordar o tema "Informação em tempos de emergência" organizado pelo semanário Riforma e pelo Valdensian Cultural Center à noite, às 21h00. A série de eventos terminará no fim de semana com um encontro no Museu Valdense e a exibição do filme “Valdesi. Uma história de fé e liberdade”. No domingo, 30, à tarde, serão apresentados os projetos Otto per mille para a emergência do Covid-19, seguidos de saudações da moderadora Alessandra Trotta. Aqui está o programa completo e atualizado dos Encontros da Semana Sinodal Para informações: www.chiesavaldese.org ...

Ler artigo
Casas e pensões valdenses “respondem” ao Covid

Casas e pensões valdenses “respondem” ao Covid

A pousada de Torre Pellice (Turim) Roma (NEV), 3 de dezembro de 2020 - As casas e pensões valdenses não estão fechando devido à Covid, mas estão "relançando". De fato, as estruturas foram convertidas, em muitos casos, nas últimas semanas, justamente para se adaptar à nova situação ligada à emergência sanitária, às restrições de viagens, mas também para reagir ao colapso do setor do turismo. Contribuindo ativamente para ajudar as pessoas mais vulneráveis. Eles escreveram e explicaram Elisa Ambrosoni E Daniel del Priore dias atrás em um post no site e redes sociais das pousadas e casas valdenses. As casas valdenses, como também havíamos noticiado aqui no NEV, haviam reaberto em junho. Após o verão, em virtude das várias DPCMs, da segunda onda, do lockdown e da divisão da Itália em zonas, uma nova parada para o setor de turismo. Daniele Del Priore, diretora da área de acolhimento da Diaconia Valdense, não nega o momento de extraordinária dificuldade: “Os funcionários dos albergues e pousadas estão em fundo de demissão, antecipado pela Diaconia Valdense. O orçamento deste ano é fortemente negativo. E lembramos que as receitas das pensões apoiam a atividade solidária da Diaconia”. Mas diante da crise, "resiliência". “Como também no primeiro bloqueio, nos ouvimos. A vontade de ouvir as necessidades dos territórios e das pessoas faz parte da nossa missão”. Daí, portanto, a escolha de reformular a oferta. “O Foresteria Valdese de Torre Pellice, em colaboração com o ASL Torino 3, será utilizado como um hotel de saúde que acolhe pessoas positivas, assintomáticas e autónomas. A Waldensian Foresteria em Florença colocou à disposição do Gould Institute uma ala do Palazzo Salviati para que os menores que testem positivo para Covid-19, ou que apresentem sintomas, possam usufruir de um amplo espaço dedicado”, lê-se no detalhe no site do casas valdenses. No que diz respeito à Casa Cares, na Toscana, “estão em curso negociações com a Cruz Vermelha Italiana para que a estrutura possa acolher os migrantes que entram no nosso país, que necessitam de passar por um período de quarentena antes de serem assumidos pelo Estado italiano”. A Vallecrosia House Vallecrosia “reservou alguns quartos e uma parte do grande parque privado para migrantes em trânsito para a França: são principalmente famílias, em todo caso pessoas que precisam extremamente de descanso. Esta iniciativa nasceu da colaboração entre as casas valdenses e a Área de Migrantes da Diaconia Valdense, com o apoio e apoio das Igrejas Valdenses de Ponente Ligure. Mesmo em Florença, antecipa del Priore, “estamos pensando em destinar nossa estrutura a um local onde menores em situação de dificuldade, acolhidos nas comunidades protegidas da cidade, possam passar quaisquer períodos de quarentena”. Tudo isso sob a égide de uma necessidade de socialização e sociabilidade. “O desejo – conclui a pessoa de contacto – é o regresso à normalidade, para todos, não só para as pessoas que são sempre faladas nos media. Penso nos mais novos, por exemplo, na necessidade de estarem juntos, de estarem próximos. A mensagem que queremos dar é de esperança: o distanciamento físico não exclui a proximidade social”. Para quem deseja informações sobre as estruturas individuais e sua disponibilidade, é aconselhável entrar em contato diretamente com a casa ou pousada, usando os dados de contato disponíveis no site casevaldesi.it e nas redes sociais. As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo
50 anos de serviço público.  Em Roma momentos de celebração e reflexão.

50 anos de serviço público. Em Roma momentos de celebração e reflexão.

Conferência dos 50 anos de serviço público Roma (NEV), 16 de dezembro de 2022 – por Benedetta Fragomeni – Ontem, dia 15 de dezembro, completou 50 anos da lei 772/72 que legalizou a objeção de consciência e marcou o consequente nascimento do funcionalismo público nacional como alternativa ao serviço militar. É nesta ocasião que a Conferência Nacional das Entidades do Serviço Público (CNESC), que também inclui a Diaconia Valdense, em colaboração com o Movimento Não-Violento, promoveu a conferência nacional que aconteceu em Roma nos dias 14 e 15 de dezembro de 2022. O evento, realizado na Sala Biavati Multiuso do Borgo Ragazzi don Bosco, envolveu vários atores, incluindo palestrantes e participantes. Historiadores, arquivistas, ativistas, pacifistas, opositores, ex-voluntários da função pública nacional e operadores voluntários atualmente em serviço, bem como convidados de outros países europeus, partilharam as experiências europeias de objeção de consciência e função pública. A conferência abriu espaço para um debate sobre a história da função pública e permitiu retraçar e consolidar os seus fundamentos, refletir sobre os desafios que se colocam e explorar as perspetivas futuras. 50 anos de objeção pela paz. “A Função Pública mostra-nos o interesse dos jovens em envolver-se no trabalho social, em fazer o bem”, recordou João Rendepresidente do conselho nacional da Função Pública. Entre as intervenções, também a de Oliviero Bettinelli, opositor na Função Pública nos anos 80 que contou a sua experiência. Explicou que, com a Função Pública, queremos “propor outro modelo para servir o país porque a constituição assim nos pede”. “É uma oportunidade regeneradora”, como define a Função Pública Vanessa Parlucchi, porta-voz do Fórum do Terceiro Setor, “a Função Pública, face a outras intervenções na comunidade, tem a capacidade de regenerar as mesmas organizações”. Da mesma maneira, Teresa Martinouma das primeiras voluntárias do sexo feminino, refletiu sobre a Função Pública como uma oportunidade de “rotação geracional e de género” graças à possibilidade de as voluntárias continuarem o seu percurso nas organizações após o ano de serviço. CNESC O CNESC é uma rede de entidades do terceiro setor. Reúne alguns dos principais organismos credenciados com o Departamento de Juventude e Função Pública. Possui escritórios em 3.557 municípios, 108 províncias e 101 estados estrangeiros. Representa 7.171 organizações sem fins lucrativos e 247 órgãos públicos, com 17.859 escritórios de implementação. Os membros do CNESC são: Acli, Aism, Anpas, ASC Aps, Anspi, Assifero, Associação Comunitária Papa João XXIII, Avis Nacional, Caritas Italiana, Projeto CESC, CIPSI, Cnca, Confederação Nacional das Misericórdias da Itália, Instituto Don Calabria, Waldensian Diaconia (Comissão Sinodal para a Diaconia-CSD), Federação SCS / CNOS - Salesianos para o trabalho social, Federsolidarietà / CCI, Focsiv, INAC, Legacoop, MCL, MOVI, Shalom, Telefono Azzurro, Unicef, UNITALSI, UNPLI, UILDM, Vides - Itália ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.