Otto per mille Waldensian, a nova campanha de 2 de maio

Otto per mille Waldensian, a nova campanha de 2 de maio

Roma (NEV), 28 de abril de 2023 – A nova campanha publicitária do Otto per mille Waldensian será lançada em alguns dias. O protagonista também será este ano, como em 2022, o DJ, radialista e escritor Diego Passoni.

Os canais de mídia social Otto per mille dão as notícias.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Suíço.  Em 17 de janeiro, os protestantes de Zurique se reúnem no Grossmünster

Suíço. Em 17 de janeiro, os protestantes de Zurique se reúnem no Grossmünster

Foto do Wikimedia Commons Roma (NEV), 11 de janeiro de 2021 – O culto ecumênico será realizado no próximo domingo, 17 de janeiro, em Grossmünster, em Zurique, Suíça. A antiga catedral, de onde a Reforma suíça começou com Ulrich Zwinglio, acolherá as diferentes denominações protestantes de Zurique. O culto começará às 10h e incluirá partes litúrgicas em diferentes idiomas e pregação multivocal. a pastora Lydia Maggi representará a Igreja Evangélica Valdense de língua italiana Zurique-Waldenser. O consistório, conforme consta na carta periódica da comunidade, também decidiu doar as arrecadações do mês de janeiro a pessoas empobrecidas pela covid-19. “Infelizmente – lê-se no boletim – o ano passado de 2020 deixou muitas famílias sem trabalho e é justo tentar dar uma ajuda concreta a essas pessoas. Nossa comunidade estará, portanto, empenhada durante todo o mês de janeiro para esse fim”. Será possível acompanhar o culto em streaming neste link: A participação presencial, com número limitado, é possível mediante anúncio por telefone (044 462 04 11) ou por correio ([email protected]) Lydia Maggi ela é uma pastora batista, estudiosa da Bíblia, teóloga. Ela foi designada para o "ministério itinerante", instituído pela Assembleia da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) em 2018. A própria pastora assim descreveu a tarefa: "O ministério itinerante representa a possibilidade de levar a Bíblia a pessoas que não a teria encontrado facilmente, para tirá-la dos contextos habituais, nas festas, nas bibliotecas, nas paróquias, entre as pessoas que não frequentam as igrejas". ...

Ler artigo
Naufrágio de Crotone, igrejas evangélicas: “Denunciamos políticas que causam mortes”

Naufrágio de Crotone, igrejas evangélicas: “Denunciamos políticas que causam mortes”

Lampedusa, agosto de 2022. (Foto de Benedetta Fragomeni) Roma (NEV), 27 de fevereiro de 2023 - "Diante da enésima morte de adultos e crianças que buscavam segurança e respeito na Europa, denunciamos as políticas que a causaram - declara Daniele Garrone, presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália – “: a falta de meios legais de emigração e asilo, de um sistema de resgate marítimo que, em vez de encorajar as ONGs que operam em operações de busca e salvamento, as atrapalha com irracional e capciosa; os constantes ataques à política de acolhimento e asilo apresentados como prejudiciais aos interesses nacionais. Na realidade é o contrário: os canais legais de imigração e as políticas coerentes de integração são um fator de crescimento económico e social também para o nosso país. O tempo com que nós, cristãos, nos preparamos para a Páscoa nos chama à conversão, ou seja, à mudança de mentalidade e de comportamento. É necessária uma conversão, uma mudança de ritmo nas políticas migratórias e de acolhimento, no espírito da solidariedade internacional, dos direitos humanos e das normas constitucionais sobre asilo. Por isso, nos sermões, nos estudos bíblicos, nos encontros de oração nos sentimos chamados, à luz das Escrituras, a abordar a questão da migração e da justiça global. Como cristãos, temos oração e testemunho, mas, ao mesmo tempo, apelamos às forças políticas para que se convertam a uma nova compreensão do fenômeno migratório, livre dos medos artificiais e da propaganda que agitam o debate público. Diante das mortes causadas por más políticas migratórias, pedimos respeito, seriedade, compromisso para acabar com os massacres da chamada imigração "irregular" e construir verdadeiras rotas migratórias complementares, respeitando a segurança de todos - dos italianos e dos pessoas que migram". Mensagens de condolências das igrejas protestantes: Com o coração partido por mais uma tragédia em #Mediterrâneo. Homens, mulheres e muitas crianças, todas mortes que poderiam ter sido evitadas com a #corredores humanitários. Rezamos por seus entes queridos e para que os vivos encontrem ajuda fraterna: também nós faremos nossa parte com @Medhope_FCEI. #Crotone — Igreja Valdense e Metodista (@ValdeseChiesa) 27 de fevereiro de 2023 ...

Ler artigo
“Fratelli tutti”, uma reflexão ecumênica e de gênero sobre a Encíclica

“Fratelli tutti”, uma reflexão ecumênica e de gênero sobre a Encíclica

Foto: Albin Hillert/WCC Roma (NEV), 5 de março de 2021 – A perspectiva de gênero na Encíclica do Papa Francisco. O assunto foi discutido em um webinar realizado no último dia 3 de março, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, que contou com a presença da secretária-geral adjunta do Conselho Mundial de Igrejas, professora Isabel Apawo Phiri. O site do Conselho Mundial de Igrejas dá a notícia. Phiri refletiu anteriormente sobre as restrições linguísticas associadas à palavra "fraternidade" como uma linguagem patriarcal, argumentando que a outra frase encontrada no subtítulo da encíclica, "amizade social", ajuda a preencher a lacuna linguística. “Do ponto de vista teológico cristão, acho significativo o uso da palavra ‘amizade’, especialmente em um contexto inter-religioso”, disse ele. O segundo elemento que emergiu da análise do subsecretário do KEK é que "Fratelli tutti" busca preencher a lacuna entre a visão teológica e a vontade política. “Uma das ideias importantes deste documento é inspirar uma nova visão de fraternidade e amizade social que não fique no nível das palavras”, afirmou. “Essa lacuna entre nossas palavras e nossas decisões deve se tornar uma prioridade das instituições religiosas”. O ambiente atual do COVID-19 exacerbou as desigualdades de gênero globalmente, continuou Phiri. "De muitas maneiras, o documento oferece ao mundo uma nova oportunidade de tornar realidade nossas esperanças de um mundo de justiça e igualdade", disse ele. “Assim, nos tornamos o que os cristãos chamam de comunidade de iguais.” O webinar foi organizado pela União Mundial das Organizações Femininas Católicas e pelo Pontifício Conselho para a Cultura em colaboração com o Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.